Anne Hathaway

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a atriz americana. Para a esposa de Shakespeare, veja Anne Hathaway (esposa de Shakespeare).
Anne Hathaway
Anne Hathaway em 2019.
Nome completo Anne Jacqueline Hathaway
Nascimento 12 de novembro de 1982 (40 anos)
Nova Iorque, Estados Unidos
Nacionalidade norte-americana
Cidadania Estados Unidos
Cônjuge Adam Shulman (c. 2012)
Filho(a)(s) 2
Ocupação Atriz
Período de atividade 1999–presente

Anne Jacqueline Hathaway (Nova Iorque, 12 de novembro de 1982) é uma atriz norte-americana. Recebedora de vários elogios, incluindo um Oscar, um Globo de Ouro e um Prêmio Primetime Emmy, ela estava entre as atrizes mais bem pagas do mundo em 2015. Seus filmes arrecadaram mais de US$6,8 bilhões em todo o mundo, e ela apareceu na lista Forbes Celebrity 100 em 2009.

Hathaway se formou na Millburn High School em Nova Jersey, onde se apresentou em várias peças. Quando adolescente, ela foi escalada para a série de televisão Get Real (1999-2000) e fez seu avanço interpretando o papel principal na comédia da Disney O Diário da Princesa (2001). Depois de estrelar uma série de filmes familiares, Hathaway fez uma transição para papéis adultos com os dramas de 2005 Havoc e O Segredo de Brokeback Mountain. A comédia-drama O Diabo Veste Prada (2006), no qual ela interpretou uma assistente de uma editora de revista de moda, foi seu maior sucesso comercial até aquele momento. Ela interpretou uma viciada em recuperação no drama Rachel Getting Married (2008), que lhe rendeu uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz.

Hathaway estrelou vários filmes de sucesso comercial, incluindo a comédia Get Smart (2008), os romances Noivas em Guerra (2009), Valentine's Day (2010) e Love and Other Drugs (2010) e o filme de fantasia Alice no País das Maravilhas (2010). Em 2012, ela estrelou como Selina Kyle / Catwoman em seu filme de maior bilheteria, The Dark Knight Rises. Também naquele ano, ela interpretou Fantine, uma prostituta morrendo de tuberculose, no musical Os Miseráveis, pelo qual ganhou o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante. Desde então, ela interpretou uma cientista no filme de ficção científica Interstellar (2014), a proprietária de um site de moda on-line na comédia The Intern (2015), uma atriz arrogante no filme de assalto Ocean's 8 (2018), uma vigarista na comédia The Hustle (2019) e Rebekah Neumann na minissérie WeCrashed (2022).

Hathaway ganhou um Prêmio Primetime Emmy por seu papel de voz na sitcom Os Simpsons, cantada para trilhas sonoras, apareceu no palco e apresentou eventos. Ela apoia várias causas de caridade. Ela é membro do conselho da Lollipop Theatre Network, uma organização que traz filmes para crianças em hospitais e defende a igualdade de gênero como embaixadora da boa vontade da ONU Mulheres. Hathaway é casada com o ator e empresário Adam Shulman e tem dois filhos com ele.

Início da vida e antecedentes[editar | editar código-fonte]

Anne Jacqueline "Annie"[1] Hathaway nasceu em 12 de novembro de 1982, no bairro do Brooklyn, em Nova Iorque. Seu pai, Gerald, é advogado trabalhista, e sua mãe, Kate (nascida McCauley), é uma ex-atriz.[2][3] O avô materno de Hathaway era a personalidade de rádio da WIP (AM) da Filadélfia, Joe McCauley.[4] Sua mãe é de ascendência irlandesa, e seu pai tem ascendência irlandesa, francesa, inglesa e alemã. Hathaway recebeu o nome da esposa de Shakespeare.[5] Ela é a segunda de três filhos, seguindo o irmão Michael e o irmão mais novo Thomas.[6] Quando ela tinha seis anos, sua família se mudou para a área de Short Hills[7] de Millburn, Nova Jérsei, onde ela foi criada.[8]

Paper Mill Playhouse, onde Hathaway apareceu em várias produções quando criança.

Aos seis anos, quando Hathaway viu sua mãe se apresentar em Les Misérables como Fantine, ela instantaneamente ficou fascinada com o palco, mas seus pais não estavam interessados em permitir que ela seguisse uma carreira de atriz. Depois disso, Kate parou de atuar para criar Hathaway e seus irmãos.[9] Hathaway foi criada como católica romana com o que ela considera "valores realmente fortes" e afirmou que desejava ser freira durante sua infância, mas atuar sempre foi uma alta prioridade para ela.[8][10] Seu relacionamento com a Igreja Católica mudou aos 15 anos, depois de saber que seu irmão mais velho, Michael, era gay.[10] Sua família deixou a igreja, convertendo-se ao episcopalismo por causa de sua aceitação da homossexualidade, mas eventualmente deixou isso também.[11] Em 2009, Hathaway descreveu suas crenças religiosas como "um trabalho em andamento".[10]

Hathaway frequentou a Escola Montessori Brooklyn Heights e a Escola Primária Wyoming em Millburn.[12] Ela se formou na Millburn High School, onde jogou futebol e participou de muitas peças, incluindo Once Upon a Mattress, na qual interpretou Winnifred.[13] Mais tarde, ela apareceu em outras peças como Jane Eyre e Gigi, no Paper Mill Playhouse de Nova Jérsei.[14] Ela estudou na Academia Americana de Artes Dramáticas em 1993 e se tornou a primeira adolescente admitida no programa de atuação da Barrow Group Theater Company.[15][16] Ela passou vários semestres estudando como especialização em inglês e especialização em ciências políticas no Vassar College em Poughkeepsie, Nova Iorque,[14] antes de se transferir para a Gallatin School of Individualized Study da Universidade de Nova Iorque.[17]

Entre 1998 e 1999, Hathaway cantou soprano com o All-Eastern U.S. High School Honors Chorus no Carnegie Hall e em peças na Seton Hall Preparatory School em West Orange, Nova Jérsei. No início de sua carreira cinematográfica, seu estilo de atuação e aparência foram comparados a Judy Garland—que ela cita como uma de suas atrizes favoritas[12]—e Audrey Hepburn.[18][19][20][13] Três dias após sua apresentação no Carnegie Hall, Hathaway foi escalada para a série de televisão de curta duração da Fox Get Real.[14] Ela interpretou a adolescente Meghan Green ao lado de Jon Tenney, Debrah Farentino e Jesse Eisenberg.[21] Hathaway sofria de depressão e ansiedade quando adolescente; ela disse em 2008 que desde então tinha crescido disso.[5] Ela perdeu seu primeiro semestre de faculdade para as filmagens de sua estreia cinematográfica O Diário da Princesa (2001).[14] Ela diz que nunca se arrependeu de não terminar seu diploma, pois gostava de estar com outras pessoas que "estam tentando crescer".[17]

Carreira[editar | editar código-fonte]

2001–2004: Primeiros papeis e reconhecimento[editar | editar código-fonte]

A comédia O Diário da Princesa e o drama de aventura The Other Side of Heaven, ambos filmes da Disney de 2001, apresentaram Hathaway nos papéis principais. Baseado no romance de mesmo nome de Meg Cabot de 2000, o primeiro segue a adolescente Mia Thermopolis (Hathaway), que descobre que ela é a herdeira do trono do fictício Reino de Genovia. Hathaway fez o teste para o papel durante uma escala de voo a caminho da Nova Zelândia.[12] Garry Marshall, diretor do filme, inicialmente considerou Liv Tyler para o papel, mas escolheu Hathaway depois que suas netas sugeriram que ela tinha o melhor cabelo de "princesa".[22] O filme se tornou um grande sucesso comercial, arrecadando US$165 milhões em todo o mundo.[23] Muitos críticos elogiaram o desempenho de Hathaway; um crítico da BBC observou que "Hathaway brilha no papel-título e gera grande química" e Elvis Mitchell, do The New York Times, a considerou "realeza em formação, um jovem talento cômico com uma confusão de recursos".[24] Ela ganhou um Prêmio MTV Movie de Melhor Revelação pelo papel.[25] Hathaway estrelou com Christopher Gorham em The Other Side of Heaven, de Mitch Davis. Inspirado pela autobiografia de John H. Groberg In the Eye of the Storm, o filme recebeu críticas principalmente negativas e foi um fracasso de bilheteria.[26]

Em termos de papel de princesa, há apenas um tempo que você pode interpretá-los como uma jovem antes de começar a se sentir realmente ridícula. Eles são tão divertidos de fazer, acho que poderia muito bem tirar o máximo proveito deles enquanto posso. Então [eu] vou sair e interpretar todos os viciados em drogas e as prostitutas, e todos os bons que você ganha o Oscar um pouco mais tarde.

 Hathaway, 2004[27]

Devido ao sucesso de O Diário da Princesa, a revista People nomeou Hathaway uma de suas estrelas inovadoras de 2001.[28] Em fevereiro de 2002, Hathaway estrelou na produção de concertos da City Center Encores! de Carnival! em sua estreia nos palcos em Nova Iorque. Ela interpretou Lili, uma órfã otimista que se apaixona por um mágico. Antes de ensaiar com o elenco completo, Hathaway treinou com um treinador vocal por duas semanas. Ela memorizou quase todas as suas falas e músicas na primeira leitura.[14] Os críticos geralmente a elogiaram por se manter contra atores bem conhecidos e a anunciaram como uma nova estrela.[14] Em uma revisão positiva para o musical, Charles Isherwood, da Variety, chamou Hathaway de destaque do show e "notavelmente não afetada e vencedora", elogiando sua performance convincente.[29] Ela ganhou um Prêmio Clarence Derwent de Mulher Mais Promissora.[30] Mais tarde, Hathaway dublou o lançamento do audiolivro dos três primeiros livros dos romances de O Diário da Princesa.[31]

Hathaway interpretou princesas e apareceu em filmes orientados para a família nos próximos três anos, tornando-se posteriormente conhecida na grande mídia como um modelo infantil.[28] Depois de dar voz a Haru Yoshioka para a versão em inglês de O Reino dos Gatos (2002),[32] ela estrelou a comédia dramática de Douglas McGrath, Nicholas Nickleby (2002), que se abriu para críticas positivas. No entanto, o filme não entrou em grande lançamento e falhou nas bilheterias da América do Norte, totalizando menos de US$4 milhões em vendas de ingressos.[33] O filme de comédia romântica de fantasia Ella Enchanted (2004), no qual Hathaway interpretou a personagem titular, também teve um desempenho ruim nas bilheterias.[34] Ela leu pela primeira vez o livro em que o filme é baseado quando tinha 16 anos, e afirmou que o roteiro estava originalmente muito mais próximo do livro, mas não funcionava como um filme e, portanto, prefere o filme do jeito que se tornou.[18] O filme abriu para críticas principalmente mistas.[35] Hathaway cantou três músicas na trilha sonora do filme, incluindo um dueto com o cantor Jesse McCartney.[36]

Em 2003, Hathaway recusou o papel de Christine Daaé em O Fantasma da Ópera (2004) de Joel Schumacher, porque a programação de produção do filme se sobrepôs a The Princess Diaries 2: Royal Engagement (2004).[30] Ela estava inicialmente hesitante e nervosa em estrelar a sequência, mas concordou depois que Marshall a convenceu de que ela não estava repetindo nada.[18] O filme foi lançado em agosto de 2004 com críticas negativas,[37] mas arrecadou US$95,1 milhões contra um orçamento de US$ 40 milhões.[38]

2005–2008: Transição para papéis adultos e reconhecimento crítico[editar | editar código-fonte]

Em um artigo de 2008, Hathaway afirmou que "qualquer um que fosse um modelo para crianças precisa de um adiamento", mas observou que "é adorável pensar que meu público está crescendo comigo".[39] Para evitar o typecasting, ela começou a assumir papéis adultos.[28] Depois de substituir Tara Strong pelo papel de voz de Chapeuzinho Vermelho em Hoodwinked! (2005),[40] ela estrelou o drama Havoc (2005) como uma socialite mimada, aparecendo nua em algumas de suas cenas. Embora o filme fosse tematicamente diferente de seus lançamentos anteriores, Hathaway negou que seu papel fosse uma tentativa de ser vista como uma atriz mais madura, citando sua crença de que fazer nudez em certos filmes é apenas uma parte do que sua forma escolhida de arte exige dela; por causa dessa crença, ela não considera que aparecer nua em filmes apropriados seja moralmente censurável.[41] O filme não foi lançado nos cinemas dos Estados Unidos devido à recepção crítica desfavorável.[42] Hathaway estrelou ao lado de Heath Ledger e Jake Gyllenhaal no drama de Ang Lee Brokeback Mountain (2005). O filme retrata a relação emocional e sexual entre dois homens casados, Ennis (Ledger) e Jack (Gyllenhaal); ela interpretou a esposa de Jack, Lureen. Hathaway recebeu originalmente o roteiro com o papel de Alma, a esposa de Ennis, mas decidiu fazer o teste para Lureen assim que ela leu o roteiro.[43] Durante sua audição, ela mentiu para Lee sobre seu conhecimento de andar a cavalo para que ele a lançasse, mas ela posteriormente teve aulas.[44] O filme recebeu aclamação da crítica e várias indicações ao Oscar.[45] Peter Travers, da Rolling Stone, acreditava que Hathaway "exce em mostrar a jornada de Lureen de gracinha a caso difícil", e Todd McCarthy, da Variety, escreveu que ela "fornece um contraste divertido na decepção da esposa".[46][47] Hathaway afirmou mais tarde que o conteúdo do filme era mais importante do que sua contagem de prêmios, e que fazê-lo a tornou mais consciente do tipo de histórias que ela queria contar como atriz.[48] Neste ponto, ela percebeu que queria desempenhar papéis para mover o público ou entretê-los tanto que eles se esquecem de suas próprias vidas.[5]

A picture of Anne Hathaway looking into the camera.
Hathaway no Deauville American Film Festival de 2007

Em 2006, Hathaway estrelou a comédia-drama de David Frankel, O Diabo Veste Prada, baseada no romance de mesmo nome de Lauren Weisberger. O filme a apresentou como uma graduada universitária que conseguiu um emprego como co-assistente da poderosa editora de revistas de moda Miranda Priestly (interpretada por Meryl Streep).[8] Hathaway foi "a nona escolha" para o papel, citando isso mais tarde como uma inspiração para as pessoas nunca desistirem.[49] Para se preparar para a parte, ela se voluntariou por algumas semanas como assistente em uma casa de leilões.[50] Ela disse que trabalhar no filme a fez respeitar a indústria da moda muito mais do que antes, embora tenha admitido que seu estilo pessoal era algo que ela "ainda não consegue acertar".[16] Ela e a co-estrela Emily Blunt ficaram com tanta fome em seu regime de perda de peso para o filme que as fez chorar.[51] O Diabo Veste Prada recebeu críticas positivas; Roger Ebert chamou Hathaway de "uma grande beleza [...] que faz uma garota de carreira convincente" e Rotten Tomatoes encontrou "Streep na melhor forma e Anne Hathaway mais do que se manter".[52][53] O filme se tornou seu maior sucesso comercial até aquele momento, arrecadando mais de US$326,5 milhões em todo o mundo.[54]

Hathaway foi escalada para Knocked Up, mas desistiu antes do início das filmagens e foi substituída por Katherine Heigl. De acordo com o escritor-diretor Judd Apatow, isso aconteceu porque Hathaway estava desconfortável com o uso de imagens reais de uma mulher dando à luz;[55] ela acreditava que não contribuiu para a história do filme.[56] Seu único lançamento de 2007 foi o drama romântico biográfico Becoming Jane, como a autora inglesa Jane Austen.[48] Fã de Austen desde os 14 anos, Hathaway se preparou para o papel relendo os livros de Austen e conduzindo pesquisas históricas, como ler as cartas da autora; ela também aprendeu língua de sinais, caligrafia, coreografia de dança e piano. Ela se mudou para a Inglaterra um mês antes das filmagens começarem a melhorar seu sotaque inglês.[a][58] Ela recebeu uma indicação ao British Independent Film Award de Melhor Atriz pelo filme,[59] embora alguns críticos tenham se concentrado negativamente em seu sotaque e desempenho.[60]

Em outubro de 2008, Hathaway apresentou um episódio da comédia noturna da NBC Saturday Night Live.[61] Ela também estrelou a adaptação cinematográfica de Peter Segal da série de televisão Get Smart de Mel Brooks, na qual ela interpretou a Agente 99. Considerando o papel como "um sonho de infância tornado realidade", Hathaway aprendeu artes marciais e técnicas de dança em preparação.[39] Enquanto filmava uma sequência de ação, ela dividiu a carne de sua canela até o osso, o que a levou a receber 15 pontos.[5] O filme, centrado em um analista que sonha em se tornar um verdadeiro agente de campo e um melhor espião, foi um sucesso financeiro.[62] Seu lançamento seguinte, o thriller de mistério Passageiros ao lado de Patrick Wilson, foi um fracasso crítico e comercial.[63] Hathaway então estrelou o drama de Jonathan Demme, Rachel Getting Married, como Kym, uma jovem que, depois de ser liberada da reabilitação de drogas, retorna para casa para o casamento de sua irmã. Ela descreveu sua personagem como "narcisista—retamente egoísta".[64] Rachel Getting Married estreou nos Festivais Internacionais de Cinema de Toronto e Veneza de 2008, e Hathaway foi amplamente aclamada por sua atuação.[64] Peter Travers a achou "crua e fascinante" no papel, acrescentando que ela "age do inferno, alcançando um estado de graça dolorosa".[65] Ela recebeu indicações ao Oscar e ao Globo de Ouro de Melhor Atriz.[64][66]

2009–2011: Comédias românticas e apresentando eventos[editar | editar código-fonte]

Hathaway estrelou Noivas em Guerra (2009), que ela descreveu como "terrívelmente comercial—gloriosamente assim".[67] A comédia romântica, na qual ela e Kate Hudson interpretaram duas melhores amigas que se tornam rivais depois que seus casamentos estão agendados no mesmo dia, foi um fracasso crítico; foi nomeada entre os dez piores filmes de garotas da história pela Time em 2010.[68] Apesar disso, o filme foi bem-sucedido financeiramente e rendeu a Hathaway um MTV Movie Award de Melhor Performance Feminina.[69][70] Ela interpretou a heroína Viola em uma produção de verão de 2009 de Noite de Reis no Delacorte Theater, em Nova Iorque. Charles Isherwood opinou que Hathaway "mergulha suavemente e com prazer óbvio no abraço de um elenco coeso".[71] Por sua interpretação do papel, ela ganhou uma indicação para o Drama Desk Award de Melhor Atriz em uma Peça.[72] Em 2010, ela também ganhou um Primetime Emmy Award de Melhor Performance de Voz por fornecer sua voz para o episódio "Era Uma Vez em Springfield" em Os Simpsons.[73] Hathaway dublou diferentes personagens em Family Guy em 2010 e 2011.[74][75]

Uma foto de busto de uma jovem de pé em uma vista lateral, com a cabeça virada para olhar para a câmera. Seu cabelo comprido é puxado para trás de seu rosto e cai em cascata pelas costas. Ela usa um vestido preto sem mangas com uma guarnição dourada nas costas e sob o braço. Ela usa brincos de prata em forma floral e sorri suavemente. Há uma multidão de pessoas, um pouco fora de foco, em segundo plano.
Hathaway no Concerto do Prêmio Nobel da Paz em 2010, que ela apresentou com o ator Denzel Washington

Em 2010, Hathaway apareceu como uma recepcionista que namora um funcionário (interpretado por Topher Grace) no conjunto de comédia romântica Valentine's Day, dirigido por Garry Marshall. O filme foi um sucesso comercial, arrecadando mais de US$215 milhões em todo o mundo contra um orçamento de US$ 52 milhões.[76] Hathaway interpretou a Rainha Branca na adaptação de 2010 de Tim Burton dos romances de fantasia Alice no País das Maravilhas e Through the Looking-Glass ao lado de Helena Bonham Carter e Johnny Depp. Ela resumiu seu personagem com uma legenda em um ímã de Happy Bunny segurando uma faca; "Fofa, mas psicopata. As coisas se equilibram."[77] Hathaway descreveu sua interpretação da Rainha Branca como "uma pacifista vegana punk-rock", inspirando-se em Debbie Harry e na obra de arte de Dan Flavin.[78] Comercialmente, arrecadou US$1 bilhão para se tornar o segundo filme de maior bilheteria de 2010.[79]

Hathaway se reuniu com Jake Gyllenhaal como uma artista de espírito livre com a doença de Parkinson no drama romântico erótico Love and Other Drugs de Edward Zwick, baseado no livro de não-ficção Hard Sell: The Evolution of a Viagra Salesman de Jamie Reidy. Para o papel, ela passou um tempo com um paciente de Parkinson para pesquisar a doença.[80] Preparando-se para as cenas de nudez do filme, ela assistiu aos filmes de Kate Winslet e Penélope Cruz que, na visão de Hathaway, fizeram nudez com sensibilidade e dignidade.[81] Ela acreditava que essas cenas não desencorajariam pessoas socialmente conservadoras de assistir ao filme.[82] Os críticos geralmente elogiavam o romance adulto do filme, mas não estavam entusiasmados com seus elementos do enredo.[83] A performance de Hathaway, que Ebert chamou de "quente, adorável",[84] lhe rendeu um Satellite Award e uma indicação ao Globo de Ouro de Melhor Atriz - Comédia ou Musical.[85][86] Juntamente com o ator Denzel Washington, Hathaway apresentou o Concerto do Prêmio Nobel da Paz em Oslo, Noruega, em dezembro de 2010.[87] Dois meses depois, ela e James Franco sediaram o 83º Oscar.[88] Os críticos não estavam entusiasmados com sua química, mas pensaram que Hathaway deu o seu melhor e fez um trabalho melhor do que Franco, que eles achavam que parecia desinteressado.[89] No 63º Primetime Emmy Awards, ela ganhou uma indicação ao Melhor Especial de Variedades (Ao Vivo).[90]

Em 2011, Hathaway dublou Jewel, uma ararinha-azul feminina do Rio de Janeiro, no filme de animação Rio, produzido pela 20th Century Fox e Blue Sky Studios. O filme recebeu críticas geralmente positivas dos críticos de cinema, que elogiaram os visuais, a dublagem e a música.[91] Um sucesso comercial, arrecadou mais de US$484 milhões em todo o mundo contra um orçamento de US$90 milhões.[92] Mais tarde, Hathaway estrelou ao lado de Jim Sturgess em Um Dia, de Lone Scherfig, baseado no romance de mesmo nome de David Nicholls em 2009. O filme conta a história de dois jovens que se encontram vinte anos depois de compartilharem uma noite juntos. Hathaway recebeu clandestinamente o roteiro, já que Um Dia foi ambientado no Reino Unido, e Scherfig não estava procurando nenhuma atriz americana para o papel. Depois de uma reunião não produtiva com Scherfig, Hathaway deixou uma lista de músicas para ela, que depois de ouvi-las, escolheu a atriz para o papel.[b][93] Em uma entrevista a Peter Travers, Hathaway disse que poderia ter inadvertidamente encorajado a misoginia, pois não confiava em Scherfig como diretora, o que ela achava que era por causa de seu gênero.[94] O sotaque de Yorkshire de Hathaway no filme foi considerado abaixo do par. A colunista Suzanne Moore, revisando o filme na Front Row da BBC Radio 4, disse que os sotaques de Hathaway estavam "em todas as lojas", acrescentando: "Às vezes ela é da Escócia, às vezes ela é de Nova Iorque, você simplesmente não pode dizer".[95] O filme em si recebeu críticas polarizadas dos críticos,[96] mas se tornou um sucesso de bilheteria moderado.[97][98]

2012–2014: Les Misérables e filmes com Christopher Nolan[editar | editar código-fonte]

Em 2012, a gravação do audiolivro de Hathaway do romance de 1900 de L. Frank Baum, The Wonderful Wizard of Oz, foi lançado no Audible.com e ganhou uma indicação para um Audie Award de Melhor Narração Solo - Feminino.[99] Mais tarde, em 2012, ela interpretou a gata assaltante astosamente e moralmente ambígua Selina Kyle/Mulher-Gato em The Dark Knight Rises, a última parte de Christopher Nolan na trilogia The Dark Knight.[100] Hathaway fez o teste sem saber para qual papel ela estava sendo considerada, admitindo que tinha uma personagem em mente, mas só aprendeu seu papel depois de conversar com Nolan por uma hora.[101] Ela o descreveu como o papel fisicamente mais exigente que já desempenhou, pois teve que redobrar seus esforços na academia para acompanhar os requisitos do papel.[102] Ela treinou extensivamente em artes marciais e olhou para Hedy Lamarr no desenvolvimento de seu papel como Mulher-Gato.[103] The Dark Knight Rises recebeu uma resposta crítica positiva e arrecadou mais de US$1,085 bilhão em todo o mundo, tornando-se o terceiro filme de maior bilheteria de 2012.[104] Jim Vejvoda, da IGN, escreveu sobre sua "presença magnética", acrescentando: "Hathaway imbue sua [personagem] com um espírito ferido e uma borda de sobrevivente que a faz se sentir genuína e simpática".[105] Ela ganhou o Saturn Award de Melhor Atriz Coadjuvante por sua atuação.[106]

Hathaway em uma exibição de Rio 2 em 2014

Hathaway interpretou Fantine, uma prostituta morrendo de tuberculose, em Les Misérables, de Tom Hooper, uma adaptação cinematográfica do musical de mesmo nome. Imagens da atriz cantando "I Dreamed a Dream", uma música do filme, foram exibidas na CinemaCon em abril de 2012; Hooper descreveu seu canto como "cru" e "real".[107] Em preparação para o papel, Hathaway consumiu menos de 500 calorias por dia para perder 25 libras (11 kg), pesquisou a prostituição e cortou o cabelo.[108][109] Para entrar no espaço mental de sua personagem sozinha durante as filmagens em Londres, ela enviou seu marido de volta aos Estados Unidos; isso resultou em ela se tornar cada vez mais temperamental.[110] Christopher Orr, do The Atlantic, escreveu que "Hathaway dá tudo o que tem, começando com tristeza tranquila antes de chegar a um clímax: ela ofecha, chora, tosse".[111] Ann Hornaday, do The Washington Post, afirmou que "a peça central de um filme composto inteiramente de peças centrais pertence a Anne Hathaway, que, como a trágica heroína Fantine, canta outro dos números memoráveis".[112] Ela ganhou o Oscar, Globo de Ouro, Screen Actors Guild e BAFTA de Melhor Atriz Coadjuvante.[113][114] Perguntada se ela estava satisfeita com seu desempenho no filme, Hathaway expressou dúvidas, respondendo com "Eh".[113] Em janeiro de 2013, a versão de Hathaway de "I Dreamed a Dream" alcançou o número 69 na Billboard Hot 100.[115]

Depois de aparecer brevemente na comédia romântica Don Jon (2013),[116] Hathaway estrelou e co-produziu (com seu marido e outros) Song One. No filme de drama, ela interpretou uma estudante de antropologia que volta para casa para ver seu irmão ferido, Henry (interpretado por Ben Rosenfield), e logo começa um relacionamento romântico com seu músico favorito, James Forester (interpretado por Johnny Flynn). Sua personagem foi originalmente escrita aos 19 anos, mas Kate Barker-Froyland, escritora e diretora do filme, mudou a parte para a de uma mulher mais velha depois de escolher Hathaway.[117] A atriz disse que a razão pela qual ela decidiu produzir o filme foi por causa de sua representação do poder curativo da música e das segundas chances.[118] Para a trilha sonora do filme, ela forneceu sua voz para a música "Afraid of Heights".[119] Song One estreou na Competição Dramática dos EUA no 30º Festival de Cinema de Sundance em janeiro de 2014,[120] e lançado nos cinemas no ano seguinte para críticas mistas dos críticos.[121] Comercialmente, o filme não conseguiu recuperar seu investimento de US$6 milhões.[122]

Hathaway reprisou seu papel como Jewel no filme de animação Rio 2—seu terceiro filme com Jamie Foxx—que foi lançado em 2014.[123] Ele arrecadou cerca de cinco vezes mais do que seu orçamento de US$103 milhões.[124] Seu único lançamento live-action de 2014 foi o filme épico de ficção científica Interstellar de Christopher Nolan. Situado em um futuro distópico onde a humanidade está lutando para sobreviver, o filme segue um grupo de astronautas que viajam por um buraco de minhoca em busca de um novo lar para a humanidade. Hathaway interpretou a Dr. Amelia Brand, uma cientista da NASA entre os astronautas. Com um orçamento de US$165 milhões, a produção de alto perfil, co-estrelada por Matthew McConaughey e Jessica Chastain, foi filmado principalmente usando câmeras IMAX.[125][126] Hathaway foi atraída pelo crescimento de sua personagem de uma pessoa arrogante para uma pessoa mais humilde.[127] Ela quase teve hipotermia enquanto filmava uma cena de água na Islândia, porque o terno seco que ela estava usando não havia sido devidamente protegido.[128] Os revisores do The Independent e do Empire, respectivamente, descobriram que ela estava "comovente" em seu papel como cientista incapaz de decidir entre suas responsabilidades profissionais e seus sentimentos, e a creditaram por desempenhar o papel com "nuances de alma".[129][130] Interstellar arrecadou mais de US$701 milhões em todo o mundo,[131] e rendeu a Hathaway uma indicação ao Saturn Award de Melhor Atriz.[132]

2015–2021: Papeis de comédia e flutuações de carreira[editar | editar código-fonte]

Hathaway começou 2015 com uma aparição na primeira temporada do reality show musical Lip Sync Battle. No episódio, ela competiu contra sua co-estrela de O Diabo Veste Prada, Emily Blunt; ela sincronizou "Love" de Mary J. Blige e "Wrecking Ball" de Miley Cyrus.[133] The Intern, de Nancy Meyers, foi o único lançamento do filme de Hathaway em 2015. Conta a história de Ben Whittaker (interpretado por Robert De Niro), um viúvo de 70 anos que se torna estagiário sênior em um site de moda on-line administrado por Jules Ostin (Hathaway). Ela aspirava a trabalhar com De Niro e Meyers, seu ator e diretor favoritos, respectivamente; impressionada com a história do filme, ela fez o teste pela terceira vez para um filme de Meyers.[c][135] As críticas do filme foram geralmente positivas; uma no site de Roger Ebert a achou "extremamente atraente" e um revisor da revista New York escreveu: "[136]The Intern sai com a simpatia de De Niro e a doce energia de Hathaway".[136][137] O filme arrecadou US$194 milhões em todo o mundo contra um orçamento de US$35 milhões.[138] O filme de terror de 2015 Be My Cat: A Film for Anne, sobre um aspirante a cineasta romeno que vai a extremos chocantes para convencer Hathaway a estrelar seu filme, foi oficialmente selecionado e teve sua estreia norte-americana no Festival de Cinema de Nashville de 2016.[139]

Hathaway reprisou o papel da Rainha Branca em Alice Through the Looking Glass, a sequência de 2016 de Alice no País das Maravilhas.[140] Em março, foi relatado que ela reprisaria seu papel em O Diário da Princesa 3; o projeto foi arquivado após a morte de Garry Marshall, que estava pronto para dirigir o filme.[141] Hathaway é uma dos vários atores apresentados no álbum Encore: Movie Partners Sing Broadway de 2016 de Barbra Streisand. Juntamente com Daisy Ridley, Hathaway e Streisand cantaram a música "At The Ballet" de A Chorus Line; ela desempenhou o papel de Maggie, uma de um trio de dançarinos que esperava ser escalada para um próximo show.[142] Seu último filme naquele ano foi ao lado de Jason Sudeikis na comédia negra de ficção científica de Nacho Vigalondo Colossal (2016).[143] Interpretando uma jovem escritora desempregada, Hathaway foi a primeira atriz a assinar em um momento em que o projeto não tinha apoio financeiro. Ela foi atraída pela natureza de salto de gênero do roteiro, comparando-o mais tarde com Being John Malkovich (1999), um de seus filmes favoritos.[144] O filme recebeu críticas positivas dos críticos, mas ganhou apenas US$4 milhões nas bilheterias.[145][146]

Depois de uma ausência de dois anos da tela, Hathaway estrelou como uma atriz famosa no spin-off feminino da franquia Ocean's Eleven, Ocean's 8, dirigido por Gary Ross.[147] Co-estrelado por Sandra Bullock e Cate Blanchett, o filme segue um grupo de criminosas que planejam roubar o Met Gala. Hathaway achou divertido interpretar alguém com um ego imenso e viu o papel como uma oportunidade "de se inclinar para todas as bobagens ridículas de fama que tenho tentado evitar por todos esses anos".[148] Ela esperava que o filme fosse lucrativo para que pudesse desmascarar alegações de que os filmes dirigidos por mulheres não são bem-sucedidos comercialmente.[149] Os críticos sentiram que Hathaway "roubou o show";[150] Jason Di Rosso, da ABC Online, acrescentou: "Os melhores momentos do filme pertencem a Hathaway como a estrela ansiosa, vaidosa e caprichosa. Ela é a única combinação bem-sucedida de comédia e páthos—uma vítima da esteira de celebridades que também é capaz de superá-la."[151] Ocean's 8 foi um sucesso de bilheteria, arrecadando mais de US$297 milhões em todo o mundo contra um orçamento de US$70 milhões.[152]

Os dois primeiros filmes de Hathaway de 2019—o thriller Serenity e a comédia The Hustle—foram mal recebidos pelos críticos.[153][154] No primeiro, ela estrelou ao lado de seu protagonista em Interstellar Matthew McConaughey como uma mulher que encarrega seu ex-marido de matar seu novo marido abusivo, um papel para o qual ela pintou o cabelo de loiro.[155] The Washington Post rejeitou sua performance como "desenho animado", acrescentando que sua personagem mulher fatal era uma reminiscência de "uma espécie de live-action Jessica Rabbit".[156] O último filme foi um remake do filme de 1988 Dirty Rotten Scoundrels, co-estrelado por Rebel Wilson, que surgiu como um sleeper hit.[157][158] Hathaway então interpretou uma mulher com transtorno bipolar em um episódio da série de antologia romântica da Amazon Prime Video Modern Love.[159] Ela então interpretou a esposa do personagem de Mark Ruffalo no drama legal de Todd Haynes, Dark Waters, sobre envenenamento ambiental cometido pela empresa química DuPont.[160] Escrevendo para a Variety, Owen Gleiberman chamou sua performance de apoio de "uma dança penetrante de agonia e lealdade".[161]

Hathaway começou a nova década com o thriller político The Last Thing He Wanted (2020), baseado no livro de mesmo nome de Joan Didion. Ela se considerava uma escolha improvável para o papel de uma jornalista teimosa, pois diferia de sua própria personalidade de "filhote de cachorro".[162] Recebeu críticas negativas dos críticos.[163] Ela então estrelou The Witches, uma adaptação do romance de mesmo nome do diretor Robert Zemeckis, no qual ela interpretou uma bruxa má. O filme recebeu críticas mistas dos críticos, que o consideraram inferior à adaptação de 1990.[164][165] As performances de Hathaway em ambos os filmes também foram fortemente criticadas; ela foi nomeada para o prêmio "Pior Atriz" para ambos os filmes no 41º Golden Raspberry Awards.[166] Em 2021, ela estrelou o filme de assalto Locked Down, dirigido por Doug Liman, que estreou na HBO Max. Situado durante a pandemia de COVID-19, co-estrelou Chiwetel Ejiofor.[167][168] O filme foi filmado ao longo de 18 dias com recursos limitados.[169] Ela então assumiu um papel em um episódio da série de antologia da Amazon Prime Video Solos.[170]

2022: Ressurgimento[editar | editar código-fonte]

Hathaway estrelou ao lado de Jared Leto na minissérie da Apple TV+ WeCrashed, sobre a empresa WeWork. Ela também foi produtora executiva da série.[171][172] Recebeu críticas favoráveis, com elogios particulares pelo retrato de Hathaway de Rebekah Neumann.[173] Angie Han, do The Hollywood Reporter, a elogiou por resistir "a tentação de transformar Rebekah em uma caricatura exagerada de um tipo woo-woo intitulado, o que, em última análise, só torna Rebekah mais engraçada".[174] Hathaway estrelou o drama semi-autobiográfico de James Gray, Armageddon Time, retratando uma personagem inspirada na mãe de Gray.[175] O filme estreou no Festival de Cinema de Cannes de 2022.[176] David Rooney, do The Hollywood Reporter, considerou seu melhor desempenho desde Rachel Getting Married, enquanto Owen Gleiberman, da Variety, elogiou Hathaway por tornar sua personagem "ao mesmo tempo afetuosa e cega".[177][178]

Hathaway desempenhará um papel principal em um filme baseado na franquia Sesame Street.[179][180] Ela também estrelará uma adaptação do livro de Pamela Druckerman, Bringing Up Bébé: One American Mother Discovers the Wisdom of French Parenting.[181] Hathaway se unirá a Jessica Chastain para estrelar o thriller psicológico Mothers' Instinct, o filme é baseado no romance Derrière la Haine da romancista Barbara Abel.[182] Ela também assinou para estrelar a comédia romântica de Rebecca Miller She Came to Me ao lado de Tahar Rahim, Marisa Tomei, Joanna Kulig e Matthew Broderick.[183] Além disso, Hathaway estrelará a Amazon Studios e a coprodução da Welle Entertainment baseada no romance de Robinne Lee, The Idea Of You.[184]

Imagem pública[editar | editar código-fonte]

Hathaway assinando autógrafos para fãs no Festival Internacional de Cinema de Toronto de 2008

Descrevendo a personalidade fora da tela de Hathaway, John Hiscock, do The Daily Telegraph, escreveu em 2014 que ela é uma "vem jovem bem fundamentada e amigável, com um bom senso de humor, um sorriso amplo e uma atitude descontraída".[185] Ele opinou que, apesar do sucesso considerável, ela nunca "foi para Hollywood", ficando perto de seus amigos.[185] Os autores do livro 365 Style notaram a imagem da garota ao lado de Hathaway, e sua diretora do The Intern, Nancy Meyers, diz que ela é "sábia além de seus anos".[186][187] A jornalista Laura Brown a achou uma mulher "sincera", "quente e engraçada".[188] Após seus discursos de aceitação de prêmios para Les Misérables, The Atlantic observou que vários comentaristas da mídia a acusaram de ser "irritante" e fazer piadas "estranhas".[189] Discutindo isso, Hathaway disse em 2014 que se sentia ansiosa ao falar em público, mas desde então cresceu a partir disso e se tornou uma pessoa mais compassiva.[188] Em relação à sua imagem percebida, ela diz: "As pessoas têm essa ideia de mim como sendo apenas uma garota muito formal e profissional, o que eu suponho que sou, mas eu me solto e me divirto na minha vida".[5] Observando sobre sua apresentação em Twelfth Night, Charles Isherwood escreveu: "na tela ou no palco, a Sra. Hathaway possui o brilho inconfundível de uma estrela natural".[71] Um escritor da Esquire acredita que muitas de suas boas performances foram negligenciadas, descrevendo sua carreira como "brilhante sutil que passou em grande parte despercebida".[190] Discutindo sua carreira em 2015, Hathaway disse que depois de seu avanço em O Diário da Princesa, ela lutou para encontrar papéis sérios ou aqueles que não eram sobre princesas. De acordo com Judi Gugliemli, da People, Hathaway usou esse medo de ser datilotada como motivação para construir um corpo versátil de trabalho. Gugliemli acreditava que sua capacidade de pesquisar extensivamente seus papéis é a chave para seu sucesso.[191] Um escritor do The Daily Telegraph elogiou sua vontade de aparecer em diferentes gêneros, desde comédias de ação até dramas.[192] Hathaway aspira a aparecer em muitos filmes diferentes, trabalhar com diferentes diretores e desempenhar papéis diversos.[187][191] Ela disse que ficaria "perdida" sem atuar e se sente sortuda por tê-lo encontrada como sua profissão.[193] Uma atriz de teatro treinada, ela prefere se apresentar no palco a papéis de cinema e afirma estar com medo de atuar na câmera.[8] "Eu sempre assumo que cada filme é o meu último, e sempre assumo que tenho que sair e convencer a todos por que eles têm que me contratar. Eu ainda faço o teste", disse ela.[118]

A Forbes informou que Hathaway foi uma das atrizes mais bem pagas do mundo em 2015,[194] e desde 2017, ela está entre as atrizes de maior bilheteria do século XXI.[195] Em 2009, ela foi incluída na lista anual Celebrity 100 da Forbes com ganhos de US$7 milhões, e foi convidada a se juntar à Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.[196][197] Em julho de 2018, seus filmes arrecadaram US$ 6,7 bilhões em todo o mundo.[198] Perfilada entre as principais atrizes do mundo pela Vanity Fair, Hathaway, de acordo com Catherine Elsworth do The Daily Telegraph, é perseguida tanto por diretores quanto por empresas de cosméticos.[5] Em janeiro de 2008, ela se juntou à casa francesa de perfumes e cosméticos de luxo Lancôme como o rosto de sua fragrância "Magnifique".[199][200] Em 2011, ela se tornou o novo rosto da empresa italiana Tod's.[201]

A beleza e o apelo sexual de Hathaway foram captados por vários meios de comunicação; FHM, People, Maxim, Empire e Entertainment Weekly a incluíram em suas listas anuais das mulheres mais sexy.[202] Em 2011, a Los Angeles Times Magazine a listou como uma das 50 mulheres mais bonitas do cinema.[203] Elsworth a chamou em 2008 de "a jovem atriz mais quente de Hollywood".[5] Hathaway discordou, insistindo que ela tem uma imagem de "boa garota" e nenhum apelo sexual.[204] Ela se recusou a se submeter a tratamento com Botox, dizendo que está confortável em sua própria pele.[205]

Ativismo e trabalho político[editar | editar código-fonte]

Hathaway no jantar da Human Rights Campaign de 2018 em Washington, D.C.

Hathaway serviu como defensora de longo prazo da Fundação Nike para aumentar a conscientização contra o casamento infantil.[206] Em julho de 2006, ela passou uma semana na Nicarágua para ajudar a vacinar crianças contra a hepatite A.[207] Ela também viajou para outros países para respeitar os direitos de mulheres e meninas, incluindo Quênia e Etiópia.[208] Em 2008, ela foi homenageada no tributo "Women in Hollywood" da revista Elle e ganhou um prêmio da Campanha de Direitos Humanos por sua filantropia;[209][210] ela também foi homenageada por seu trabalho com a Step Up Women's Network em 2008.[211] Ela então se uniu em 2010 com o Banco Mundial em um programa de desenvolvimento de dois anos The Girl Effect, cuja missão se concentra em ajudar a capacitar meninas em países em desenvolvimento e desenvolvidos, onde um terço das mulheres jovens não estão empregadas e não estão na escola.[212] Em 2013, ela forneceu a narração para Girl Rising, um documentário da CNN, que se concentrou no poder da educação feminina enquanto seguia sete meninas ao redor do mundo que buscavam superar obstáculos e seguir seus sonhos.[206]

Hathaway atua no conselho da Lollipop Theatre Network e está envolvida com as instituições de caridade Creative Coalition, St. Jude Children's Research Hospital e a Campanha de Direitos Humanos.[213][214] Ela é uma defensora dos direitos LGBT e doou dinheiro para organizações que apoiam o casamento entre pessoas do mesmo sexo.[215][216] Em 2016, Hathaway foi nomeada Embaixadora da Boa Vontade da ONU Mulheres com base em sua defesa da igualdade de gênero. No ano seguinte, ela falou no Dia Internacional da Mulher em favor da licença parental remunerada para homens e mulheres.[217] Para promover uma maior conscientização sobre o sexismo sistêmico na indústria do entretenimento, Hathaway defendeu maiores oportunidades profissionais para as mulheres e criticou Hollywood como não sendo um lugar de igualdade.[218] Em 2018, ela colaborou com 300 mulheres em Hollywood para criar a iniciativa Time's Up para proteger as mulheres contra assédio e discriminação.[219] Hathaway também se pronunciou contra as questões de bullying de estudantes gays, discriminação contra crianças transgêneros e supremacia branca.[220]

Em 2022, após a invasão russa, ela apoiou a Ucrânia e fez doações para a Cruz Vermelha da Ucrânia, UNICEF e Save the Children.[221]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

A foto em preto e branco mostra Anne Hathaway sorrindo à sua direita.
Hathaway na Mercedes-Benz Fashion Week em 2008

Em 2004, Hathaway começou um relacionamento romântico com o desenvolvedor imobiliário italiano Raffaello Follieri.[8] A fundação da Follieri, com sede em Manhattan, concentrou-se em esforços como o fornecimento de vacinas para crianças em países pobres. Em junho de 2008, foi investigado pela Receita Federal por não apresentar os formulários de informações sem fins lucrativos necessários.[222] Em junho de 2008, Follieri foi preso sob a acusação de defraudar investidores de milhões de dólares em um esquema no qual ele se apresentou como agente imobiliário do Vaticano.[223] Foi relatado que o FBI confiscou os diários privados de Hathaway do apartamento de Follieri em Nova Iorque como parte de sua investigação em andamento sobre as atividades de Follieri. Hathaway não foi acusada de nenhum crime.[224] Em outubro de 2008, depois de se declarar culpado anteriormente, Follieri foi condenado a quatro anos e meio de prisão.[225] No início de 2007, Hathaway falou de suas experiências com depressão durante a adolescência, dizendo que ela eventualmente superou o transtorno sem medicação.[226] Em 2008, ela começou a fumar após um verão estressante e o fim de seu relacionamento com Follieri.[227] Ela creditou a cessação do tabagismo pelo subsequente declínio em seu nível de estresse e voltou a ser vegetariana.[227][228] Hathaway se tornou vegana no início de 2012, mas ela deixou de ser em 2014.[229][230][231]

Hathaway se casou com o ator e empresário Adam Shulman em 29 de setembro de 2012, em Big Sur, Califórnia, em uma cerimônia judaica tradicional.[232] Ela deu à luz seu primeiro filho, Jonathan, em março de 2016.[233] Naquele ano, Hathaway comprou um apartamento no valor de US$2,55 milhões no bairro Upper West Side de Manhattan, onde mora com Shulman e seu filho.[234] Hathaway e Shulman venderam sua foto de casamento e doaram seus lucros para o grupo de defesa do casamento entre pessoas do mesmo sexo Freedom to Marry. Eles também organizaram o Partido Nacional de Engajamento da Freedom to Marry, um evento que arrecadou US$500.000.[215] Em julho de 2019, Hathaway anunciou que estavam esperando seu segundo filho juntos e se abriu sobre suas lutas com a concepção e a infertilidade.[235] Seu segundo filho, Jack, nasceu em novembro de 2019.[236]

Créditos de atuação e prêmios[editar | editar código-fonte]

Os filmes mais aclamados e de maior bilheteria de Hathaway, de acordo com o portal on-line Box Office Mojo e o site agregado de revisão Rotten Tomatoes, incluem O Diário da Princesa (2001), O Segredo de Brokeback Mountain (2005), O Diabo Veste Prada (2006), Get Smart (2008), Rachel Getting Married (2008), Valentine's Day (2010), Alice no País das Maravilhas (2010), Love and Other Drugs (2010), The Dark Knight Rises (2012), Les Misérables (2012), Interstellar (2014), The Intern (2015), Colossal (2016), e Ocean's 8 (2018).[54][237]

Hathaway foi indicada para dois Oscars,[66][113] três Globos de Ouro,[64][85][114] e um British Academy Film Award.[114] Ela ganhou um Oscar, um Globo de Ouro, um Screen Actors Guild e um BAFTA Award de Melhor Atriz Coadjuvante por Les Misérables.[113][114] Ela também ganhou um Primetime Emmy Award de Melhor Performance de Voz por seu papel de voz em um episódio de 2010 de Os Simpsons.[73] Em novembro de 2018, Hathaway foi uma dos 50 indicados ao New Jersey Hall of Fame, uma organização que homenageia contribuições para a sociedade e o mundo além.[238] Em maio de 2019, Hathaway recebeu uma estrela de cinema na Calçada da Fama de Hollywood por suas contribuições para a indústria cinematográfica.[239]

Notas

  1. Hathaway acreditava que se ela não aperfeiçoasse seu sotaque, as pessoas descartariam sua performance nos primeiros cinco minutos do filme.[57]
  2. Hathaway disse a Scherfig: "Eu claramente não comuniquei a você o que eu precisava hoje. Mas acho que essas músicas podem fazer isso por mim"; Hathaway deixou a Scherfig "Naughty Pines" dos Dirty Projectors e músicas de For Emma, Forever Ago de Bon Iver. Depois que Scherfig ouviu as músicas, ela pediu a Hathaway mais dessas e a escolheu para o papel.[93]
  3. Hathaway fez o teste para os filmes de Meyers What Women Want (2000) e O Amor Não Tira Férias (2006)[134]

Referências

  1. Bowenbank, Starr (14 de janeiro de 2021). «Anne Hathaway Says We've Been Calling Her The Wrong Name This Whole Time». Elle (em inglês). Consultado em 16 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 14 de janeiro de 2021 
  2. «Anne Hathaway». Biography (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 1 de maio de 2017 
  3. «Anne Hathaway's Mom: Actress Thanks Kate Hathaway». HuffPost (em inglês). 14 de janeiro de 2013. Consultado em 16 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 22 de julho de 2017 
  4. «The Broadcast Pioneers of Philadelphia» (em inglês). Broadcast Pioneers of Philadelphia. Consultado em 16 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 17 de março de 2016 
  5. a b c d e f g Elsworth, Catherine (19 de julho de 2008). «Anne Hathaway: in pique condition». The Daily Telegraph (em inglês). ISSN 0307-1235. Consultado em 15 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  6. Krupnick, Ellie (16 de novembro de 2012). «Anne Hathaway: 'I Looked Like My Gay Brother' With My Short Haircut (Photos)». HuffPost (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 2 de março de 2017 
  7. Bonelli, Winnie (22 de agosto de 2007). «From "Tiara Flicks" To English Romance». The Independent (em inglês). "Então, qual foi o denominador comum que permitiu que Hathaway se relacionasse com Austen? "Solidão", confessou a atriz nascida no Brooklyn, criada em Short Hills, NJ.". Consultado em 15 de setembro de 2022. Arquivado do original em 18 de outubro de 2017 
  8. a b c d e «Anne Hathaway learns from a legend in 'Prada'». Today (em inglês). 21 de junho de 2006. Consultado em 16 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 29 de julho de 2017 
  9. Kaufman, Amy (27 de dezembro de 2012). «Anne Hathaway seeks royal status». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 18 de janeiro de 2013 
  10. a b c «Anne Hathaway wanted to be a nun». The Independent (em inglês). 25 de agosto de 2011. Consultado em 15 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  11. «Anne Hathaway Quit Catholicism For Her Gay Brother». HuffPost (em inglês). 11 de abril de 2010. Consultado em 17 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 13 de fevereiro de 2010 
  12. a b c O Diário da Princesa (DVD). 18 de dezembro de 2001 
  13. a b Hill, Logan (15 de junho de 2005). «The Very Good Girl». New York (em inglês). Consultado em 17 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 7 de setembro de 2017 
  14. a b c d e f McKinley, Jesse (18 de fevereiro de 2002). «An A for Aplomb Onstage, and Political Science in the Wings». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Cópia arquivada em 20 de janeiro de 2011 
  15. «Notable Past Students» (em inglês). American Academy of Dramatic Arts. Consultado em 17 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 6 de janeiro de 2018 
  16. a b Nguyen, Hanh. «'Prada' Star Hathaway Doesn't Like It Haute». Chicago Tribune (em inglês). Consultado em 17 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 18 de dezembro de 2008 
  17. a b Herald, University (7 de outubro de 2016). «'Princess Diaries' Star Anne Hathaway Enrolled At Vassar College And NYU Before 'Love And Other Drugs' Happened». University Herald (em inglês). Consultado em 17 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 14 de outubro de 2016 
  18. a b c Murray, Rebecca. «Anne Hathaway on "Ella Enchanted" & Her Princess Roles». LiveAbout (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 5 de dezembro de 2017 
  19. «Hasty taps Hathaway». Harvard Gazette (em inglês). 15 de janeiro de 2010. Consultado em 17 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 2 de agosto de 2017 
  20. «Dressed for success». The Times (em inglês). 24 de setembro de 2006. ISSN 0140-0460. Consultado em 17 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 5 de janeiro de 2018 
  21. Buchanan, Kyle (30 de agosto de 2011). «Read a Very Surprising Story About Young Anne Hathaway». Vulture (em inglês). Consultado em 17 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  22. Nast, Condé. «10 Things You Never Knew About The Princess Diaries». Glamour (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019 
  23. «The Princess Diaries (2001)». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2010 
  24. Falk, Ben (11 de dezembro de 2001). «The Princess Diaries (2001)». BBC. Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 26 de fevereiro de 2007 
  25. Susman, Gary (24 de abril de 2002). «Here are the MTV Movie Awards nominations». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  26. «The Other Side of Heaven (2001)». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2006 
  27. «Anne Hathaway on 'Ella Enchanted' & Her Princess Roles» (em inglês). ThoughtCo. Consultado em 10 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 5 de dezembro de 2017 
  28. a b c «Anne Hathaway: The reluctant princess». The Independent (em inglês). 15 de outubro de 2004. Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2018 
  29. Isherwood, Charles (10 de fevereiro de 2002). «Carnival». Variety (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  30. a b «Anne Hathaway: Biography». TV Guide (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 21 de agosto de 2017 
  31. Alter, Alexandra (1 de agosto de 2013). «The New Explosion in Audio Books». Wall Street Journal (em inglês). ISSN 0099-9660. Consultado em 11 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 30 de março de 2022 
  32. «The Cat Returns (2002)». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 21 de fevereiro de 2017 
  33. «Nicholas Nickleby (2002)». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 5 de outubro de 2006 
  34. «Ella Enchanted (2004)». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 7 de janeiro de 2018 
  35. Kehr, Dave (9 de abril de 2004). «FILM REVIEW; Check Out the Totally Buff Prince in Medieval Teen Magazine». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 11 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 2 de junho de 2013 
  36. «Ella Enchanted (Original Soundtrack) by Various Artists on Apple Music». iTunes Store (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  37. «The Princess Diaries 2 – Royal Engagement (2004)». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 28 de novembro de 2017 
  38. «The Princess Diaries 2: Royal Engagement». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Arquivado do original em 16 de dezembro de 2008 
  39. a b Cumming, Gillian (29 de junho de 2008). «Anne Hathaway's chaos controlled». The Daily Telegraph (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Arquivado do original em 29 de outubro de 2021 
  40. «Hoodwinked». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 30 de novembro de 2017 
  41. Daniel Robert Epstein. «Anne Hathaway of Brokeback Mountain». UGO.com (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Arquivado do original em 6 de outubro de 2008 
  42. «Havoc (2005)». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 9 de outubro de 2008 
  43. Hicklin, Aaron (28 de julho de 2015). «Brokeback Mountain: 10 Years On an Oral History». Out (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 18 de outubro de 2017 
  44. Campbell, Nakeisha (22 de novembro de 2016). «9 of the Biggest Lies Celebrities Told to Get Roles». J-14 (em inglês). Consultado em 12 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  45. «Brokeback Mountain (2005)». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 16 de maio de 2016 
  46. Peter Travers (2 de dezembro de 2009). «Brokeback Mountain». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 3 de outubro de 2017 
  47. Todd McCarthy (4 de setembro de 2005). «Brokeback Mountain» (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2019 
  48. a b Hooper, Barrett. «Little Annie Primps Up in Prada». Inside Entertainment (em inglês). Junho de 2006: 37–44 
  49. Ushe, Naledi (19 de fevereiro de 2021). «Anne Hathaway Says She Was the Ninth Choice for Devil Wears Prada Role». People (em inglês). Consultado em 12 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 20 de fevereiro de 2021 
  50. Chestang, Raphael (22 de setembro de 2015). «Anne Hathaway Was an Intern After She Got Famous: Find Out Why». Entertainment Tonight (em inglês). Consultado em 12 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  51. Tan, Michelle (27 de agosto de 2007). «Anne Hathaway Gets Fit for Get Smart». People (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 14 de setembro de 2016 
  52. Ebert, Roger (29 de junho de 2006). «The Devil Wears Prada Movie Review (2006)» (em inglês). Ebert Digital LLC. Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 24 de setembro de 2017 
  53. «The Devil Wears Prada». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 27 de novembro de 2017 
  54. a b «Anne Hathaway». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 12 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 21 de agosto de 2017 
  55. «The Vagina Mysteries». TMZ (em inglês). 18 de junho de 2007. Consultado em 12 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 23 de março de 2022 
  56. Claire, Marie (4 de julho de 2008). «Anne Hathaway Interview». Marie Claire (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 29 de agosto de 2009 
  57. King, Randall (4 de agosto de 2007). «From princess to pauper». Winnipeg Free Press (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Arquivado do original em 13 de janeiro de 2016 – via HighBeam Research. (pede subscrição (ajuda)) 
  58. Carnevale, Bob. «Interview – Anne Hathaway». BBC (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 6 de abril de 2013 
  59. «The British Independent Film Awards nominees». The Daily Telegraph (em inglês). 12 de janeiro de 2007. Consultado em 12 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  60. «Becoming Jane». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 29 de novembro de 2017 
  61. «Season 34 Episode 04 – Anne Hathaway, The Killers» (em inglês). NBC. Consultado em 12 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 30 de agosto de 2017 
  62. «Get Smart». Entertainment Weekly (em inglês). 26 de junho de 2008. Consultado em 12 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 27 de dezembro de 2017 
  63. Neumaier, Joe (24 de outubro de 2008). «Anne Hathaway's 'Passengers' is plane awful». New York Daily News (em inglês). Consultado em 12 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  64. a b c d Vena, Jocelyn (8 de janeiro de 2009). «Anne Hathaway Thrilled To Be 'Singled Out' By Golden Globes» (em inglês). MTV News. Consultado em 12 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  65. Travers, Peter (2 de outubro de 2008). «Rachel Getting Married». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 12 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  66. a b «The 81st Academy Awards» (em inglês). Academy of Motion Picture Arts and Sciences. Consultado em 12 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2016 
  67. West, Naomi (9 de janeiro de 2009). «Anne Hathaway: Oscar contender who is the real deal». The Daily Telegraph (em inglês). ISSN 0307-1235. Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 26 de abril de 2011 
  68. Romero, Frances (26 de maio de 2010). «Top 10 Worst Chick Flicks». Time (em inglês). ISSN 0040-781X. Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 3 de março de 2016 
  69. «Bride Wars (2009)». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 22 de novembro de 2021 
  70. «2009 MTV Movie Award Nominations: 'Twilight' takes on 'Slumdog'». Los Angeles Times (em inglês). 4 de maio de 2009. Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de maio de 2021 
  71. a b Isherwood, Charles (25 de junho de 2009). «I Love You, You're Perfect. You're a Girl?». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 30 de junho de 2009 
  72. «Nominees and Recipients» (em inglês). Drama Desk Award. Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  73. a b «62nd Emmy Nominations List» (PDF) (em inglês). Emmy Award. Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada (PDF) em 8 de agosto de 2011 
  74. Snierson, Dan (4 de setembro de 2008). «Exclusive: Jodie Foster, Anne Hathaway to guest on The Simpsons». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 13 de outubro de 2022. Arquivado do original em 5 de setembro de 2008 
  75. «It's a Trap!». Family Guy. Fox 
  76. «Valentine's Day (2010)». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 20 de janeiro de 2013 
  77. Jacks, Brian (9 de dezembro de 2009). «Anne Hathaway's Alice In Wonderland White Queen: 'Cute But Psycho'» (em inglês). MTV Movies Blog. Consultado em 13 de outubro de 2022. Arquivado do original em 22 de agosto de 2009 
  78. «Alice In Wonderland – New Image and Anne Hathaway Q&A» (em inglês). Business Wire. 1 de fevereiro de 2010. Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 8 de abril de 2011 
  79. «Domestic Box Office For 2010». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 4 de maio de 2012 
  80. Moore, John (11 de novembro de 2010). «Moore: Parkinson's comedy has Denver actress riding high». The Denver Post (em inglês). Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  81. «Oscars: Anne Hathaway owes thanks to Penelope Cruz». Los Angeles Times (em inglês). 17 de fevereiro de 2011. Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  82. «Hathaway: Nudity won't put off 'more conservative' fans» (em inglês). BBC. 22 de dezembro de 2010. Consultado em 16 de outubro de 2019. Arquivado do original em 24 de julho de 2012 
  83. «Love and Other Drugs». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de dezembro de 2012 
  84. Ebert, Roger (23 de novembro de 2010). «Love and Other Drugs» (em inglês). Ebert Digital LLC. Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 10 de outubro de 2012 
  85. a b «2010» (em inglês). International Press Academy. Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 26 de abril de 2016 
  86. Reynolds, Simon (14 de dezembro de 2010). «In Full: Golden Globes - Movie Nominees». Digital Spy (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 19 de outubro de 2015 
  87. «Anne Hathaway to co-host Nobel peace prize concert». BBC News (em inglês). 19 de novembro de 2010. Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 6 de março de 2020 
  88. King, Susan (29 de novembro de 2010). «James Franco, Anne Hathaway to host Oscar telecast». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 2 de dezembro de 2010 
  89. «Oscar Reviews: What the Critics Thought About James Franco, Anne Hathaway». The Hollywood Reporter (em inglês). 27 de fevereiro de 2011. Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 4 de setembro de 2017 
  90. «Outstanding Special Class Programs Nominees / Winners 2011» (em inglês). Emmy Award. Consultado em 13 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 22 de junho de 2018 
  91. «Rio». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 12 de abril de 2011 
  92. Kaufman, Amy (14 de abril de 2011). «Movie Projector: 'Rio' should stifle 'Scream 4'». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 18 de dezembro de 2017 
  93. a b Slotek, Jim (14 de agosto de 2011). «'One Day' with Hathaway». Toronto Sun (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 4 de outubro de 2012 
  94. Demaria, Meghan (19 de abril de 2017). «Anne Hathaway Worried That She Had "Internalized Misogyny" While Filming This Movie». Refinery29 (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 27 de janeiro de 2018 
  95. «Anne Hathaway watched Emmerdale to grasp One Day accent». BBC News (em inglês). 24 de agosto de 2011. Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 27 de dezembro de 2011 
  96. «One Day». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 30 de agosto de 2011 
  97. Kaufman, Amy (18 de agosto de 2011). «Movie Projector: 'Conan' may not conquer 'The Help'». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 25 de janeiro de 2012 
  98. «One Day (2011)». Box Office Mojo (em inglês). 2 de agosto de 2012. Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2011 
  99. «Solo Narration - Female Audiobook Nominees». Audible.com (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 7 de abril de 2012 
  100. Jensen, Jeff (19 de janeiro de 2011). «'The Dark Knight Rises' scoop: Anne Hathaway, Tom Hardy join cast». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 19 de junho de 2013 
  101. Wigler, Josh (5 de agosto de 2011). «Dark Knight Rises': Anne Hathaway As Catwoman!». MTV (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Arquivado do original em 28 de agosto de 2011 
  102. Horyn, Cathy (27 de junho de 2011). «Anne Hathaway's New World». Harper's Bazaar (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 11 de maio de 2012 
  103. Boucher, Geoff (29 de dezembro de 2011). «'Dark Knight Rises' star Anne Hathaway: 'Gotham City is full of grace'». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 9 de maio de 2012 
  104. «The Dark Knight Rises (2012)». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 5 de abril de 2017 
  105. Vejvoda, Jim (15 de julho de 2012). «The Dark Knight Rises Review». IGN (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Arquivado do original em 30 de setembro de 2017 
  106. Strecker, Erin (27 de junho de 2013). «'The Avengers' is big winner at Saturn Awards». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Arquivado do original em 1 de julho de 2013 
  107. Lang, Brett (27 de abril de 2012). «Anne Hathaway sings in "Les Misérables" at CinemaCon». Yahoo! News (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Arquivado do original em 30 de abril de 2012 
  108. «Anne Hathaway On Starving For 'Les Mis': 'I Just Had To Stop Eating'». HuffPost (em inglês). 7 de dezembro de 2012. Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 18 de abril de 2014 
  109. Desta, Yohana (20 de outubro de 2016). «Anne Hathaway Was Miserable When She Won Her Oscar: "I Tried to Pretend That I Was Happy"». Vanity Fair (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 8 de junho de 2017 
  110. Miller, Julie (26 de dezembro de 2012). «In Addition to Food, Anne Hathaway Deprived Herself of Her Husband to Make Les Mis». Vanity Fair (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 13 de abril de 2016 
  111. Orr, Christopher (25 de dezembro de 2012). «The Extravagant Melodrama of 'Les Miserables'». The Atlantic (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 30 de dezembro de 2012 
  112. Hornaday, Ann (28 de dezembro de 2012). «Critic Review for Les Miserables on». The Washington Post (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019 
  113. a b c d Horn, John (24 de fevereiro de 2013). «Oscars 2013: Anne Hathaway wins supporting actress Academy Award». The Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 25 de fevereiro de 2013 
  114. a b c d «'Lincoln leads Bafta shortlist with ten nominations» (em inglês). BBC News. 9 de janeiro de 2013. Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 25 de setembro de 2015 
    «Winners & Nominees 2013» (em inglês). Golden Globe Awards. Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2017 
    «The 2012 Screen Actors Guild Awards» (em inglês). Screen Actors Guild Award. 12 de dezembro de 2012. Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 29 de dezembro de 2013 
  115. Trust, Gary (4 de janeiro de 2013). «Weekly Chart Notes: Anne Hathaway, Anna Kendrick Get In The Act Of Charting». Billboard (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 11 de agosto de 2017 
  116. «Don Jon (2013)». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2017 
  117. Berger, Laura (24 de janeiro de 2015). «'Song One' Director Kate Barker-Froyland on Rewriting Her Script for Anne Hathaway, Being Typecast as a "Woman Director"». IndieWire (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 5 de setembro de 2017 
  118. a b «Anne Hathaway: I loved working with hubby». Yahoo! News (em inglês). 27 de janeiro de 2015. Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  119. «Song One (Original Motion Picture Soundtrack) by Various Artists on Apple Music» (em inglês). iTunes Store. 13 de janeiro de 2015. Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  120. Fleming, Mike (17 de janeiro de 2014). «Sundance 2014: Fest Films With Highest Wanna-See From Buyers». Deadline (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 3 de julho de 2017 
  121. «Song One (2014)». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 2 de dezembro de 2012 
  122. «Song One (2015)». The Numbers (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  123. Galuppo, Mia (22 de fevereiro de 2013). «'Rio 2' Adds Kristin Chenoweth, Bruno Mars to Voice Cast». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 20 de maio de 2013 
  124. «Rio 2 (2014)». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 11 de agosto de 2017 
  125. «Interstellar (2014)». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 16 de março de 2015 
  126. Fleming, Mike (13 de agosto de 2013). «Christopher Nolan Starts 'Interstellar'». Deadline (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 15 de agosto de 2013 
  127. D'Alessandro, Anthony (21 de dezembro de 2014). «'Interstellar's Anne Hathaway: Going Method To Create Amelia Brand». Deadline (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 21 de junho de 2017 
  128. Galloway, Stephen (22 de outubro de 2014). «'Interstellar's' Christopher Nolan, Stars Gather to Reveal Secrets of the Year's Most Mysterious Film». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2017 
  129. Macnab, Geoffrey (6 de novembro de 2014). «Interstellar review: Christopher Nolan boldly goes to infinity and». The Independent (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 5 de junho de 2016 
  130. Dyer, James (10 de abril de 2013). «Interstellar». Empire (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 5 de outubro de 2017 
  131. «Interstellar (2014)». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 16 de março de 2015 
  132. «The 41st Annual Saturn Awards Winners 2015» (em inglês). Saturn Awards. 3 de março de 2015. Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 5 de junho de 2015 
  133. Duboff, Josh (6 de abril de 2015). «Watch Anne Hathaway's Spirited Lip-Sync of Miley Cyrus's "Wrecking Ball"». Vanity Fair (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 14 de junho de 2016 
  134. Terreo, Nina (26 de setembro de 2015). «The Intern: Anne Hathaway explains why Nancy Meyers' new movie isn't a chick flick». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 1 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  135. Teodorczuk, Tom (30 de setembro de 2015). «The Intern: Robert De Niro and Anne Hathaway on the art of acting». The Independent (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  136. a b Kenny, Glenn (25 de setembro de 2015). «The Intern movie review & film summary (2015)» (em inglês). Ebert Digital LLC. Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 21 de setembro de 2017 
  137. Ebiri, Bilge (25 de setembro de 2015). «The Intern Gets Off on Anne Hathaway's and Robert De Niro's Charms, Until It Degenerates Into a Series of Monologues». Vulture (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2018 
  138. «The Intern (2015)». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 2 de agosto de 2017 
  139. «Nashville Film Festival Announces Features in Competition» (em inglês). Festival de Cinema de Nashville. Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 27 de abril de 2016 
  140. Stephen Holden (26 de maio de 2016). «Review: 'Alice Through the Looking Glass' and a Trippy Time Machine». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Cópia arquivada em 27 de agosto de 2017 
  141. Coggan, Devin (15 de março de 2016). «Princess Diaries 3: Garry Marshall says Anne Hathaway wants to make new film». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 1 de abril de 2016 
  142. Mobley, Mark (18 de agosto de 2016). «Review: Barbra Streisand, 'Encore'». NPR (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2016 
  143. Brooks, Brian (6 de abril de 2017). «Anne Hathaway & Jason Sudeikis Star In Genre-Defying 'Colossal' From Newcomer Neon – Specialty B.O. Preview». Deadline (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 11 de agosto de 2017 
  144. Winfrey, Graham (11 de setembro de 2016). «TIFF 2016: Anne Hathaway Made Monster Movie 'Colossal' For Her 16-Year-Old Self». IndieWire (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 5 de setembro de 2017 
  145. «Colossal». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 11 de dezembro de 2017 
  146. «Colossal (2017) - Financial Information». The Numbers (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 12 de setembro de 2017 
  147. Coggan, Devan (10 de agosto de 2016). «'Ocean's Eight' sets cast with Rihanna, Helena Bonham Carter, Sandra Bullock, Anne Hathaway, and more». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 11 de agosto de 2016 
  148. Strause, Jackie (8 de junho de 2018). «'Ocean's 8' Cast Says Female Heist Story Is Not a "Message Film"». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 9 de junho de 2018 
  149. Chi, Paul (6 de junho de 2018). «Anne Hathaway Hopes Ocean's 8 Can Change Hollywood for the Better». Vanity Fair (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 17 de junho de 2018 
  150. Campbell, Christopher (6 de junho de 2018). «Ocean's 8 Early Reviews: Bold, Fun, Funny, and Elevated By Its Killer All-Female Cast». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 10 de abril de 2019 
  151. Di Rosso, Jason (7 de junho de 2018). «Marketing appeal of female-led Ocean's 8 undeniable, but it should have amounted to much, much more». ABC News (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 8 de junho de 2018 
  152. «Ocean's 8 (2018)». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 14 de junho de 2018 
  153. «Serenity (2019)». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 26 de janeiro de 2018 
  154. «The Hustle (2019)». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 11 de maio de 2019 
  155. Park, Andrea (24 de janeiro de 2019). «Anne Hathaway Says Going Blonde for 'Serenity' Made Her Funnier». W (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 25 de janeiro de 2019 
  156. Perez, Lexy (24 de janeiro de 2019). «'Serenity': What the Critics Are Saying». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 25 de janeiro de 2019 
  157. Fleming, Mike (19 de janeiro de 2017). «Anne Hathaway, Rebel Wilson Are The 'Nasty Women' In MGM's 'Dirty Rotten Scoundrels' Remake». Deadline (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 10 de junho de 2018 
  158. Mendelson, Scott (3 de junho de 2019). «Box Office: 'The Hustle' And 'The Intruder' Are The First Sleeper Hits Of Summer». Forbes (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 7 de junho de 2019 
  159. Lambe, Stacy (12 de setembro de 2019). «'Modern Love' Trailer: Anne Hathaway, Tina Fey Bring to Life Real Love Stories in Anthology Series». Entertainment Tonight (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 13 de setembro de 2019 
  160. Wiseman, Andreas (9 de janeiro de 2019). «Anne Hathaway, Tim Robbins, More Join Mark Ruffalo In Todd Haynes-Participant Drama About DuPont Pollution Scandal». Deadline (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 13 de janeiro de 2019 
  161. Gleiberman, Owen (13 de novembro de 2019). «Film Review: 'Dark Waters'». Variety (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 14 de novembro de 2019 
  162. Ramos, Dino-Ray (28 de janeiro de 2020). «'The Last Thing He Wanted': Anne Hathaway Talks Being "Too Sweet" For Dee Rees's Adaptation Of Joan Didion's Novel – Sundance Studio». Deadline (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 19 de fevereiro de 2020 
  163. «The Last Thing He Wanted (2020)». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 2 de agosto de 2020 
  164. Kroll, Justin (16 de janeiro de 2019). «Anne Hathaway to Star in Robert Zemeckis' 'The Witches' (Exclusive)». Variety (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 28 de janeiro de 2019 
  165. «Roald Dahl's The Witches (2020)». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2020 
  166. «Razzies: Robert Downey Jr and Anne Hathaway nominated for 'worst acting'». BBC News (em inglês). 12 de março de 2021. Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 12 de março de 2012 
  167. Lee, Janet W. (5 de janeiro de 2021). «Anne Hathaway and Chiwetel Ejiofor Stage a Quarantine Heist in 'Locked Down' Trailer». Variety (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 24 de junho de 2021 
  168. Gleiberman, Owen (13 de janeiro de 2021). «'Locked Down' Review: Anne Hathaway and Chiwetel Ejiofor Excel as a Couple in Lockdown in Doug Liman's Up-to-the-Minute Pandemic Drama». Variety (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 14 de janeiro de 2021 
  169. Lee, Tom (13 de janeiro de 2021). «How Locked Down Convinced Harrods to Let a Film Crew Into Its Vaults». Vulture (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 14 de janeiro de 2021 
  170. Framke, Caroline (21 de maio de 2021). «Amazon's 'Solos,' Starring Morgan Freeman, Anne Hathaway, Anthony Mackie and More, Has More Stars Than Resonance: TV Review». Variety (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 23 de junho de 2021 
  171. Kroll, Justin (29 de janeiro de 2021). «Apple TV+ Orders Limited Series 'WeCrashed' Starring Jared Leto And Anne Hathaway». Deadline (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2022 
  172. Goldberg, Lesley (29 de janeiro de 2021). «Anne Hathaway Joins Jared Leto in Apple WeWork TV Series». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 29 de janeiro de 2021 
  173. «WeCrashed: Season 1». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 13 de março de 2022 
  174. Han, Angie (12 de março de 2022). «Jared Leto and Anne Hathaway in Apple TV+'s 'WeCrashed': TV Review». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de abril de 2022 
  175. McNary, Dave (16 de junho de 2020). «Robert De Niro, Anne Hathaway, Oscar Isaac Join Cate Blanchett in 'Armageddon Time'». Variety (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 12 de novembro de 2021 
  176. Donnelly, Matt (19 de maio de 2022). «Anne Hathaway, James Gray Tear Up During Seven-Minute Emotional Cannes Standing Ovation for 'Armageddon Time'». Variety (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 19 de maio de 2022 
  177. Rooney, David (19 de maio de 2022). «Anne Hathaway and Jeremy Strong in James Gray's 'Armageddon Time': Film Review | Cannes 2022». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 19 de maio de 2022 
  178. Gleiberman, Owen (19 de maio de 2022). «'Armageddon Time' Review: James Gray's Deft 1980 Coming-of-Age Memoir Is an Old-School Liberal Message Movie in Progressive Drag». Variety (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 19 de maio de 2022 
  179. Galuppo, Mia (4 de dezembro de 2018). «Anne Hathaway Eyes Starring Role in 'Sesame Street' Movie». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 28 de janeiro de 2019 
  180. Kit, Borys; Sangberg, Bryn (6 de fevereiro de 2019). «'Sesame Street' Movie's Writer-Director Reveals Plot Details». The Hollywood Reporter (em inglês). "Exatamente o quão grande, ele não pode dizer - fontes dizem que estará na faixa de US$50 milhões - mas Krisel confirma que Anne Hathaway estrelará e que as filmagens podem começar no final do verão.". Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 6 de fevereiro de 2019 
  181. McNary, Dave (31 de março de 2020). «Film News Roundup: Anne Hathaway Stars in 'French Children Don't Throw Food'». Variety (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 22 de abril de 2020 
  182. McNary, Dave (29 de outubro de 2020). «Jessica Chastain, Anne Hathaway to Star in Psychological Thriller 'Mothers' Instinct'». Variety (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 12 de fevereiro de 2021 
  183. Grater, Tom (8 de junho de 2021). «Anne Hathaway, Tahar Rahim, Marisa Tomei, Joanna Kulig & Matthew Broderick Board Rom-Com 'She Came To Me' – Cannes Market». Deadline (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 9 de junho de 2021 
  184. Fleming, Mike (21 de junho de 2021). «Amazon, Welle Entertainment Adapt 'The Idea Of You' For Anne Hathaway». Deadline (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 12 de julho de 2021 
  185. a b Hiscock, John (29 de outubro de 2014). «Anne Hathaway interview: 'The Interstellar set wasn't for wimps'» (em inglês). ISSN 0307-1235. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2018 
  186. Hilton, Nicky (2014). 365 Style (em inglês). [S.l.]: Harlequin. p. 8. ISBN 978-0-373-89297-6 
  187. a b Armstrong, Jennifer Keishin (9 de setembro de 2015). «Anne Hathaway Is Our Kind Of Cool Girl». Refinery29 (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 18 de junho de 2021 
  188. a b Brown, Laura (9 de outubro de 2014). «Kiss & Make Up With Anne Hathaway: We Dare You». Harper's Bazaar (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 12 de abril de 2017 
  189. Zuckerman, Esther (22 de fevereiro de 2013). «Anne Hathaway Will Be This Annoying at the Oscars». The Atlantic (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 19 de abril de 2021 
  190. Kirkl, Justin (8 de junho de 2018). «Anne Hathaway's Performance Is the Undeniable Highlight of 'Ocean's 8'». Esquire (em inglês). Consultado em 8 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 9 de junho de 2018 
  191. a b Gugliemi, Judi (23 de setembro de 2015). «Anne Hathaway Opens Up About Shedding Princess Diaries Image and How She Was Once an Intern – and Not in a Movie!». People (em inglês). Consultado em 8 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2018 
  192. «Anne Hathaway's career: from Princess Diaries to Catwoman». The Daily Telegraph (em inglês). 10 de janeiro de 2011. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 21 de janeiro de 2016 
  193. Milligan, Lauren (29 de setembro de 2015). «How To Be A Great Intern By Robert De Niro». British Vogue (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 20 de agosto de 2017 
  194. Robehmed, Natalie (20 de agosto de 2015). «The World's Highest-Paid Actresses 2015». Forbes (em inglês). p. 1. Consultado em 8 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 5 de julho de 2017 
  195. «These are the 50 highest-grossing actors since 2000» (em inglês). MSN. 29 de julho de 2017. Consultado em 15 de outubro de 2022. Arquivado do original em 29 de julho de 2017 
  196. «#85 Anne Hathaway - The 2009 Celebrity 100». Forbes (em inglês). Consultado em 8 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 7 de janeiro de 2017 
  197. «Jackman, Rogen, Hathaway among Oscar invitees». San Diego Union-Tribune (em inglês). 30 de junho de 2009. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2021 
  198. «Anne Hathaway». Box Office Mojo (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Arquivado do original em 17 de julho de 2018 
  199. «Anne Hathaway's Newest Role: Lancome Ambassador». People (em inglês). 2 de janeiro de 2008. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 8 de dezembro de 2021 
  200. «Anne Hathaway Launches Lancome's Latest Scent». People (em inglês). 12 de junho de 2008. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 8 de dezembro de 2021 
  201. Aboutaleb, Britt (6 de setembro de 2011). «Anne Hathaway's the New Face of Tod's». Elle (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2018 
  202. «FHM magazine's 100 Sexiest Women in the World 2008». Seattle Post-Intelligencer (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2018 «People magazine's 2010 Most Beautiful People list – slide 25». Daily News (em inglês). Nova Iorque. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2018 «2011 Hot 100 List». Empire (em inglês). 3 de maio de 2011. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 20 de agosto de 2017 «The 100 Sexiest Movie Stars: The Top 20». Empire (em inglês). 7 de outubro de 2013. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2018 «30 Sexiest Stars of 2010». Entertainment Weekly (em inglês). 22 de dezembro de 2010. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 25 de abril de 2011 
  203. «50 Most Beautiful Women in Film». Los Angeles Times Magazine (em inglês). Consultado em 8 de agosto de 2019. Arquivado do original em 11 de maio de 2011 
  204. Furness, Hannah (1 de janeiro de 2013). «Anne Hathaway: 'Vanilla' image has robbed me of sex appeal». The Daily Telegraph (em inglês). ISSN 0307-1235. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2018 
  205. «Anne Hathaway's Botox battle». The Sydney Morning Herald (em inglês). 15 de novembro de 2010. Consultado em 8 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2018 
  206. a b «UN Women Goodwill Ambassador Anne Hathaway» (em inglês). ONU Mulheres. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 12 de julho de 2017 
  207. News, A. B. C. (26 de julho de 2006). «'Devil' Can't Keep Hathaway From Nicaraguan Kids». ABC News (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 1 de abril de 2012 
  208. «Actress Anne Hathaway named as goodwill ambassador to promote...». Reuters (em inglês). 15 de junho de 2016. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2018 
  209. Allin, Olivia. «Anne Hathaway to donate wedding photo money to marriage equality» (em inglês). KABC-TV. Consultado em 8 de agosto de 2019. Arquivado do original em 4 de janeiro de 2018 
  210. Kallon, Catherine (7 de outubro de 2008). «ELLE Magazine's 15th Annual Women in Hollywood Tribute Red Carpet». Red Carpet Fashion Awards (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 16 de janeiro de 2013 
  211. «May 29 Inspiration Awards Gala» (PDF) (em inglês). Step Up Women's Network. Consultado em 15 de outubro de 2022. Arquivado do original (PDF) em 10 de janeiro de 2012 
  212. «World Bank, Nike Team Up for 'The Girl Effect' Initiative» (em inglês). Voz da América. 6 de outubro de 2010. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 28 de julho de 2017 
  213. «Founders and Board Members» (em inglês). The Lollipop Theatre Network. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2018 
  214. «Anne Hathaway To Host 2012 Women's Media Awards» (em inglês). Women's Media Center. 1 de novembro de 2012. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 12 de novembro de 2012 
  215. a b Wong, Curtis (17 de outubro de 2012). «Anne Hathaway To Donate Money From Wedding Photos To Gay Marriage Advocacy Groups». HuffPost (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 22 de outubro de 2012 
  216. Ring, Trudy (24 de novembro de 2012). «WATCH: Anne Hathaway Looked Like Gay Brother in Les Mis». The Advocate (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 28 de novembro de 2012 
  217. Messer, Lesley (8 de março de 2017). «Anne Hathaway talks motherhood, advocates for paid parental leave». ABC News (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 16 de maio de 2017 
  218. Jones, Jaleesa M. (14 de março de 2017). «Anne Hathaway: 'Hollywood is not a place of equality'». USA Today (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 15 de dezembro de 2012 
  219. «Women in Entertainment Launch Anti-Harassment "Time's Up" Campaign». Flavorwire (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2018 
  220. Shoard, Catherine (27 de julho de 2018). «Anne Hathaway attacks 'white privilege' after death of black teenager in California». The Guardian (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 27 de julho de 2018 
  221. «Anne Hathaway made donations in support of Ukrainians: I send my sincere prayers to the people of Ukraine». Global Happenings (em inglês). 8 de março de 2022. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 20 de setembro de 2022 
  222. «Now Even Andrew Cuomo Is Trying to Give Hathaway the Hint». New York (em inglês). 9 de junho de 2008. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 25 de novembro de 2020 
  223. Elsworth, Catherine (24 de junho de 2008). «Anne Hathaway's ex-boyfriend 'in Vatican fraud'». The Daily Telegraph (em inglês). ISSN 0307-1235. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 9 de janeiro de 2016 
  224. «FBI grabs Anne Hathaway's diaries». New York Daily News (em inglês). 24 de julho de 2008. Consultado em 8 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 7 de março de 2016 
  225. Silverman, Stephen (23 de outubro de 2008). «Raffaello Follieri Sentenced to 4½ Years». People (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 22 de abril de 2017 
  226. Rubin, Courtney (6 de fevereiro de 2007). «Anne Hathaway Says She Battled Depression». People (em inglês). Consultado em 8 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 9 de janeiro de 2011 
  227. a b Chi, Paul (12 de outubro de 2008). «VIDEO: David Letterman Grills Anne Hathaway on Ex-Boyfriend». People (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 19 de abril de 2010 
  228. McIntee, Michael Z (30 de setembro de 2008). «Tuesday, September 30, 2008 Show #2991». CBS (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2008 
  229. «Dead fish makes Anne Hathaway conscious». News18 (em inglês). 19 de dezembro de 2012. Consultado em 8 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2018 
  230. Hughes, Meredith Sayles (1 de janeiro de 2016). Plants vs. Meats: The Health, History, and Ethics of What We Eat (em inglês). [S.l.]: Twenty-First Century Books. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2018 
  231. Mazziotta, Julie (22 de abril de 2019). «Anne Hathaway Quit Her Vegan Diet After Feeling Weak». People (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 12 de abril de 2021 
  232. Rowley, Alison (30 de setembro de 2012). «Anne Hathaway, Adam Shulman marry». Digital Spy (em inglês). Consultado em 8 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2018 
  233. Lindig, Sarah (8 de abril de 2016). «Anne Hathaway Welcomes Her First Child». Harper's Bazaar (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 24 de abril de 2017 
  234. Hecht, Anna (4 de fevereiro de 2016). «Anne Hathaway Has a New Home—Look Inside Her $2.55 Million N.Y.C. Apartment». InStyle (em inglês). Consultado em 8 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2018 
  235. Trammell, Kendall (24 de julho de 2019). «Anne Hathaway opens up about infertility while announcing her second pregnancy». CNN (em inglês). Consultado em 8 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 25 de julho de 2019 
  236. «Anne Hathaway reveals surprising name she chose for new baby». Hello! (em inglês). 29 de janeiro de 2020. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 29 de janeiro de 2020 
  237. «Anne Hathaway». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 27 de novembro de 2017 
  238. «VOTE NOW: Bourdain, Alito, Hathaway, Whoopi All Up For NJ Hall Of Fame Induction». WCBS-TV (em inglês). 16 de novembro de 2018. Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 18 de novembro de 2018 
  239. Riley, Jenelle (9 de maio de 2019). «Anne Hathaway on Her Walk of Fame Star, 'The Hustle' and the 'Gender Tax'». Variety (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2022. Cópia arquivada em 10 de maio de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]