Belletti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Belletti
Informações pessoais
Nome completo Juliano Haus Belletti
Data de nasc. 20 de junho de 1976 (38 anos)
Local de nasc. Cascavel, Brasil
Altura 1,79 m
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Volante, Lateral-direito e Meia
Clubes de juventude
1992–1994 Brasil Cruzeiro
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1994–1996
1996–2002
1999
2002–2004
2004–2007
2007–2010
2010–2011
2011
Brasil Cruzeiro
Brasil São Paulo
Brasil Atlético Mineiro (emp.)
Espanha Villarreal
Espanha Barcelona
Inglaterra Chelsea
Brasil Fluminense
Brasil Ceará
0022 0000(0)
0054 0000(4)
0017 0000(5)
0070 0000(7)
00102 0000(1)
0094 0000(5)
0009 0000(0)
0000 0000(0)
Seleção nacional3
1995, 2001 a 2005 Brasil Brasil 0054 0000(2)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 22 de junho de 2011.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 15 de março de 2010.

Juliano Haus Belletti (Cascavel, 20 de junho de 1976) é um ex-futebolista brasileiro que atuava como lateral-direito e meio-campista. Atualmente trabalha como comentarista esportivo para o canal SporTV[1] e é diretor geral da academia de personal Belletti Training, em São Paulo.

Belletti conquistou 22 títulos na carreira. E trabalhou com 29 treinadores de 1994 a 2011.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Começou como goleiro, posição em que seu pai Divaldo atuava profissionalmente nos anos 60/70. Jogou nessa posição no futsal até os 15 anos de idade, sendo campeão brasileiro, tri-campeão paranaense e sendo considerado um dos melhores do país na posição. Nessa idade, em 1992, participou de uma 'peneirada' (teste para jogadores jovens) no Cruzeiro EC de Belo Horizonte, com outros 200 atletas. O curioso é que Belletti foi até Belo Horizonte-MG para passar as férias de Janeiro com o irmão Sandro, que era goleiro da equipe sub-20 do time mineiro. Mas como não tinha parentes na cidade, disse que iria participar da peneirada somente para poder dormir na Toquinha, concentração das categorias de base do clube. Fez o teste durante dez dias na posição de meia-esquerda, e para surpresa de todos, inclusive de seu pai, foi aprovado pelo então técnico do juvenil do Cruzeiro Eduardo Amorim. O irmão Sandro encerrou a carreira naquele ano por problemas no joelho.

Seu primeiro jogo na equipe profissional foi em 6 de novembro de 1994, com apenas 18 anos, no empate em 1 a 1 com o Bragantino, pelo Campeonato Brasileiro.[2] Naquela semana, assinou seu primeiro contrato profissional. No ano seguinte, com 19 anos, foi convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira, comandada pelo técnico Zagallo, como volante.

Em março de 1996, a pedido do técnico Telê Santana, foi comprado pelo São Paulo, em uma troca envolvendo cinco jogadores do tricolor paulista (Gilmar, Vítor, Donizete, Aílton, Ronaldo Luís) por dois do Cruzeiro (Belletti e Serginho).[3] Firmou-se como um dos principais jogadores da posição no país. Em 1998, ficou onze meses sem jogar por uma lesão grave. Foram duas cirurgias no púbis.

Foi emprestado em 1999 ao Clube Atlético Mineiro. Marcando muitos golss naquela temporada, o técnico Dario Pereira o colocou para jogar mais avançado,[4] como meia-direita, e se destacou ainda mais, ganhando o Campeonato Mineiro e a Bola de Prata da revista Placar como melhor meia-direita do Campeonato Brasileiro, em que seu time foi vice-campeão.

Em Janeiro de 2000 voltou ao São Paulo, e numa conversa com o treinador Levir Culpi antes da estreia do tricolor no torneio Rio-São Paulo, Belletti se ofereceu a ajudar o treinador, já que ele necessitava de um lateral-direito para aquela partida. Com atuações de alto nível, resolveu permanecer na posição. Seis meses depois foi convocado por Vanderlei Luxemburgo para a Seleção Brasileira pela primeira vez como lateral-direito. E nessa posição, foi convocado por Felipão, participou da eliminatórias para a Copa de 2002 e fez parte do grupo Penta-campeão do mundo. Após o mundial, Belletti foi contratado pelo Villarreal, da Espanha.

Após duas ótimas temporadas, em uma delas chegando a semi-final da Copa da UEFA em 2004, em um time extraordinário, com Riquelme, Pepe Reina, Coloccini, Sonny Anderson, Marcos Senna, suas atuações destacáveis o levaram a ser contratado pelo FC Barcelona.

Em três temporadas no time catalão, conquistou o Bi-campeonato espanhol e tornou-se o herói da conquista da Liga dos Campeões ganhada pelo Barça em 17 de maio de 2006, ao marcar o gol da vitória na final, em Paris[5] , contra o Arsenal de Thierry Henry.

Em 2007, acertou sua transferência para o Chelsea, assinando um contrato por três temporadas por indicação de José Mourinho, então técnico do time.[4] . É um dos ídolos da torcida nos últimos anos, marcando gols importantes e bonitos. Um gol seu na partida contra o Tottenham foi eleito o gol mais bonito da temporada 2007-08. Atuando tanto no meio como de lateral, Belletti é considerado pelos torcedores um Chelsea Legend.

Em julho de 2010, de volta ao Brasil, Belletti acertou com o Fluminense por duas temporadas. Conquistou o campeonato brasileiro em 2010. Mas no começo do ano de 2011 rescindiu seu contrato amigavelmente com o clube por problemas graves nos tendões de aquiles.

Três meses depois, tentou voltar a jogar e assinou com o Ceará. Mas os problemas nos tendões o impediram de continuar. Sete dias depois reiscindiu com clube sem jogar nenhuma partida.

Em junho de 2011, Belletti anunciou sua aposentadoria como jogador de futebol profissional por problemas físicos.

Belletti também foi diretor geral e editorial da revista Soccer em 2011 e 2012. Tem diploma de treinador de futebol da CBF/PUC Minas, Escola Brasileira de Futebol.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Cruzeiro
Atlético Mineiro
São Paulo
Villarreal
Barcelona
Chelsea
Fluminense
Seleção Brasileira

Referências

  1. Belletti - campeão em 2002 Tribuna do Paraná
  2. Henrique Ribeiro, Almanaque do Cruzeiro, Belo Horizonte, 2007, página 408
  3. Henrique Ribeiro, Almanaque do Cruzeiro, Belo Horizonte, 2007, página 420
  4. a b "Na hora certa, no lugar certo", Carlos Eduardo Freitas, Trivela número 27, maio de 2008, Trivela Comunicações, página 21
  5. Belletti fez gol antológico no Barcelona Tribuna do Paraná

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Belletti