Doggystyle

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Doggystyle
Álbum de estúdio de Snoop Doggy Dogg
Lançamento 23 de Novembro de 1993
Gravação Janeiro-Outubro de 1993
Gênero(s)
Duração 53:24
Idioma(s) Inglês
Formato(s)
Gravadora(s)
Produção
Certificação Quadruple Platinum.png 4× Platina (RIAA)
Cronologia de Snoop Doggy Dogg
Último
Último
Murder Was the Case
(1994)
Próximo
Próximo
Singles de Doggystyle
  1. "What's My Name?"
    Lançamento: 30 de Outubro de 1993
  2. "Gin and Juice"
    Lançamento: 15 de Janeiro de 1994
  3. "Doggy Dogg World"
    Lançamento: 26 de Junho de 1994

"Doggystyle" é o álbum de estréia do rapper estadunidense Snoop Dogg, quando ainda usava a alcunha de Snoop Doggy Dogg, lançada pela editora discográfica Death Row Records em 23 de Novembro de 1993. O disco foi gravado logo apos o lançamento do álbum de estréia de Dr. Dre, The Chronic, no qual Snoop Dogg contribuiu significativamente.[1] Os críticos elogiaram o artista pelo seu "realismo lírico" e seu fluxo vocal distinto.

Apesar de inicialmente ter recebido algumas críticas mistas apos seu lançamento, Doggystyle é considerado um dos álbuns mais importantes da musica na década de 1990, bem como um dos álbuns de Hip Hop mais importantes já lançado. Com estilo muito parecido com o álbum de estréia de Dre, fez com que Doggystyle fosse um dos impulsionadores do G-funk no Mainstream americano, e tornou o West Coast hip hop uma força dominante nas rádios no início dos anos 90. Em maio de 1994 a Recording Industry Association of America certificou o álbum como quadrupla platina, sendo o álbum de Snoop mais vendido no país.[2]

Doggystyle foi um sucesso absoluto em sua semana de estréia, vendendo incríveis 802,858, alcançando o recorde de vendas para um artista estreante, e também o álbum de Hip Hop com maior vendagem na primeira semana, perdendo o posto sete anos depois para The Marshall Mathers LP, do rapper Eminem. Alem dos recordes de vendas o disco estreou na primeira posição na Billboard 200, na qual permaneceu na liderança por três semanas não consecutivas, e por cinco semanas na Billboard R&B/Hip-Hop Albums. Doggystyle foi incluído na lista da revista The Source como um dos 100 Melhores Álbuns Rap, bem como na lista da Rolling Stone dos Álbuns Essenciais da década de 1990.[3] O site About.com incluiu o disco na decima nona posição na lista dos melhores álbuns de hip hop/rap de todos os tempos.[4] [5]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Snoop Dogg chamou a atenção da indústria da música em 1992, por meio de suas contribuições vocais no álbum The Chronic de Dr. Dre. Esse álbum é considerado ter "transformado o som da West Coast hip hop" pelo seu desenvolvimento do que mais tarde se tornou conhecido como o som "G-funk". "The Chronic" expandiu o Gangsta rap com palavrões, letras anti-autoritários e a uso amostras tiradas de singles de Funk dos anos 1970's. Snoop Dogg contribuiu com vocais para single solo, "Deep Cover" de Dre, o que levou a um alto grau de expectativa no mundo do hip hop para o lançamento de seu próprio álbum solo.

Doggystyle e The Chronic estão associados uns com os outros principalmente porque cada um destaque especial Snoop Dogg e porque ambos contêm produção estilo G-funk de Dr. Dre. Os dois lançamentos são ligados pelo elevado número de contribuições vocais de artistas da Death Row Records , incluindo Tha Dogg Pound, RBX, The Lady of Rage, enquanto ambos contêm uma elevada densidade de letras misóginas e palavrões em seus versos. Além disso, os dois álbuns são vistos pelos críticos como início de "clássicos G-funk". "Doggystyle" também marcou a estréia de Nanci Fletcher, filha de lenda do jazz Sam Fletcher.

O Gangsta rap foi muito criticado por suas letras extremas, que são frequentemente acusadas de glamorizar a violência das gangues, e os crimes de negros contra negros. Os rapper's Gangsta responderam que eles estavam simplesmente descrevendo as realidades da vida em lugares como Compton, Califórnia, e Long Beach, Califórnia. Descrevendo Doggystyle em 1993, Snoop Dogg da mesma forma aponta para o realismo do álbum, e na medida em ao qual está baseado em sua experiência pessoal. Ele disse: "Eu não posso fazer rap sobre algo que eu não sei. Você nunca vai me ouvir cantando rap de grau de bacharel. É só o que eu sei e é isso que a vida nas ruas. É toda a vida cotidiana, a realidade." Explicando suas intenções, Snoop Dogg afirma que ele sente que ele é um modelo para muitos jovens negros, e que suas canções são projetados para se relacionar com as suas preocupações. "Para as crianças pequenas crescendo nos guetos", disse ele, "é fácil entrar os tipos errados de coisas, especialmente gangues e venda de drogas. Eu vi como foi aquilo, e eu não glorificando, mas...Eu não prego eu mostro para eles em vez de mandá-los ir descobrir mais sozinhos" Ele explicou ainda o "sonho" que ele iria prosseguir depois de fazer o álbum: "Eu vou tentar para eliminar a violência das gangues. Eu vou estar em uma missão de paz. Eu sei que eu tenho um monte de poder. Eu sei que se eu digo: 'Não matarás', os manos não vai matar".

Gravação[editar | editar código-fonte]

Doggystyle foi gravado no início de 1993 nos estúdios da Death Row Records. Foi produzido em um estilo similar ao The Chronic, alguns críticos chamaram de uma "cópia" por essa similaridade com o álbum de Dre. Snoop Doggy Dogg colaborou com dois grupos no disco, 213 e Tha Dogg Pound. Daz Dillinger, do último grupo, acusa Dr. Dre de tomar reconhecimento individual para as músicas, e alegou que ele e Warren G que fizeram a maioria das faixas. O co-fundador da Death Row Records Suge Knight declarou em 2013 que, "Daz praticamente fez todo o álbum", e que o crédito foi assinado por Dr. Dre. Snoop Dogg disse que Dr. Dre foi capaz de fazer batidas, sem a ajuda de colaboradores e abordou as questões com Warren G e Daz, afirmando que "Eles fizeram as batidas, Dre as produziu". Ele discutiu a faixa "Ain't No Fun", mencionando que Daz e Warren G levaram a batida para Dre, mas "Dre teve que levá-la para o próximo nível!".

Durante a gravação de Doggystyle em agosto de 1993, Snoop Dogg foi preso pela acusação de assassinato de Phillip Woldermarian, um membro de uma gangue rival, que foi baleado e morto em uma briga de gangues. De acordo com as acusações, o guarda-costas do rapper, McKinley Lee, baleou Woldermarian quando Snoop Dogg dirigia o veículo, o rapper alegou que auto-defesa, alegando que a vítima estava perseguindo ele. Ele passou a maior parte do ano de 1995 se preparando para o julgamento no final daquele ano. Ele foi inocentado de todas as acusações em fevereiro de 1996, quando ele começou a trabalhar em seu segundo álbum, Tha Doggfather.

Significado do título[editar | editar código-fonte]

O título do álbum faz alusão à posição sexual "Doggy style" e é uma referência ao nome do músico. A obra de arte, o que foi feito pelo artista Joe Cool, representa os temas abordados no álbum e no estilo de implementação dessas idéias. Alguns críticos acreditam que a obra de arte retrata uma mulher apenas como um objeto sexual para o homem, que eles acreditam que adere aos temas líricos narcisistas e sexistas que Snoop Dogg cobre no disco. Nesta interpretação, a arte da capa e letras transmitem o que eles se referem como a auto-indulgente "gangsta" estilo de vida,que engloba drogas, carros, sexo e dinheiro. a obra de arte utiliza várias citações do single "Atomic Dog" de George Clinton. As citações vêm dos cães na parte superior da parede de tijolo na capa do álbum, que dizem: "Why must I feel like dat?", "Why must I chase da cat?" e "Nuttin' but da dogg in me"

Recepção[editar | editar código-fonte]

Crítica profissional[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
AllMusic 5 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svg[1]
Robert Christgau (dud)[6]
Entertainment Weekly B−[7]
Melody Maker favorável[8]
NME favorável[9]
Rolling Stone 4 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar empty.svg (1994)[10]
Rolling Stone 5 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svg (2004)[11]
The Source 4 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar empty.svg (1994)[12]
The Source 5 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svg (2002)[13]
Yahoo! Music favorável[14]

"Doggystyle" foi largamente elogiado pela crítica. O álbum recebeu cinco estrelas em cinco possíveis do portal musical AllMusic, considerando o álbum o melhor no estilo G-funk lançado nos anos 90.[1] Já a revista Rolling Stone na crítica original em 1994 deu a o álbum quatro estrelas em cinco possíveis, mais tarde em 2004 a revista deu a o disco pontuação máxima o considerando um clássico do hip hop.[10] Fato semelhante acorreu com a analise da revista The Source.[13] Um ponto critica pela crítica é que "Doggystyle" foi um álbum completo, tendo canções de grande qualidade lirica, e algumas canções mais populares que os próprios singles.[15] A revista NME colocou o disco como "álbum de referência para o hip hop".

Performance comercial[editar | editar código-fonte]

A partir de 2013 o álbum já vendeu 5,5 milhões de cópias nos Estados Unidos. Ele foi certificado quatro vezes platina pela Recording Industry Association of America em 31 de maio de 1994. Sendo o mais bem sucedido álbum de Snoop Dogg até a data. seus álbuns seguintes foram certificados no maximo platina duplo. Doggystyle apareceu pela primeira vez nas paradas de música em 1993 no topo da Billboard 200 e Top R&B/Hip-Hop Albums. Re-alcançou a posição o número um na Billboard 200 em janeiro de 1994, quando ele já foi certificado três vezes platina pela RIAA. A gravação foi suavemente bem sucedido na Europa, alcançando as paradas de álnuns na Suécia, Alemanha, Áustria e Nova Zelândia. No final de 1994, o álbum foi terceiro colocado no gráfico anual da Billboard, e foi o lider no gráfico anual da Top R&B/Hip-Hop Albums. o álbum reentrou nas paradas em 2003, na parada de álbuns da Irlanda. Atualmente estimasse que o álbum tem mais de 6,1 milhões de copias vendidas no país de origem.

Faixas[editar | editar código-fonte]

  • Todas as faixas foram produzidas por Dr. Dre.
N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Bathtub (Skit)" (com Warren G) Calvin Broadus, Jr. 1:50
2. "G Funk Intro" (com The Lady of Rage, Dr. Dre, George Clinton) Calvin Broadus, Jr., Robin Allen 2:24
3. "Gin and Juice"   Calvin Broadus, Jr., Andre Young, Harry Wayne Casey, Richard Finch 3:31
4. "W Balls (Interlude)" (com Queen of Funk, Ricky Harris) Calvin Broadus, Jr. 0:36
5. "Tha Shiznit"   Calvin Broadus, Jr., Andre Young 4:03
6. "House Party (Interlude)" (com Daz Dillinger, Dr. Dre) Calvin Broadus, Jr. 0:37
7. "Lodi Dodi" (com Nancy Fletcher) Calvin Broadus, Jr., Douglas Davis, Hachidai Nakamura, Rokusuke Ei 4:24
8. "Murder Was the Case" (com Daz Dillinger) Calvin Broadus, Jr., Andre Young, Delmar Arnaud 3:38
9. "Serial Killa" (com Tha Dogg Pound, RBX, Tracy Curry) Calvin Broadus, Jr., Andre Young, Delmar Arnaud, Bootsy Collins 3:35
10. "Who Am I (What's My Name?)"   Calvin Broadus, Jr., Andre Young, George Clinton, Garry Shider, David Spradley 4:06
11. "For All My Niggaz & Bitches" (com Tha Dogg Pound, The Lady of Rage, Lil' ½ Dead) Calvin Broadus, Jr., Delmar Arnaud, Ricardo Brown, Robin Allen 4:42
12. "Ain't No Fun (If the Homies Can't Have None)" (com Warren G, Nate Dogg, Kurupt) Calvin Broadus, Jr., Andre Young, Ricardo Brown, Nathaniel Hale, Warren Griffin 4:07
13. "Chronic Break (Interlude)"   Calvin Broadus, Jr. 0:33
14. "Doggy Dogg World" (com Tha Dogg Pound, The Dramatics) Calvin Broadus, Jr., Delmar Arnaud, Ricardo Brown, Richard "Dimples" Fields 5:05
15. "Betta Ask Somebody (Interlude)"   Calvin Broadus, Jr. 0:43
16. "Gz and Hustlas" (com Nancy Fletcher) Calvin Broadus, Jr., Delmar Arnaud, Don Blackman 3:51
17. "U Betta Recognize (Interlude)" (com Sam Sneed) Calvin Broadus, Jr., Andre Young 0:56
18. "Gz Up, Hoes Down" (com Nate Dogg) Calvin Broadus, Jr., Andre Young, Delmar Arnaud 2:22
19. "Pump Pump" (com Mr. Malik) Calvin Broadus, Jr., Andre Young, Jamal Phillips, Malik Edwards 3:42
Duração total:
53:24

Notas[editar | editar código-fonte]

  • "Gz and Hustlas" contem vocais não creditados do rapper Lil' Bow Wow.
  • "Gz Up, Hoes Down" foi omitido em todos edições originais devido à amostra e as questões de apuramento. Na versão original do Compact Disc ela foi erroneamente colocada após "Pump Pump", ao invés de antes.
  • As edições originais do álbum que contêm "Gz Up, Hoes Down" e "W Balls" listadas separadamente na arte final do álbum. Eles também incluem uma listagem final errônea de "Tha Next Episode", uma faixa não incluída no álbum.
  • "Murder Was the Case" posteriormente foi transformada em um curta-metragem.

Faixas cortadas[editar | editar código-fonte]

  • "Gz Up, Hoez Down" (com Hug) - foi cortada das versões originais devido ao erro na impressão do disco físico.
  • "Tha Next Episode" (com Dr. Dre) - listada na pista antes do lançamento do álbum, mas não é uma característica de todas as prensagens do álbum. O instrumental foi usado mais tarde para a faixa de Warren G "Runnin' Wit No Breaks" para o álbum Regulate...G Funk Era. Dr. Dre mais tarde gravou uma faixa intitulada "The Next Episode" para o seu segundo álbum de estúdio 2001, faixa qual é completamente diferente da original.
  • "Doggystyle" (com Jewell & George Clinton) - Gravado durante as sessões do álbum, permanecendo inédito até a sua inclusão na coletânea Death Row: The Lost Sessions Vol. 1.
  • "The Root of All Evil (Outro)" (com Teena Marie) - Gravada durante as sessões do álbum, permanecendo inédito até a sua inclusão na coletânea Death Row: The Lost Sessions Vol. 1. O instrumental foi usado mais tarde para o remix de "California Love", de 2Pac e Dr. Dre.
  • "Every Single Day" (com Kurupt e Nate Dogg) - Gravada durante as sessões do álbum, permanecendo inédito até uma versão alternativa foi lançado na coletânea 2002, do grupo Tha Dogg Pound.

Desempenho nas paradas[editar | editar código-fonte]

Gráficos de sucessão
Precedido por
"Vs." por Pearl Jam
Álbuns numero um na Billboard 200 em 1993.[32]
11 à 24 de Dezembro de 1993 (duas semanas)
Sucedido por
"Music Box" por Mariah Carey
Precedido por
"Shock Of The Hour" por MC Ren
Álbuns numero um na Billboard Top R&B/Hip Hop Albums em 1993.[33]
11 à 24 de Dezembro de 1993 (duas semanas)
Sucedido por
"Lethal Injection" por Ice Cube
Precedido por
"Music Box" por Mariah Carey
Álbuns numero um na Billboard 200 em 1994.[34]
15 à 21 de Janeiro de 1994 (uma semana)
Sucedido por
"Music Box" por Mariah Carey
Precedido por
"Lethal Injection" por Ice Cube
Álbuns numero um na Billboard Top R&B/Hip Hop Albums em 1994.[35]
1 à 21 de Janeiro de 1994 (três semanas)
Sucedido por
"Diary Of A Mad Band" por Jodeci

Gráficos de canções[editar | editar código-fonte]

Ano
Música
Posição nas paradas
EUA
[36]
EUA
R&B

[37]
EUA
Rap

[38]
EUA
Rhythmic

[39]
EUA
Dance

[40]
AUS
[41]
NZL
[42]
Reino
Unido

[43]
1993 "What's My Name?" 8 8 1 12 43 13 4 20
1994 "Gin and Juice" 8 13 1 5 1 49 11 39
"Doggy Dogg World" 46[A] 25 4 19  —  —  — 32
"Murder Was the Case" 67[B]  —  — 36  —  —  —  —
"Lodi Dodi" 63[C]  —  — 34  —  —  —  —
" — " Denota singles que não entraram na parada ou não foram lançados no país.

Notas[editar | editar código-fonte]

[A] - "Doggy Dogg World" não entrou na tabela musical principal Billboard Hot 100, mas atingiu a 46º posição da sua extensão Billboard Hot 100 Airplay.[44]
[B] - "Murder Was the Case" não entrou na tabela musical principal Billboard Hot 100, mas atingiu a 67º posição da sua extensão Billboard Hot 100 Airplay.[44]
[C] - "Lodi Dodi" não entrou na tabela musical principal Billboard Hot 100, mas atingiu a 63º posição da sua extensão Billboard Hot 100 Airplay.[44]

Vendas e certificações[editar | editar código-fonte]

Aclamações[editar | editar código-fonte]

Publicação País Aclamação Ano Posição
The Source  Estados Unidos The 100 Best Rap Albums[3] 1998 *
Ego Trip  Estados Unidos Hip Hop's 25 Greatest Albums by Year 1980-98[3] 1999 3
Pause & Play  Estados Unidos The 90s Top 100 Essential Albums[3] 1999 11
Rolling Stone  Estados Unidos The Essential Recordings of the 90s[3] 1999 *
Blender  Estados Unidos 500 CDs You Must Own Before You Die[3] 2003 *
Stylus  Estados Unidos Top 200 Albums of All time[3] 2004 115
Rolling Stone (Chris Rock)  Estados Unidos Top 25 Hip Hop Albums Ever[3] 2005 2
Robert Dimery  Estados Unidos 1001 Albums You Must Hear Before You Die[3] 2005 *
About.com  Estados Unidos 10 Essential Hip-Hop Albums[51] 2006
10
The New Nation  Reino Unido Top 100 Albums by Black Artists[3] - 30
Pause & Play  Estados Unidos Albums Inducted into a Time Capsule, One Album per Week[3] - *

Créditos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas de rodapé

  1. a b c Doggystyle – Snoop Dogg AllMusic Rovi Corporation. Visitado em 29 de maio de 2014.
  2. RIAA - Gold & Platinum Search Database - Snoop Doggy Dogg - Doggystyle Recording Industry Association of America (31 de maio de 1994). Visitado em 10 de fevereiro de 2015.
  3. a b c d e f g h i j k "Snoop Doggy Dogg - Doggystyle". AcclaimedMusic.net. Página visitada em 20 de Maio 2008.
  4. Top 100 Rap Albums
  5. The Greatest Hip-Hop Albums of all Time - Top 100 Rap/Hip-Hop Albums Rap.about.com (7 de abril de 2010). Visitado em 10 de fevereiro de 2015.
  6. Robert Christgau: CG: Snoop Doggy Dogg - Doggystyle The Village Voice.
  7. David Browne (December 10, 1993). Music Review - Doggystyle (1993). Entertainment Weekly
  8. (11 de dezembro de 1993) "Melody Maker: Doggystyle Review". IPC Media. ISSN 0025-9012.
  9. (4 de dezembro de 1993) "NME: Doggystyle Review". IPC Media. ISSN 0028-6362.
  10. a b Doggystyle Review. Rolling Stone
  11. The new Rolling Stone album guide. New York: Simon & Schuster, 2004. ISBN 978-0-7432-0169-8 Página visitada em 23 de abril de 2015.
  12. Classic Review : Doggystyle in The Source (1994) The Source (New York). ISSN 1063-2085..
  13. a b (2002) "5 Mic Albums". ISSN 1063-2085.
  14. Yahoo! Music: Doggystyle Yahoo! Music. Cópia arquivada em 23 de abril de 2015.
  15. The Chronic vs. Doggystyle Stylus Magazine.
  16. Longplay-Chartverfolgung at Musicline (em alemão). Musicline.de. Media Control. Página visitada em 10 de fevereiro de 2015.
  17. Snoop Dogg – Doggystyle (em inglês). Australiancharts.com. Hung Medien. Página visitada em 10 de fevereiro de 2015.
  18. Snoop Dogg - Doggystyle (em alemão). Austriancharts.at. Hung Medien. Página visitada em 10 de fevereiro de 2015.
  19. Top Albums/CDs – Volume 58, No. 23, December 18, 1993 RPM Walt Grealis. Visitado em 10 de fevereiro de 2015.
  20. Snoop Dogg Album & Song Chart History (em inglês) Billboard 200 para Snoop Dogg. Prometheus Global Media.
  21. Snoop Dogg Album & Song Chart History (em inglês). Billboard Top R&B/Hip Hop Albums para Snoop Dogg. Prometheus Global Media. Página visitada em 10 de fevereiro de 2015.
  22. Snoop Dogg – Doggystyle (em inglês). Charts.org.nz. Hung Medien. Página visitada em 10 de fevereiro de 2015.
  23. Snoop Dogg – Doggystyle (em holandês). Dutchcharts.nl. Hung Medien. Página visitada em 10 de fevereiro de 2015.
  24. Snoop Dogg | Artist | Official Charts (em inglês) UK Albums Chart. Official Charts Company (11 de dezembro de 1993).
  25. Snoop Dogg – Doggystyle (em inglês). Swedishcharts.com. Hung Medien. Página visitada em 10 de fevereiro de 2015.
  26. Snoop Dogg – Doggystyle (em inglês). Swisscharts.com. Hung Medien. Página visitada em 10 de fevereiro de 2015.
  27. GFK Chart-Track (em inglês). Chart-Track.co.uk. GFK Chart-Track. IRMA. Página visitada em 10 de fevereiro de 2015.
  28. Snoop Dogg Album & Song Chart History (em inglês). Billboard Top Catalog Albums para Snoop Dogg. Prometheus Global Media.
  29. Billboard 200 albums year end 1994 Billboard. Visitado em 18 de abril de 2015.
  30. Billboard Top R&B/Hip Hop Albums year end 1994 Billboard. Visitado em 18 de abril de 2015.
  31. Geoff Mayfield. 1999 The Year in Music Totally '90s: Diary of a Decade - The listing of Top Pop Albums of the '90s & Hot 100 Singles of the '90s. [S.l.]: Billboard, 25 de dezembro de 1999. Página visitada em 15 de outubro de 2010.
  32. Billboard 200 - 1993 Archive (em inglês) Billboard . Prometheus Global Media.
  33. Top R&B/Hip-Hop Albums - 1993 Archive (em inglês) Billboard. Prometheus Global Media.
  34. Billboard 200 - 1994 Archive (em inglês) Billboard . Prometheus Global Media.
  35. Top R&B/Hip-Hop Albums - 1994 Archive (em inglês) Billboard. Prometheus Global Media.
  36. Snoop Dogg Album & Song Chart History (em inglês) Billboard Hot 100 Singles para Snoop Dogg.
  37. Snoop Dogg Album & Song Chart History (em inglês) Billboard Hot R&B/Hip-Hop Songs para Snoop Dogg.
  38. Snoop Dogg Album & Song Chart History (em inglês) Billboard Rap Songs para Snoop Dogg.
  39. Snoop Dogg Album & Song Chart History (em inglês) Billboard Rhythmic Songs para Snoop Dogg.
  40. Snoop Dogg Album & Song Chart History (em inglês) Billboard Hot Dance Club Songs para Snoop Dogg.
  41. australian charts.com - Snoop Doggy Dogg discography (em inglês) ARIA. Visitado em 23 de abril de 2015.
  42. charts org.nz - Snoop Doggy Dogg discography (em inglês) Recorded Music NZ. Visitado em 23 de abril de 2015.
  43. Snoop Dogg Chart History on Official Charts Company (em inglês) Official Charts Company UK Singles Chart para Snoop Doggy Dogg.
  44. a b c Snoop Dogg Album & Song Chart History (em inglês) Billboard Radio Songs para Snoop Dogg.
  45. RIAA - Gold & Platinum Searchable Database: Snoop Dogg (em inglês) RIAA. Visitado em 25 de setembro de 2013.
  46. Music Canada Gold and Platinum Search (Snoop Dogg). Visitado em 8 de julho de 2012.
  47. Certifications Albums Or – année 1995 (em Francês) Syndicat National de l'Édition Phonographique. Visitado em 8 de julho de 2012.
  48. Certified Awards (enter "Snoop Dogg" into the "Keywords" box, then select "Search") British Phonographic Industry. Visitado em 9 de setembro de 2013.
  49. RIAA - Gold & Platinum Searchable Database: Snoop Dogg - What's My Name? RIAA.
  50. RIAA - Gold & Platinum Searchable Database: Snoop Dogg - Gin And Juice RIAA.
  51. 10 Essential Hip-Hop Albums. About. Página visitada em 16 de Abril 2008.
  52. Exclusive: Chris “The Glove” Taylor Talks Death Row, Aftermath and Dr. Dre (Part 2) allhiphop.com (30 de janeiro de 2012). Visitado em 24 de abril de 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]