Cinema, Aspirinas e Urubus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cinema, Aspirinas® e Urubus
 Brasil
2005 •  cor •  99 min 
Direção Marcelo Gomes
Produção Sara Silveira
João Vieira Jr.
Maria Ionescu
Roteiro Karim Aïnouz
Paulo Caldas
Marcelo Gomes
Elenco João Miguel
Peter Ketnath
Hermila Guedes
Gênero aventura
drama
filme de estrada
Música Tomás Alves de Souza
Direção de fotografia Mauro Pinheiro Jr.
Direção de arte Marcos Pedroso
Figurino Beto Normal
Companhia(s) produtora(s) REC Produtores Associados
Dezenove Som e Imagens
Lançamento Brasil 11 de novembro de 2005[1][2]
Idioma português
Orçamento R$2,1 milhões[3][4]
Site oficial

Cinema, Aspirinas e Urubus é um filme de estrada brasileiro de 2005, e o longa-metragem de estreia do diretor Marcelo Gomes.[5][6] O roteiro é de Karim Aïnouz, Paulo Caldas e Marcelo Gomes, inspirado nos relatos de viagem de seu tio-avô, Ranulpho Gomes, que quando deixou o sertão da Paraíba ele conheceu um alemão que exibia filmes e vendia aspirinas pelo Brasil inteiro, depois veio a guerra e a fábrica da Bayer foi fechada.[7] Foi rodado nas cidades de Patos, São Mamede (Vila de Picotes), Pocinhos e Cabaceiras, no sertão e cariri da Paraíba.[8][3] Cinema, Aspirinas e Urubus foi indicado pelo MinC para concorrer a uma indicação de Melhor Filme em Língua Estrangeira na edição de 2007 do Oscar.[4][9] Em novembro de 2015 o filme entrou na lista feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos.[10]

Na semana de sua estreia em Nova Iorque, o filme brasileiro recebeu uma crítica positiva do The New York Times. A resenha dizia que o filme é um exemplo de "como um pouco de imaginação e um cineasta de qualidade podem triunfar sobre a escassez de recursos". O crítico elogia a fotografia e o roteiro que "favorece o pensamento em vez da ação".[11][12]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A história se passa no sertão nordestino de 1942 e conta a história de Johann (Peter Ketnath), um alemão que para fugir da Segunda Guerra Mundial, veio trabalhar como vendedor de aspirinas nas cidades do interior do Nordeste. Dirigindo seu caminhão, ele conhece Ranulpho (João Miguel), um nordestino que está tentando chegar ao Rio de Janeiro e à procura de trabalho. Um encontro que vai mudar a vida de dois homens.

O Johann viaja pelos povoados do Nordeste do Brasil vendendo Aspirinas, tendo com estratégia de vendas a exibição de filmes promocionais para pessoas nos vilarejos. Num certo momento os planos e sonhos dos dois camaradas de estrada terão um novo rumo.

Cinema, Aspirinas e Urubus e á história de homens que foi influenciada pela declaração brasileira de guerra à Alemanha e os do governo brasileiro para o Nordeste: recrutamento dos nordestinos para ir para a Amazônia e a trabalhar como Soldados da Borracha.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • João Miguel  ... Ranulpho, antes do filme, Miguel passou quatro anos e meio protagonizando o espetáculo "Bispo" sobre o artista Arthur Bispo do Rosário. O cineasta Marcelo Gomes viu a atuação do ator na peça e o convidou para um teste.[13] João Miguel perguntou o porquê de ser selecionado e Marcelo Gomes disse: "por esse par de olhos, são esses olhos que eu preciso no meu filme".[7]
  • Peter Ketnath ... Johann, o diretor Marcelo Gomes procurou atores em Berlim. Uma atriz brasileira que mora lá indicou Ketnath, "Ele me ligou e contou um pouquinho da história do filme. Eu gostei bastante, mesmo sendo um filme sem dinheiro. Eu senti a paixão dele para fazer aquele projeto".[14]
  • Hermila Guedes ... Jovelina
  • Osvaldo Mil ... Claudionor Assis
  • Irandhir Santos ... Manoel
  • Fabiana Pirro ... Adelina
  • Verônica Cavalcanti ... Maria da Paz
  • Daniela Câmera ... Neide
  • Paula Francinete ... Lindalva

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Festival de Cannes de 2005[editar | editar código-fonte]

  • O filme participou da seleção oficial da Mostra Un Certain Regard (Um Certo Olhar) do Festival de Cannes 2005.[15] O famoso festival, conhecido como o maior evento de cinema do mundo, recebeu durante o período de 11 a 22 de maio, cerca de quatro mil jornalistas.
  • A sessão oficial do filme aconteceu no dia 16 de maio, com a presença do Ministro da Cultura do Brasil, Gilberto Gil e do Secretário do Audiovisual, Orlando Senna.[16]
  • O filme recebeu o "Prêmio da Educação Nacional", criado pelo Ministério da Educação Nacional, concedido pelo Ministério da Educação da França no Festival de Cannes, concorrendo com outras 1.600 produções internacionais,[17][3][1] que prevê a distribuição do filme, através de um DVD pedagógico, para aproximadamente um milhão de estudantes franceses. Este prêmio foi recebido pelos cineastas Gus Van Sant (Elephant, 2003) e Emir Kusturica (A Vida é um Milagre, 2004).
  • O filme foi destaque das principais revistas de cinema, a exemplo de: The Hollywood Reporter, Variety e Screen International.[18]

Festival Internacional do Rio de Janeiro[editar | editar código-fonte]

  • Em sua primeira exibição do filme no Brasil, no Cine Odeon, o filme recebeu o "Prêmio Especial do Júri" e o prêmio de "Melhor Ator" (João Miguel).[19][20][15]

Grande Prêmio do Cinema Brasileiro[editar | editar código-fonte]

  • Melhor Filme - Venceu[21][22]
  • Melhor Diretor (Marcelo Gomes) - Venceu[21][22]
  • Melhor Direção de Fotografia (Mauro Pinheiro Jr.) - Venceu[21][22]
  • Melhor Roteiro Original (Marcelo Gomes, Paulo Caldas e Karim Aïnouz. Inspirado no roteiro de viagem de Ranulpho Gomes - Cinema, aspirinas e urubus) - Venceu[21][22]
  • Melhor Montagem (Karen Harley) - Venceu[21][22]
  • Melhor Ator (João Miguel) - Indicado
  • Melhor Atriz (Hermila Guedes) - Indicada

29ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo 2005[editar | editar código-fonte]

  • Pela primeira vez na história da Mostra um filme brasileiro recebeu o prêmio máximo de "Melhor Filme" (Bandeira Paulista).[1]
  • O ator João Miguel recebeu o prêmio de "Melhor Ator" e ainda o "Prêmio da Crítica".[1][15]

Amazonas Film Festival 2005[editar | editar código-fonte]

  • Recebeu o "Prêmio Especial do Júri".[23]

Festival de Santa Maria da Feira - Portugal 2005[editar | editar código-fonte]

  • Recebeu o prêmio de "Melhor Filme do Júri" e o de "Melhor Filme do Clube de Cinema".[24]

Festival Internacional de Mar del Plata - Argentina 2006[editar | editar código-fonte]

  • Foi considerado o "Melhor Filme Iberoamericano".[25][26][27]

FestivalInternacional de Guadalajara - México 2006[editar | editar código-fonte]

  • Troféu de "Melhor Filme Iberoamericano" e "Melhor Ator".[28]

Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) 2005[editar | editar código-fonte]

  • Recebeu os prêmios de "Melhor Filme" e "Melhor Fotografia".[29]

Festival SESC Melhores do Ano[editar | editar código-fonte]

  • Considerado o "Melhor Filme" pela crítica e pelo público; "Melhor Diretor", pela crítica e pelo público; e "Melhor Ator", pela crítica e pelo público.[30]

Festival de Cinema de Cuiabá 2006[editar | editar código-fonte]

  • Escolhido como "Melhor Filme", "Melhor Ator" e "Melhor Produção".

Associação Brasileira de Cinematografia 2006[editar | editar código-fonte]

  • Recebeu o prêmio de "Melhor Fotografia" (Mauro Pinheiro Jr.).[31]

Outros festivais[editar | editar código-fonte]

Convites especiais (participação hors concours)[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d «"Urubus" vence 29ª Mostra BR». Folha de São Paulo. 3 de novembro de 2005. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  2. Arantes, Silvana (11 de novembro de 2005). «"Não quero rótulos. O que faço é cinema"». Folha de São Paulo. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  3. a b c Klinger, Karina (8 de julho de 2005). «Cineasta premiado em Cannes enfrenta saga para estrear no Brasil». Folha de São Paulo. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  4. a b Arantes, Silvana (21 de setembro de 2006). «"Cinema, Aspirinas e Urubus" disputa vaga em Oscar». Folha de São Paulo. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  5. Geraldo Couto, José (11 de novembro de 2005). «"Road movie" sertanejo celebra a diferença». Folha de São Paulo. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  6. Salles, Walter (27 de novembro de 2005). «"Cinema, Aspirinas e Urubus" une forma e geografia». Folha de São Paulo. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  7. a b Hessel, Marcelo (10 de novembro de 2005). «Omelete entrevista: O diretor de Cinema, aspirinas e urubus». Omelete. Consultado em 9 de novembro de 2019 
  8. «Cinema, Aspirinas e Urubus». Enciclopédia Itaú Cultural. 23 de julho de 2019. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  9. Azenha, André (12 de maio de 2015). «Cineasta pernambucano Marcelo Gomes ganha retrospectiva em Santos». G1. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  10. André Dib (27 de novembro de 2015). «Abraccine organiza ranking dos 100 melhores filmes brasileiros». Abraccine. abraccine.org. Consultado em 26 de outubro de 2016 
  11. 'Cinema, aspirinas e urubus' ganha crítica positiva do NY Times Gazeta do Povo
  12. «"NY Times" elogia "Cinema, Aspirinas e Urubus"». Folha de São Paulo. 10 de fevereiro de 2006. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  13. Ripardo, Sérgio (20 de setembro de 2006). «"Urubus" evita sertão caricato, afirma ator». Folha de São Paulo. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  14. Ripardo, Sérgio (20 de setembro de 2006). «Brasil seduz ator alemão de "Urubus"». Folha de São Paulo. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  15. a b c «Brasil escolhe "Cinema, Aspirinas e Urubus" para tentar o Oscar». UOL. 20 de setembro de 2006. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  16. «Brasil e França firmam novo acordo de co-produção». Carta Maior. 25 de maio de 2005. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  17. «"Cinema, Aspirinas e Urubus" é o 2º brasileiro premiado em Cannes». Folha de São Paulo. 21 de maio de 2005. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  18. Cajueiro, Marcelo (20 de setembro de 2006). «Brazil takes 'Aspirin' for Oscar race». Variety. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  19. «"Cidade Baixa" vence Première Brasil no Rio». Folha de São Paulo. 7 de outubro de 2005. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  20. «"Cidade Baixa" é premiado no Festival do Rio». O Estado de São Paulo. 7 de outubro de 2005. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  21. a b c d e Miranda, André (23 de abril de 2007). «'Cinema, aspirinas e urubus' é o maior vencedor do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro». O Globo. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  22. a b c d e «Filme "Cinema, Aspirinas..." leva Grande Prêmio». O Globo. 24 de abril de 2007. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  23. «2º Amazonas Film Festival anuncia os vencedores». O Estado de São Paulo. 10 de novembro de 2005. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  24. «"Cinema, aspirinas e urubus" ganha prêmio». Folha de São Paulo. 15 de dezembro de 2005. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  25. «Cinema, Aspirinas e Urubus compete em Mar del Plata». O Estado de São Paulo. 15 de março de 2006. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  26. Arantes, Silvana (16 de março de 2006). «"Cinema, Aspirinas e Urubus" é favorito em Mar del Plata». Folha de São Paulo. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  27. «Cinema, Aspirinas e Urubus é premiado em Mar Del Plata». Cineclick. 20 de março de 2006. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  28. «"Cinema, Aspirinas e Urubus" ganha prêmio no México». Folha de São Paulo. 3 de abril de 2006. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  29. «Fernanda Montenegro vence APCA 2005». Folha de São Paulo. 13 de dezembro de 2005. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  30. «Sesc SP». Serviço Social do Comércio. 10 de maio de 2006. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  31. «Mauro Pinheiro Jr vence prêmio ABC pela fotografia do filme 'Sudoeste'». Globo News. 14 de maio de 2013. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  32. a b c d e «"Cinema, Aspirinas e Urubus" participa de Festival em Los Angeles». Folha de São Paulo. 25 de outubro de 2005. Consultado em 8 de novembro de 2019 
  33. Elenco

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]