Vida Alves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vida Alves
Nome completo Vida Amélia Guedes Alves
Nascimento 15 de abril de 1928
Itanhandu, Minas Gerais
Nacionalidade brasileira
Morte 3 de janeiro de 2017 (88 anos)
São Paulo, São Paulo
Ocupação
Atividade 1940–1975
Cônjuge Gianni Gasparinetti
(1949–2017)
IMDb: (inglês)

Vida Amélia Guedes Alves (Itanhandu, 15 de abril de 1928São Paulo, 3 de janeiro de 2017) foi uma atriz e escritora brasileira, pioneira da televisão.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Atriz de rádio e TV, apresentou durante a década de 1970, juntamente com Carlos Lemos, o programa Jogo do Som, transmitido por inúmeras emissoras em todo o país, onde mostravam fatos curiosos e realizavam esquetes de atuação, sempre diferenciadas a cada programa. Vida Alves é avó da cantora e compositora Tiê, e tia do cineasta Lael Rodrigues. Em 1995 se tornou membro da Associação dos Pioneiros, Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira e presidente do Museu da TV, com o objetivo de preservar a memória dos pioneiros da televisão brasileira, buscando filmagens e arquivos das produções mais antigas realizadas no país para serem restauradas e compartilhadas com a posteridade.[1] Em 2004 Vida foi homenageada na minissérie Um Só Coração, que se passava na década de 1940, ano em que começou sua carreira, sendo interpretada na obra pela atriz. Isabel Guerón.[2] Em 2014 Vida lançou o livro Televisão Brasileira: O Primeiro Beijo e Outras Curiosidades, contando não só das cenas citadas, mas também dos primórdios da televisão brasileira e como eram produzidas as primeiras novelas.[3][4] Morreu em São Paulo, em 3 de janeiro de 2017, aos 88 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos. O velório de Vida Alves aconteceu, no Cemitério do Araçá em Sp, estavam presentes Laura Cardoso, Eva Wilma e Rolando Boldrin para prestar, homenagens a atriz, o enterro foi no mesmo local, as 17:00 de quarta feira, 4 de Janeiro de 2017.[5]

Legado[editar | editar código-fonte]

"O fotógrafo da época foi um pouco censor, não fez fotografia, alegando que não iriam publicar. Não havia videotape, não havia foto. Ficou apenas para quem assistiu e nós, os atores."

— Vida Alves sobre a falta de registros do primeiro beijo da televisão.[6]

Em 1951 marcou a história da televisão brasileira ao protagonizar junto com o ator Wálter Forster o primeiro beijo em uma telenovela, em Sua Vida Me Pertence, que na época era transmitida ao vivo pela Rede Tupi.[6] A atriz explicou durante entrevista ao G1, em 2013, que não havia nenhuma referência de como reproduzir um beijo técnico, sendo que cena foi realizada sem ensaio: "Walter Forster era o diretor artístico, de certa forma meu chefe. Ele explicou ao meu marido, numa visita à minha casa, como seria. Absolutamente marcado. "Tal postura, tal olhar, a boca ligeiramente aberta, me aproximo e fico uns segundinhos. Assim foi feito, sem ensaio, tudo ao vivo. Foi esteticamente bonito, romântico e simples".[7] As produções eram transmitidas ao vivo, uma vez que ainda não existia vídeo-tape para gravação na época, sendo que apenas um fotógrafo registrava as cenas dos bastidores.[7] No entanto, o fotógrafo da emissora se recusou a registrar o beijo, alegando que nenhum jornal publicaria o feito por ser escandaloso demais para a época, não tendo nenhum registro do feito.[8]

Vida e Geórgia Gomide durante o primeiro beijo homossexual da televisão brasileira, em 1963.

Em 1963 também realizou o primeiro beijo homossexual da televisão brasileira com Geórgia Gomide em um dos episódios do programa TV de Vanguarda., intitulado Calúnia, na Rede Tupi.[9] Na história Vida e Geórgia interpretavam diretoras de um internato para meninas que eram caluniadas por uma estudante rebelde, dizendo que as duas eram amantes, o que levou os pais a tirarem as filhas do colégio sucessivamente, levando-o a fechar as portas. Falidas, as duas acabam descobrindo que realmente se amavam e se beijando no final da história.[9] Em entrevista para a revista Época, em 2011, Vida contou que não houve qualquer tipo de discriminação por parte do público: "A cena foi comentada, mas não senti qualquer sentimento agressivo das pessoas em relação a mim. Tenho certeza que me julgaram, mas não me atacaram".[9] Na época, apesar de não existir vídeo-tape ainda, a cena foi fotografada, porém acabou se perdendo após o fechamento da emissora.[10] Apenas em 24 de maio de 2016, durante o programa Okay Pessoal!!! Vida revelou que havia encontrado uma foto da ocasião, mostrando-a pela primeira vez após 53 do acontecimento.[11]

Em 2013 a editora Imprensa Oficial lançou sua biografia autorizada, Vida Alves: Sem Medo de Viver, de autoria do escritor e dramaturgo Nelson Natalino, membro da Academia Guarulhense de Letras.[12]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Notas
1951 Sua Vida Me Pertence Elisabeth
1952 Uma Semana de Vida
1954 O Destino Desce de Elevador
1954 As Aventuras de Red Ringo
1955 A Mão de Deus
1956 O Pimpinela Escarlate
1957 Os Três Mosqueteiros Milady
1957–63 TV de Vanguarda Helena Os 39 Degraus (1957)
Lucia O Aventureiro (1958)
Emily Cartas Venenosas (1958)
Eugenia Grandet Eugenia Grandet (1958)
Cláudia O Delator (1959)
Magda Calúnia (1963)
1958–59 TV de Comédia Catarina Inimigos Íntimos (1958)
Chica Boa Chica Boa (1958)
Laura O Marido da Deputada (1958)
Margarida O Outro André (1958)
Suely Bombonzinho (1959)
1959 Fim de Semana no Campo
1962 A Estranha Clementine
1963 Terror nas Trevas
1963 Klauss, o Loiro
1963 Moulin Rouge, a Vida de Toulouse-Lautrec Agostina
1964 A Gata Paula
1965 O Mestiço Gabriela
1965 A Outra Ofélia
1966 O Amor Tem Cara de Mulher Laura
1967 O Pequeno Lord Gabriela
1967 Meu Filho, Minha Vida Catherine
1968 O Rouxinol da Galileia
1968 Sozinho no Mundo Silvana
1969 Os Estranhos Irene
1969 Dez Vidas
2004 Um Só Coração Ela mesma (segunda fase)

Filmes[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem
1940 Quase no Céu
1954 Paixão Tempestuosa Patrícia [13]
1973 A Pequena Órfã Elza[14]

Rádio[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem
1970–75 Jogo do Som Vários personagens

Referências

  1. «Entrevista - Vida Alves». Mofolandia. 22 de janeiro de 2001. Consultado em 2 de Julho de 2014 
  2. «Em Um só Coração, um dos amores de Santos Dumont». Usina de Letras. 22 de janeiro de 2001. Consultado em 2 de Julho de 2014 
  3. «Novo livro da ex-atriz e pioneira da televisão brasileira Vida Alves é lançado em São Paulo». Metodista SP. 22 de janeiro de 2001. Consultado em 2 de Julho de 2014 
  4. «Vida Alves lança livro sobre a TV nos idos do primeiro beijo hetero». Estadão. 22 de janeiro de 2001. Consultado em 2 de Julho de 2014 
  5. «Morre aos 88 anos Vida Alves, atriz do 1º beijo e do 1º beijo gay da TV brasileira». G1. 4 de janeiro de 2017. Consultado em 4 de janeiro de 2017 
  6. a b «'Tenho orgulho', diz atriz de primeiros beijos hétero e gay da TV no Brasil». G1. 22 de janeiro de 2001. Consultado em 2 de Julho de 2014 
  7. a b «Vida Alves foi pioneira em cenas com ator em 1951 e com atriz em 1964». Isto É Notícia. 22 de janeiro de 2001. Consultado em 2 de Julho de 2014 
  8. «'Tenho orgulho', diz atriz de primeiros beijos hétero e gay da TV no Brasil». Globo. 22 de janeiro de 2001. Consultado em 2 de Julho de 2014 
  9. a b c «Vida Alves: ela deu o verdadeiro primeiro beijo gay da televisão brasileira». Revista Época. 22 de janeiro de 2001. Consultado em 2 de Julho de 2014 
  10. «'Tenho orgulho', diz atriz de primeiros beijos hétero e gay da TV no Brasil». Globo. 22 de janeiro de 2001. Consultado em 2 de Julho de 2014 
  11. «Okay Pessoal!!! (24/05/16)». SBT. 22 de janeiro de 2001. Consultado em 2 de Julho de 2014 
  12. «Vida Alves: sem medo de viver (Coleção Aplauso Perfil)». Imprensa Oficial. 22 de janeiro de 2001. Consultado em 2 de Julho de 2014 
  13. Cinemateca Brasileira, Paixão Tempestuosa [em linha]
  14. Cinemateca Brasileira, A Pequena Órfã [em linha]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]