Jack Nicholson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Jack Nicholson
Nome completo John Joseph Nicholson
Nascimento 22 de abril de 1937 (79 anos)
Nova Iorque, Nova Iorque
Nacionalidade Povo dos Estados Unidos norte-americano
Ocupação Ator
Cineasta
Produtor
Roteirista
Atividade 1958-presente
Cônjuge Sandra Knight (1962-1968)
Oscares da Academia
Melhor Ator Principal
1975 - One Flew Over the Cuckoo's Nest
1997 - As Good as It Gets
Melhor Ator Coadjuvante
1983 - Terms of Endearment
Globos de Ouro
Melhor Ator - Drama
1975 - One Flew Over the Cuckoo's Nest
1980 - The Shining
1974 - Chinatown
2002 - About Schmidt
Melhor Ator - Comédia ou Musical
1997 - As Good as It Gets
1985 - Prizzi's Honor
Melhor Ator Coadjuvante
1983 - Terms of Endearment
Prémio Cecil B. DeMille
1999 - Prêmio honorário
Prémios Screen Actors Guild
Melhor Ator Principal
1997 - As Good as It Gets
Prémios BAFTA
Melhor Ator Principal
1974 - Chinatown
1974 - The Last Detail
1976 - One Flew Over the Cuckoo's Nest
Melhor Ator Coadjuvante
1981 - Reds
Festival de Cannes
Melhor Ator
1974 - The Last Detail
Prémios National Board of Review
Melhor Ator
1975 - One Flew Over the Cuckoo's Nest
1997 - As Good as It Gets
Melhor Ator Coadjuvante
1981 - Reds
1983 - Terms of Endearment
1992 - A Few Good Men
Página oficial
IMDb: (inglês)

John Joseph "Jack" Nicholson (Nova Iorque, 22 de abril de 1937) é um premiado ator, cineasta, produtor de cinema e roteirista norte-americano. Foi indicado ao Oscar doze vezes, e ganhou o Oscar de melhor ator por duas: pelos filmes One Flew Over the Cuckoo's Nest e As Good as It Gets. Também ganhou o Oscar de melhor ator coadjuvante pelo filme de 1983, Terms of Endearment. Está empatado com Walter Brennan e Daniel Day-Lewis para a maioria das vitórias atuando por um ator do sexo masculino (três) e Meryl Streep (kramer vs Kramer, sophie's Choice e The iron Lady), e segundo a Katharine Hepburn para a maioria das vitórias atuando em geral (quatro). Nicholson é conhecido por interpretar vilões como Jack Torrance em The Shining, Frank Costello em The Departed e O Coringa em Batman, entre outros.

Nicholson é um dos dois únicos atores que foi nomeado para um Oscar pela sua atuação em cada década desde os anos 1960 a 2000 (o outro é Michael Caine). Ele ganhou sete Globos de Ouro, e recebeu uma honra Kennedy Center, em 2001. Em 1994, ele se tornou um dos mais jovens atores a receber o Prêmio do American Film Institute Life Achievement.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nicholson nasceu no Hospital Bellevue em Nova Iorque e sua mãe, June Frances Nicholson (cujo nome artístico era June Nilson), descendente de ingleses e italianos. June era artista (dançarina) e se envolvera com um homem casado que trabalhava no mesmo meio que ela, o ítalo-americano Donald Furcillo (cujo nome artístico era Donald Rose). Os dois chegaram a se casar em Elkton, Estado de Maryland, em 16 de Outubro de 1936, com Furcillo se tornando bígamo. Furcillo se ofereceu para tomar conta de Jack quando ele nasceu mas a mãe de June, Ethel, insistiu para que o entregasse, pois queria que sua filha continuasse com a carreira de dançarina.

Assim, Jack cresceu acreditando que seus avós John (um decorador de janelas de loja de departamentos em Asbury Park, Nova Jersey) e Ethel May Nicholson, uma cabeleireira e tratadora cosmética, e artista amadora em Neptune, Nova Jersey, eram seus pais.

Ele fez o curso médio em Manasquan High School, onde um prêmio dramático agora leva seu nome, em sua homenagem. Nicholson descobriu que seus pais eram na verdade seus avós, e sua irmã na verdade era sua mãe, apenas em 1974, após ser informado por um jornalista da Time que estava escrevendo sobre ele, enquanto filmava The Fortune. Nesta época, tanto sua mãe quanto sua avó já tinham falecido (em 1963 e 1970).

Jack Nicholson declarou que não sabe quem é seu pai, dizendo que "apenas Ethel e June sabiam, e nunca contaram a ninguém". Apesar de Donald Furcillo dizer ser pai de Nicholson e ter cometido bigamia ao se casar com June, a biografia de Patrick McGilligan, A Vida de Jack, publicada em dezembro de 1995, afirma que Eddie King, empresário de June, poderia ser o pai, e outras fontes sugeriram que June Nicholson não estava certa sobre quem era o pai.

Jack Nicholson escolheu não fazer um teste de DNA ou procurar saber sobre isso. Apesar de, pessoalmente, Nicholson ser contra o aborto, ele é a favor da liberdade de escolha: "sou muito contrário à minha posição em termos do aborto porque sou realmente contra ele. Não tenho direito a nenhum outro ponto de vista. Minha única emoção é gratidão, literalmente, por minha vida".

Em sua vida pessoal adulta, Nicholson é notório por ser incapaz de "sossegar". Sabe-se que tem quatro filhos com três diferentes mães, apesar de ter se casado apenas uma vez. Seus filhos são Jennifer Nicholson (com sua agora ex-mulher Sandra Knight), Caleb Goddard (com Susan Anspach, co-estrela em Five Easy Pieces), e Lorraine e Raymond Nicholson (com Rebecca Broussard). Ele foi romanticamente ligado a várias atrizes e modelos por décadas. O relacionamento mais longo de Nicholson durou 17 anos, com a atriz Anjelica Huston, a filha do lendário diretor John Huston.

Vida profissional[editar | editar código-fonte]

Primeiros trabalhos[editar | editar código-fonte]

Nicholson como Wilbur Force in Little Shop of Horrors (1960).

Nicholson começou sua carreira como ator, roteirista e produtor, trabalhando para e com Roger Corman. Isto incluiu sua estreia na tela, em The Cry Baby Killer (1958), onde ele fez o papel de um delinquente juvenil que entra em pânico após atirar em outros dois adolescentes, e Little Shop of Horrors (br: A Pequena Loja de Horrores / pt: A Lojinha dos Horrores), onde fez um pequeno papel como um paciente masoquista em um dentista.

Ascensão à fama[editar | editar código-fonte]

Seu trabalho no roteiro lisérgico de The Trip, estrelada por Peter Fonda e Dennis Hopper, o levou a seu primeiro papel de sucesso em Easy Rider (br: Sem Destino), de 1969. No filme, Nicholson faz o advogado beberrão "George Hanson", pelo qual recebeu sua primeira indicação ao Oscar. Uma indicação/nomeação para Melhor Ator veio no ano seguinte, por seu papel em Five Easy Pieces (br: Cada Um Vive Como Quer / Destinos Opostos), de 1970, que inclui seu famoso diálogo com uma garçonete sobre o pedido de uma torrada a acompanhar a bebida, que a mulher nega, dizendo que esse pão só viria se fosse pedido um sanduíche de salada de frango (em pão de torrada). Ele então raivosamente pede o sanduíche de salada de frango sem "maionese, manteiga, alface e frango" a fim de obter o que quer, ou seja, apenas a torrada.

Outros trabalhos pelos quais ele é famoso incluem The Last Detail, de Hal Ashby (1973), Chinatown de Roman Polanski (1974), One Flew Over the Cuckoo's Nest (br: Um Estranho no Ninho, de Milos Forman (1975), pelo qual recebeu seu primeiro Oscar e The Shining (br: O Iluminado / pt: Shining), de Stanley Kubrick. Nicholson ganhou um prêmio da Academia de melhor ator (coadjuvante/secundário) por seu papel em Terms of Endearment (1983).

O Batman de 1989, onde Nicholson fez o papel do supervilão Coringa (Joker), foi um êxito internacional, e um contrato de porcentagem nos lucros deu a Nicholson cerca de 50 milhões de dólares. Nicholson mais tarde sugeriu ao amigo Danny DeVito que fizesse o "Pinguim" na sequência Batman Returns como investimento potencial.

Por seu papel como o impetuoso Coronel Nathan R. Jessep, em A Few Good Men (br: Questão de Honra / pt: Uma Questão de Honra), de 1992, um filme sombrio sobre um assassinato em uma unidade dos fuzileiros navais dos Estados Unidos, ele recebeu outra nomeação pela Academia. Este filme contém a cena de Nicholson onde ele diz "você não pode lidar com a verdade!", que desde então se tornou amplamente conhecida e imitada. Nicholson iria ganhar seu Oscar seguinte por seu papel como o neurótico no romântico As Good as It Gets (Melhor É Impossível), de 1997).

2002-presente[editar | editar código-fonte]

Jack Nicholson no Festival de Cannes em 2002.

Em About Schmidt (As Confissões de Schmidt), de 2002, Nicholson faz o papel de um vendedor de seguros aposentado de Omaha, Nebraska, que questiona a própria vida e a morte de sua mulher pouco depois. O filme lento e profundamente emocional, aparece contrastando com muitos de seus papéis anteriores. Na comédia Anger Management (br: Tratamento de Choque / pt: Terapia de Choque), ele faz o terapista agressivo que deve ajudar o pacifista Adam Sandler. Seu filme seguinte é Something's Gotta Give (Alguém Tem que Ceder), de 2003, como um "mauricinho" envelhecido, que se apaixona pela mãe de sua jovem namorada.

Nicholson retornou à sua forma vilanesca como o chefe durão da máfia irlandesa de Boston, controlando Matt Damon e Leonardo DiCaprio no filme de Martin Scorsese The Departed (2006) (br: Os Infiltrados / pt: Entre Inimigos). Em 2007, Nicholson, juntamente com Morgan Freeman, protagonizou o filme The Bucket List (br: Antes de Partir / pt: Nunca É Tarde Demais). Em 2008 quando soube que Heath Ledger, o novo intérprete do coringa faleceu de overdose, em um tom bem sarcástico disse: "Eu avisei".[1]

Honras[editar | editar código-fonte]

Marcas das mãos e pés de Jack Nicholson no Grauman's Chinese Theatre.

Nessa altura o governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger e a primeira-dama Maria Shriver anunciou em 28 de maio de 2008 que Nicholson seria introduzido no California Hall of Fame, localizado no The California Museum for History, Women and the Arts. A cerimônia de posse ocorreu em 15 de dezembro de 2008, onde foi empossado juntamente com outros 11 californianos lendários.

Em 2010, Nicholson foi introduzido no New Jersey Hall of Fame.[2]

Em 2011, Nicholson recebeu um grau honorário do Doctor of Fine Arts, em seu início de 240 terço. Na cerimônia de Ruth Simmons, presidente da Universidade de Brown, chamou-o ", o ator mais qualificados de nossa vida." [3]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Com doze indicações (oito de Melhor Ator e quatro de Melhor Ator Coadjuvante), Jack Nicholson é o ator mais indicado do sexo masculino no Oscar. Apenas Nicholson e Michael Caine foram nomeados para um Oscar de atuação (de liderança ou de suporte) em cinco décadas diferentes: 1960, 1970, 1980, 1990 e 2000. Com três vitórias no Oscar, ele também está empatado com Walter Brennan e Daniel Day-Lewis para o número mais elevado de vitórias no Oscar em categorias de atuação do sexo masculino (todos de vitórias de Brennan, no entanto, foram de Melhor Ator Coadjuvante, enquanto as de Day-Lewis foram de Melhor Ator Principal).

Na 79ª Entrega do Óscar, Nicholson tinha totalmente raspado seus cabelos por seu papel em The Bucket List. As cerimônias representavam a sétima vez em que ele apresentou o Oscar de Melhor Filme (1972, 1977, 1978, 1990, 1993, 2006 e 2007). Nicholson é um membro ativo e votantes do Oscar. Durante a última década, ele tem participado de quase todas as cerimônias, seja nomeado ou não, sentado na primeira fila.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Filmografia de Jack Nicholson

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Jack Nicholson sobre a morte de Ledger: 'eu o avisei'». G1. janeiro de 2008. 
  2. "New Jersey Hall of Fame" (em inglês). The Newark Star Ledger.
  3. «Some Wisdom from Jack… and Binder!» (em inglês). BlogDailyHerald. 3 de junho de 2011. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons