Clube Desportivo Nacional

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nacional
Nome Clube Desportivo Nacional
Alcunhas Alvinegros, Nacionalistas
Fundação 8 de dezembro de 1910
Estádio Estádio da Madeira (5 500 lugares)
Presidente Portugal Rui Alves
Treinador Portugal Manuel Machado
Equipamento Dinamarca Hummel
Liga Portugal Primeira Liga
2012–13 Primeira Liga, 8º
Website cdnacional.pt
Kit left arm utrecht12a.png Kit body cdnacional1213h.png Kit right arm utrecht12a.png
Kit shorts nacional1011h.png
Kit socks colocolo11a.png
Primeiro
Kit left arm cdnacional1213a.png Kit body cdnacional1213a.png Kit right arm cdnacional1213a.png
Kit shorts black sides.png
Kit socks.png
Alternativo
[[Portugal Primeira Liga de 2013–14|Temporada atual]]

O Clube Desportivo Nacional é um clube português fundado na Madeira a 8 de dezembro de 1910. É muitas vezes referido como Nacional da Madeira ou simplesmente Nacional. A principal modalidade do clube é o futebol contando com várias participações na Primeira Liga, o primeiro escalão português.

História[editar | editar código-fonte]

No começo do século XX o futebol ia ganhando entusiasta em Portugal e a Madeira não era excepção. Um grupo de jovens locais descobriu a paixão pelo desporto em partidas realizadas no Campo do Brás em 1908, num período em que o futebol na ilha era quase um exclusivo inglês. Esse grupo resolveu organizar jogos com alguma regularidade. Seria esse grupo o núcleo fundador que a 8 de Dezembro de 1910, por sugestão Antonino Figueira, fundou o Nacional Sport Grupo, com o preto e branco como cores.

Depois de um longo período de aprendizagem e amadurecimento em 1916 o Nacional começou a disputar competições. Foi também nesse ano que o clube passou a denominar-se Grupo Desportivo Nacional. A actual denominação só chegaria em 1922.

Três ano mais tarde o Nacional dá inicio a construção de raiz do primeiro estádio do arquipélago: o Estádio dos Barreiros, que seria inaugurado em 1927 num jogo contra o Vitória de Setúbal.

Na década seguinte o Nacional conquista os seus primeiros campeonatos da Madeira (1935, 1937 e 1939). Nos anos quarenta, aproveitando um período de menor fulgor do Marítimo o Nacional torna-se na potência desportiva da ilha, conquistando três campeonatos da Madeira consecutivos.

Com o fim da II Guerra Mundial o futebol do Nacional perdeu fulgor e durante longos anos assistiu ao domínio dos verde-rubros e do União.

Entrada nos nacionais

Só em 1975, após conquistar o Campeonato da Madeira novamente é que o Nacional pode finalmente participar no Campeonato Nacional da III Divisão.

Em 1977/78 ascendeu à II Divisão e em 1987/88 estreou-se no primeiro escalão. Nesse primeiro período na I Divisão que durou até 1991 destaca-se uma histórica vitória no Estádio das Antas por 1x2 que espantou o país desportivo.

Caído na então II Divisão de Honra o Nacional manteve-se a meio da tabela durante 3 anos, caindo para a II Divisão B no ano seguinte.

Entrando num período de crise os alvinegros, voltaram a subir ao segundo escalão para cair novamente ao terceiro escalão, com mais um último lugar.

Com o Rui Alves na presidência o clube começa a modernizar-se iniciando a construção de um novo estádio na Choupana com o objectivo de abandonar os Barreiros. Em 1998 inicia-se a construção do Estádio Engenheiro Rui Alves que é inaugurado em 2000. No primeiro dia de Junho de 2007 seria rebaptizado de Estádio da Madeira.

Regresso à I Liga e presenças na Europa

Só em 1999/00 o Nacional voltaria a subir à II Liga, mas pouco depois, em 2001/02 estava de regresso ao escalão maior do futebol português.

Após um 11º lugar no ano do regresso, o Nacional orientado por Casimiro Mior consegue a melhor classificação da sua história, acabando em 4º lugar e apurando-se para a Taça UEFA onde se estreou na época seguinte defrontando os andaluzes do Sevilla.

Em 2004/05 o Nacional conseguiu o resultado mais espectacular da sua história vencendo em pleno Estádio do Dragão o FC Porto com um esmagador 0x4.

O clube volta a participar na Taça UEFA sendo eliminado na 1ª eliminatória pelo Rapid de Bucareste na época 2006/07, depois de no campeonato anterior ter conseguido um excelente quinto lugar.

2009 foi o ano em que o Nacional igualou a melhor classificação da sua história conseguindo também chegar às meias-finais da Taça de Portugal, onde acabou por ser eliminado pelo Paços de Ferreira.

Um ano depois o Nacional fez uma excelente carreira na Liga Europa, eliminando os russos do Zenit com um 4x3 no Funchal e um 1x1em São Petersburgo, qualificando-se para a fase de grupos da competição onde não conseguiu seguir em frente pela forte oposição de Werder Bremen e Athletic Bilbau.

A época de 2010/11 valeu nova qualificação para a Liga Europa, além de uma nova presença nas meias-finais de uma Taça, desta vez a Taça da Liga, para novamente perderem a passagem para a final por culpa do Paços de Ferreira.

No século XXI o Nacional tem sido um exemplo de boa gestão. Conseguindo construir um estádio novo, reestruturar-se com a nova academia e lançando jovens promessas como Rúben Micael.

Com dos quartos lugares e quatro presenças nas competições europeias, o Nacional conseguiu neste início de século não só ombrear com o grande rival Marítimo como em muitas situações ultrapassa-lo.

Stadium Barreiros

Desde o início do século XX, uma importante parte dos Madeirenses sentiram a necessidade da região possuir um estádio polivalente pois, modalidades como o futebol, atletismo e outras, passaram a ter um papel importe na sociedade madeirense do início do século.

O Nacional, em 1920 oficializa a intenção de construir um estádio, que não só servisse para a prática do futebol mas também para outras modalidades.

Após uma procura exaustiva de terrenos que permitissem a construção de um estádio de média dimensão, foram seleccionados três possíveis localizações, um na Rua Nova da Alegria, o outro junto à Levada de Santa Luzia, e o terceiro perto da Estrada Monumental.

Devido às facilidades que o proprietário do terreno ofereceu, e como o Clube tinha as suas raízes nesta zona, ficou decido que o estádio seria junto à Estrada Monumental.

Por volta de 1923, deu-se início à arrecadação de fundos, e com as facilidades dadas pelo proprietário, em curto espaço de tempo a obra teve início. Como a obra obteve diversos apoios, devido ao cariz sócio-desportivo, foi concluída dentro do período esperado, apesar dos diversos entraves que surgiram. A sua inauguração teve lugar no dia 26 de Julho de 1927 na presença dos mais altos dignitários da sociedade madeirense.

Estádio da Madeira[editar | editar código-fonte]

O Estádio da Madeira, anteriormente chamado de Estádio Eng. Rui Alves e conhecido informalmente como Estádio da Choupana, é um estádio de futebol no Funchal, Ilha da Madeira, Portugal. Possui capacidade para 5.500 adeptos. Atualmente, sedia os jogos do Clube Desportivo Nacional da Madeira Jr.

Presenças (inc. 14/15)[editar | editar código-fonte]

Nº Presenças Títulos
Temporadas na 1ª 16
Temporadas na Liga de Honra 8
Temporadas na 2ª 4 1
Temporadas na 3ª 4
Taça de Portugal 44
Taça da Liga 8

Palmarés[editar | editar código-fonte]

Classificações[editar | editar código-fonte]

Qualificação à divisão superior
Desqualificação à divisão inferior

Treinadores[editar | editar código-fonte]

  • João Batista Pinheiro (1993-1994)
  • José Rachão (1994)
  • Rui Mâncio (1994-1996)
  • Rodolfo Reis (1996)
  • Daniel Miranda (1996)
  • José Moniz (1996-1997)
  • Jair Picerni (1997-1998)
  • José Alberto Torres (1998)
  • David Gomes (1999)
  • José Peseiro (1999-2003)
  • Casimiro Mior (2003-2004)
  • João Carlos Pereira (2004-2005)
  • Manuel Machado (2005-2006)
  • Carlos Brito (2006-2007)
  • Jokanovic (2007-2008)
  • Manuel Machado (2008-2010)
  • Predrag Jokanovic (2010–2011)
  • Ivo Vieira (2011-2011)
  • Pedro Caixinha (2011-2012)
  • Manuel Machado (2012-..)

Equipa Técnica[editar | editar código-fonte]

Equipa técnica
Nacionalidade Nome Posição
Portugal Português Manuel Machado Treinador
Portugal Português Basílio Marques Treinador Adjunto
Portugal Português José Augusto Treinado Adjunto
Brasil Brasileiro Emidio Junior Treinador de Guarda-redes

Modalidades Amadoras[editar | editar código-fonte]

  • Futebol
  • Futebol de Praia
  • Futsal
  • Futebol Feminino
  • Natação
  • Automobilismo
  • Karaté
  • Ginástica Artística
  • Ginástica Rítmica
  • Ténis
  • Bridge
  • Bilhar
  • Judo
  • Modelismo

Marcha do Nacional[editar | editar código-fonte]

Rapazes do Nacional

Cantai a nossa Marchinha

Cantai com todo o calor

P'ra animar nossa gentinha

Defendemos nosso brio

Com orgulho e altivez

Porque somos

Desta raça

Deste povo Português

NACIONAL

Clube da nossa Simpatia

Nosso ideal

É lutar com galhardia

Quando no campo entramos

Com os nossos jogadores

Vê-se vibrar nossa gente

Aclamando nossas cores

Sentimos dentro de nós

Ter qualquer coisa de novo

Porque somos com vaidade

A alma do nosso povo

Claques Oficiais e Grupos de Adeptos[editar | editar código-fonte]

Claques de C.D. Nacional
  • Claque "Força Alvi-Negra"
  • Claque Feminina do Nacional
  • "Grupo Os Alvi-negros"
  • "Grupo Os Preto-e-Brancos"
  • Juventude Alvinegra
  • Claque "Go Nacional"

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Clube Desportivo Nacional