Nefilim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Nefilim (hebraico:. נְפִילִים) termo derivado do hebraico naphal (ele caiu),[1] é um termo que ocorre duas vezes na Bíblia, em Gênesis 6:4 e Números 13:33.[2] A Septuaginta traduziu o termo pela palavra grega que significa, literalmente, nascido da terra, e as traduções seguintes verteram o termo para gigantes. [1][Nota 1] Lutero traduziu nefilim como tiranos.[3]

O Padre Aníbal Pereira Reis [4]explica que na tradução original "benai elohim" no capítulo 6 de Gênesis se refere a anjos e não a descendência de Sete, o mesmo sentindo aparece no livro de Jó.

Outro cristão que defende essa tese é o pastor Caio Fábio no livro "Nefilim"./>[5]

Todas as referências de gigantes que aparecem nos livros de Erich von Däniken também apontam para os Nefilins,bem como, os escritos de Zecharia Sitchin [6]que ao se referir aos Anunakis das tabuletas do povo sumérios também apontam para os Nefilins./>[7]

Os gigantes que aparecem no Velho Testamento bíblico deixaram de existir no período do Rei Davi, onde possivelmente foram todos dizimados.O próprio gigante Golias, morto por Davi era um descendente longíquo dos Nefilins, mas bem inferior aos primeiros que aparecem no período antideluviano e que são possivelmente os principais motivadores da destruição daquele mundo antigo, conforme 2 Pedro 2.4 e Judas 6. />

Segundo Adam Clarke, a tradução de nefilim como gigantes é um erro: o texto de Gênesis faz uma distinção entre os filhos dos homens e os filhos de Anjos; os filhos dos homens seriam os nefilim, homens caídos e nascidos da terra, com a mente animalesca e diabólica, contrastando com os filhos de Anjos. Esta distinção seria entre os pecadores e os santos. Os nefilim teriam se tornado giborim, do hebraico gabar (eles prevaleceram, foram vitoriosos) que significa conquistadores ou heróis.[1]

Carl Friedrich Keil e Franz Delitzsch também atribuem a tradução de nefilim como gigantes a um erro. Segundo estes autores, a interpretação de Gênesis 6:4 é controversa, porém eles rejeitam como absurda a ideia de que a passagem se refere à reprodução entre anjos (filhos de Deus) e filhas dos homens, produzindo uma raça de monstros, como se fossem semideuses, demônios ou anjos-homens. Segundo Keil e Delitzsh, os nefilim, ou seja, os tiranos, já habitavam a terra antes dos filhos de Deus (descendentes de Sete) terem filhos com as filhas dos homens (descendentes de Caim), e continuaram existindo depois que nasceram os filhos destas uniões.[3]

A. H. Sayce, porém, ao comentar sua tradução de uma inscrição de Tiglate-Pileser I, interpretou que a palavra naplu, que ele verteu como o poderoso destruidor, era a mesma palavra que nefilim, ou gigantes. Senaqueribe também menciona Napallu como um deus protetor.[8]

Notas e referências

Notas

  1. Conforme a mitologia grega, os gigantes seriam filhos da Gaia, a deusa da Terra.

Referências

  1. a b c Adam Clarke, Commentary on the Bible (1831), Genesis 6 [em linha]
  2. M. G. Easton, Easton's Bible Dictionary (1897), Nephilim [em linha]
  3. a b Carl Friedrich Keil e Franz Delitzsh, Biblical Commentary on the Old Testament (1857-78), Genesis 6 [em linha]
  4. O Diabo - Aníbal Pereira Reis
  5. Nefilim _ Caio Fábio
  6. Gênesis Revisitado - Zecharia Sitchin
  7. Eram os Deuses Astronautas - Erich von Däniken
  8. A. H. Sayce, Records of the Past, 2nd series, Vol. I (1888) [em linha]
Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.