Roger Galera Flores

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Roger
Roger
Roger no carnaval de 2012.
Informações pessoais
Nome completo Roger Galera Flores
Data de nasc. 17 de agosto de 1978 (35 anos)
Local de nasc. Rio de Janeiro (RJ),  Brasil
Altura 1,72 m
Canhoto
Apelido Chinelinho, Maradoninha
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição ex-Meia
Clubes de juventude
1989–1993
1994–1996
Brasil Flamengo
Brasil Fluminense Sub-20
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1996–2000
2000–2005
2001–2002
2004
2005–2008
2007
2008
2008–2010
2009
2010–2012
Brasil Fluminense
Portugal Benfica
Brasil Fluminense (emp.)
Brasil Fluminense (emp.)
Brasil Corinthians
Brasil Flamengo (emp.)
Brasil Grêmio (emp.)
Catar Qatar S.C.
Catar Al-Sailiya (emp.)
Brasil Cruzeiro
119 000(28)
040 0000(6)
039 000(16)
044 0000(5)
103 000(22)
015 0000(2)
022 000(10)
020 0000(4)
009 0000(2)
101 000(12)
Seleção nacional3
2000
2004
Brasil Brasil Olímpico
Brasil Brasil
006 0000(1)
001 0000(2)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 9 de maio de 2012.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 2 de março de 2012.

Roger Galera Flores (Rio de Janeiro, 17 de agosto de 1978) é um ex-futebolista brasileiro, que atuava como meia. Foi revelado pelo Fluminense e passou por clubes como Flamengo, Corinthians, Grêmio, Benfica e Cruzeiro.

Atualmente, exerce a função de comentarista esportivo no canal de televisão por assinatura SporTV.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Roger iniciou sua carreira profissional no Fluminense em 1996, quando tinha somente 18 anos de idade. Dois anos mais tarde, despontou na conquista da Copa Rio, tendo feito quatro gols na decisão. Em 1999, foi o líder da equipe tricolor que conquistou o título do Série C. Na época, o emergente craque tricolor chegou a receber de Carlos Alberto Parreira, consagrado técnico da Seleção Brasileira de 94, o apelido de Maradoninha.

Estreou pelo Brasil no dia 9 de agosto de 2000, em um amistoso contra o Chile, na cidade de Ovalle, em preparação para as Olimpíadas de Sydney. Marcou o seu primeiro gol pela Seleção no jogo seguinte, também contra o Chile, em Florianópolis. Atuou seis vezes pela Seleção, marcando quatro gols, dois deles no "Jogo da Paz", amistoso entre as seleções do Brasil e do Haiti, uma contribuição do Brasil para a Missão das Nações Unidas para a estabilização no Haiti.

Em 2001, após um notável início de carreira no Fluminense, Roger foi vendido ao Benfica, tradicional clube português. No entanto, o brasileiro jamais conseguiu se firmar em Portugal, de modo que, durante seus cinco anos de contrato com o Benfica, chegou a ser emprestado ao Fluminense por duas vezes, ocasiões em que carregou junto com Magno Alves o time do Fluminense nas costas.

Terminado seu contrato com o Benfica em 2005, Roger acertou sua ida para o Corinthians, clube onde viveu bons e maus momentos. Em seu primeiro ano, juntou-se a Carlitos Tévez, Carlos Alberto e Nilmar, na conquista do Brasileirão de 2005. Foi muito importante na campanha do Corinthians, tendo sido eleito o melhor meia-esquerda do campeonato. Contudo, lesionou-se no final da competição e não pode ajudar o time na reta final. Roger também ficou de fora do time no início de 2006. Quando voltou a ter condições de jogar, o meia Ricardinho ocupava sua posição e, assim, iniciou-se a primeira de muitas desavenças com treinadores corintianos. Em 2007, não voltou a ter bom rendimento no Corinthians e acabou sendo barrado.

Descontente com sua condição no Corinthians, em meados de 2007, Roger acabou acertando sua transferência para o Flamengo[1] . O jogador, que já havia atuado pelo Flamengo nas divisões juvenis, assinou um contrato com o clube rubro-negro até o dia 31 de dezembro de 2007, quando o Flamengo então poderia contratá-lo definitivamente se pagasse a quantia de US$ 500 mil (cerca de R$ 950 mil)[2] .

A sua passagem pelo rubro-negro carioca não durou muito, tendo altos e baixos. Roger chegou a ser afastado da equipe pelo treinador Joel Santana por causa da sua forma física[3] [4] , regressando após a recuperação.

Entretanto, terminado o prazo de seu empréstimo, o Flamengo, alegando o alto salário do jogador (R$ 43 mil por partida[5] ), decidiu dispensá-lo do clube. Com a saída do clube carioca, Roger regressou ao Corinthians no início de 2008. Fora dos planos do técnico Mano Menezes, Roger foi liberado pelo Timão e foi jogar no Grêmio, por empréstimo, inicialmente até o final de 2008.

Roger foi o destaque da equipe do Grêmio no Campeonato Gaúcho, tendo até entrado na seleção da competição. Em 4 de julho, Roger encerrou sua passagem pelo Grêmio. Após apenas cinco meses no clube gaúcho, ele recebeu uma proposta do Qatar Sports Club. O Corinthians, dententor de seus direitos federativos, o liberou, e uma cláusula no contrato de empréstimo do jogador com o Tricolor garantia a sua saída do clube em caso de uma proposta de um clube do exterior[6] [7] . A negociação surpreendeu uma maioria imensa de torcedores e dirigentes do Grêmio. André Krieger, vice-presidente de futebol do clube, ficou sabendo da saída do jogador apenas no dia em que ela foi concluída[8] . Roger fez 22 partidas (14 completas) pelo Tricolor e marcou 10 gols, sendo 7 de cobranças de pênaltis (quatro no Campeonato Brasileiro, quatro no Campeonato Gaúcho e dois na Copa do Brasil).

Em 13 de julho de 2008, Roger foi apresentado no Qatar S.C.[9] .

Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

No dia 4 de fevereiro de 2010, Roger foi apresentado como reforço do Cruzeiro para a disputa da Copa Libertadores da América e do Brasileirão.[10] Sua estreia pelo time mineiro foi no dia 20 de fevereiro, na vitória por 3 a 1 contra o Atlético Mineiro. Mesmo jogando apenas cerca de 15 minutos, teve um papel importante na vitória do time. O meia cobrou o escanteio para Leonardo Silva marcar o segundo gol do time e em seguida ele próprio marcou o terceiro, com um chute de fora da área.[11] [12] . Em 2012, acertou sua rescisão de contrato com a equipe celeste depois de 2 anos e meio no clube.[13]

Como comentarista[editar | editar código-fonte]

Roger depois que encerrou sua carreira no cruzeiro, virou comentarista do Sportv, fazendo pontas também na Rede Globo e Premiere FC. Foi cotado para ser comentarista na Globo nos jogos do mundial de 2014.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Em 2009, Roger casou-se com a atriz Deborah Secco, namorada com quem morava há cerca de dois anos. A cerimônia foi realizada em Itaipava, distrito de Petrópolis, no Rio de Janeiro.[14]

O casal se separou em abril de 2013 amigavelmente, por motivos não revelados.[15]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Fluminense
Benfica
Corinthians
Flamengo
  • Rio de Janeiro Troféu 100 Anos do Hospital Souza Aguiar: 2007
  • Paraná Troféu Camisa: 2007
  • Brasil Troféu CBF: 2007
Qatar S.C.
  • Catar Copa do Príncipe Herdeiro: 2009
Grêmio
Cruzeiro

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

  • Bola de Prata (Placar): 2001
  • Melhor Meia-esquerda do Campeonato Brasileiro de 2001 (Prêmio Revista Placar)
  • Melhor Meia-esquerda do Campeonato Brasileiro de 2005 (Prêmio Craque do Brasileirão)
  • Meia da Seleção do Campeonato Gaúcho de 2008
  • Ídolo da Galera (Troféu Globo Minas 2011)

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Todos os gols de Roger pelo Corinthians:

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Roger Galera Flores