Maggie Gyllenhaal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maggie Gyllenhaal
Maggie Gyllenhaal no Oscar 2010.
Nome completo Margolit Ruth Gyllenhaal
Nascimento 16 de novembro de 1977 (39 anos)
Nova Iorque, Nova Iorque
 Estados Unidos
Nacionalidade Estados Unidos Norte-americana
Ocupação Atriz
Atividade 1992 - presente
Cônjuge Peter Sarsgaard (2009-presente)
Globos de Ouro
Melhor Atriz Coadjuvante em Mini-série ou Tele-filme
2014 - The Honourable Woman
IMDb: (inglês)

Margolit Ruth Gyllenhaal [1][2][3] (Nova Iorque, 16 de novembro de 1977) é uma atriz estadunidense, vencedora de um Globo de Ouro pela minissérie The Honourable Woman e indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante pelo filme Crazy Heart, e duas vezes ao Globo de Ouro pelos filmes Secretary e Sherrybaby.[4][5]

Primeiros anos de vida[editar | editar código-fonte]

Maggie nasceu em Nova Iorque filha do diretor de cinema Stephen Gyllenhaal e da produtora de cinema e roteirista Naomi Foner Gyllenhaal.[6] Jake Gyllenhaal seu irmão mais novo, também é ator. Seu pai foi criado na religião de Swedenborg e é da família nobre sueca Gyllenhaal. Seu último ancestral puramente sueco foi seu bisavô, um descendente de Leonard Gyllenhaal, um líder Swedenborgiano que apoiou a impressão e divulgação de escritos de Swedenborg;[7] sua mãe é de uma família judia em Nova Iorque e é a ex-mulher de Eric Foner,[8] um professor de história da Columbia University.[9][10] Seus pais se casaram em 1977 e pediram o divórcio em outubro de 2008.[11]

Gyllenhaal cresceu em Los Angeles e estudou na escola preparatória Harvard-Westlake School.[9] Em 1995 ela se formou em Harvard-Westlake e se mudou para Nova Iorque para estudar na Columbia University, onde estudou literatura e religiões orientais.[9][12] Ela se formou em 1999 com um grau de Bacharel em Artes.[9] Depois de estudar na Royal Academy of Dramatic Art em Londres,[13] ela conseguiu um emprego trabalhando como garçonete em um restaurante de Massachusetts.[14]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Primeiros trabalhos[editar | editar código-fonte]

Sua estreia ocorreu em 1992 com o filme Waterland, nessa época ela tinha 15 anos; A Dangerous Woman (1993) e Homegrown (1998) esses filmes foram dirigidos por seu pai, os dois últimos também contou com seu irmão, eles tiveram papéis de coadjuvantes.[9] Com sua mãe, ela e Jake apareceram em dois episódios de Molto Mario, um programa de culinária italiana no Food Network.[15] Depois de se formar na faculdade, ela interpretou papéis de coadjuvantes em filmes como Cecil B. DeMented (2000) e Riding in Cars with Boys (2001).[16] Maggie depois alcançou reconhecimento com o filme Donnie Darko (2001).[17]

Ela fez sua estreia no teatro na produção da Berkeley Repertory Theatre de Patrick Marber chamada Closer,[18][19] pelo qual recebeu críticas favoráveis​​.[20][21] A produção começou em maio de 2000 e terminou em meados de julho desse ano.[20] Maggie se apresentou em várias outras peças, incluindo The Tempest,[22] Antony and Cleopatra, The Butterfly Project e No Exit.[23]

2002–2005[editar | editar código-fonte]

Maggie Gyllenhaal em um evento em Barcelona, Espanha em 2008.

O primeiro papel de destaque dela foi em Secretary (2002), um filme sobre duas pessoas que embarcam em um estilo de vida mutuada.[24] The New York Times, Stephen Holden observou: "O papel de Lee em que Maggie Gyllenhaal interpretou com uma delicadeza e doçura contida em quadrinhos, deve fazer dela uma estrela".[24] Mick LaSalle do San Francisco Chronicle escreveu: "Maggie Gyllenhaal, como a secretária auto-destrutiva é enigmática e em certos momentos, simpática".[25] O filme recebeu opiniões favoráveis,[26] e o desempenho de Maggie valeu-lhe o prêmio National Board of Review of Motion Pictures na categoria Melhor Performance de uma Revelação,[27] sua primeira indicação ao Globo de Ouro,[28] e a indicação em Independent Spirit Award.[29] Secretary foi o primeiro papel e que Maggie aparece em nudez frontal.[30][31] Embora impressionada com o roteiro que inicialmente teve alguns escrúpulos em fazer o filme, que ela acreditava que poderia entregar uma mensagem anti-feminista. No entanto, após discutir cuidadosamente sobre o roteiro com o diretor do filme, Steven Shainberg ela concordou em participar do projeto.[32] Embora insistindo em não explorá-la, Maggie disse que se sentiu "assustado quando começou a filmar" e que "em mãos erradas ... mesmo em apenas mãos pouco menos inteligente, este filme poderia dizer algo muito estranho".[17]

Ela desempenhou um papel de apoio em Adaptation. (2002), um filme que conta a história da luta da roteirista Charlie Kaufman para se adaptar em The Orchid Thief.[33] Mais tarde ela apareceu em Confessions of a Dangerous Mind (2002), parte de um elenco que incluía Sam Rockwell, Drew Barrymore, George Clooney e Julia Roberts.[34] O filme arrecadou 33 milhões de dólares em todo o mundo.[35] Nesse mesmo ano ela teve um pequeno papel na comédia 40 Days and 40 Nights.[36]

Em 2003 ela co-estrelou com Julia Roberts Mona Lisa Smile no papel de Giselle.[37] Em entrevista ao The Daily Telegraph ela revelou o motivo de aceitar o papel "interpretar alguém que se sente confiante em si mesma como uma mulher sexy, bonita e sedutora".[38] O filme gerou críticas,[39][40] Casa de los Babys (2003), uma história sobre seis mulheres americanas impacientemente à espera das suas exigências longas em um país sul-americano não identificado antes de pegar seus filhos adotivos,[41] e Criminal (2004), um remake do filme argentino Nove Rainhas, com John C. Reilly e Diego Luna.[42] Maggie interpreta uma gerente do hotel forçado a ajudar seu irmão (Reilly) para seduzir uma de suas vítimas.[42] Maggie foi convidada a integrar a Academy of Motion Picture Arts and Sciences em 2004.[43] Ela estrelou o filme da HBO Strip Search (2004), onde interpretava uma estudante americana na China suspeita de terrorismo.[44]

Em 2004, Maggie voltou ao teatro em uma produção de Tony Kushner, Homebody/Kabul como Priscilla, a filha do Homebody que passa a maior parte do filme em busca de sua mãe no Afeganistão. Kushner lhe deu o papel em Homebody/Kabul na força de sua performance mais estreita.[45] Ben Brantley do The New York Times escreveu: "Maggie fornece a ponte essencial entre as partes do título do filme".[46] John Heilpern do The New York Observer notou que o desempenho de Maggie foi "convincente".[47] Visto como um símbolo sexual, ela foi classificada entre as "100 Hot List" da revista Maxmen em 2004 e 2005.[48][49]

Em 2005 esteve no filme Happy Endings, no qual ela interpretou uma cantora aventureira que seduz um jovem músico gay (Jason Ritter), assim como seu pai rico (Tom Arnold). Ela gravou músicas para a trilha sonora do filme,[37][50] chamando o papel de "roughest mais assustadora agindo sempre" e acrescentando que ela é mais natural ao cantar no cinema do que quando agir.[50] Lisa Schwarzbaum da Entertainment Weekly declarou o desempenho de Maggie "tão maravilhosamente, naturalmente como sua personagem é artificial".[51]

2006-presente[editar | editar código-fonte]

Depois de Happy Endings ela estrelou os filmes Trust the Man, Stranger than Fiction, Monster House, World Trade Center e Sherrybaby. Em Trust the Man com Julianne Moore, David Duchovny e Billy Crudup, ela interpretou Elaine.[52][53] O filme foi criticamente e financeiramente sem sucesso.[54][55] Ethan Alter do Premiere sentiu que o desempenho de Maggie e Duchovny eram "muito mais à vontade".[56] Em Stranger than Fiction, Maggie tinha um interesse amoroso com Harold Crick, interpretado por Will Ferrell.[57] Sua performance no filme recebeu críticas favoráveis. Mike Straka da Fox News escreveu: "Gyllenhaal nunca foi tão sexy em qualquer filme antes e sua interação com Ferrell irá impulsioná-la a mais uma lista de filmes, deixando-a queridinha para trás, sem dúvida".[58] Ela expressou Elizabeth "Zee" na animação de terror Monster House.[59] Maggie retratou Allison Jimeno, esposa do oficial Will Jimeno, no filme World Trade Center com base no Ataques de 11 de setembro de 2001 em Nova Iorque.[60] Ela considerou este como "um dos filmes que ela mais gostou de fazer".[17] O filme recebeu críticas favoráveis ​​e provou ser um sucesso internacional, ganhando 162 milhões de dólares em todo o mundo.[61][62]

Em Sherrybaby, Maggie teve um ladrão viciado em drogas tentando colocar sua vida em ordem depois da prisão para que ela possa se reconciliar com sua filha. Durante o lançamento do filme, ela observou sua interpretação.[63] Sua performance no filme foi bem recebido: David Germain da Associated Press escreveu: "Maggie humaniza tão profundamente e ricamente ... que Sherry provoca simpatia mesmo em seus momentos mais escuros e mais fracos",[64] e Dennis Harvey da Variety chamou a performase de Maggie como "naturalista".[65] Por seu trabalho Gyllenhaal ganhou sua segunda nomeação no Globo de Ouro de Melhor Atriz[66] e ganhou o prêmio de Melhor Atriz em 2006 no Stockholm International Film Festival.[67]

Maggie Gyllenhaal na estreia de The Dark Knight em Nova Iorque, 14 de julho de 2008.

Ela apareceu em The Dark Knight (2008) a sequência de Batman Begins (2005), em que ela substituiu Katie Holmes como a assistente da promotoria Rachel Dawes.[68][69] Maggie reconheceu sua personagem como uma donzela em perigo a uma medida, mas disse que o diretor Christopher Nolan procurou maneiras de fortalecer seu caráter, por isso "muito clara sobre o que é importante para ela e não quer comprometer a sua moral, que fez uma mudança agradável de Rachel" de muitos personagens em conflito, ela já havia retratado.[70] The Dark Knight foi um sucesso financeiro, estabelecendo um novo fim de semana de recorde na abertura das bilheterias na América do Norte. Com receita de US$1 bilhão no mundo,[71] tornou-se o filme de maior bilheteria de todos os quarto tempo.[72] Em uma revisão a Salon.com, Stephanie Zacharek falou do caráter de Maggie "um osso duro de roer em um estilo vestido de veis de corte" e afirmou que "o filme e mais flexível quando ela está nele".[73] IGN, o crítico Todd Gilchrist escreveu: "Gyllenhaal acrescenta profundidade real e energia para Rachel Dawes".[74]

Maggie interpretou Yelena no Classic Stage Company da Companhia Off-Broadway produção de Anton Chekhov em Nova Iorque.[75][76] O elenco também inclui Peter Sarsgaard, Mamie Gummer, Denis O'Hare e George Morfogen.[75][76] A produção dirigida por Austin Pendleton, começou no dia 17 de janeiro e terminou em 1 de Março.[75][76] Joe Dziemianowicz do Daily News foi menor do que entusiasmado com seu desempenho, escrevendo: "Maggie que era tão dinâmica como uma drogada em Sherrybaby, desempenha Yelena com um monótono colado o sorriso que faz parecer como se ela esteve no stash Sherry ".[77] No entanto Malcolm Johnson da Hartford Courant foi de cortesia, observando que ela "finalmente floresce" como o personagem.[78]

Maggie concordou em aparecer no filme de comédia Away We Go, onde ela desempenha uma professora de faculdade que é uma velha amiga do personagem de John Krasinski.[79][80] O filme gerou opiniões amplamente misturada,[81] com Owen Gleiberman da Entertainment Weekly descrevendo Maggie como "over-the-top".[82] No entanto, A. O. Scott do The New York Times elogiou Gyllenhaal e a co-estrela Allison Janney por suas performances, escrevendo que "ambas [são] muito engraçadas".[83] Seu papel seguinte veio em Crazy Heart, em que interpretou a jornalista Jean Craddock que se apaixona por o músico Bad Blake, interpretado por Jeff Bridges.[84] O filme recebeu críticas favoráveis,[85] Peter Travers da Rolling Stone informou que Maggie foi "engraçada, comovente e vital como Jean" e que parte dela foi "concebido convencionalmente.[86] Seu desempenho lhe rendeu uma indicação na Academy Award de Melhor Atriz Coadjuvante.[87]

Em 2010, Maggie apareceu em Nanny McPhee and the Big Bang, a sequência do filme de 2005 Nanny McPhee.[88] O papel exigia que ela falasse com um sotaque em Inglês.[89] O filme recebeu críticas mistas,[90] e ganhou US$93 milhões em todo o mundo.[91] Esteve em Independent Lens.[92] Maggie aparece em Hysteria, um filme independente com foco na criação do Vibrador.[93]

Em fevereiro de 2011 Maggie estrelou outra produção de Anton Chekhov como Masha personagem em As Três Irmãs no Classic Stage Company.[94] A peça concentra-se nas irmãs Prozorov (Gyllenhaal, Jessica Hecht, e Juliet Rylance) "sorte no amor, infeliz nas províncias e desejo de voltar a Moscou", como resumido por Jeremy Gerard da Bloomberg.[95] A produção da Off-Broadway começou a performance em 12 de janeiro, com uma participação limitada através de 6 de março.[96]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Peter Sarsgaard e Maggie Gyllenhaal na estreia de An Education em outubro de 2009.

Em 2 de maio de 2009 se casou com o ator Peter Sarsgaard, com quem está junto há mais de seis anos.[97][98] Eles são pais de duas meninas, a mais velha chamada Ramona, nascida em 3 de outubro de 2006[99] e Gloria Ray nascida em 19 de abril de 2012,[100] e vivem em Brooklyn, Nova Iorque.[101]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Título em Português e Obs
1992 Waterland Maggie Ruth br: Terra d'Água

pt: Paixão e Loucura

1993 A Dangerous Woman Patsy Bell br/pt: Uma Mulher Perigosa
1998 Homegrown Christina br: Três Sócios Duvidosos

pt: Traficantes Aprendizes

2000 The Photographer Mira
Cecil B. DeMented Raven br: Cecil Bem Demente

pt: Cecil B. Demente

2001 Donnie Darko Elizabeth Darko br/pt: Donnie Darko
Riding in Cars with Boys Amelia Forrester br: Os Garotos da Minha Vida

pt: Os Rapazes da Minha Vida

2002 Secretary Lee Holloway br: Secretária

pt: A Secretária

40 Days and 40 Nights Sam br/pt: 40 Dias e 40 Noites
Confessions of a Dangerous Mind Debbie br/pt: Confissões de uma Mente Perigosa
Adaptation. Caroline Cunningham br: Adaptação

pt: Inadaptado

2003 Casa de los Babys Jennifer br: A Casa dos Bebês
Mona Lisa Smile Giselle Levy br/pt: O Sorriso de Mona Lisa
2004 The Pornographer: A Love Story Sidney
Criminal Valerie br: 171

pt: Criminal

2005 Happy Endings Jude br/pt: Finais Felizes
The Great New Wonderful Emme Keeler br: People - Histórias de Nova Iorque

pt: Vidas de Nova Iorque

Trust the Man Elaine br: Totalmente Apaixonados

pt: Jogos de Infidelidade

2006 Sherrybaby Sherry Swanson
Paris, je t'aime Liz br: Paris, Te Amo

pt: Paris, je t'aime

Monster House Elizabeth "Zee" br: A Casa Monstro

pt: A Casa Fantasma

Apenas voz

World Trade Center Allison Jimeno br: As Torres Gêmeas

pt: World Trade Center

Stranger than Fiction Ana Pascal br: Mais Estranho que a Ficção

pt: Contado Ninguém Acredita

2007 High Falls April Curta-metragem
2008 The Dark Knight Rachel Dawes br: Batman: O Cavaleiro das Trevas

pt: O Cavaleiro das Trevas

2009 Away We Go Ellen "LN" br: Distante Nós Vamos

pt: Um Lugar Para Viver

Crazy Heart Jean Craddock br: Coração Louco

pt: Crazy Heart

2010 Nanny McPhee and the Big Bang Isabel Green br: Nanny McPhee e as Lições Mágicas

pt: Nanny McPhee e o Toque de Magia

2011 Hysteria Charlotte Dalrymple br: Histeria

pt: Boas Vibrações

2012 Won't Back Down Jamie Fitzpatrick br: A Luta Por Um Ideal

pt: Nunca Desistas

2013 White House Down Carol Finnerty br: O Ataque

pt: Ataque ao Poder

2014 Frank Clara br/pt: Frank
River of Fundament Hathfertiti Documentário
2016 Beauty Mark Valerie Curta-metragem
The New Empress Olive Curta-metragem
Home Ruth Curta-metragem

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Notas
1996 Shattered Mind Clothes Clerk Telefilme
1998 The Patron Saint of Liars Lorraine Thomas Telefilme
1999 Resurrection Mary Telefilme
Shake, Rattle and Roll Noreen Bixler Telefilme
2004 Strip Search Linda Sykes Telefilme
2012 The Corrections Denise Telefilme
Discover's "Curiosity" Apresentadora Documentário
2014 The Honourable Woman Nessa Stein Minissérie[102][103]
2016 Inside Amy Schumer Ela própria Episódio "Brave"
Truth and Power Narradora Documentário
2017 The Deuce Ellen "Candy" Merrell Série[104]

Referências

  1. Adams, Cindy (27 de fevereiro de 2007). «Actress seeks safety in B'klyn». New York Post. Consultado em 27 de setembro de 2008 
  2. Hamm, Liza (9 de outubro de 2006). «Gyllenhaal, Sarsgaard Have a Girl». People. Consultado em 7 de setembro de 2008 
  3. «Maggie Gyllenhaal». Le Figaro (em francês). 25 de junho de 2009. Consultado em 12 de agosto de 2009 
  4. Wihlborg, Ulrica (4 de maio de 2009). «Maggie Gyllenhaal, Peter Sarsgaard Get Married». People. Consultado em 5 de maio de 2009 
  5. Smith, Lori Spencer (4 de maio de 2009). «People: Dolly Parton says "You starve or get fat"». The Denver Post. Consultado em 4 de maio de 2009 
  6. «Maggie Gyllenhaal In The Con». The Early Show. CBS News. 30 de agosto de 2006. Consultado em 7 de setembro de 2008 
  7. «Jake Gyllenhaal Biography». Tiscali. Consultado em 29 de novembro de 2008 
  8. «Brinkley Fans Bring Their Love to Facebook». Columbia Daily Spectator]. 10 setembro de 2008. Consultado em 19 de novembro de 2008 
  9. a b c d e «Stealing beauty». The Guardian. guardian.co.uk. 17 de setembro de 2006  Parâmetro desconhecido |acessodate= ignorado (ajuda)
  10. «The indie queen: Maggie Gyllenhaal discusses her role as a sex-crazed ex-con». The Independent. 26 de julho de 2007. Consultado em 12 de dezembro de 2008 
  11. «Jake and Maggie Gyllenhaal's Parents Call it Quits». People. 17 de outubro de 2008. Consultado em 5 de dezembro de 2008 
  12. O'Sullivan, Charlotte (9 de maio de 2003). «Maggie Gyllenhaal: Scones and S&M». The Independent. Consultado em 24 de outubro de 2008 
  13. Hart, Hugh (13 de agosto de 2006). «Multiple Maggies». San Francisco Chronicle. Consultado em 13 de outubro de 2008 
  14. «Secretary: A Breakthrough Role?». The Early Show. CBS News. 15 de outubro de 2002. Consultado em 9 de outubro de 2008 
  15. Roberts, Adam (23 de maio de 2006). «Mario's Celebrity Guests». Amateur Gourmet. Consultado em 9 de outubro de 2008 
  16. Zacharek, Stephanie (11 de agosto de 2000). «Cecil B. Demented». Salon.com. Consultado em 5 de dezembro de 2008 
  17. a b c Cartner-Morley, Jess (2 de julho de 2007). «Looking for trouble». The Guardian. guardian.co.uk. Consultado em 9 de outubro de 2008 
  18. Brantley, Ben (13 de maio de 2004). «Theater Review; Afghanistan Still Stirs A Housewife». The New York Times. Consultado em 7 de setembro de 2008 
  19. «Past Productions». Berkeley Repertory Theatre Official Site. Consultado em 12 de outubro de 2008 
  20. a b Hurwitt, Robert (25 de maio de 2000). «Seductio ad absurdum». San Francisco Chronicle. Consultado em 12 de outubro de 2008 
  21. Morris, Steven Leigh (23 de novembro de 2000). «Affairs of the Heartless». LA Weekly. Consultado em 17 de novembro de 2008 
  22. Schillinger, Liesl (27 de fevereiro de 2005). «Ebon Moss-Bachrach». The New York Times. Consultado em 4 de novembro de 2008 
  23. «Cecil B. Demented — Production Notes». Seattle Post-Intelligencer. Agosto de 2000. Consultado em 4 de novembro de 2008 
  24. a b Holden, Stephen (20 de setembro de 2002). «Film Review: An Office Disciplinarian Gets His Way in the End». The New York Times. Consultado em 19 de setembro de 2008 
  25. LaSalle, Mick (27 de setembro de 2002). «'Secretary'». San Francisco Chronicle. Consultado em 17 de novembro de 2008 
  26. «Secretary (2002): Reviews». Metacritic. Consultado em 31 de outubro de 2008 
  27. «National Board of Review of Motion Pictures – Awards for 2002». National Board of Review of Motion Pictures Official Website. Consultado em 7 de setembro de 2010 
  28. «HFPA — Awards Search». Golden Globes Official Website. Consultado em 18 de julho de 2008 
  29. Pate, Addison (11 de dezembro de 2002). «Independent film nominees announced». Whittier Daily News 
  30. Bone, James (19 de julho de 2007). «A star and 'momma-lion'». The Times. Consultado em 4 de agosto de 2009 
  31. Jessen, Monique (9 de julho de 2008). «Maggie Gyllenhaal Hates Fiancé's Love Scenes». People. Consultado em 4 de agosto de 2009 
  32. Dawson, Tom (6 de maio de 2003). «Secretary». BBC Films. BBC. Consultado em 7 de setembro de 2008 
  33. Scott, A.O. (6 de dezembro de 2002). «Film Review; Forever Obsessing About Obsession». The New York Times. Consultado em 5 de dezembro de 2008. Arquivado do original em 12 de junho de 2008 
  34. Pierce, Nev (16 de março de 2003). «Confessions of a Dangerous Mind (2003) Review». BBC Films. BBC. Consultado em 5 de dezembro de 2008 
  35. «Confessions of a Dangerous Mind (2002)». Box Office Mojo. Consultado em 12 de julho de 2010 
  36. Meyers, Shelby (28 de novembro de 2005). «Maggie Gyllenhaal Overcomes Her Fear Of Romantic Comedies». MTV Movie News. Consultado em 10 de outubro de 2008 
  37. a b Mock, Janet. «Maggie Gyllenhaal Biography». People. Consultado em 18 de julho de 2008 
  38. Campion, Chris (16 de fevereiro de 2004). «Girl on top». The Daily Telegraph. Consultado em 9 de outubro de 2008 
  39. «Mona Lisa Smile (2003): Review». Metacritic. 19 de dezembro de 2003. Consultado em 4 de dezembro de 2008 
  40. Dargis, Manohla (19 de dezembro de 2003). «'Mona Lisa Smile'». Los Angeles Times. Consultado em 4 de dezembro de 2008. Arquivado do original em 15 de abril de 2005 
  41. Ng, David (16 de setembro de 2003). «Frustrated Mothers-to-Be Flounder in Saylesian Purgatory». The Village Voice. p. 1. Consultado em 4 de dezembro de 2008 
  42. a b Bunbury, Stephanie (28 de abril de 2005). «Thoroughly modern Maggie». The Age. Consultado em 10 de outubro de 2008 
  43. Young, Josh (16 de julho de 2004). «The Academy announces Oscar membership invitations». Entertainment Weekly. Consultado em 15 de janeiro de 2009 
  44. Moss, Corey (24 de março de 2010). «Maggie Gyllenhaal, Peter Sarsgaard Avoid Potential 'Gigli' Problem». MTV News. Consultado em 4 de abril de 2010 
  45. Dominus, Susan (9 de maio de 2004). «'Homebody' Comes Home, A Mere 17 Drafts Later». The New York Times. Consultado em 8 de outubro de 2008 
  46. Brantley, Ben (13 de maio de 2004). «Theater Review; Afghanistan Still Stirs A Housewife». The New York Times. p. 2. Consultado em 12 de outubro de 2008 
  47. Heilpern, John (30 de maio de 2004). «Homebody/Kabul Returns To a World That Lost Its Mind». The New York Observer. Consultado em 12 de outubro de 2008 
  48. «'Maxim' Top 100 Hot list 2004». USA Today. 9 de abril de 2004. Consultado em 12 de outubro de 2008 
  49. Soriano, César G. (23 de março de 2005). «Jolie sizzles atop 'FHM' sexiest list». USA Today. Consultado em 12 de outubro de 2008 
  50. a b Associated Press (29 de julho de 2005). «Maggie Gyllenhaal insists on live singing». USA Today. Consultado em 10 de outubro de 2008 
  51. Schwarzbaum, Lisa (13 de julho de 2005). «Happy Endings Review». Entertainment Weekly. Consultado em 22 de setembro de 2008 
  52. «'Trust the Man' is an insufferable experience». The Boston Globe. 18 de agosto de 2006. Consultado em 22 de setembro de 2008 
  53. «Movie review: 'Trust the Man'». Chicago Tribune. 4 de setembro de 2007. Consultado em 22 de setembro de 2008 
  54. «Trust the Man (2006): Reviews». Metacritic. 18 de agosto de 2006. Consultado em 4 de dezembro de 2008 
  55. «Trust the Man». Rotten Tomatoes. 18 de agosto de 2006. Consultado em 4 de dezembro de 2008 
  56. Alter, Ethan (17 de agosto de 2006). «Premiere — Trust the Man». Premiere 
  57. Scott, A.O. (10 de novembro de 2006). «Stranger Than Fiction — Hearing Voices? It's Just Somebody's Imagination». The New York Times. Consultado em 7 de setembro de 2008 
  58. Straka, Mike (10 de novembro de 2006). «Maggie Gyllenhaal Awesome in 'Stranger Than Fiction'». Fox News. Consultado em 22 de setembro de 2008 
  59. Burr, Ty (21 de julho de 2006). «Built just for kids». The Boston Globe. Consultado em 25 de setembro de 2008 
  60. Arnold, William (9 de agosto de 2006). «Stone delivers a dignified and intelligent 9/11 film». Seattle Post-Intelligencer. Consultado em 22 de setembro de 2008 
  61. «World Trade Center (2006): Reviews». Metacritic. 9 de agosto de 2006. Consultado em 4 de dezembro de 2008 
  62. «World Trade Center (2006)». Box Office Mojo. Consultado em 12 de julho de 2010 
  63. «Maggie Gyllenhaal: Mom And Movie Star». The Early Show. CBS News. 1 de setembro de 2006. Consultado em 22 de setembro de 2008 
  64. Germain, David (17 de setembro de 2006). «Gyllenhaal saves slim story in 'Sherrybaby'». Record-Journal. Associated Press: F03 
  65. Harvey, Dennis (22 de janeiro de 2006). «Review of Sherrybaby». Variety. Consultado em 22 de setembro de 2008 
  66. Hornaday, Ann (16 de março de 2007). «For 'SherryBaby,' a Lingering Power». The Washington Post. Consultado em 24 de setembro de 2008 
  67. Associated Press (27 de novembro de 2006). «Maggie Gyllenhaal Wins Stockholm Honor». The Washington Post. Consultado em 22 de setembro de 2008 
  68. McClintock, Pamela (8 de março de 2007). «Gyllenhaal joining Batman sequel». Variety. Consultado em 24 de setembro de 2008 
  69. Ayala, Nancy (18 de julho de 2008). «'Dark Knight' Gets New Leading Lady». ABC News. Consultado em 18 de julho de 2008 
  70. Williams, Andrew (6 de janeiro de 2008). «Gyllenhaal Talks Sexy Underwear». Metro. Consultado em 8 de janeiro de 2008 
  71. «The Dark Knight (2008)». Box Office Mojo. Consultado em 4 de julho de 2009 
  72. «All Time Worldwide Box Office Grosses». Box Office Mojo. Consultado em 4 de julho de 2009 
  73. Zacharek, Stephanie (17 de julho de 2008). «The Dark Knight». Salon.com. Consultado em 9 de outubro de 2008 
  74. Gilchrist, Todd (30 de junho de 2008). «IGN: The Dark Knight Review». IGN Movies. p. 2. Consultado em 11 de setembro de 2008 
  75. a b c Itzkoff, Dave (4 de fevereiro de 2009). «Together Off Broadway and Elsewhere». The New York Times. p. 1. Consultado em 12 de fevereiro de 2009 
  76. a b c Cox, Gordon (11 de dezembro de 2008). «Gyllenhaal, Sarsgaard join 'Vanya'». Variety. Consultado em 12 de dezembro de 2008 
  77. Dziemianowicz, Joe (13 de fevereiro de 2009). «Starry Chekhov revival is 'Uncle Vanya' is 'Clueless'». Daily News. Consultado em 18 de fevereiro de 2009 
  78. Johnson, Malcolm (13 de fevereiro de 2009). «Chehov's 'Uncle Vanya" In Fine Revival». The Hartford Courant. Consultado em 18 de fevereiro de 2009. Cópia arquivada em 4 de abril de 2010 
  79. Siegel, Tatiana (31 de maio de 2008). «Mendes swaps in Maggie Gyllenhaal». Variety. Consultado em 31 de outubro de 2008 
  80. «Gyllenhaal Replaces Collette for Mendes». Entertainment Weekly. 31 de maio de 2008. Consultado em 31 de outubro de 2008 
  81. «Away We Go (2009): Reviews». Metacritic. 5 de junho de 2009. Consultado em 23 de setembro de 2009 
  82. Gleiberman, Owen (5 de junho de 2009). «Away We Go (2009): Reviews». Entertainment Weekly. Consultado em 9 de junho de 2009 
  83. Scott, A.O. (5 de junho de 2009). «Away We Go — Practicing Virtue, and Proud of It». The New York Times. Consultado em 9 de junho de 2009 
  84. Wolf, Jeanne (7 de julho de 2009). «Maggie Gyllenhaal: All Moms Do 'The Best They Can'». Parade. Consultado em 8 de julho de 2009 
  85. «Crazy Heart (2009): Reviews». Metacritic. 16 de dezembro de 2009. Consultado em 29 de dezembro de 2009 
  86. Travers, Peter (10 de dezembro de 2009). «Crazy Heart». Rolling Stone. Consultado em 10 de março de 2011 
  87. Duke, Alan (2 de fevereiro de 2010). «'Avatar,' 'Hurt Locker' lead in Oscar nods». CNN: Showbiz/Movies. Consultado em 2 de fevereiro de 2010 
  88. Vary, Adam B. (14 de abril de 2009). «Maggie Gyllenhaal joins 'Nanny McPhee' sequel». Entertainment Weekly. Consultado em 17 de abril de 2009 
  89. Lawrence, Will (21 de setembro de 2009). «Maggie Gyllenhaal: interview for Away We Go». The Daily Telegraph. Consultado em 24 de setembro de 2009 
  90. «Nanny McPhee Returns (2010): Reviews». Metacritic. 20 de agosto de 2010. Consultado em 4 de fevereiro de 2011 
  91. «Nanny McPhee Returns (2010)». Box Office Mojo. Consultado em 4 de fevereiro de 2011 
  92. «Independent Lens Host». Public Broadcasting Service. Consultado em 11 de novembro de 2010 
  93. Shoard, Catherine (20 de agosto de 2010). «Maggie Gyllenhaal hopes to hit the spot with vibrator love story». The Guardian. Consultado em 4 de fevereiro de 2011 
  94. Brown, Scott (3 de fevereiro de 2011). «Stage Dive: Sarsgaard and Gyllenhaal in The Three Sisters as Robert Altman Cocktail Hour». New York Magazine. Consultado em 4 de fevereiro de 2011 
  95. Gerard, Jeremy (3 de fevereiro de 2011). «Maggie Gyllenhaal Falls Hard for Husband in 'Three Sisters': Jeremy Gerard». Bloomberg. Consultado em 4 de fevereiro de 2011 
  96. Brantley, Ben (4 de fevereiro de 2011). «Russian Ennui, American Idiom». The New York Times. p. 2. Consultado em 4 de fevereiro de 2011 
  97. Associated Press (4 de outubro de 2006). «Maggie Gyllenhaal has a baby girl». USA Today. Consultado em 18 de novembro de 2008 
  98. «Maggie Gyllenhaal, Peter Sarsgaard Expecting Baby». People. 11 de abril de 2006. Consultado em 18 de novembro de 2008 
  99. «Gyllenhaal, Sarsgaard Have a Girl». People. 9 de outubro de 2006. Consultado em 7 de setembro de 2008 
  100. «Maggie Gyllenhaal and Peter Sarsgaard Welcome Daughter Gloria Ray». People. 30 de abril de 2012. Consultado em 1 de maio de 2012 
  101. «Actress seeks safety in B'klyn». New York Post. 27 de fevereiro de 2007. Consultado em 27 de setembro de 2008 
  102. «Maggie Gyllenhaal cast as lead in new BBC Two thriller, The Honourable Woman». BBC Media Centre. 28 de junho de 2013. Consultado em 1 de setembro de 2013 
  103. «Stellar casting announced for Hugo Blick's The Honourable Woman on BBC Two». BBC Media Centre. 29 de julho de 2013. Consultado em 16 de agosto de 2013 
  104. «Maggie Gyllenhaal to Star in David Simon's HBO Porn Drama» (em inglês) 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Maggie Gyllenhaal