Mar de Rosas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mar de Rosas
Pôster promocional
 Brasil
1977 •  cor •  99 min 
Direção Ana Carolina
Produção José Carlos Escalero
Roteiro Ana Carolina
Elenco Cristina Pereira
Norma Bengell
Miriam Muniz
Hugo Carvana
Gênero drama, humor negro, tragicômico
Música Paulo Herculano
Distribuição Embrafilme - Empresa brasileira de Filmes S.A
Crystal Cinematográfica
Lançamento 29 de julho de 1977
Idioma português

Mar de Rosas é um filme brasileiro de 1977, do gênero comédia e drama, dirigido por Ana Carolina.[1] Em novembro de 2015, o filme ficou em 81º lugar na lista feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos.[2]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Chegando ao Rio de carro, Sérgio (Hugo Carvana) e Felicidade (Norma Bengell), em companhia da filha adolescente, Betinha (Cristina Pereira), discutem sobre o impasse de sua vida matromonial. Num hotel, Felicidade tenta matar o marido, agredindo-o com uma navalha. Convencida de que Sérgio está morto, foge com a filha de volta a São Paulo e nota que está sendo seguida na estrada. Trata-se de Orlando Barde, capanga de Sérgio, que, aproveitando-se de uma tentativa de agressão de Betinha contra sua mãe, insinua-se junto às duas e as mantém sob vigilância, disfarçada de ajuda. Os três retornam ao Rio no carro de Orlando, mas, quando passam por uma cidade pequena, Felicidade tenta fugir com Betinha e quase é atropelada por uma caminhão. O incidente faz com que um entediado casal - o dentista e poeta fracassado Dirceu (Ary Fontoura) e sua mulher Niobi (Miriam Muniz) - acolha-os em sua casa, até Felicidade se recupere. Num jogo de revelações e agressões mútuas, os cinco personagens tentam se destruir com palavras e até mesmo com atos. Depois de nova tentativa de fuga, Felicidade e Betinha são alcançadas por Barde na estação ferroviária. Betinha, revoltada contra a tirania familiar, de cujo centro de decisões sempre esteve ausente, atira a mãe e Barde, substituto do pai, para fora do trem em movimento, seguindo sozinha.[3]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Elenco Original
Ator Papel
Norma Bengell Felicidade
Cristina Pereira Betinha
Hugo Carvana Sérgio
Miriam Muniz Dona Niobi
Otávio Augusto Orlando Barde
Ary Fontoura Dr. Dirceu
Maria Silva Mulher no Trem

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Resultado Ref
1978 Troféu APCA Melhor Atriz para Norma Bengell Venceu
Melhor Ator para Otávio Augusto Venceu
Melhor Diretor para Ana Carolina Venceu
Melhor Argumento para Ana Carolina Venceu
Melhor Filme Venceu
Prêmio Air France de Cinema Prêmio Especial à Ana Carolina Venceu

Referências

  1. «Mar de Rosas». Adoro Cinema. Consultado em 4 de março de 2017 
  2. André Dib (27 de novembro de 2015). «Abraccine organiza ranking dos 100 melhores filmes brasileiros». Abraccine. abraccine.org. Consultado em 4 de março de 2017 
  3. «Mar de Rosas». Cinemateca Brasileira. Consultado em 4 de março de 2017