Peugeot 206

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Junho de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Peugeot 206
Peugeot 206 Quicksilver 90.jpg
Visão Geral
Produção 1998-2012 (France) 2001-2014 (Brasil) 1999-2016 (Argentina) 2001- (Iran)
Fabricante PSA Peugeot Citroën
Modelo
Classe Compacto
Carroceria hatchback
Ficha técnica
Motor 1.0 16V - D4D;

1.4 8V Gasolina - TU3JP;
1.4 8V Flex - TU3JP;
1.6 8V Gasolina - TU5JP;
1.6 16V Gasolina - TU5JP4;
1.6 16V Flex - TU5JP4.

Transmissão 5 marchas, manual; 4 marchas, automática Tiptronic
Layout Motor e Tração Dianteiras
Modelos relacionados Citroën C3
Renault Clio; Volkswagen Polo; Fiat Palio
Dimensões
Comprimento HB 3.835 mm
SW 4.028 mm
Altura HB 1.432 mm
SW 1.480 mm
Peso 1025 - 1145 Kg
Tanque 50
Cronologia
Peugeot 205
Peugeot 207

O Peugeot 206 (mais conhecido como ´´gordinho``) é um carro compacto, fabricado pela marca francesa de carros Peugeot de 1998 a 2013.

O projeto[editar | editar código-fonte]

Durante o começo da década de 1990, a Peugeot decidiu não substituir o Peugeot 205 directamente, citando que os superminis já não eram mais lucrativos nem valiam a pena. Em seu lugar a Peugeot optou por uma estratégia diferenciada e decidiu que seu novo supermini, o Peugeot 106 (lançado em 1991) tomaria as vendas dos modelos 205 mais simples, enquanto os modelos mais simples da família Peugeot 306, lançada em 1993 para substituir o Peugeot 309, substituiria as versões mais completas do 205. Entre o 106 e 306, a Peugeot esperava que o 205 não precisaria ser substituído, e poderia ser descontinuado gradualmente, enquanto seus consumidores teriam opções tanto acima quanto abaixo da gama 205.

Infelizmente para a Peugeot, a estratégia não funcionou. Com a descontinuação do 205, carros rivais como o Ford Fiesta e Volkswagen Polo continuaram a vender bem e até tiveram sua popularidade ampliada, e sem um rival direto, a Peugeot perdia vendas rapidamente. Um novo supermini era necessário e o 206 foi lançado em 1998 como um substituto tardio para o 205.

Apesar do nome 206 indicar uma continuação direta do 205, alguns críticos afirmam que o carro deveria ser nomeado 207, devido a aplicação da nomenclatura da "geração 6" entre o começo e o meio da década de 1990, com o 106 em 1991, o 306 em 1993 e o 406 em 1995.

Seu sucessor, o Peugeot 207, foi lançado em 2008 mas a Peugeot anunciou intenções de manter o 206 em produção até 2010. Até 2007, o 206 é o carro mais vendido de todos os tempos da Peugeot, e seu fim em 2010 vai marcar o final da "geração 6" após quase 20 anos.

Na Europa era fabricado na França e Inglaterra até o final de 2006, quando a produção foi transferida para a Eslováquia. O final da produção no Reino Unido coincidiu com o fechamento da fabrica de Ryton que a Peugeot recebeu com a compra da operação europeia da Chrysler em 1979. E no Brasil, ele conviveu cerca de 1 ano e meio juntamente com o Peugeot 207, saindo de linha no final de 2009.

Versões[editar | editar código-fonte]

O 206 foi fabricado nas seguintes versões:

  • Soleil (de 1999 até 2003, já como modelo 2004)
  • WRC (1999) versão raríssima que veio para o Brasil, na Europa possuía motor 2.0 e se chamava 206 GT (Na verdade foi uma serie especial para homologação dos 206 WRC de competição), mas veio para o Brasil equipado com o mesmo 1.6 que já conhecemos, para-choques modificados e outros detalhes de acabamento diferenciados.
  • Sensation (de 2004 a 2010)
  • Selection (de 2001 a 2007)
  • Rallye (de 1999 a 2006) "Fase 1 e fase 2", os primeiros possuíam o motor 1.6 8v, depois passou a ser equipado com o 1.6 16v tu5jp4, versão também difícil de achar.
  • Quiksilver (de 2001 a 2003), equipado com motor 1.0 16v ou 1.6 16v e interior com tapeçaria quiksilver e alguns mimos.
  • Techno (2003) versão especial lançada em 2003, possuía alguns opcionais incomuns para época, como sensor crepuscular e sensores de ré, mas o ar condicionado era opcional.
  • Presence (de 2004 a 2008) : versão de entrada acima do Sensation, (vinha com ar condicionado, DH, vidros e travas elétricas de serie), de 2004 a 2006 teve opção de motor 1.6 e freio a disco nas 4 rodas, opção mais barata para quem queria um modelo de entrada com motor mais potente.
  • Passion (de 1999 a 2003, já como modelo 2004).
  • Moonlight (de 2007 a 2008): Versão exclusiva com teto solar eletrônico, fabricadas 3600 unidades em 2007 e 1000 unidades em 2008. Todos prata ou preto, Hatch ou SW, sendo que a SW saíram 1.000 unidades somente.
  • Holiday (de 2005 a 2006) : Versão rara, que possuía motor 1.4 ou 1.6, DH, VE e TE, mas AC era opcional.
  • Feline (de 2004 a 2008): A versão mais completa, fabricada com as motorizações 1.4 e 1.6.
    • Itens de Série:
      • Sensor de Chuva. (Limpador de para brisas liga automaticamente na chuva)
      • Sensor de luminosidade. (Faróis ligam automaticamente)
      • Computador de bordo.
      • Retrovisores elétricos.
      • Faróis de neblina (tanto na frente quanto atrás).
      • Rodas de liga leve com aro de 14 polegadas. (Não inclui o estepe, onde este é uma roda de ferro comum)
      • Ar condicionado digital.
      • Direção hidráulica.
      • Vidros elétricos nas quatro portas (A versão Feline é exclusivamente de quatro portas).
      • Volante com ajuste de altura.
      • Banco do motorista com ajuste de altura.
      • Acionamento automático do limpador traseiro ao engate da ré (apenas se o carro detectar que está chovendo).
      • Travas elétricas com comando de travamento central.
      • Controle de tração (Quando a central detecta que o carro precisa acelerar para se manter funcionando ou manter a estabilidade, ele acelera levemente para auxiliar o motorista a recuperar a tração em caso de perda de estabilidade, dentre outras funções).
      • Auxílio à frenagem de emergência (Não confunda com ABS. Em caso de frenagem brusca em uma emergência para evitar um acidente, muitos motoristas pisam forte no freio mas durante o "sufoco", inconscientemente, não percebem e acabam aliviando a pressão do pedal do freio fazendo com que o freio não trabalhe com todo o desempenho. O sistema detecta a velocidade em que o freio é pressionado e entende que seria uma frenagem de emergência. Então, assim que o pedal é pressionado com velocidade o sistema se encarrega de deixar o pedal mais mole e afunda além do limite afim de que seja corrigida essa falha dos motoristas. Além disso, o sistema de freios do Peugeot 206 conta com mais um diferencial e usa o controle de tração para ajudar na frenagem e automaticamente liga o pisca alerta para sinalizar ao motorista atrás).
    • Itens Opcionais:
      • Air bag.
      • Freio ABS.
      • Controle do som no volante.
  • Feline Automático (de 2007 a 2008): Versão Feline com câmbio automático Tip Tronic (que dá a possibilidade de trocas sequenciais manualmente para manter a esportividade) e piloto automático.
  • CC (de 2001 a 2008): Versão exclusiva conversível com a capota comandada eletricamente.
  • Allure (de 2007 a 2008) : versão que vinha de serie com rodas aro 15 e motor 1.6, além de outros opcionais que equipavam a versão feline.

Projeto e engenharia[editar | editar código-fonte]

Sem um carro da Citroën do qual poderia aproveitar a estrutura (o Citroën Saxo compartilhava a plataforma com o 106), a Peugeot desenvolveu uma plataforma nova para o 206.

Panorama[editar | editar código-fonte]

O 206 foi lançado originalmente, na Europa, nas motorizações 1.1L, 1.4L e 1.6L a gasolina e 1.9L diesel. Em 1999, seguiu-se a versão GTi, com motor de 2.0L e em 2003, uma versão reajustada, chamada Peugeot 206 RC (GTi 180 na Inglaterra) foi lançada, com potência de 177 cv (130 kW. Em 2001, duas novas versões foram lançadas - o 206 CC (coupé cabriolet) com um teto rígido retrátil e a versão perua, chamada de 206 SW. Uma versão sedã, desenvolvida pela Iran Khodro, foi revelada em 2005.

206 no Brasil[editar | editar código-fonte]

Produzido no Brasil desde 2001, na planta da PSA-Peugeot Citroen em Porto Real (RJ), o 206 alcançou grande êxito no Brasil. Inicialmente comercializado com motor de 1.6L, foi seguido das versões 1.4L e 1.0L (sendo o motor 1.0L da Renault utilizado no Renault Clio que foi emprestado ao 206, por meio de uma espécie de parceria entre as duas montadoras francesas Renault e Peugeot, assim que começou a ser fabricado no Brasil no ano de 2001 na cidade de Porto Real no Rio de Janeiro). Em meados de 2004 a Peugeot deu um passo ousado, sendo a primeira marca a abandonar o segmento dos 1.0 no país (1.0 esse que não era fabricado pela Peugeot, apenas tirando a responsabilidade da Renault de emprestar o motor do Clio para o 206) sendo que já havia fabricado uma pequena quantidade de modelos 2005 com motor 1.0, isso explica vermos modelos 2005 (fabricação 2004) com motor 1.0. Relançando o Peugeot 206 1.4 Flex com um preço extremamente competitivo, comparáveis a alguns modelos 1.0 da concorrência.

Aliada ao bom acabamento, a boa direção, ao bom motor e ao desenho jovial, as vendas do compacto cresceram muito no país.

Em 2005 a Peugeot lançou a versão perua do 206 no brasil, a 206 SW (SW de Station Wagon), que em pouco tempo começou a competir com a VW Parati. Ganhou também uma versão aventureira, a 206 Escapade e, em Junho de 2008, foi substituida pela 207 SW. Em agosto de 2007 a Peugeot lança o 206 automático com motor exclusivamente 1.6 e câmbio Tip Tronic e piloto automático.

Em Novembro de 2009, a Peugeot confirmou deixar de produzir o 206 [1]. Entrou em seu lugar o Peugeot 207 X-Line, versão mais em conta da família, encerrando assim um ciclo de sucesso do Peugeot 206 no Brasil. Posteriormente, o 207 teve as versões XR, XR Sport, XS e a XS Automático.

Peugeot 206 WRC[editar | editar código-fonte]

Juuso Pykälistö pilotando um Peugeot 206 WRC no Rali da Suécia de 2003

Em 1999, a Peugeot Sport revelou o 206 WRC, que competiu pela primeira vez no Campeonato Mundial de Rali daquele ano. O carro logo se mostrou um sucesso e conquistou o título de pilotos com Marcus Grönholm. Em 2002, Grönholm ganhou novamente o título da WRC com um 206 WRC. Seu domínio nesse ano foi comparado ao domínio de Michael Schumacher na Fórmula 1. Além do título de pilotos em 2000 e 2002, a Peugeot venceu também o campeonato de contrutores por três anos seguidos, entre 2000 e 2002, No entanto, em 2003 o 206 WRC já começava a mostrar a sua idade e se tornou menos eficaz perante seus concorrentes, em especial o novo Citroën Xsara WRC e o Subaru Impreza WRC, foi então retirado da competição ao final do ano, para ser substituído pelo 307 WRC baseado no 307.

Peugeot 206+[editar | editar código-fonte]

Peugeot 206+ (Euro-Spec)

O Peugeot 207 do Brasil e da Europa são diferentes. No Brasil, o Peugeot 207 é uma reestilização do Peugeot 206, recebendo alterações cosméticas em ambos parachoques e no interior, se aproximando do Peugeot 207 europeu. Esta reestilização chegou a Europa sob nome de Peugeot 206+ (plus), convivendo com o 207 europeu.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Peugeot 206

Ligações externas[editar | editar código-fonte]