Mandirituba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mandirituba
  Município do Brasil  
Mandirituba-praça.jpg
Símbolos
Bandeira de Mandirituba
Bandeira
Brasão de armas de Mandirituba
Brasão de armas
Hino
Gentílico mandiritubense
Localização
Mandirituba está localizado em: Brasil
Mandirituba
Localização de Mandirituba no Brasil
Mapa de Mandirituba
Coordenadas 25° 46' 44" S 49° 19' 33" O
País Brasil
Unidade federativa Paraná
Região metropolitana Curitiba
Municípios limítrofes Fazenda Rio Grande, Agudos do Sul, São José dos Pinhais, Tijucas do Sul, Quitandinha, Contenda e Araucária
Distância até a capital 43 km
História
Fundação 25 de julho de 1960 (61 anos)
Aniversário 25 de julho
Administração
Prefeito(a) Luis Antonio Biscaia[1] (PSC, 2021 – 2024)
Vereadores 9
Características geográficas
Área total IBGE/2019[2] 379,179 km²
População total (estimativa IBGE/2020[3]) 27 315 hab.
Densidade 72 hab./km²
Clima subtropical (Cfb)
Altitude 925 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000[4]) 0,76 alto
PIB (IBGE/2018[5]) R$ 613 109,73 mil
PIB per capita (IBGE/2018[5]) R$ 23 214,18
Sítio mandirituba.pr.gov.br (Prefeitura)
www.cmmandirituba.pr.gov.br (Câmara)

Mandirituba é um município brasileiro do estado do Paraná, pertencente à Região Metropolitana de Curitiba.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Mandirituba é um vocábulo indígena que significa "lugar onde há muitas abelhas", colmeal. Do tupi manduri: manduri; e tyba: abundância, grande quantidade.

História[editar | editar código-fonte]

A fase do ouro foi realmente a responsável pela povoação dos Campos Gerais.[6] A partir do século XVII, iniciou-se a cata do ouro de aluvião,[7] e apesar do resultado da garimpagem nunca ter sido o esperado, quando se esgotou, a população garimpeira que aí permaneceu, dando origem a inúmeros povoados.[7] Esses garimpeiros desiludidos com a busca infrutífera do vil metal, voltaram à agricultura como meio de sobrevivência.[7] Mais tarde, com a escassez de mão de obra, esta mesma sociedade busca no escravagismo do negro africano, a solução de seus problemas.[7]

É neste contexto que surge o tropeirismo[8] e a Estrada da Mata, que era apenas um trecho do histórico "Caminho de Sorocaba", por onde era transportado o gado que saía de Viamão, no Rio Grande do Sul, até a feira de Sorocaba,[9] principal centro comercial da época. A Estrada da Mata, que cortava os Campos Gerais do Paraná, e ía até os Campos de Lages,[9] propiciou o estabelecimento de muitas propriedades agrícolas na região,[9] onde hoje encontra o município de Mandirituba, muitas fazendas se desenvolveram, acompanhando os ciclos econômicos inerentes à sua época.

O período do extrativismo da madeira foi considerado um ciclo devastador no Estado do Paraná, no entanto de grande importância, por permitir a expansão das frentes colonizadoras.[10] Depois da madeira se tornar um dos principais produtos de exportação, propiciou o início do ciclo agroindustrial no Estado.[11]

No ano de 1900 foi instalada uma serraria na localidade denominada Fazenda Rio Grande, dentro do território do município de São José dos Pinhais. A propriedade era da empresa Irmãos Bettega Ltda., que foram os responsáveis pela construção das duas primeiras casas comerciais e de uma escola. Mais casas foram sendo construídas e o lugar se desenvolveu.

Em 1909, o crescente lugarejo de Estrada de Mandirituba, foi elevado a Distrito Judiciário, no dia 17 de maio, pelo Decreto Estadual nº 243, simplificando sua denominação para Mandirituba.[12] Nessa época seu território pertencia à Comarca de São José dos Pinhais.[12]

Pela Lei Estadual nº 4.245, de 25 de julho de 1960, Mandirituba foi elevada à categoria de município, desmembrando-se do município de São José dos Pinhais.[12] Sua instalação oficial se deu em 15 de novembro de 1961, quando foram empossados seus representantes locais.[12]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Sua população, conforme o Censo de 2010 era de 22.235 habitantes, composta principalmente por descendentes de portugueses, poloneses, ucranianos, italianos e alemães, além de migrantes vindos de outras regiões do Paraná e do Brasil.

Raças[editar | editar código-fonte]

Cor/Raça Percentagem[13]
Brancos 72.18%
Pardos 26.02%
Pretos 1.48%
Amarelos 0.24%
Indígenas 0.08%

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município faz parte da Região Metropolitana de Curitiba, tendo como limites: Fazenda Rio Grande ao norte; Agudos do Sul ao sul; São José dos Pinhais e Tijucas do Sul a leste; Quitandinha, Contenda e Araucária a oeste.

Localiza-se a -25º 46' 44" de latitude sul e -49º 19' 34" de longitude oeste, a uma altitude de 925 metros [14], ocupando uma área de 379,179 km².

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Mandirituba tem dois distritos: Mandirituba (sede) e Areia Branca do Assis. Até 1990, o atual município de Fazenda Rio Grande era o terceiro distrito de Mandirituba.[15]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima é subtropical úmido mesotérmico, de verões frescos e com ocorrências de geadas severas e frequentes, não apresentando estação seca.[16]

Gráfico climático para Mandirituba
JFMAMJJASOND
 
 
196
 
26
16
 
 
193
 
25
16
 
 
161
 
25
15
 
 
98
 
23
12
 
 
88
 
21
9
 
 
93
 
19
7
 
 
76
 
20
7
 
 
85
 
21
8
 
 
113
 
21
10
 
 
137
 
23
12
 
 
114
 
25
13
 
 
142
 
26
15
Temperaturas em °CPrecipitações em mm

Fonte: Jornal do Tempo - Climatologia

Transporte[editar | editar código-fonte]

O município de Mandirituba é servido pelas seguintes rodovias:

Referências

  1. Prefeito e vereadores de Mandirituba tomam posse Portal G1 - acessado em 2 de fevereiro de 2021
  2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2019). «Área da unidade territorial - 2019». Consultado em 2 de fevereiro de 2021 
  3. IBGE (28 de agosto de 2020). «Estimativa populacional 2020 IBGE». Consultado em 2 de fevereiro de 2021 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2018». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 2 de fevereiro de 2021 
  6. MELLO, Enivaldo Lucas de. «Agricultura familiar no estado do Paraná» (PDF). Secretaria de Estado da Educação do Paraná. Consultado em 13 de maio de 2010 
  7. a b c d O Paraná na história da mineração no Brasil do século XVII
  8. Brasil Colônia: O Tropeirismo no Brasil - HISTORIANET, a nossa história
  9. a b c WACHOWICZ, Ruy Christhovam (1995). História do Paraná. Curitiba: Editora Gráfica Vicentina Ltda. pp. 102–104 
  10. ARAUCÁRIA (Araucaria angustifolia)
  11. WONS, Iaroslaw (1994). Geografia do Paraná. Curitiba: Ensino Renovado. 135 páginas 
  12. a b c d «História de Mandirituba». Consultado em 13 de maio de 2010. Arquivado do original em 24 de março de 2010 
  13. http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/listabl.asp?z=cd&o=7&i=P&c=2093  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  14. «Latitude e Longitude das cidades Brasileiras» 
  15. «Mandirituba: história». IBGE. Consultado em 4 de outubro de 1991  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  16. «CityBrazil - Dados Gerais de Mandirituba - Paraná - Clima / Temperatura». Consultado em 26 de novembro de 2011. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Paraná é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.