Drew Barrymore

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Drew Barrymore
Barrymore no Festival de Berlim em 2014, durante a estréia do filme Blended.
Nascimento Drew Blyth Barrymore
22 de fevereiro de 1975 (44 anos)
Culver City, Califórnia,
Estados Unidos
Nacionalidade norte-americana
Etnia branca
Estatura 1,63m
Progenitores Mãe: Jaid Mako
Pai: John Barrymore
Cônjuge Jeremy Thomas (c. 1994; div. 1995)
Tom Green (c. 2001; div. 2002)
Will Kopelman (c. 2012; div. 2016)
Filho(s) 2
Ocupação
Período de atividade 1978—presente
Principais trabalhos filmografia

Drew Blyth Barrymore (Culver City, 22 de fevereiro de 1975) é uma atriz, produtora e diretora norte-americana. Integrante mais jovem da célebre família Barrymore, apareceu pela primeira vez em um anúncio quando tinha onze meses de vida. Barrymore fez sua estreia no filme Altered States (br: Viagens Alucinantes), em 1980. Em seguida, estrelou no papel de "Gertie" no filme E.T. the Extra-Terrestrial (br: E.T.- O Extraterrestre). Ela se tornou rapidamente uma das mais conhecidas atrizes-mirins de Hollywood, passando a estabelecer-se principalmente em papéis cômicos.

Após uma infância turbulenta, que foi marcada pelo abuso de álcool e drogas e duas internações em clínicas de reabilitação, Barrymore escreveu a autobiografia, Little Girl Lost, em 1990. Ela fez com sucesso a transição de estrela mirim, para atriz adulto com uma série de filmes, incluindo os mal sucedidos Poison Ivy (br: Relação Indecente), Bad Girls (br: Quatro Mulheres e um Destino), Boys on the Side (br: Somente Elas), e Everyone Says I Love You (br: Todos Dizem Eu te Amo). Posteriormente, ela estabeleceu-se em comédias românticas como The Wedding Singer (br: Afinado no Amor).

Em 1995 ela e a sócia Nancy Juvonen formaram a produtora Flower Films, a sua primeira produção foi o filme Never Been Kissed (br: Nunca Fui Beijada), de 1999, filme este estrelado por Barrymore. A Flower Films passou a produzir os filmes de Barrymore incluindo Charlie's Angels: The Movie (br: As Panteras / pt: Anjos de Charlie), 50 First Dates (br: Como Se Fosse a Primeira Vez) e Music and Lyrics (br: Letra e Música), bem como o filme cult Donnie Darko. Os mais recentes projetos de Barrymore incluem He's Just Not That Into You (br: Ele Não Está Tão a Fim de Você), Beverly Hills Chihuahua (br: Perdido Pra Cachorro), e Everybody's Fine. Drew ganhou uma estrela na Calçada da Fama em Hollywood, e apareceu em 2007 na capa da revista People como uma das "100 pessoas mais bonitas do mundo".

Barrymore foi nomeada "Embaixadora Contra a Fome" para o Programa Alimentar Mundial (PAM) das Nações Unidas. Desde então, ela doou mais de $1 milhão para o programa. Em 2007, ela se tornou tanto a mais nova modelo da CoverGirl, quanto porta-voz para os cosméticos e o novo rosto da mais recente linha de joias da Gucci.

Em 2010 Drew ganhou o Prêmio do Screen Actors Guild e o Globo de Ouro de melhor atriz em minissérie ou filme para a televisão por sua interpretação de Pequena Edie em Grey Gardens.

De 2017 a 2019, Drew protagonizou a série original Netflix Santa Clarita Diet.

Início da vida[editar | editar código-fonte]

Ascendência[editar | editar código-fonte]

John Drew Barrymore, o pai de Drew.

Barrymore nasceu em Culver City, Califórnia , filho do ator John Barrymore e aspirante a atriz Jaid Barrymore [1]. Jaid nasceu em um campo de deslocados em Brannenburg, Alemanha Ocidental, de refugiados húngaros da Segunda Guerra Mundial [2].Barrymore é um dos quatro filhos e tem um meio-irmão, John, que também é ator. Seus pais se divorciaram em 1984, quando ela tinha 9 anos [3].

Barrymore nasceu em uma família de atores. Todos os seus bisavós paternos, Maurice e Georgie Drew Barrymore, Maurice e Mae Costello, assim como seus avós paternos, John Barrymore e Dolores Costello, foram atores, com John sendo o ator mais aclamado da sua geração. Barrymore é sobrinha de Diana Barrymore, sobrinha de Lionel Barrymore, Ethel Barrymore e Helene Costello, e uma tataraneta de John, nascido na Irlanda, e Louisa Lane Drew, nascida na Inglaterra, todos também atores. Foi bisneta do ídolo da Broadway John Drew Jr. e ator, escritor e diretor de cinema mudo Sidney Drew [4].

As madrinhas de Barrymore são a atriz Sophia Loren e a viúva de Lee Strasberg, Anna Strasberg; Barrymore descreveu seu relacionamento com o último como um que "se tornaria tão importante para mim quando criança, porque ela era muito gentil e estimulante" [5]. Seu padrinho é o diretor Steven Spielberg [6][7].

O primeiro nome de Barrymore, Drew, era o nome de solteira de sua bisavó paterna Georgie Drew, e seu nome do meio, Blythe, era o sobrenome da família usada pela primeira vez por seu bisavô Maurice Barrymore. Em sua autobiografia Little Girl Lost, de 1991, Barrymore relatou as primeiras lembranças de seu pai abusivo, que deixou a família quando Barrymore tinha 6 meses de idade. Ela e o pai nunca tiveram nada parecido com um relacionamento significativo e raramente se falavam.

Infância[editar | editar código-fonte]

Barrymore cresceu na Poinsettia Place em West Hollywood até os 7 anos de idade, quando se mudou para Sherman Oaks. Em suas memórias de 2015, Wildflower, ela diz que fala "como uma garota do vale" porque cresceu em Sherman Oaks. Ela voltou para West Hollywood ao ser emancipada aos 14 anos. Barrymore freqüentou a escola primária na Fountain Day School, em West Hollywood e Country School.

Na sequência de seu estrelato repentino, Barrymore sofreu uma infância notoriamente perturbada. Ela era frequentadora regular do Studio 54 quando jovem, e sua vida noturna e festas constantes se tornaram um assunto popular na mídia. Ela foi colocada em reabilitação aos 13 anos e passou 18 meses em uma instituição para doentes mentais [8]. Uma tentativa de suicídio aos 14 anos a colocou de volta na reabilitação, seguida de uma estadia de três meses com o cantor David Crosby e sua esposa. A estadia foi precipitada, disse Crosby, porque "precisava estar perto de algumas pessoas comprometidas com a sobriedade". Barrymore descreveu mais tarde esse período de sua vida em sua autobiografia, Little Girl Lost. Após uma bem-sucedida petição de corte juvenil por emancipação, ela se mudou para seu próprio apartamento aos 15 anos.

Carreira[editar | editar código-fonte]

1980[editar | editar código-fonte]

Barrymore com o Presidente Reagan em 17 de outubro de 1984.

A carreira profissional de Barrymore começou aos 11 meses, quando ela fez um teste para um comercial de comida para cães. Ela foi mordida por sua co-estrela canina, da qual apenas riu e foi contratada para o trabalho. Após sua estréia no cinema com um pequeno papel em Altered States (1980), ela interpretou Gertie em E.T.: O Extraterrestre (1982), dirigido por Steven Spielberg. Ele sentiu que ela tinha a imaginação certa para o seu papel depois que o impressionou com uma história de que ela liderava uma banda de punk rock. E.T.: O Extraterrestre é o filme de maior bilheteria da década de 1980 e a tornou uma das crianças-atores mais famosas da época. Por seu trabalho, ela ganhou um Young Artist Award por Melhor Atriz Coadjuvante [9].

Na adaptação cinematográfica de 1984 do romance Firestarter, de Stephen King em 1980, Barrymore interpretou uma garota com pirocinese que se torna alvo de uma agência secreta do governo conhecida como The Shop. No mesmo ano, ela interpretou uma jovem se divorciando de seus pais famosos em Diferenças Irreconciliáveis, pela qual foi indicada ao seu primeiro Globo de Ouro de Melhor Atriz Coadjuvante [10]. Em uma crítica no Chicago Sun-Times, Roger Ebert afirmou: "Barrymore é a atriz certa para esse papel precisamente porque ela o aborda com tanta calma."[11].

Barrymore era uma jovem problemática e continuou a agir de forma intermitente durante a década. Ela estrelou o filme de terror de antologia de 1985 Cat's Eye, também escrito por Stephen King. O filme recebeu críticas positivas e Barrymore foi indicada ao Young Artist Award de Melhor Atriz Jovem [12]. Ela estrelou ao lado de Jeff Bridges e Alice Krige na comédia romântica de 1989, See You in the Morning. Vincent Canby, do The New York Times, criticou a "falsidade da moda" do filme, mas destacou positivamente Barrymore por sua atuação [13]. Após o tratamento de reabilitação de doze dias no mais rápido possível, Barrymore estrelou em Far from Home (1989) como uma adolescente que fica presa com o pai na pequena cidade em uma parte remota do deserto. O filme passou despercebido pelo público e recebeu críticas negativas dos críticos, que descartaram o retrato sexual de seu papel [14].

Barrymore e Corey Feldman no 61º Óscar em 1989.

1990[editar | editar código-fonte]

No início dos anos 90, a rebeldia de Barrymore apareceu na tela e na imprensa. Ela forjou uma imagem como uma sedutora adolescente manipuladora, começando com Poison Ivy (1992), que foi um fracasso nas bilheterias, mas era popular em vídeo e TV a cabo [15]. Sua personagem "Ivy" foi classificada em # 6 na lista das 26 melhores "garotas más" de todos os tempos pela Entertainment Weekly [16]. Em 1992, Barrymore tinha 17 anos quando posou nua com seu então noivo, o ator Jamie Walters, para a capa da edição de julho da revista Interview; ela também apareceu nua nas fotos da edição.

No thriller policial de 1992 Guncrazy, Barrymore estrelou como uma adolescente que mata seu padrasto sexualmente abusivo depois que ele a ensina a usar uma arma. Variety observou que ela "impressiona" sua personagem, e Barrymore foi nomeada para o Globo de Ouro por sua atuação [17]. Em 1993, ela assumiu o papel de irmã mais nova de uma bailarina assassinada em No Place to Hide e estrelou como escritora seguida pelo que aparentemente é seu gêmeo maligno em Doppelganger. Ambos os thrillers foram criticados por críticos e não conseguiram encontrar uma audiência [18]. Ela apareceu na comédia ocidental Bad Girls (1994), que segue quatro ex-prostitutas em fuga após um homicídio justificado e uma fuga da prisão. Roger Ebert, em sua crítica ao filme, escreveu para o Chicago Sun-Times: "Que boa idéia, fazer ocidental de quatro mulheres duras. E que filme triste" [19].

Quando Barrymore tinha 19 anos, ela posou nua para a edição de janeiro de 1995 da Playboy [20].O diretor Steven Spielberg, que também é seu padrinho, deu-lhe uma colcha para seu aniversário de 20 anos com uma nota que dizia: "Cubra-se". Em anexo estavam cópias de suas fotos da Playboy; as fotos foram alteradas pelo departamento de arte dele, de modo que ela parecia completamente vestida. Durante sua aparição no Late Show com David Letterman em 1995, Barrymore subiu na mesa de David Letterman, mostrou seus seios para ele e lhe deu um beijo na bochecha como presente de aniversário.

Drew Barrymore em 1997.

Em Boys on the Side (1995), Barrymore interpretou uma garota grávida que quer fugir do namorado abusivo. O filme foi pouco visto nos cinemas, mas foi recebido positivamente pelos críticos. No mesmo ano, ela apareceu brevemente no filme de Joel Schumacher, Batman Forever, como Sugar [21]. Em 1996, ela fez uma aparição breve, mas notável, no filme de terror Scream, de Wes Craven. Barrymore leu o roteiro do filme e estava interessada em se envolver, abordando a própria equipe de produção para solicitar um papel. Os produtores foram rápidos em tirar proveito de seu interesse inesperado e a contrataram para desempenhar o papel principal de Sidney Prescott, mas quando ela enfrentou compromissos inesperados, ela desempenhou o papel menor de Casey Becker e o papel principal foi dado a Neve Campbell. Scream foi lançado com elogios da crítica e faturou US $ 173 milhões em todo o mundo. Em meados e no final dos anos 90, Barrymore restabeleceu sua imagem e continuou a ser uma estrela altamente lucrativa.

Em The Wedding Singer (1998), Barrymore interpretou Julia Sullivan, o interesse amoroso de Robbie Hart (Adam Sandler) [22].A Variety considerou o filme uma "saga espirituosa, engraçada e calorosa" que os serve "de uma nova maneira que aprimora suas qualidades mais vencedoras". Orçado em US $ 18 milhões, o filme arrecadou US $ 123,3 milhões internacionalmente. Barrymore estrelou outros dois lançamentos de filmes de 1998, Home Fries e Ever After. Home Fries a viu interpretar uma mulher grávida, sem saber, se apaixonando pelo enteado do falecido pai de seu bebê. No drama romântico Ever After, inspirada no conto de fadas Cinderela, ela assumiu o papel principal; o filme, que faturou US $ 98 milhões globalmente, serviu como um lembrete, de acordo com Roger Ebert, de quão bem "ela pode segurar a tela e nos envolver em seus personagens" [23].

Barrymore dublou o papel-título de um terrier antropomórfico Jack Russell no especial de Natal da televisão Olive, The Other Reindeer, pelo qual foi indicada ao Emmy Primetime [24]. Depois que Barrymore e Nancy Juvonen fundaram a Flower Films em 1995 [25], ela produziu o primeiro filme da empresa, Never Been Kissed (1999), no qual também atuou como editora de cópias insegura para o Chicago Sun-Times se matricular em alta escola como parte da pesquisa atribuída. Enquanto as críticas dos críticos eram variadas, a CNN observou: "Há duas palavras que descrevem por que esse filme funciona: Drew Barrymore. Seu tempo cômico e sua vontade de dar tudo de si na busca por uma risada combinam-se para fazer de Never Been Kissed uma experiência gratificante no cinema" [26]. O filme foi um sucesso comercial, arrecadando US $ 84,5 milhões.

2000[editar | editar código-fonte]

Barrymore na estréia de 2007 de Music & Lyrics.

Em Charlie's Angels (2000), Barrymore, Cameron Diaz e Lucy Liu interpretaram o trio de investigadores em Los Angeles. O filme foi um grande sucesso de bilheteria e ajudou a solidificar a posição entre Barrymore e a empresa. Barrymore estrelou Riding in Cars with Boys (2001), como uma mãe adolescente em um casamento fracassado com o pai viciado em drogas (baseado na história da vida real de Beverly Donofrio). Quando a produção de Richard Kelly, Donnie Darko foi ameaçada, Barrymore avançou com o financiamento da empresa e interpretou a professora de inglês do personagem-título. Embora o filme tenha sido menos bem-sucedido nas bilheterias após o 11 de setembro, ele alcançou status de culto após o lançamento do DVD, inspirando vários sites dedicados a desvendar as reviravoltas e os significados da trama [27].

Em 2002, Barrymore estrelou com Sam Rockwell e Julia Roberts na estréia na direção de George Clooney, Confessions of a Dangerous Mind, baseada na autobiografia do produtor de televisão Chuck Barris [28]. Em 2003, ela reprisou seu papel como Dylan Sanders em Charlie's Angels: Full Throttle, e estrelou com Ben Stiller em Duplex. A Flower Films e a Happy Madison Productions de Adam Sandler produziram 50 First Dates (2004), nas quais Barrymore assumiu o papel de mulher comperda de memória a curto prazo e o interesse amoroso de um veterinário marinho (Adam Sandler) [29]. Resumindo o apelo de Barrymore, Roger Ebert, em sua crítica ao filme, observou que Barrymore exibia uma "sinceridade sorridente e tímida", no que descreveu como um filme "agradável". 50 First Dates foi um sucesso comercial; faturou US $ 120,9 milhões na América do Norte e US $ 196,4 milhões em todo o mundo.

Na adaptação americana do remake britânico de 1997, Fever Pitch (2005), Barrymore interpretou o interesse amoroso de um professor de escola imaturo (Jimmy Fallon). O filme arrecadou modestos US $ 50 milhões em todo o mundo e foi favorável a críticos que consideraram "ter charme e química na tela suficientes entre Fallon e Barrymore para torná-lo um sucesso sólido" [30]. Ela e Hugh Grant estrelaram Music and Lyrics, que se concentra no relacionamento que evolui entre um ex-ídolo da música pop e um aspirante a escritor, enquanto eles lutam para compor uma música para uma diva pop reinante. A comédia romântica, lançada em fevereiro de 2007, recebeu críticas bastante positivas, com o The Washington Post achando os dois "ótimos juntos" nele. O filme foi um sucesso comercial, arrecadando US $ 145 milhões em todo o mundo.

Barrymore na estréia de Lucky You em 2007.

Barrymore estrelou o filme Lucky You de Curtis Hanson, em 2007, como uma aspirante a cantora e objecto de afeição de um jogador de poker talentoso, e também se reuniu com o diretor Raja Gosnell para o sucesso comercial Beverly Hills Chihuahua (2008), em que ela dublou o personagem principal, um animal de estimação ricamente mimado que é enganado no México e tem que escapar de um doberman malvado.

Em 2009, Barrymore estrelou a comédia He Just Not That That You, que recebeu críticas mistas de críticos, que observaram seu tempo limitado na tela, enquanto arrecadou US $ 178 milhões em todo o mundo [31]. Ela interpretou o papel principal de Edith Bouvier Beale, filha de Edith Ewing Bouvier Beale (Jessica Lange), no filme da HBO Gray Gardens, dirigido por Michael Sucsy e baseado no documentário de 1975 com o mesmo nome. O filme de televisão foi um enorme sucesso, ganhando cinco Primetime Emmy Awards e dois Globos de Ouro. Barrymore recebeu uma indicação em 2009 ao Emmy Award para Melhor Atriz em Minissérie ou Filme. Ela ganhou o Globo de Ouro de Melhor Atriz e ganhou o Screen Actors Guild por Melhor Performance por uma Atriz em um prêmio de Filme ou Minissérie de Televisão.

Barrymore fez sua estréia na direção com o drama esportivo Whip It (2009); ela também estrelou ao lado de Ellen Page e Marcia Gay Harden no filme, sobre uma estudante do ensino médio (Page) que abandonou a cena do concurso de beleza adolescente para participar de uma liga de roller derby de Austin [32]. Barrymore trabalhou com a roteirista Shauna Cross durante meses em revisões de roteiro, com Barrymore empurrando-a para "evitar as perspectivas mais claras de sua história, para tornar as coisas mais cruas e abertas" [33]. Enquanto o filme encontrava receitas limitadas de bilheteria, foi recebido favoravelmente; de acordo com o site de agregação de resenhas Rotten Tomatoes, os críticos concordaram que sua "estréia na direção tem charme, energia e humor de bom humor para transcender seus muitos clichês" [34]. Por seu empreendimento, Barrymore recebeu indicações para um Cavalo de Bronze no Festival de Cinema de Estocolmo. Em Everybody's Fine, seu último filme lançado em 2009, Barrymore interpretou a filha de um aposentado recentemente viúvo (Robert De Niro). O drama fracassou nas bilheterias, mas Stephen Holden, do The New York Times considerou Barrymore "tão ingênua como sempre" no que descreveu como um "pequeno papel" [35].

2010-presente[editar | editar código-fonte]

Drew Barrymore em 2019.

Em 2010, Barrymore estrelou com Justin Long em Going the Distance. O filme segue um casal lidando com os altos e baixos de um relacionamento de longa distância, enquanto viaja entre Nova York e São Francisco. Ele recebeu críticas mistas de críticos, que o resumiram como "mais oportuno e um pouco mais honesto do que a maioria das comédias românticas" [36] e orçou em US $ 32 milhões, o filme faturou US $ 40 milhões no mundo todo [37].

Em 2 de agosto de 2011, Barrymore dirigiu o videoclipe da música "Our Deal", para a banda Best Coast, que conta com Chloë Grace Moretz, Miranda Cosgrove, Tyler Posey, Donald Glover, Shailene Woodley e Alia Shawkat [38]. Barrymore estrelou com John Krasinski o drama Big Miracle (2012), que aborda a Operação Breakthrough, o esforço internacional de 1988 para resgatar as baleias cinzentas de serem presas no gelo perto de Point Barrow, no Alasca. O filme a viu interpretar Rachel Krameron, baseada na ativista do Greenpeace Cindy Lowry. Apesar de uma recepção crítica positiva, o filme fracassou nas bilheterias [39].

Em Blended (2014), Barrymore interpretou Lauren Reynolds, uma mulher recentemente divorciada que acabou em um resort familiar com Jim Friedman (Adam Sandler). O crítico de cinema James Berardinelli descartou o "humor de acerto e erro" da história e escreveu que "no que diz respeito a Sandler e Barrymore, a terceira vez definitivamente não é o charme" [40], como parte de uma crítica geral diversa. O filme, no entanto, arrecadou US $ 128 milhões em todo o mundo. Ela e Toni Collette estrelaram Miss You Already (2015), como duas amigas de longa data, cujo relacionamento é posto à prova quando um inicia uma família e o outro fica doente. Os críticos abraçaram o filme, enquanto este recebeu um lançamento teatral limitado [41].

De 2017 a 2019, Barrymore estrelou a série de televisão da Netflix, Santa Clarita Diet, representando uma agente imobiliária que, depois de experimentar uma transformação física em zumbi, começa a desejar carne humana. Junto com a co-estrela Timothy Olyphant, Barrymore também atuou como produtor executivo da série de câmeras únicas, que foi favoravelmente recebida em sua estréia [42].

Barrymore vai estrelar o romance de Jamie Babbit, The Stand-In [43].

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Drew Barrymore em 2009.

Aos 16 anos, em 1991, Barrymore ficou noiva de Leland Hayward, homônimo e neto do produtor de Hollywood Leland Hayward.[44] O noivado foi cancelado alguns meses depois.[45] Barrymore viveu com o músico e ator Jamie Walters de 1992 a 1993.[46]

Ela se casou com seu primeiro marido, Jeremy Thomas, proprietário de um bar de Los Angeles nascido em Gales, aos dezenove anos, em 20 de março de 1994. Ela pediu o divórcio dele menos de dois meses depois.

No final de 1994, Barrymore começou a namorar o guitarrista do Hole Eric Erlandson,[47] seguido pelo apresentador da MTV e comediante Tom Green em 1999; ela e Green estavam noivos em julho de 2000 e se casaram um ano depois. Juntos, eles estrelaram o filme de Charlie's Angels e a estréia do cinema de Green Freddy Got Fingered. Green pediu o divórcio em dezembro de 2001, que foi finalizado em 15 de outubro de 2002.[48][49]

Em 2002, ela começou a namorar o baterista do The Strokes, Fabrizio Moretti, pouco depois de se encontrarem em um show. Seu relacionamento durou cinco anos terminou em janeiro de 2007.[50] Ela começou a namorar Justin Long,[51] mas eles se separaram em julho de 2008.[52] Enquanto filmava Going the Distance, Barrymore e Long voltaram em 2009, mas se separaram novamente no ano seguinte.[53]

No início de 2011, Barrymore começou a namorar o consultor de arte Will Kopelman, filho do ex-CEO da Chanel Arie Kopelman.[54] O casal anunciou seu noivado em janeiro de 2012,[55][56] e casou-se em 2 de junho de 2012 em Montecito, Califórnia.[57] Quatro dias depois, a imagem do casamento do casal apareceu na capa da revista People.[58] Barrymore e Kopelman têm duas filhas: Olive Barrymore Kopelman (nascida em 26 de setembro de 2012)[59] e Frankie Barrymore Kopelman (nascida em 22 de abril de 2014).[60] Em 2 de abril de 2016, Barrymore e Kopelman divulgaram um comunicado confirmando que haviam se separado e pretendiam se divorciar.[61] Em 15 de julho de 2016, Barrymore pediu oficialmente o divórcio, que foi finalizado em 3 de agosto de 2016.[62][63]

Barrymore disse em uma entrevista à Contact Music em 2003 que ela sempre se considerou bissexual.[64][65]

Barrymore é a madrinha da filha de Kurt Cobain com Courtney Love, Frances Bean Cobain.[66]

Moda e imagem[editar | editar código-fonte]

Barrymore na estreia de 2009 do filme Whip It

Barrymore tornou-se modelo e porta-voz da CoverGirl Cosmetics em 2007.[67] Em fevereiro de 2015, ela permaneceu como um dos rostos da CoverGirl, ao lado de Queen Latifah e Taylor Swift. A empresa se associou a ela porque "ela emula a imagem icônica da CoverGirl com sua beleza natural, seu espírito energético e autêntico", disse Esi Eggleston Bracey, vice-presidente e gerente geral da CoverGirl Cosmetics North America. Ela trouxe não apenas sua personalidade para esse apoio, mas também seu lado criativo, pois ela também ajudou a criar os anúncios.[68] Ela foi a número 1 na lista anual de 100 pessoas mais bonitas da People em 2007.[69] Mais tarde, ela foi nomeada a nova cara para a linha de jóias Gucci.[70][71] Como modelo, Barrymore assinou um contrato com a IMG Models New York City. Ela também foi porta-voz da Crocs.

Ela lançou uma linha de moda feminina no outono de 2017 em conjunto com a Amazon.com chamada Dear Drew.[72] que contou com uma loja pop-up em Nova York, que abriu em novembro.

Outros trabalhos[editar | editar código-fonte]

Em maio de 2007, Barrymore foi nomeada Embaixadora Contra a Fome para o Programa Alimentar Mundial da ONU.[73][74] e depois doou US$ 1 milhão para a causa.[75] Foi fotógrafa convidada de uma série de revistas chamada "They Shoot New York", ela apareceu na capa segurando uma câmera de filme Pentax K1000.[76] Ela expressou esperanças de expor seu trabalho em uma galeria um dia, como ela havia documentado a mais recente década de sua vida com uma câmera Pentax.[77]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Filmografia de Drew Barrymore

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título original Título em português Papel Notas
1978 Suddenly, Love Bobbi Graham TV
1980 Bogie Leslie Bogart TV
Altered States br: Viagens Alucinantes Margaret Jessup
1982 E.T. the Extra-Terrestrial br: E.T. o Extraterrestre Gertie
1984 Firestarter br: Chamas da Vingança Charlene 'Charlie' McGee
Irreconcilable Differences br: Diferenças Irreconciliáveis Casey Brodsky
1985 Cat's Eye br: Olhos de Gato
Star Fairies Hillary Voz
1986 Babes in Toyland Lisa Piper TV
1987 A Conspiracy of Love Jody Woldarski TV
1989 See You in the Morning br: Te Vejo Amanhã Cathy Goodwin
Far from Home Joleen Cox
1991 Motorama Garota fantasiada
1992 Poison Ivy br: Relação Indecente Ivy
Waxwork II: Lost in Time Vítima do vampiro
Guncrazy Anita Minteer
Sketch Artist Daisy Drew TV
1993 Doppelganger Holly Gooding
The Amy Fisher Story Amy Fisher TV
No Place to Hide Tinsel Hanley
Wayne's World 2 br: Quanto Mais Idiota Melhor 2 Bjergen Kjergen
1994 Inside the Goldmine Daisy
Bad Girls br: Quatro Mulheres e um Destino Lilly Laronette
1995 Boys on the Side br: Somente Elas Holly Pulchik-Lincoln
Mad Love br: Amor Louco Casey Roberts
Batman Forever br: Batman Eternamente Sugar
1996 Everyone Says I Love You br: Todos Dizem Eu Te Amo Skylar Dandridge
Scream br: Pânico Casey Becker
1997 Wishful Thinking br: Coisas de Casais Lena
Best Men Hope
1998 The Wedding Singer br: Afinados no Amor Julia Sullivan
Ever After br: Para Sempre Cinderela Danielle De Barbarac
Home Fries br: Nosso Louco Amor Sally Jackson
1999 Never Been Kissed br/pt: Nunca Fui Beijada Josie Geller
Olive, the Other Reindeer Olive Voz
2000 Skipped Parts br: Adolescencia Perdida Garota fantasiada
Titan A. E. Akima Voz
Charlie's Angels br: As Panteras Dylan Sanders
2001 Donnie Darko Karen Pomeroy
Freddy Got Fingered br: Fora de Casa! Recepcionista de Davidson
Riding in Cars with Boys br: Os Garotos da Minha Vida Beverly Donofrio
2002 Confessions of a Dangerous Mind Confissões de uma Mente Perigosa Penny
2003 Charlie's Angels: Full Throttle br: As Panteras: Detonando Dylan Sanders / Helen Zaas
Duplex br: Duplex Nancy Kendricks
2004 50 First Dates br: Como Se Fosse a Primeira Vez Lucy Whitmore
2005 Fever Pitch br: Amor em Jogo Lindsey Meeks
2006 Curious George br: George, O Curioso Maggie Voz
2007 Music and Lyrics br: Letra e Música Sophie Fisher
Lucky You br: Bem-Vindo ao Jogo Billie Offer
2008 Beverly Hills Chihuahua br: Perdido Pra Cachorro Chloe Voz
2009 He's Just Not That Into You br: Ele Não Está Tão a Fim de Você Mary
Grey Gardens Edith Bouvier Beale TV
Whip It br: Garota Fantástica Smashley Simpson
Everybody's Fine br: Estamos Todos Bem Rosie
2010 Going the Distance br: Amor à Distância Erin
2012 Big Miracle br: Grande Milagre Rachel Kramer
2014 Blended br: Juntos e Misturados Lauren Reynolds
2015 Miss You Already br: Já Estou com Saudades Jess

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Episódios Notas
1985 ABC Weekend Specials Con Sawyer 1 episódio
1986 The Ray Bradbury Theater Heather Leary
1989 CBS Schoolbreak Special Susan
1992 2000 Malibu Road Lindsay Rule 6 episódios
2000 The Simpsons Sophie 1 episódio
2009-2010 Family Guy Jillian Russell (voz) 8 episódios
2016 Odd Mom Out Meredith Episode: "Knock of Shame"
2017-presente Santa Clarita Diet Sheila Hammond 20 episódios Produtora Executiva

Elenco principal[78]

Prêmios, honras e indicações[editar | editar código-fonte]

Estrela de Barrymore na Calçada da Fama de Hollywood.

Em 1999, Barrymore foi homenageada pela Young Artist Foundation com seu prêmio "Child Lifetime Achievement", ex-Child Star, comemorando suas realizações notáveis ​​na indústria cinematográfica como atriz infantil [79]. Por suas contribuições para a indústria cinematográfica, Barrymore recebeu uma estrela de cinema na Calçada da Fama de Hollywood em 2004. Sua estrela está localizada no 6925 Hollywood Boulevard [80].

Os filmes de Barrymore compilaram uma bilheteria mundial bruta superior a US $ 2,3 bilhões. De acordo com o ranking do The Hollywood Reporter, ela estava empatada em oitavo lugar na lista dos dez melhores salários de atrizes, comandando 10 a 12 milhões de dólares por filme para 2006[81]. Barrymore se tornou a pessoa mais jovem a ter o anfitrião do Saturday Night Live em 20 de novembro de 1982, aos 7 anos de idade, um recorde que permaneceu ininterrupto a partir de 2019 [82]. Em 3 de fevereiro de 2007, Barrymore hospedou o SNL pela quinta vez, fazendo dela a segunda anfitriã do sexo feminino (depois de Candice Bergen) na história do programa para fazê-lo. Ela foi a anfitriã novamente em 10 de outubro de 2009, tornando-se a primeira mulher a hospedar seis vezes.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «USATODAY.com - Actor John D. Barrymore dies at 72». usatoday30.usatoday.com. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  2. «Actor Barrymore attacked at home» (em inglês). 6 de maio de 2002 
  3. Hellomagazine.com. «Drew Barrymore. Biography, news, photos and videos». hellomagazine.com (em English). Consultado em 15 de outubro de 2019 
  4. «BarrymoreFamily.com». www.barrymorefamily.com. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  5. Friedlander, Noam (9 de agosto de 2010). «Drew Barrymore interview» (em inglês). ISSN 0307-1235 
  6. «Q & A With Drew Barrymore: L.A. Cravings, Dying Art Forms & Barrymore Wines - Los Angeles - Restaurants and Dining - Squid Ink». web.archive.org. 28 de janeiro de 2013. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  7. «Drew Barrymore seeks advice from 'godfather' Spielberg - The Times of India». web.archive.org. 28 de janeiro de 2013. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  8. Hattenstone, Simon (25 de outubro de 2015). «Drew Barrymore: 'My mother locked me up in an institution at 13. Boo hoo! I needed it'». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  9. «4th Annual Awards». web.archive.org. 10 de março de 2008. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  10. «HFPA - Awards Search». web.archive.org. 1 de maio de 2008. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  11. «Irreconcilable Differences :: rogerebert.com :: Reviews». web.archive.org. 16 de dezembro de 2008. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  12. Stephen King's 'Cat's Eye' (1985) (em inglês), consultado em 15 de outubro de 2019 
  13. Canby, Vincent (21 de abril de 1989). «Review/Film; The Jumbling of Households in 'See You'». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  14. «Far From Home». www.scoopy.com. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  15. «Poison Ivy». EW.com (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019 
  16. «Lethal Ladies: 26 Best Big-Screen Bad Girls». EW.com (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019 
  17. McCarthy, Todd; McCarthy, Todd (19 de maio de 1992). «Guncrazy». Variety (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019 
  18. «No Place to Hide (1993) - Box Office Mojo». www.boxofficemojo.com. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  19. Ebert, Roger. «Bad Girls movie review & film summary (1994) | Roger Ebert». www.rogerebert.com (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019 
  20. Luscombe, Belinda (2 de outubro de 1995). «People, Oct. 2, 1995». Time (em inglês). ISSN 0040-781X 
  21. «Batman Forever : Review : Rolling Stone». web.archive.org. 8 de julho de 2008. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  22. Brantley, Ben (28 de abril de 2006). «Something Borrowed, Something Renewed: The Return of the 80's in 'The Wedding Singer'». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  23. «Ever After: A Cinderella Story (1998) - Box Office Mojo». www.boxofficemojo.com. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  24. «Drew Barrymore». Television Academy (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019 
  25. «Flower grows into Warner Bros. pact». web.archive.org. 16 de dezembro de 2008. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  26. «CNN - Review: Barrymore shines in 'Never Been Kissed' - April 8, 1999». edition.cnn.com. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  27. «USATODAY.com - 'Darko' takes a long, strange trip». usatoday30.usatoday.com. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  28. «Confessions of a Dangerous Mind : Review : Rolling Stone». web.archive.org. 3 de dezembro de 2008. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  29. «USATODAY.com - Drew Barrymore hits milestone of 30». usatoday30.usatoday.com. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  30. Fever Pitch (2005) (em inglês), consultado em 15 de outubro de 2019 
  31. LaSalle, Mick (6 de fevereiro de 2009). «Movie review: 'He's Just Not That Into You'». SFGate. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  32. «Gay Women - everything you need to know». www.pride.com (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019 
  33. Almereyda, Michael (23 de setembro de 2009). «Drew Barrymore Dons Director's Skates for 'Whip It'». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  34. «Reeling | Review: Whip It». miamiherald.typepad.com. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  35. Holden, Stephen (3 de dezembro de 2009). «De Niro Packs His Suitcase, Heading to Geezer Territory». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  36. Going the Distance (2010) (em inglês), consultado em 15 de outubro de 2019 
  37. «Drew Barrymore - Box Office». The Numbers. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  38. Montgomery, James. «Best Coast's 'Our Deal' Supervideo: Best Side Story». MTV News (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019 
  39. Pomerantz, Dorothy. «The Biggest Box Office Flops Of 2012». Forbes (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019 
  40. Berardinelli, James. «Blended». Reelviews Movie Reviews (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019 
  41. «Miss You Already (2015) - Box Office Mojo». www.boxofficemojo.com. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  42. Andreeva, Nellie; Andreeva, Nellie (18 de março de 2016). «Drew Barrymore & Timothy Olyphant To Star In 'Santa Clarita Diet' Netflix Series». Deadline (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019 
  43. McNary, Dave; McNary, Dave (2 de fevereiro de 2018). «Drew Barrymore to Play Dual Roles in Romantic Comedy 'The Stand-In'». Variety (em inglês). Consultado em 15 de outubro de 2019 
  44. Sporkin, Elizabeth (25 de fevereiro de 1991). «They'll Take Romance». People. 35 (7) 
  45. Kahn, Toby (14 de setembro de 1992). «Passages». People. 38 (11) 
  46. Archerd, Army (12 de novembro de 1992). «Barrymore takes 'Control' of Fisher role». Variety. Consultado em 15 de janeiro de 2009 
  47. Mundy, Chris (15 de junho de 1995). «Drew Barrymore: Wild Thing». Rolling Stone. Consultado em 3 de maio de 2018 
  48. Darst, Jeanne (18 de dezembro de 2001). «Tom Green Files for a Divorce from Drew». People. Consultado em 7 de setembro de 2008. Arquivado do original em 5 de outubro de 2008 
  49. Silverman, Stephen M. (10 de junho de 2001). «Oops! Barrymore, Green Do It Again». People. Consultado em 7 de setembro de 2008. Arquivado do original em 2 de dezembro de 2008 
  50. White, Nicholas (8 de fevereiro de 2007). «Drew Barrymore Says She's Loving Single Life». People. Consultado em 7 de setembro de 2008 
  51. «Justin Long Takes Drew Barrymore Home to Meet the Parents». People. 28 de novembro de 2007. Consultado em 7 de setembro de 2008 
  52. «Drew Barrymore and Justin Long end relationship». Fox News.com. 8 de junho de 2008. Consultado em 9 de setembro de 2008 
  53. «Drew Barrymore, Justin Long Back Together ... for a Movie». Us Weekly. 31 de março de 2009. Consultado em 31 de março de 2009. Cópia arquivada em 5 de maio de 2009 
  54. «Drew Barrymore Spotted with a New Guy». People. 24 de fevereiro de 2011. Consultado em 5 de dezembro de 2012 
  55. Raftery, Liz; McNeil, Elizabeth (5 de janeiro de 2012). «Drew Barrymore Engaged to Will Kopelman». People. Consultado em 5 de janeiro de 2012 
  56. Michaud, Sarah (5 de janeiro de 2012). «Drew Barrymore & Will Kopelman Share Engagement Photo». People. Consultado em 5 de janeiro de 2012 
  57. Tauber, Michelle (2 de junho de 2012). «Drew Barrymore Weds Will Kopelman». People. Consultado em 2 de junho de 2012 
  58. Triggs, Charlotte (6 de junho de 2012). «Drew Barrymore Gushes About Her 'Perfect' Wedding Day». People. Consultado em 7 de junho de 2012 
  59. «Drew Barrymore Welcomes Daughter Olive». People. 1 de outubro de 2012. Consultado em 1 de outubro de 2012 
  60. Leon, Anya; Jordan, Julie (22 de abril de 2014). «Drew Barrymore Welcomes Daughter Frankie». People. Consultado em 22 de abril de 2014 
  61. Julie Jordan; Maria Mercedes Lara (4 de abril de 2016). «Drew Barrymore and Will Kopelman on Divorce: 'We Do Not Feel This Takes Away from Us Being a Family'». People. People.Com. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  62. Ross, Barbara (15 de julho de 2016). «Drew Barrymore files from divorce from husband Will Kopelman». nydailynews.com. NY Daily News. Consultado em 30 de julho de 2016 
  63. «Drew Barrymore Officially Divorced From Will Kopelman». yahoo.com. 4 de agosto de 2016 
  64. «Drew Barrymore: 'I Am Bisexual'». Webcitation.org. Consultado em 2 de dezembro de 2013. Arquivado do original em 27 de janeiro de 2013 
  65. Radice, Sophie (9 de maio de 2004). «When hello really means bi for now». The Guardian. UK. Consultado em 7 de setembro de 2008 
  66. Kaufman, Gil (23 de setembro de 2011). «Nirvana Heiress Frances Bean Cobain: About A Girl». MTV. Consultado em 2 de outubro de 2012 
  67. Critchell, Samantha (11 de abril de 2007). «Drew Barrymore Is Newest Covergirl Model». Washington Post. Consultado em 7 de setembro de 2008 
  68. «Archived copy». Consultado em 5 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 23 de fevereiro de 2011  Fashion section, Barrymore web site
  69. «Most Beautiful People 2007». People. Consultado em 7 de setembro de 2008 
  70. La Ferla, Ruth (9 de março de 2008). «A Glossy Rehab for Tattered Careers». New York Times. Consultado em 20 de junho de 2008 
  71. «Drew Barrymore Goes Bling». MTV. 5 de julho de 2007. Consultado em 7 de setembro de 2008 
  72. «Drew Barrymore's Launching Her First Clothing Line With Amazon Fashion» 
  73. «Actress Drew Barrymore becomes advocate for UN World Food Programme». UN News Centre. 9 de maio de 2007. Consultado em 15 de maio de 2007 
  74. «Drew Barrymore Becomes WFP Ambassador». Fox News. 11 de maio de 2007. Consultado em 7 de setembro de 2008 
  75. «Actress Drew Barrymore donates $1 million to UN anti-hunger programme». UN News Centre. 3 de março de 2008. Consultado em 19 de março de 2008 
  76. «NYC in pictures: They shoot New York». newyork.timeout.com. Arquivado do original em 11 de setembro de 2010 
  77. «Drew Barrymore: Les amours à distance c'est l'histoire de ma vie!». Elle (em francês). 19 de agosto de 2010. Consultado em 26 de novembro de 2010 
  78. «Joel McHale is a non-zombie realtor in 'Santa Clarita Diet' season 2 first look». EW.com (em inglês). 16 de fevereiro de 2018 
  79. «20th Annual Awards». web.archive.org. 7 de setembro de 2013. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  80. «Drew Barrymore | Hollywood Walk of Fame». www.walkoffame.com. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  81. «MSN | Outlook, Office, Skype, Bing, Breaking News, and Latest Videos». www.msn.com. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  82. «NBC.com - Saturday Night Live Backstage - Green Room - Key Hosts». web.archive.org. 23 de abril de 2008. Consultado em 15 de outubro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Categoria no Commons