Cianorte Futebol Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Cianorte
Cianorte.png
Nome Cianorte Futebol Clube
Alcunhas Leão do Vale
Torcedor/Adepto Cianortino
Mascote Leão
Fundação 13 de fevereiro de 2002 (12 anos)
Estádio Olìmpico Albino Turbay
Capacidade 7.000 pessoas[1]
Localização Cianorte - PR, Brasil
Presidente Brasil Lucas Franzato
Treinador Brasil Bagé
Patrocinador Brasil Ciapetro
Brasil Júpiter
Brasil Zaeli
Brasil Gui Bon
Itália La Rossi
Material esportivo Brasil Karilu
Competição Paraná Campeonato Paranaense
Brasil Copa do Brasil
Paraná B 2014
Brasil CB 2015
A disputar
Não Disputará
Paraná PR 2014
Brasil CB 2014
12º Colocado (Rebaixado)
Não Participou
Paraná PR 2013
Brasil CB 2013
9º Colocado
Segunda fase
Website http://www.leaodovale.com.br/
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Cianorte Futebol Clube é um clube brasileiro de futebol, da cidade de Cianorte, no estado do Paraná.

O Cianorte herdou, em 2002, as cores verde e branco do extinto Cianorte Esporte Clube, criado em 1993. Com a volta à primeira divisão, entretanto, a diretoria optou por mudar o visual. No final de 2003, o azul, o vermelho e o branco tomaram a bandeira e o uniforme do "Leão do Vale", por serem as cores da bandeira da cidade.

Manda jogos no Estádio Municipal Olímpico Albino Turbay, com capacidade para 7.000 espectadores.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro time de futebol de Cianorte foi o C.A.F.E.. O nome não apenas referia-se apenas à cultura cafeeira: era uma sigla de Cianorte Associação Física e Educativa. Sua fundação ocorreu em 1958 e o seu fundador foi o jornalista Amândio Mathias. O CAFE disputou o Campeonato Paranaense de Futebol em 1965, 1969, 1970 e 1972, quando foi rebaixado. A queda para a segunda divisão revoltou o jogador Rubens, que pôs fogo na sede social do clube, causando o encerramento das atividades da equipe. Seu uniforme era alvi-verde e possuia fervorosa torcida. Na estréia como time profissional, perdeu para o Grêmio Esportivo de Maringá por 4 x 0, numa época em que o Grêmio de Maringá era o campeão paranaense. Na estréia da chave especial, o CAFE perdeu para o então Coritiba por 7x0. Mas sempre conseguia manter partidas memoráveis. Jogou amistosamente contra o Palmeiras (perdendo por 3x4) de Ademir da Guia e Djalma Santos (último jogo do Bi-Campeão Mundial pelo Palmeiras) e também contra o SANTOS (perdeu de 0x3) de Afonsinho e companhia.

Retorno: Cianorte Esporte Clube[editar | editar código-fonte]

Mais de duas décadas se passaram até que o futebol profissional retornasse à cidade do Noroeste do estado, hoje com Oitenta mil habitantes. Em 1993, surgiu o Cianorte Esporte Clube. O alviverde, que nunca disputou a primeira divisão, deu lugar em 2002 ao Cianorte Futebol Clube.

Enfim, surge o Leão do Vale[editar | editar código-fonte]

Em 2003, com o segundo lugar no Campeonato Paranaense da Série A-1, a Segunda Divisão, ganhou vaga para a Série Ouro. O jogo que colocou Cianorte na primeira divisão após 21 anos foi memorável. O gol da vitória sobre o Dois Vizinhos, por 1 x 0, aconteceu somente aos 48 minutos do segundo tempo, depois que o atacante Barbieri cobrou uma falta. O gol de Barbieri foi um dos últimos do Cianorte Futebol Clube com o uniforme verde e branco. No final de 2003, as cores do Leão do Vale foram mudadas para azul, vermelho e branco.

Estreando entre os grandes do futebol paranaense, o Cianorte fez bonito em 2004: ficou em terceiro lugar no Campeonato Paranaense de Futebol de 2004, atrás somente do campeão Coritiba e do vice Atlético. A colocação valeu ao Leão do Vale o simbólico título de "Campeão do Interior" e uma vaga na Copa do Brasil de Futebol de 2005.

A vitória histórica sobre o corinthians De Tevez E Companhia[editar | editar código-fonte]

Um dos maiores feitos da história do Cianorte, que projetou o clube nacionalmente, foi a vitória sobre o Corinthians no primeiro jogo da segunda fase da Copa do Brasil de 2005, chamado 'jogo de ida', onde recebeu o clube paulista e venceu pela contagem de 3 a 0 com direito até a gol de bicicleta marcado pelo Atacante Márcio Machado. O feito foi muito valorizado, pois o Timão formara uma grande equipe para aquela temporada, chegando ao título do Brasileirão daquele ano, com jogadores de expressão como Fábio Costa, Tevez, Roger, Carlos Alberto, Nilmar, Gustavo Nery e Mascherano. Porém, o Cianorte, que na oportunidade era dirigido por Caio Júnior, não resistiu à pressão, e, no jogo de volta, em São Paulo, foi goleado pelo clube paulista por 5 a 1, sendo assim eliminado do torneio na soma dos placares.

Ídolos[editar | editar código-fonte]

  • Barbieri

O catarinense Barbieri, ex-Figueirense e Blumenau, teve participação decisiva na volta de Cianorte à primeira divisão após 21 anos, em jogo válido pelo Campeonato Paranaense da Segunda Divisão de 2003. Foi um gol dele, numa cobrança de falta, que deu a vitória ao Cianorte sobre o Dois Vizinhos, por 1 x 0. O lance aconteceu aos 48 minutos do segundo tempo. Se o jovem atacante de 23 anos não marcasse a vaga seria da Adap de Campo Mourão.

  • Ademir

Na conquista do vice-campeonato da segunda divisão em 2003, a experiência do zagueiro Ademir, então com 30 anos, foi fundamental para o Cianorte. Jogador com passagens pelo Grêmio Maringá e pelo Atlético Mineiro, Ademir foi o líder do time dentro de campo.

  • Vanderlei

O veterano Vanderlei, na época com 35 anos, é bastante conhecido no Norte/Noroeste paranaense. Ex-goleiro do Grêmio Maringá e do Goioerê, ele chegou ao Cianorte em 2002. No jogo final da Série A-1 de 2003, suas defesas evitaram que o Dois Vizinhos acabasse com o sonho da volta de Cianorte à primeira divisão paranaense.

Estádio[2][editar | editar código-fonte]

O Estádio Albino Turbay, inaugurado em abril de 1958, tinha até 2003 capacidade para três mil torcedores.

O nome do estádio homenageia o falecido contador, dono de escolinha de futebol e presidente da Liga de Cianorte. A lotação máxima foi extrapolada na vitória do Cianorte sobre o Dois Vizinhos, por 1 x 0, jogo que deu ao Leão do Vale a vaga na primeira divisão estadual. Naquela tarde de 7 de setembro de 2003, cinco mil pessoas foram ao Albino Turbay. Para o Campeonato Paranaense de 2004, a prefeitura, proprietária do estádio, providenciou uma arquibancada de estrutura metálica. Com ela, o Albino Turbay chegou a comportar sete mil torcedores.

  • Nome: Estádio Municipal Olímpico Albino Turbay
  • Propriedade: Prefeitura Municipal de Cianorte
  • Inauguração: abril de 1958
  • Capacidade: 7 mil lugares
  • Recorde: 5 mil torcedores(Cianorte 1 x 0 Dois Vizinhos, em (7 de Setembro de 2003)

Títulos[editar | editar código-fonte]

  • Paraná Campeonato do Interior Paranaense (2): 2004, 2011

Campanha em destaque[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Só aos 48 minutos do segundo tempo do jogo contra o Dois Vizinhos, o último da segunda divisão paranaense de 2003, é que o Cianorte confirmou sua vaga na Série Ouro. Um gol do atacante Barbieri, cobrando falta, garantiu o retorno de um time de Cianorte à Primeirona após 21 anos.
  • Antes do Cianorte, o Café representou a cidade na primeira divisão, entre os anos 60 e 70. Seu rebaixamento em 1972, entretanto, revoltou o jogador Rubens a ponto dele colocar fogo na sede do clube. O incêndio foi o final da história do Café.
  • Em 2004, logo em sua primeira participação na primeira divisão estadual, o Cianorte foi o time de melhor campanha entre os times do interior do estado, classificando-se para a Copa do Brasil. Só Coritiba e Atlético superaram o Leão do Vale.

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Goleiros
Jogador
Brasil Vitor Paes
Brasil Vitor Hugo
Brasil Rudy
Brasil Jaílson
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Marcão Z
Brasil Negretti Z
Brasil Maurício Z
Brasil Betão Z
Brasil Marcelo Z
Brasil Jean Z
Brasil Luiz Fernando Z
Brasil Jamesson LD
Brasil Lima LD
Brasil Carlinhos LE
Brasil Ganzer LE
Brasil Gege LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Davi V
Brasil Jovane V
Brasil Jr. Negrão V
Brasil David V
Brasil Jader V
Brasil Diego Douglas M
Brasil Tiago Santos M
Brasil Edu Amparo M
Brasil Jonata M
Brasil Antony M
Brasil João Henrique M
Atacantes
Jogador
Brasil Osvaldo
Brasil Elton
Brasil Jefferson
Brasil Hely
Brasil Marquinhos Cambalhota
Brasil Daniel Tavares
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Bagé T

Participações em competições profissionais[editar | editar código-fonte]

Campeonato estadual[editar | editar código-fonte]

Copa Paraná[editar | editar código-fonte]

  • Copa Paraná 2006 (Copa dos Cem Anos) 4º lugar
  • Copa Paraná 2007 3º lugar
  • Copa Paraná 2008 2º lugar

Nacional[editar | editar código-fonte]

Ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

Ranking atualizado em dezembro de 2014

  • Posição: 93°
  • Pontuação: 527 pontos[1] [2]

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol para pontuar todos os clubes do Brasil[3] .

Ranking da FPF[editar | editar código-fonte]

  • Posição: 38º
  • Pontuação: 24 pontos
  • Participação: 7 Vezes

Ranking criado pela Federação Paranaense de Futebol que pontua todos os times do Paraná.

Referências

  1. RNC - RANKING NACIONAL DOS CLUBES 2015 Confederação Brasileira de Futebol - acessado em 11 de dezembro de 2014
  2. Ranking ao final de 2014 - Paraná cai e dupla Atletiba se mantém na mesma colocação no ranking da CBF Jornal Gazeta do Povo - ed. 9 de dezembro de 2014
  3. Cruzeiro lidera o Ranking Nacional de Clubes 2015 CBF