Vimioso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vimioso
Brasão de Vimioso Bandeira de Vimioso
Vimioso06.jpg
Igreja Matriz de Vimioso
Localização de Vimioso
Gentílico vimiosense
Área 481,59 km²
População 4 669 hab. (2011)
Densidade populacional 9,7  hab./km²
N.º de freguesias 10
Presidente da
câmara municipal
Jorge Fidalgo (PSD)
Fundação do município
(ou foral)
1516
Região (NUTS II) Norte
Sub-região (NUTS III) Alto Trás-os-Montes
Distrito Bragança
Antiga província Trás-os-Montes
e Alto Douro
Orago São Vicente
Feriado municipal 10 de agosto
Código postal 5230 Vimioso
Sítio oficial www.cm-vimioso.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

Vimioso (em mirandês Bimioso ou Bumioso) é uma vila portuguesa com 1 285 habitantes (2011), situada no extremo nordeste de Portugal. Pertence ao distrito de Bragança, na região Norte de Portugal e sub-região do Alto Trás-os-Montes.

É sede de um concelho (ou município) com 481,59 km² de área[1] e 4 669 habitantes (2011),[2][3] subdividido em 10 freguesias.[4] O município é limitado a norte pela Espanha (município de Alcanizes), a leste pelo concelho de Miranda do Douro, a sul por Mogadouro, a sudoeste por Macedo de Cavaleiros e a oeste e noroeste por Bragança.

População[editar | editar código-fonte]

Número de habitantes [5]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
9 608 10 295 10 770 11 086 12 076 10 457 11 484 12 507 13 210 12 782 9 759 8 500 6 323 5 315 4 669

(Obs.: Número de habitantes "residentes", ou seja, que tinham a residência oficial neste concelho à data em que os censos se realizaram.)

Número de habitantes por Grupo Etário [6]
1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
0-14 Anos 3 730 4 354 3 609 4 008 4 536 4 595 4 450 3 070 2 274 1 177 591 405
15-24 Anos 1 932 1 920 1 827 2 046 2 178 2 397 2 224 1 520 1 431 813 628 362
25-64 Anos 4 777 5 056 4 349 4 600 5 008 5 475 5 312 4 185 3 564 2 997 2 449 2 091
= ou > 65 Anos 508 547 583 649 735 693 796 1 100 1 231 1 336 1 647 1 811
> Id. desconh 1 5 22 31 59

(Obs: De 1900 a 1950 os dados referem-se à população "de facto", ou seja, que estava presente no concelho à data em que os censos se realizaram. Daí que se registem algumas diferenças relativamente à designada população residente)

Excepto as freguesias de Vimioso e Argozelo que concentram os serviços (administração, bancos, comércios etc.), o concelho de Vimioso é um município rural cuja população exerce actividades essencialmente agrícolas. A emigração e o êxodo rural para Bragança e para as metrópoles do litoral (Porto, Lisboa), explicam a desertificação dramática da região. A população do concelho é hoje principalmente constituída de idosos.

Em duas aldeias deste concelho, Angueira e Vilar Seco, fala-se o mirandês. Há ainda registo de falantes em Caçarelhos, mas pensa-se que ali terá deixado de se usar generalizadamente nas últimas décadas.

A taxa de natalidade é bastante baixa no município. Em 2013 nasceram 40 crianças, em 2014 19 e em 2015 houve 26 nascimentos.[7]

Freguesias[editar | editar código-fonte]

Freguesias do concelho de Vimioso.

O concelho de Vimioso está dividido em 10 freguesias:[4]

Até a reforma administrativa de 2013, o concelho estava dividido em 14 freguesias.[4]

Aspectos geográficos[editar | editar código-fonte]

O concelho de Vimioso, situa-se no planalto mirandês e faz parte da Terra Fria transmontana que também inclui os concelhos de Miranda do Douro, Bragança e Vinhais. É um concelho acidentado, atravessado pelos vales profundos dos rios Angueira, Maçãs e Sabor.


Economia[editar | editar código-fonte]

Vimioso é um concelho agropecuário, dedicado à criação de gado bovino (raça mirandesa) e suíno e ao cultivo dos cereais (centeio, cevada, milho, trigo), da oliveira, da vinha, da batata e de hortaliças (abóbora, couve, feijão etc.). Outrora importante, a criação de gado caprino e ovino está hoje em declínio.

No concelho existem minas de mármore, em Santo Adrião, e de volfrâmio, em Argozelo. A indústria está representada por empresas de construção civil e serralharias.

História[editar | editar código-fonte]

Há indícios de povoamento pré-histórico em vários locais e castros existentes no termo de várias freguesias do concelho (Atalaia de Vimioso, Pereiras, castro da 'Batoqueira, castro da Terronha etc.).

Com outros da região (Bragança, Outeiro, Miranda do Douro, Mogadouro, Penas Roias), os castelos de Algoso e Vimioso fizeram parte da linha de defesa da fronteira oriental do reino. Em Vimioso, além do castelo destruído no século XVIII, existia a torre da Atalaia de que ainda restam vestígios.

Símbolos do direito de exercer justiça, foram erguidos pelourinhos em Algoso, à frente da Câmara e em Vimioso, à frente do antigo castelo.

Em 1492, o concelho viu chegar grande afluência de judeus expulsos dos reinos de Leão e Castela. Depois de acamparem num local que conservou o nome de Cabanas, entre as actuais povoações de Caçarelhos e Vimioso, os judeus foram autorizados a estabelecerem-se em várias aldeias e vilas da região (Argozelo, Carção, Vimioso, etc.). Convertidos à força à religião católica, constituíram nessas localidades comunidades importantes que pouco se misturaram com o resto da população até meados do século XX. Os judeus – assim chamados até hoje – distinguiam-se dos lavradores pelos ofícios exercidos, ligados ao artesanato e comércio.

O século XVI e o início do século XVII constituíram um período de prosperidade para Vimioso e outras terras do Nordeste transmontano (Miranda do Douro, Outeiro, etc.). Em 1516, Vimioso foi elevada a vila por foral do rei D. Manuel.

Com as reformas administrativas do século XIX, o concelho de Vimioso cresceu incorporando o extinto concelho de Pinelo e parte dos de Algoso (freguesias de Algoso e Matela), Miranda do Douro (freguesia de Caçarelhos) e Outeiro (freguesias de Argozelo e Santulhão).

Durante todo o século XX, vários surtos migratórios levaram grande parte da população para o Brasil – até à década de 1960 – e para a Europa (principalmente para França), provocando a desertificação do concelho.

Património[editar | editar código-fonte]

Apesar das guerras e vicissitudes da História, o concelho apresenta um património arquitectónico de que fazem parte:

  • Algoso: Solar dos Távoras, Castelo (século XIII), Pelourinho (século XVI), Igreja Matriz e Capela de São João (século XVII);
  • Angueira: Castros do Gago e da Cocoia;
  • Argozelo: Capela de S. Bartolomeu, Castros da Terronha e do Cerro Grande;
  • Caçarelhos: Capela Joanina;
  • Santulhão: Ponte Romana sobre o Rio Sabor
  • Carção: Castro de Carção;
  • Vimioso: Igreja Matriz (século XVI/XVII), Pelourinho (Idade Média), Castros de Batoqueira e do Vale de S. Miguel.

Artesanato[editar | editar código-fonte]

Cestaria, tecelagem, cobres, colchas, curtumes, cantarias (granito) e mármores.

Feiras[editar | editar código-fonte]

  • Feiras quinzenais: dias 10 e 25 em Vimioso,
  • Feiras mensais: dia 9 em Algoso, dia 13 em Vilar Seco, dia 19 em Caçarelhos, segundo domingo do mês em Carção.
  • Feira anual: feira de S. Lourenço, feriado municipal, dia 10 de Agosto em Vimioso.

Festas principais[editar | editar código-fonte]

  • Argozelo: festas de S. Bartolomeu (24 de Agosto) e Sra das Dores (1° domingo de Setembro);
  • Campo de Víboras: festa de S. Tiago, (últimos domingo e segunda-feira de Agosto);
  • Carção: festa da Sra das Graças (último domingo de Agosto);
  • Vimioso: festas de S. Lourenço, Sta Bárbara, Sra dos Remédios e Sra da Saúde (semana do dia 10 de Agosto).

Referências

  1. Instituto Geográfico Português (2013). «Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2013» (XLS-ZIP). Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013. Direção-Geral do Território. Consultado em 28 de novembro de 2013. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2013 
  2. INE (2012). Censos 2011 Resultados Definitivos – Região Norte (PDF). Lisboa: Instituto Nacional de Estatística. p. 129. ISBN 978-989-25-0186-4. ISSN 0872-6493. Consultado em 27 de julho de 2013 
  3. INE (2012). «Quadros de apuramento por freguesia» (XLSX-ZIP). Censos 2011 (resultados definitivos). Tabelas anexas à publicação oficial; informação no separador "Q101_NORTE". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 27 de julho de 2013. Cópia arquivada em 8 de outubro de 2014 
  4. a b c Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  5. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  6. INE - http://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpid=CENSOS&xpgid=censos_quadros
  7. «Mais bebés em Vimioso devido ao programa de incentivo à natalidade» 

Distrito de Bragança

AFE.png BGC.png CRZ.png FEC.png MCD1.png MDR.png MDL1.png MGD.png TMC.png VFL.png VMS.png VNH.png
Alfândega da Fé Bragança Carrazeda de Ansiães Freixo de Espada à Cinta Macedo de Cavaleiros Miranda do Douro Mirandela Mogadouro Torre de Moncorvo Vila Flor Vimioso Vinhais
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Vimioso