Bartolomeu I de Constantinopla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Flag of the Greek Orthodox Church.svg
Bartolomeu I de Constantinopla
Βαρθολομαίος ο Α'
Patriarca
Patriarca Ecumênico de Constantinopla

Igreja

Igreja Ortodoxa de Constantinopla
Hierarquia
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 19 de outubro de 1969
Ordenação episcopal 25 de dezembro de 1973
Nomeado metropolita 14 de janeiro de 1990
Patriarcado
Nomeado Patriarca 22 de outubro de 1991
Entronizado 2 de novembro de 1991
Dados pessoais
Nome secular Dimítrios Archontónis
Nascimento Gökçeada
29 de Fevereiro de 1940 (74 anos)
Nacionalidade Turquia turco
Categoria:Ortodoxia Oriental
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Cristianismo

Bartolomeu I (em grego: Βαρθολομαίος ο Α', transl. Bartholomaíos; nascido Δημήτριος Αρχοντώνης, transl. Dimítrios Archontónis)(Gökçeada, 29 de fevereiro de 1940) é um religioso grego (e um cidadão turco), o atual Patriarca de Constantinopla, principal bispo da Igreja Ortodoxa, desde o ano de 1991.

Encontro de Bartolomeu com o presidente Barack Obama.
Encontro entre Bartolomeu e Francisco na Igreja do Santo Sepulcro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Primeiros Anos[editar | editar código-fonte]

Dimítrios Archontónis, nativo de Iμβρος (transl. Imbros), o filho de Hristo e Meropi Archontonis cursou o Primário em sua ilha natal e o Ensino Médio em Constantinopla, no Zografio Liceu da Polis. Ingressou na Escola Teológica de Halki onde se graduou em 1961.

Foi ordenado diácono na Catedral de Imbros por Meliton em 13 de agosto de 1961, quando recebeu o nome religioso de Bartolomeu. Prestou serviço militar até 1963 e, de então até1968, pós-graduou-se no Instituto de Estudos Orientais de Roma, no Instituto Ecumênico de Bossey da Suíça e na Universidade de Munique, especializou-se em Direito Canônico. Doutor pela Universidade Gregoriana de Roma, retornou para Constantinopla e foi nomeado Diretor-adjunto da Escola Teológia de Halki, onde estudou. No mesmo ano, 1968, foi ordenado presbítero pelo mesmo Meliton que o sagrou diácono e, seis meses depois, pelo Patriarca Atenágoras I recebeu o título de Arquimandrita.

Carreira Eclesiástica[editar | editar código-fonte]

Com a entronização do Patriarca Demétrio I e a subsequente ereção da Secretaria Particular do Patriarcado, Bartolomeu foi escolhido seu primeiro Secretário. No Natal de 1973 foi ordenado Bispo Eparca da Filadélfia e seguiu Secretário até 1990 quando, em janeiro, foi proclamado Metropolita de Calcedônia em sucessão a seu pai espiritual Meliton.

Integrou o Santo e Sagrado Sínodo. Foi, também, um dos fundadores da 'Sociedade de Direito das Igrejas Orientais' e vice-presidente da Comissão 'Fé e Ordem' do Conselho Mundial das Igrejas.

Patriarcado[editar | editar código-fonte]

Uma das características de seu patriarcado é o Diálogo Ecumênico, a aproximação com a Igreja Católica e maior diálogo com as demais Igrejas Orientais, além das demais confissões.

Reuniu-se com os papas João Paulo II e Bento XVI. Do primeiro recebeu as relíquias dos Santos Patriarcas Ecumênicos João Crisóstomo e Gregório Nazianzeno em 2005; assinou uma declaração conjunta[1] e discutiu sobre o problema da criação de patriarcados latinos no Oriente[2] . Com o segundo, encontrou-se por diversas vezes, tanto no Vaticano quanto no Phanar e assinou uma declaração comum[3] . Aos 18 de outubro de 2008 participou do Santo Sínodo dos Bispos em Roma por convite do Papa.

"O papel do Patriarca Bartolomeu tem sido marcado pela diálogo inter-religioso, pelas visitas a países ortodoxos e muçulmanos que raramente eram visitados pelos antigos líderes da Igreja Ortodoxa. Seus esforços em favor da liberdade religiosa e dos direitos humanos, suas iniciativas para a promoção da tolerância religiosa entre as diversas religiões do mundo e o seu trabalho em vista da paz internacional e da proteção do universo lhe colocou entre os grandes líderes mundiais da atualidade, como um apóstolo afeiçoado da paz e da reconciliação. Em 1997 foi condecorado com medalha de ouro no Congresso Americano"[4] .

Bartolomeu I também é conhecido por seus trabalhos em causas de defesa ao meio-ambiente, os quais lhe auferiram o epíteto de Patriarca Verde. Viajou à América Latina, onde visitou Cuba[5] e a Amazônia Brasileira[6] .

Mantém, também, um forte diálogo com outras religiões, em particular o Judaísmo e o Islamismo, monoteístas.

Em novembro de 2014, teve um encontro com o Papa Francisco, onde discutiram a situação dos cristão no Oriente Médio e a união entra a Igreja Ortodoxa e a Igreja Católica.[7]

Títulos[editar | editar código-fonte]

O título oficial do Patriarca Ecumênico é:

Sua Santidade, Bartolomeu I, Arcebispo de Constantinopla Nova Roma e Patriarca Ecumênico;

em grego:

H Αυτού Θειοτάτη Παναγιότης ο Αρχιεπίσκοπος Κωνσταντινουπόλεως Νέας Ρώμης και Οικουμενικός Πατριάρχης Βαρθολομαίος Α'

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bartolomeu I de Constantinopla
Bartolomeu I
(1991 -)
Precedido por: Cruz ortodoxa.png
Lista dos patriarcas grego ortodoxos de Constantinopla
Sucedido por:
Demétrio I 268.º incumbente