Improvisação (música)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Na música, a improvisação é principalmente a habilidade de, simultaneamente, produzir e interpretar, dentro ou não de parâmetros harmônicos ou rítmicos, melodias, ritmos ou vocalizações. Se a peça musical é uma canção, também pode aplicar-se à criação e interpretação de letra dentro da mesma.

Para poder improvisar, um intérprete deve ter um bom controle dos parâmetros dentro do que trabalha, do contrário, a música que cria pode soar ou parecer incongruente. Isto é particularmente certo quando o intérprete não toca sozinho. Em um sentido mais informal, também refere-se à composição instantânea de música.

Improvisação idiomática[editar | editar código-fonte]

A improvisação idiomática refere-se a criação de melodia, harmonia, ritmo e textura dentro de um determinado gênero e estilo. Isso acontece por exemplo quando se improvisa no jazz e na música brasileira por exemplo, onde o instrumentista ou cantor constrói suas frases baseando em parâmetros muito bem definidos como a criação de melodias baseadas em harmonias pré-definidas.

Improvisação não idiomática[editar | editar código-fonte]

A improvisação não idiomática se propõe a não pertencer a nenhum gênero e estilo. Parte do pressuposto de que tudo deve ser desvinculado de qualquer coisa que seja preconcebida. Normalmente produz sonoridades mais tensas que a improvisação idiomática

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.