Sérgio Cláudio dos Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Serginho
Serginho.jpg
Informações pessoais
Nome completo Sérgio Claúdio dos Santos
Data de nasc. 27 de junho de 1971 (43 anos)
Local de nasc. Nilópolis (RJ),  Brasil
Altura 1,81 m
Canhoto
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Lateral-esquerdo
Clubes de juventude
1990–1991 Brasil Itaperuna
Clubes profissionais1
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1988–1993
1993
1994
1994
1995–1996
1996–1999
1999–2008
Brasil Itaperuna
Brasil Americano
Brasil Bahia
Brasil Flamengo
Brasil Cruzeiro
Brasil São Paulo
Itália Milan
000 00(0)
000 00(0)
035 00(3)
001 00(0)
013 00(1)
058 00(6)
281 0(24)
Seleção nacional
1998–2001 Brasil Brasil 009 0(1)


1 Partidas e gols pelo clube profissional
contam apenas partidas das ligas nacionais,
atualizados até 12 de maio de 2008.


Sérgio Cláudio dos Santos, mais conhecido como Serginho (Nilópolis, 27 de junho de 1971), é um ex-jogador brasileiro de futebol.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Serginho começou sua carreira no Itaperuna, time do interior do Estado do Rio de Janeiro. Em 1993, foi contratado pelo Bahia, onde em pouco tempo virou ídolo da torcida, e conquistou a massa tricolor (foi no Bahia que ele conquistou seu primeiro título como profissional em 1994). Passou ainda por Flamengo, Cruzeiro e São Paulo.

Em 1999, após viver sua grande fase no São Paulo, Serginho foi negociado com o Milan, clube que defenderia até a temporada 2007-08, aposentando-se pelo clube rossonero, onde é grande ídolo. Pela equipe milanesa, foram 281 partidas disputadas, 24 gols, oito títulos e muitas assistências.

Após aposentar-se, em 2008, Serginho continuou no Milan, como consultor de mercado do clube no Brasil. Seu prestígio é tão grande dentro do clube que ele realizará um trabalho similar ao de outros grandes campeões e ídolos que ainda trabalham no Milan mesmo após abandonarem os gramados, como Massaro, Baresi, Tassoti e Weah.

Na seleção brasileira, Serginho fez parte do grupo campeão da Copa América de 1999. Após muito sucesso no Milan, e quase que sem reconhecimento nenhum por pare da CBF em convocá-lo, Serginho viveu sua melhor fase profissional sem atuar por sua seleção nacional. Depois de alguns anos atuando pelo Milan, em grande fase e jogando em alto nível, veio a convocação para a Seleção brasileira. O jogador rejeitou-a e ainda fez questão de encaminhar uma carta de resposta à CBF, em que pediu para que nunca mais fosse convocado novamente.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Bahia
São Paulo
Milan
Seleção Brasileira