Política da Bielorrússia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Aleksandr Lukashenko, presidente da República da Bielorrússia, é considerado por vários políticos europeus como o "último ditador europeu", por ter um estilo de governo autoritário, bem como é feito no Turcomenistão.

Fortemente pró-kremlin, a política bielorrussa agora assenta cada vez mais numa expansão do parque industrial existente no país, muito por força das decisões de Lukashenko em se unir cada vez mais a Vladimir Putin, primeiro-ministro da Federação Russa. A economia está em crescimento, e a liberdade expressão é vigiada. A democracia tem um conceito diferente neste país, que continua isolado pela comunidade internacional pró norte-americana.

O país apresenta níveis altamente preocupantes de inflação, desemprego e desvalorização da moeda, para além da quase inexistência de investimento estrangeiro - excluindo a Rússia.

É um regime político que combina aspectos capitalistas e socialistas, sendo marcadamente pró-russo, com uma aproximação cada vez maior com tendência a uma união com a Rússia, nos moldes da antiga URSS.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre política, partidos políticos ou um político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.