Condeixa-a-Nova

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Condeixa-a-Nova
Brasão de Condeixa-a-Nova Bandeira de Condeixa-a-Nova
Brasão Bandeira
Câmara Municipal de Condeixa-a-Nova.JPG
Câmara Municipal de Condeixa-a-Nova com monumento aos Combatentes Mortos na I Guerra Mundial em primeiro plano.
Localização de Condeixa-a-Nova
Gentílico Condeixense
Área 138,68 km²
População 17 078 hab. (2011)
Densidade populacional 123,15 hab./km²
N.º de freguesias 7
Presidente da
Câmara Municipal
Nuno Moita (PS)
Fundação do município
(ou foral)
1514
Região (NUTS II) Centro
Sub-região (NUTS III) Baixo Mondego
Distrito Coimbra
Antiga província Beira Litoral
Orago Santa Cristina
Feriado municipal 24 de Julho (Santa Cristina)
Código postal 3150
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

Condeixa-a-Nova é uma vila portuguesa no Distrito de Coimbra, região Centro e sub-região do Baixo Mondego, com cerca de 5 100 habitantes. Situa-se a 10 km da capital do distrito.

O município[editar | editar código-fonte]

É sede de um município com 138,68 km² de área[1] e 17 078 habitantes (2011),[2] [3] subdividido em 7 freguesias[4] que incluem um total de 88 lugares.[carece de fontes?] O município é limitado a norte pelo município de Coimbra, a leste por Miranda do Corvo, a sueste por Penela, a sudoeste e oeste por Soure e a noroeste por Montemor-o-Velho.

É um concelho que apresenta uma componente serrana, onde predomina a agricultura de subsistência e uma outra mais plana, em que a atividade agrícola é bastante mais rentável. Apesar de ser um município em que a população se dedica principalmente à agricultura, começam a implantar-se algumas industriais, resultantes certamente da sua localização estratégica.

Na freguesia do Sebal está implantada uma zona industrial onde sobressaem, entre outras, fábricas de indústria farmacêutica e de cerâmica para revestir pavimentos e paredes. A produção artesanal de louças pintadas à mão é uma atividade que ainda emprega muitas dezenas de pessoas, devido à grande percentagem destes artigos que se consegue enviar para exportação. A zona industrial de Condeixa, de 651.566 metros quadrados, encontra-se a 40 km do porto da Figueira da Foz, a 70 km do porto de Aveiro, a 130 km do Aeroporto do Porto e 200 km do Aeroporto de Lisboa.[5]

Bem perto de Condeixa-a-Nova, estão localizadas as Ruínas de Conímbriga, cujo Museu Monográfico constitui um pólo de grande interesse turístico e de investigação histórica. Segundo o jornal Expresso [6] , o Museu de Conímbriga é o segundo mais visitado do país, ultrapassado apenas pelo Museu dos Coches em Lisboa.

Quanto à atividade sócio-cultural, há a destacar, entre outras, o Museu Monográfico de Conímbriga, a Casa Museu Fernando Namora, A Fundação de Condeixa e muitas associações espalhadas um pouco por todo o concelho.

É considerada por alguns como a Vila portuguesa com mais casas apalaçadas.[carece de fontes?] Podemos, num pequeno passeio encontrar o Palácio dos Costa Alemão, infelizmente já só temos uma pequena parte das ruínas da casa solarenga da Quinta de São Tomé, temos o Palácio dos Sotto Mayor, as atuais instalações da Câmara Municipal também eram um Palácio, na Praça da República temos mais uma casa senhorial e a recuperada Pousada de Santa Cristina, antigo palácio incendiado aquando das invasões francesas.

Demografia[editar | editar código-fonte]

População do concelho de Condeixa-a-Nova (1849 – 2012)
1849 1900 1930 1960 1981 1991 2001 2011 2012
8 733 11 875 12 149 13 555 13 257 13 027 15 340 17 078 17 320

Freguesias[editar | editar código-fonte]

Freguesias do concelho de Condeixa-a-Nova.

Depois da reforma administrativa nacional de 2013,[4] o concelho de Condeixa-a-Nova está dividido em 7 freguesias::

História[editar | editar código-fonte]

Igreja Matriz de Condeixa-a-Nova, erigida no séc. XVI e reconstruída depois das invasões francesas

No local de Conímbriga existem vestígios que indiciam a sua povoação desde o Neolítico, com testemunhos diversos a partir do Calcolítico. Depois da ocupação por parte dos Celtas, foi ocupado pelos romanos em 138 a.C. até ao fim do Império Romano.

Apenas em 1219 surge o primeiro documento que enuncia Condeixa, um pequeno sítio com uma área aproximada de 800 metros quadrados, embora seja provável que as terras de Condeixa fizessem parte dos territórios doados por D. Afonso Henriques ao Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra. Os frades do Mosteiro ficaram encarregues de povoar as terras que lhes pertenciam e, entre outras terras, fundaram Condeixa-a-Nova porque Condeixa-a-Velha já existia, pelo menos, desde o abandono de Conímbriga.

Nos primeiros séculos da sua existência, Condeixa-a-Nova cresceu pouco e no início do século XVI contava apenas com 20 famílias (fogos). Mas em 1502, o rei de Portugal , D. Manuel I quando se deslocava para Santiago de Compostela passou por Condeixa-a-Nova e gostou da paisagem e do clima. Talvez por isso, mandou construir a Igreja Matriz e em 1514 deu um foral à vila. Formou-se então a Freguesia de Condeixa-a-Nova com terras que pertenciam às freguesias de Condeixa-a-Velha e do Sebal.

Por causa do foral e sobretudo devido à localização estratégica na estrada Lisboa-Coimbra-Porto, Condeixa-a-Nova foi-se desenvolvendo e crescendo bastante, de tal modo que em 1601 já tinha aproximadamente 200 fogos, ou seja, entre 800 e 1000 pessoas.

Apesar da sua prosperidade, vila sofreu imensamente com as com as invasões francesas, tendo sido invadida e violentamente saqueada e posteriormente, incendiados diversos palácios e outros edifícios, entre os quais a Igreja Matriz, que teve de ser reconstruída no estilo neo-clássico que exibe atualmente.

A 17 de Abril de 1838, Condeixa deixou de fazer parte do concelho de Coimbra e passou ela própria a ser concelho.

Atualmente, Condeixa é uma vila relativamente desenvolvida, com indústria e comércio próprios. Além disso, beneficia da proximidade com Coimbra e com Conímbriga.

Património Histórico[editar | editar código-fonte]

Personalidades Ilustres[editar | editar código-fonte]

Geminações[editar | editar código-fonte]

O concelho de Condeixa-a-Nova é geminado com as seguintes cidades [7] :

Referências

  1. Instituto Geográfico Português (2013). Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2013 (XLS-ZIP). Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013. Direção-Geral do Território. Página visitada em 28/11/2013.
  2. INE. Censos 2011 Resultados Definitivos – Região Centro. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística, 2012. p. 98. ISBN 978-989-25-0184-0 ISSN 0872-6493 Página visitada em 27/07/2013.
  3. INE (2012). Quadros de apuramento por freguesia (XLSX-ZIP). Censos 2011 (resultados definitivos). Instituto Nacional de Estatística. Página visitada em 27/07/2013. "Tabelas anexas à publicação oficial; informação no separador "Q101_CENTRO""
  4. a b Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  5. Boletim informativo da CMC - Zona Industrial
  6. Semanário Expresso, 05 de Dezembro de 2007 Museus: Visitantes dos museus nacionais ultrapassaram um milhão pelo segundo ano consecutivo. Acedido a 23 de setembro de 2013.
  7. Geminações de Condeixa

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Condeixa-a-Nova