Ceará Sporting Club

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ceará SC
Escudo do Ceará Sporting Club
Nome Ceará Sporting Club
Alcunhas Vovô
Vozão
O Mais Querido
Glorioso
Alvinegro de Porangabussu
Alvinegro Cearense
Time do Povo
Torcedor/Adepto Alvinegro
Mascote Vovô
Fundação 2 de junho de 1914 (100 anos)
Estádio Carlos de Alencar Pinto
Capacidade 3 000 pessoas[1]
Localização Brasao Fortaleza Ceara Brasil new.svg Fortaleza, Ceará CE, Brasil Brasil
Mando de jogo em Arena Castelão
Presidente Vargas
Capacidade (mando) 67 037 pessoas[2]
20 268 pessoas[1]
Presidente Brasil Evandro Leitão
Treinador Brasil Sérgio Soares
Patrocinador Ceará Governo do Estado do Ceará
Ceará Prefeitura de Fortaleza
Ceará Unimed Fortaleza
Estados Unidos Gatorade
Brasil AmBev
Estados Unidos Pepsi
Brasil Nutrimed
Brasil Santé Alimentações
França Bí-O
Brasil Rihomo
Brasil Embracon
França Weber Quartzolit
Brasil Auto Escola Júnior [3]
Material esportivo Brasil Penalty
Competição Ceará Copa dos Campeões Cearenses
BandeirasNordesteBrasil.gif Copa do Nordeste
Ceará Campeonato Cearense
Brasil Copa do Brasil
Brasil Campeonato Brasileiro
Divisão Ceará Série A
Brasil Série B
Ceará CCC 2014
BandeirasNordesteBrasil.gif CN 2014
Ceará CE 2014
Brasil CB 2014
Brasil B 2014
Campeão
Vice-campeão
Tetracampeão
Em andamento
Em andamento
BandeirasNordesteBrasil.gif CN 2013
Ceará CE 2013
Brasil CB 2013
Brasil B 2013
4º colocado
Tricampeão
27º colocado
7º colocado
Ceará CE 2012
Brasil CB 2012
Brasil B 2012
Bicampeão
22º colocado
11º colocado
Ranking nacional 22.º lugar, 7.234 pontos
Website cearasc.com
Kit left arm ceara14h.png Kit body ceara14h.png Kit right arm ceara14h.png
Kit shorts figueira14h.png
Kit socks ceara14h.png
Uniforme
titular
Kit left arm ceara14a.png Kit body ceara14a.png Kit right arm ceara14a.png
Kit shorts figueira14a.png
Kit socks ceara14a.png
Uniforme
alternativo
editar

O Ceará Sporting Club (conhecido apenas por Ceará e cujo acrônimo é CSC) é um clube de futebol brasileiro. Sua sede situa-se na Capital do Ceará, no estado do Ceará. Seu mascote é o "Vovô" e seu estádio oficial é o Carlos de Alencar Pinto, apelidado pela torcida como Vovozão. O alvinegro, porém, manda os seus jogos no Estádio Castelão, do Governo do Estado do Ceará, no qual tem contrato de exclusividade. Ou no Estádio Presidente Vargas, da Prefeitura de Fortaleza, nos casos em que a Arena Castelão esteja indisponível. Também é de posse do clube o mais moderno Centro de Treinamentos do Nordeste, a Cidade do Vozão.

O Ceará é o clube cearense melhor colocado, e o que mais cresce no Ranking da CBF, ocupando o 22º lugar geral, com 7.234 pontos. Sua melhor colocação no Campeonato Brasileiro Série A foi na edição de 1964, quando foi 3º colocado. Fez a melhor campanha de um clube cearense na Copa do Brasil (2º colocado na edição de 1994). Possui a maior torcida do estado, sendo a quarta maior do Nordeste[4] [5] , segundo a Pluri[6] , o IBOPE[7] , o Datafolha[8] e a Ipsos Marplan[9] . Também é o clube cearense que mais leva torcedores aos estádios e o que mais arrecada em competições estaduais e nacionais. Levou mais de 2,8 milhões de pessoas aos estádios, nos últimos 6 anos, número 63% maior do que seu rival.

O Vozão possui hoje o 10º maior programa sócio-torcedor do Brasil, sendo o maior do Norte, Nordeste e Centro-Oeste, com mais de 25 mil sócios cadastrados adimplentes e inadimplentes. [10] [11] .

É o único clube do Estado e um dos únicos do Brasil que nunca participaram da Série C do Campeonato Brasileiro. Sendo o Ceará e o Sport os únicos clubes do Nordeste que nunca participaram da Terceira Divisão do futebol brasileiro. É também, o clube cearense que mais participou da Série A do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil, além de ser o que mais venceu o Campeonato Cearense, 43 vezes, sendo uma vez pentacampeão, três vezes tetracampeão e duas vezes tricampeão e ser o único time do estado a ter participado de uma competição internacional oficial, a Copa Conmebol de 1995 e a Copa Sul-Americana, em 2011.

Em uma pesquisa realizada pela Pluri Data, em 2014, afirma que o Ceará é o 23º clube mais valioso do país, sendo o 4º mais valioso do Nordeste.[12] .

Índice

Origens[editar | editar código-fonte]

Surge o Ceará Sporting Club[editar | editar código-fonte]

No estado do Ceará, o foot-ball teve seus primeiros passos dados por marinheiros e funcionários de empresas inglesas instaladas no estado em 1903. Em 1904, José Silvério, jovem estudante na Suíça, trouxe a primeira bola oficial para o estado. Logo o futebol tornou-se paixão popular; não demorou muito e surgiram inúmeras equipes.

No dia 2 de junho de 1914, caminhando pelo centro de capital do estado Fortaleza, Luís Esteves Júnior e Pedro Freire conversavam sobre diversos assuntos, principalmente sobre política internacional. Após chutar uma pedra no meio do caminho, começaram a falar sobre futebol, surgindo a ideia de fundar um clube. Ao encontrar colegas no Café Art Nouveau, na Praça do Ferreira, a ideia da dupla foi se concretizando. Ainda no mesmo dia, a turma se reuniu na residência de Luís Esteves. As 22 pessoas (há quem fale em 18 e em 25) escolheram o nome do clube como Rio Branco Football Club, com camisas de cor roxa e calções brancos, semelhantes ao uniforme da atual ACF Fiorentina, da Itália (que seria fundada em 1926 e cujas vestimentas, portanto, não influenciaram as cores do time cearense). Gilberto Gurgel, comerciante da Praça do Ferreira, foi eleito o primeiro presidente e promoveu-se uma coleta entre os associados, visando a arrecadar fundos para comprar uma bola oficial número 5. Foram arrecadados cerca de 22 mil réis, uma quantia razoável e que mostra a boa condição social dos fundadores do clube.

Numa outra reunião, exatamente um ano depois, foi escolhido mudar o nome do time para Ceará Sporting Club e, devido a dificuldade de se obter camisas na cor roxa, mudou-se as cores do uniforme para preto e branco[13] [14] .

Não se sabe bem o porquê da escolha do nome Rio Branco. Provavelmente uma homenagem ao famoso diplomata brasileiro Barão do Rio Branco, falecido em 1912. O nome reflete, contudo, a dureza, as dificuldades da época e as esperanças de um futuro melhor; queria-se um Rio Branco de águas limpas, transparentes para se banhar e aproveitar o vento e o sol. O nome Ceará relaciona-se a um aumento do regionalismo, uma consequente desilusão da Belle Époque, advinda com a Primeira Guerra Mundial. As cores alvinegras evidenciavam igualmente o momento: o branco da paz, a que homens almejavam naquele instante de guerra, mais ainda. Quanto ao preto, há uma significância toda especial: sabe-se que tal cor, por séculos associada ao luto e a morte, foi transformada pela nobreza absolutista da idade moderna e sobretudo pelas elites num tom solene de elegância, gala, luxo, força, poderio e aristocracia. Assim foram misturados no Ceará Sporting Club o poder, a nobreza e a ternura.

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Escudos[editar | editar código-fonte]

Evolução dos escudos Ceará Sporting Club

O Ceará possui cinco escudos que foram utilizados em momentos distintos:

  • O primeiro escudo oficial (1914 a 1915), ainda como Rio Branco Foot-Ball Club, mudaria suas cores pela dificuldade de se obter uniformes com as cores do símbolo, roxo e branco.
  • O segundo escudo (1915 a 1954) continha sete listras alternadas em branco e preto, além de trazer as iniciais CSC: Ceará Sporting Club.
  • O terceiro (1955 a 1969) era inspirado no escudo do Santos, de São Paulo, e continha uma bola na parte superior, para simbolizar o futebol, o nome "Ceará", além de nove listras alternadas em branco e preto.
  • O quarto (1970 a 2003) trazia em destaque o nome do clube, além de nove listras alternadas em preto e branco.
  • O quinto escudo (2003 até hoje) é fruto de um trabalho de re-estilização do símbolo anterior, feito pelo publicitário Orlando Mota, da Mota Comunicação. Traz a data da fundação do clube (1914), além das cinco estrelas na parte superior do símbolo, representando o pentacampeonato estadual (1915-1919). Traz o preto como tom principal, mas não deixa de lado o branco, simbolizado pelas listras.[15]

Hino[editar | editar código-fonte]

O hino do Ceará foi composto pelo poeta José Jatahy, mesmo autor da música "Aquela Corrente" (também em homenagem ao Alvinegro de Porangabussu), e ganhou vida na voz do cantor cearense Paulo José.

Torcida[editar | editar código-fonte]

Torcida alvinegra lotando o Estádio Governador Plácido Castelo (Castelão).

O Ceará Sporting Club detém a maior torcida do estado e da capital do Ceará, com cerca de 1,8 milhão de torcedores em todo o Brasil, tendo assim uma das mais consideráveis torcidas do Nordeste (ao lado de Náutico, Bahia, Sport, Vitória e Santa Cruz) e do Brasil. Foram algumas as pesquisas comprovando este dado. O clube é tradicionalmente ligado às massas populares, razão pela qual é chamado de "O Mais Querido" e "Time do Povo".

Em 2012, uma pesquisa realizada pelo instituto IBOPE e divulgada no dia 01/09/2012 demonstrou que o Ceará Sporting Club possui a maior torcida na Capital do Estado com 27% do total de torcedores, o Fortaleza Esporte Clube vem em segundo com 24% e o Ferroviário Atlético Clube aparece em seguida com 1% dos torcedores. [16]

Também em 2012, no dia 08/09/2012, em mais uma pesquisa realizada pelo instituto DATAFOLHA em parceria com o jornal O Povo revelou que o Ceará Sporting Club possui a maioria entre os fortalezenses. Com 28% dos entrevistados, o Ceará Sporting Club aparece como o time de maior público na capital. O Fortaleza Esporte Clube vem em segundo lugar, com 21%. Equipes locais aparecem à frente de clubes do sudeste, Corinthians (8%) e Flamengo (7%). [17]

As principais torcidas organizadas do Alvinegro são: Torcida Organizada Cearamor, Movimento Organizado Força Independente (MOFI), Torcida Ceará Chopp, Cangaceiros Alvinegros, Setor Alvinegro, Torcida Fúria Jovem do Ceará e Cearacoiba.

  • De acordo com a FCF, o Ceará foi o clube que mais levou torcedores ao estádio em 2009, 2010 e 2011 pelo Campeonato Cearense.[18]
  • De acordo com a CBF, foi o clube do estado que mais levou torcedores ao estádio no Campeonato Brasileiro de 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011. Em 2009, na Série B, o Vovô ficou com a 6ª maior média de público do Brasil, enquanto seu arquirrival ficou com a 22ª melhor média. Já em 2010, ficou com a 2ª maior média de público do Brasileirão (Série A).[19] [19]
  • Em julho de 2002 o Datafolha fez nova pesquisa e estimou cerca de 1,5 milhão de simpatizantes do Ceará em todo o Brasil, o que colocava o clube como 15.º do Brasil, segundo do Nordeste (perdendo somente para o Bahia) e primeiro em seu estado.
  • A Pesquisa Datafolha/O POVO, feita apenas no estado do Ceará em setembro de 2010, reforçou que o Ceará é o clube cearense com a maior torcida: 13% dos entrevistados se declararam alvinegros, contra 8% do rival; o Flamengo apareceu com 19% e o Corinthians teve 10%. Na região metropolitana de Fortaleza, o Ceará é o clube com a maior torcida: 26% dos entrevistados se declararam alvinegros, contra 17% do rival.[20]
  • Em 2009, durante a Série B, o Vozão levou 429.722 pagantes para o estádio nos 19 jogos, obtendo assim a segunda melhor média de público (22.617 pagantes por jogo) daquele ano e, ainda, a segunda melhor arrecadação do ano, 5.7 milhões de reais.[21]
  • O Ceará conseguiu a 2ª melhor média de público da Série A 2010, com 23.467 pagantes por jogo. O time recebeu em casa 445.869 pagantes nos 19 jogos. O Vozão conseguiu o 4º, 5º e 6º maiores públicos do Brasileirão 2010. Além de conseguir, pela primeira vez na história do futebol cearense, rendas superiores a 1 milhão de reais em uma única partida. No total, o Ceará arrecadou 7.43 milhões de reais no Campeonato Brasileiro de 2010, nenhum outro time cearense conseguiu arrecadar tanto em uma competição.
  • Em seu programa de torcedores oficiais, Sou Mais Ceará ocupa atualmente a décima posição em número de sócios-torcedores, com 22,5 mil torcedores oficiais cadastrados até março de 2011 sendo divididos em três planos : Torcedor Ouro, Prata e Bronze, além do cartão Sócio Acompanhante.[22]
  • Levou cerca de 1.200.000 de pagantes aos estádios em 2009 e 2010, número que nenhuma outra torcida do estado alcançou em um biênio.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Estádio Carlos de Alencar Pinto[editar | editar código-fonte]

Vista panorâmica Estádio Carlos de Alencar Pinto.

O Estádio Carlos de Alencar Pinto, mais conhecido com Vovozão, é o estádio oficial do Ceará Sporting Club. O estádio possui capacidade para 3 000 pessoas e só é utilizado em treinos e pelas seleções de base. Já foi apresentado um projeto de ampliação do estádio, que poderia abrigar 30 000 espectadores, podendo abrigar jogos oficiais. O custo da reforma foi previsto para 15 milhões de reais. No entanto, o Ceará não manda os seus jogos no Vovozão, e sim no Castelão, no qual tem contrato de exclusividade. Ou no estádio Presidente Vargas, em casos em que o castelão estiver em manutenção ou estiver apresentando outros serviços.

O estádio Carlos de Alencar Pinto é também sede do clube e contém em sua estrutura física diversos itens, como:

  • Restaurante (Ceará Sport Bar);
  • Museu (Centro Cultural do Ceará Sporting Club)
  • CEPRAP (Centro de Preparação e Reabilitação Alvinegro de Porangabussu), constituído por: academia com aparelhos e instalações modernas, além das salas de fisioterapia e departamento médico, piscina;
  • Hotel (Hotel Concentração Antônio Góis)
  • Vestiário amador;
  • Vestiário profissional;
  • Sala de imprensa;
  • Caixa de areia;
  • Refeitório;
  • Centro de fisiologia e odontologia;
  • Alojamentos;
  • Lavanderia industrial;
  • Outros itens estruturais.

Cidade do Vozão - CT Luís Campos[editar | editar código-fonte]

O Ceará adquiriu o Centro de Treinamento do Nordeste (CETEN), em 2013, como forma de presentear a torcida pelos 99 anos do clube. O contrato foi fechado por R$ 6 milhões de reais. O CT, localizado na cidade de Itaitinga, foi eleito o melhor do Nordeste. Chamado pela torcida de cidade vozão, o CT conta com uma área total de 80.000 m².

Em sua estrutura o CT Luís Campos possui:

Vista aérea ceten.jpg
  • 1 campo com medidas oficiais FIFA 72m x 105m com arquibancada para 4.000 pessoas. 
  • 3 campos oficiais de treinamento de 65m x 90m.
  • 1 quadra society de 55m x 35m.
  • Um prédio de 1.600 m² com alojamento para 160 pessoas.
  • Auditório com projeção em tela que comporta 40 pessoas.
  • Piscina para trabalhos fisioterápicos de dimensões 8m x 12m.
  • Academia.
  • Secretaria.
  • Sala de jogos e recreação.
  • Sala de leitura, TV e internet.
  • Hall de recepção.
  • Salas de Fisioterapia e Fisiologia.
  • Farmácia e consultório.
  • Três vestiários.
  • Churrasqueira.
  • Cozinha e Refeitório.
  • Lavanderia e Rouparia.

Lojas Sou Mais Ceará[editar | editar código-fonte]

As lojas oficias Sou Mais são estabelecimentos licenciados do Ceará Sporting Club. A franquia alvinegra é a maior do estado e atualmente conta com 5 lojas físicas e 1 virtual[23] . Nas lojas, os torcedores do Ceará e os amantes do futebol podem encontrar centenas de produtos e artigos licenciados do Mais Querido, além de poder adquirir ingressos para jogos e aderir a diversas opções de planos do programa Torcedor Oficial do clube.

Futebol[editar | editar código-fonte]

Década de 10 : A hegemonia no Ceará[editar | editar código-fonte]

Time campeão estadual em 1915.

Uma grande façanha do Ceará foi a conquista do pentacampeonato de 1915 a 1919, sob a égide da Liga Cearense Metropolitana de Futebol (LCMF), a primeira entidade gestora do esporte local. Ao lado de Stella Foot-Ball Club, Rio Negro e Maranguape Sport Club e sob a chancela da LCMF, o Ceará disputou o primeiro certame metropolitano sobre solo cearense.

O Campeonato de 1915 foi disputado por Ceará, Maranguape, Rio Negro e Stella. Na final, no Campo do Prado, o Ceará bateu o Stella por 2 a 1, com gols marcados por Humberto Ribeiro e Pacatuba. Nesse ano o Ceará sagrou-se campeão invicto e sofrendo apenas dois gols. Em 1916, o Riachuelo se juntou aos outros times na disputa do título. Na final, o Ceará derrotou o Maranguape por 2 a 0, com dois gols de Walter Barroso. No Campeonato de 1917, o Riachuelo foi substituído pelo Hespéria Atlético Clube. No Campo do Prado, o Ceará sagrou-se novamente campeão, após bater o Stella por 1 a 0, com gol marcado por Gotardo.

Em 1918, o campeonato foi disputado por apenas quatro clubes — Ceará, Fortaleza, Rio Negro e Hespéria. O Ceará derrotou o Fortaleza na final por 2 a 0, gols de Walter Barroso e Enoch. O campeonato de 1919 foi disputado por Bangu, Ceará, Fortaleza, Guarany e Hespéria. Foi nesse ano que o Ceará sofreu a primeira derrota de sua história, perdendo por 1 a 0 para o Guarany. Na final, novamente disputada entre Ceará e Fortaleza, o time alvinegro acabou vencendo nos minutos finais. Estando perdendo por 1 a 0, o Ceará conseguiu a virada com dois gols de Walter Barroso, sagrando-se pentacampeão cearense de futebol, com a defesa menos vazada e o melhor ataque[24] [25] .

Primeiro título - 1915 Na edição de 9 de novembro de 1915, o Diário do Estado relata a vitória do Alvinegro assim: “Effectuou-se domingo último no field do bairro do Bemfica o anuciado jogo de foot-ball entre as poderosas equipes do Stella Foot ball Club e Ceará Sporting Club. A numerosa assistência que enchia as archibancadas do Stella teve incontestavelmente a magnífica oportunidade de assistir ao lindo jogo desses fortes elevens, cheio de phases e lances lindos”.

“Terminou esse interessante match com o resultado favorável ao Ceará, que conseguiu marcar mais um goal do que o seu adversário. O primeiro foi shutado por Humberto Ribeiro, capitão do Maranguape Foot-ball club, e o segundo, resultado de um oportuno passe do forward Guilherme Augusto, phayer do Rio Negro, foi marcado por Pacatuba, também do Maranguape. O único goal do Stella foi shoot de Pedro Riquet, um dos magníficos forwards do poderoso e sympathisado Stella. Actuou como referee o senhor Lucio Bauerfeldt, que foi imparcial nas suas deliberações”.

Final: Ceará SC 2 x 1 Stella FC.
Data: 07 de novembro de 1915, no Campo do Prado - Gols: Humberto Ribeiro e Pacatuba (Ceará SC); Pedro Riquet (Stella FC).
Ceara SC: Aldo; Meton, Garcia; Ninito, Silveira, Rola; Abreu, Pacatuba, Humberto Ribeiro, Gothardo e Guilherme.
Stella FC: Gilberto; Oscar Cabral, Oscar Loureiro; Carlos Alberto, João Gentil, Clóvis Holanda; Pedro Riquet, Clodoveu, J. Bruno, Walter Barroso e Walter Olsen.
Arbitragem: Lúcio Bauerfeldt
Artilheiro: Walter Barroso (Stella FC) – 6 gols

Bi - 1916: Ceará SC 2 x 0 Maranguape FC.
Data: 06 de agosto de 1916, no Campo do Prado - Gols: Walter Barroso (2).
Ceará SC: Cearense; Gothardo e Meton; Padilha, Ninito e Silveira; Walter Barroso, Rola, Bolívar, Orlando e Mamede.
Maranguape FC: Houssel; Riquet e Carlito; P. Barbosa, João Gentil e Lúcio Bauerfeldt; Ademir, A. Rodrigues, Humberto Ribeiro, Brigido e Paraense.
Arbitragem: Oscar Loureiro

Tri - 1917: Ceará SC 1 x 0 Stella FC.
Data: 8 de dezembro de 1917, no Campo do Prado - Gol: Gothardo.
Ceará SC: Aldo, Garcia e Gothardo; Célio, Carlito e Braga; Walter Barroso, Meton, Olsen, Mamede e Braun.
Stella FC: Gilberto; Riquet e Oscar Loureiro; João Gentil, Carlito e Clóvis; Arthur, Ademir, Clodoveu, J. Bruno e Paraense.
Arbitragem: José Silveira

Tetra - 1918: Ceará SC 2 x 0 Fortaleza SC.
Data: 17 de dezembro de 1918, no Campo do Prado - Gols: Walter Barroso e Enoch.
Ceará SC: Aldo; Garcia e Gracho; Célio, Carlito e Ninito; Walter Barroso, Meton, Mamede, Braun e Enoch.
Fortaleza SC: Quinderé; Peter e Riquet; João Gentil, Lúcio Bauerfeldt e Djalma; Clóvis, A. Oliveira, Humberto Ribeiro, Juracy e Pontes.
Arbitragem: Sílvio Gentil

Penta - 1919: Ceará SC 2 x 1 Fortaleza SC.
Data: 30 de novembro de 1919, no Campo do Prado - Gols: Walter Barroso [2] (Ceará SC); Humberto Ribeiro (Fortaleza SC).
Ceará SC: Aldo; Garcia e Gothardo; Célio, Braga e Aluísio; Walter Barroso, Mamede, Braun, Enoch e Cearense.
Fortaleza SC: Quinderé; Peter e Riquet; João Gentil, Lúcio Bauerfeldt e Nelsinho; José Raymundo, Arthur, Humberto Ribeiro, Juracy e Pontes.
Arbitragem: Oscar Araripe

Década de 20 : Surge a rivalidade entre Ceará e Fortaleza[editar | editar código-fonte]

Foi em 1922, ano do centenário da independência do Brasil: todos os clubes estavam muito motivados para ganhar o título estadual, devido à data comemorativa. Em especial o Fortaleza queria ganhar o Campeonato Cearense para ser tricampeão, mas o Ceará ficou com o título nesse ano e muitos cronistas marcam essa data como o surgimento da rivalidade entre os clubes.

No Torneio Início o Ceará foi campeão facilmente, mas no começo do estadual acabou perdendo de uma goleada histórica, 6 a 3, para o Fortaleza. Na final o Fortaleza entrou em campo favorito, tanto que antes do jogo a diretoria pensou em reservar um jantar em um fino restaurante da cidade. Jogando pela vitória, entretanto, o Fortaleza perdeu o equilíbrio emocional e consequentemente perdeu o jogo por 4 a 1, e o Ceará sagrou-se campeão estadual, impedindo o tri do rival. Depois do jogo o elenco do Vovô foi comemorar a vitória no mesmo restaurante em que o Fortaleza havia pensado reservar as mesas para seu time, com as mesmas reservas.

Esse fato foi comentado na cidade na época, e a rivalidade entre Ceará e Fortaleza extrapolou desde então: num jogo entre os clubes em 1923 foram registrados vários incidentes, como torcida invadindo o campo e jogadores dos dois rivais brigando.[26] [27] . Em 1925 consegue evitar mais um tricampeonato do rival vencendo o estadual.

Década de 30 : O Bicampeonato e o jejum de 7 anos[editar | editar código-fonte]

Em 1931 foi campeão porque o rival Orion não decidiu o título, pois pediu o adiamento de seu jogo com o Ceará em uma semana, pois voltava de uma excursão pelo interior, e seus atletas estavam contudidos e/ou cansados. Como não foi deferido não foi a campo. Como só tinha 1 ponto de vantagem, acabou como vice, o artilheiro do campeonato foi Farnum, atleta alvinegro com 14 gols, em 1932 consegue o Bicampeonato e tendo o artilheiro do Campeonato: Farnum com 12 gols. Após o título vive o jejum de 7 anos sem conquista, voltando a vencer o estadual de 1939 e de forma invicta com 9 vitórias e 2 empates, 38 gols marcados e 16 sofridos[28] .

Década de 40 : Mais um Bicampeonato e a volta na vaga do Maguary[editar | editar código-fonte]

Em 1941 vence mais um campeonato invicto, com 6 vitórias e França com artilheiro do estadual com 11 gols. No ano seguinte conquista o Bicampeonato com França de novo artilheiro, agora com 20 gols. Em 1944 se retira do estadual após não concordar com a Federação, volta em 1946 na vaga do Maguary, conseguindo a terceira colocação[29] , se estrutura em 1947 para a conquista do estadual de 1948 tendo o artilheiro do estadual: Alfredinho com 29 gols.

Década de 50 : O título de 1951 e com gol de mão de Honorato, põe fim ao jejum de 6 anos[editar | editar código-fonte]

Em 1951 conquista mais um estadual e tendo Antoninho com artilheiro do certame com 13 gols. Após a conquista do Estadual de 1951, o alvinegro bate na trave nos anos de 1952 a 1956, em 1957 o Vozão e o Usina, vencedores dos turnos, partem para uma melhor de 3, com o mais querido vencendo a 1ª. Na semana que antecede o 2º jogo, o Vozão pede adiamento da partida, alegando que 9 atletas pegaram a famosa (na época) gripe asiática. Com a negativa da FCD, diante os boatos que o interesse era recuperar 3 atletas contundidos, o Ceará teve que entrar em campo sem os "asiáticos", contando apenas com Bira e o goleiro Ivan de atacante. Resultado, Usina 1x0. Na 3ª e decisiva partida, vence o Ceará com o famoso gol de mão de Honorato[30] .

Década de 60 : O Tricampeonato, a melhor colocação na Série A e a conquista da Taça do Norte-Nordeste[editar | editar código-fonte]

Em 1961 vence o campeonato com o Gildo sendo artilheiro com 15 gols, em 1962 vence a final por 3x1. Em 1963 vence o tricampeonato com Gildo sendo artilheiro com 16 gols. Com isso o mais querido vai para mais um disputa da Série A. Em 1964 o Ceará chegou às semifinais da Campeonato Brasileiro, sendo sua melhor colocação na Série A. O alvinegro cearense foi campeão do Grupo Nordeste e da Zona Norte, só sendo eliminado da competição pelo Flamengo. Com essa trajetória, o Vovô conseguiu o terceiro lugar na competição.

Em 1969, o Ceará conquistou o Torneio Norte-Nordeste. O primeiro jogo foi contra seu rival, Fortaleza, onde o alvinegro ganhou por 3 a 0. No último jogo, contra o Remo, o Ceará venceu por 3 a 0 na capital cearense, gols de Gildo, Magela e Zezinho. O time campeão estava formado por: Ita; Daniel, Cícero, Laudenir e Carlinhos; Magela e Gojoba; Chiclete, Zezinho (Didi), Gildo e Osmar. A partida foi apitada pelo paulista Romualdo Arppi Filho.

Década de 70 : Se foi ou não gol nos acréscimos o fim do jejum de 7 anos e o bicampeonato no ano seguinte, o tetracampeonato em 78 e o título de 1980[editar | editar código-fonte]

Depois do tricampeonato de 1961 á 1963, o vozão viveu um período de jejum, que só acaba no ano de 1971. O vozão venceu dois turnos de quatro e foi com seu maior rival pra uma melhor de 3. No 1º jogo, vitória do vozão por 1x0. No segundo, empate em 0x0. No 3º, o Fortaleza vencia por 2x1, quando o juiz apita falta já nos acréscimos, o vozão empata, pra uns a bola entrou, pra outros não. Mas o que importa que o vozão acabou com o jejum de sete anos [31] . Em 1972 conquista o bicampeonato.

Em 1975, o Ceará era treinado por Fernando Façanha e sagrou-se campeão estadual no estádio Castelão com uma vitória por 2 a 0 sobre seu maior rival, o Fortaleza. Nesse ano o Ceará marcou 34 gols e sofreu 7 e foi o campeão em rendas, com um total de 2 132 295 cruzeiros.[32] Em 1976 o Ceará jogou 35 vezes e sofreu apenas uma derrota. A final foi jogada contra o Fortaleza no estádio Castelão e terminou com o placar de 1 a 1. Com esse empate o Ceará sagrou-se bicampeão cearense.[33]

Em 1977 o Ceará sagrou-se mais uma vez campeão, vencendo dois dos três turnos. No primeiro jogo da final conseguiu uma goleada de 6 a 0 sobre o Fortaleza e no segundo jogo empatou por 0 a 0 com o mesmo. Depois do tri, o Vovô partiu para o tetra. As coisas, contudo, não aconteceram como os alvinegros imaginavam. O time perdeu o turno inicial para o Fortaleza. O presidente Eulino Oliveira tomou uma decisão inusitada e muito questionada: convidou para treinar o time no segundo turno Moésio, o Paim, um dos mais importantes nomes da história do arquirrival. A jogada surtiu efeito, pois foi o grande articulador da conquista do campeonato. Montou um esquema impecável, reeditando seu consagrado quadrado de ouro, formado pelo trio do meio-de-campo e mais o atleta Tiquinho. A conquista do título aconteceu em 28 de dezembro, diante de 47 340 pagantes. Foi Tiquinho quem, aos 45 minutos do segundo tempo, fez o único gol do jogo. Naquele dia Moésio mandou a campo Sérgio Gomes; Júlio, Artur, Darci e Dodô; Edmar, Erasmo e Amilton Melo; Jangada, Ivanir e Tiquinho. Em 1979 perde o pentacampeonato para o Ferroviário, reconquistando o título em 1980.

Década de 80 - Quatro títulos em 10 anos[editar | editar código-fonte]

Em 1981 conquista o bicampeonato tendo Marciano com 27 gols o artilheiro do estadual, passa em branco nos dois anos seguintes, reconquistando o campeonato em 1984 e o centroavante Anselmo sendo artilheiro do campeonato com 28 gols, na década ainda conquista os estaduais de 1986 e o bicampeonato em 1989 e 1990.

Década de 90 : A Década alvinegra : O vice-campeonato da Copa do Brasil, a participação na Copa Conmebol de 1995 e o segundo tetracampeonato estadual[editar | editar código-fonte]

A década de 90 marcou a história do Ceará. Foram 7 títulos estaduais, sendo um tetracampeonato, além de um sucesso na arquibancada. O alvinegro liderou todo tipo de estatística de público no estado, de 1991 à 1999, a torcida alvinegra ficou em primeiro lugar, em média de público, de 1991 à 1996, seis anos seguidos, onde nenhum outro clube conseguiu tal marca no estado.

Na disputa da Copa do Brasil de 1994, o Ceará começou eliminando o Campinense da Paraíba, e em seguida desclassificou o então bicampeão brasileiro Palmeiras (time de Edmundo, Evair, César Sampaio, Mazinho, entre outros). Na sequência o alvinegro despachou o Internacional de Porto Alegre, depois o já extinto Linhares, do Espírito Santo, nas semifinais, e chegou, pela primeira vez, à final de um título nacional. A equipe acabou perdendo o último jogo para o time do Grêmio, de jogadores Carlos Miguel da Silva Júnior e Ivanildo Duarte Pereira e com Luiz Felipe Scolari como treinador da equipe gremista no Estádio Olímpico. O alvinegro foi prejudicado por um erro do árbitro Oscar Roberto Godói, um pênalti não validado e uma expulsão controversa por reclamação pela marcação da referida penalidade pelo jogador Sérgio Alves.[34] [35] Em caso de conversão desse pênalti (aos 30 minutos da etapa final), o time cearense jogaria pelo empate durante os quinze últimos minutos. O vice-campeonato de 1994 deu ao Ceará o direito de disputar sua primeira competição internacional: a Copa Conmebol de 1995.[36]

O Ceará foi o segundo time do estado a participar de uma competição internacional, a Copa Conmebol, representada pelas equipes que não conseguiram vaga para a Libertadores da América. O feito foi conseguido depois da campanha do vice-campeonato na Copa do Brasil de 1994. Apesar de ser eliminado na primeira fase, o alvinegro saiu invicto da competição.[37] [38]

Jogo de ida

17 de outubro de 1995
Ceará Brasil 1 – 1 Brasil Corinthians Castelão, Fortaleza

Fábio Gol marcado Marcelinho Carioca Gol marcado (P)

Jogo de volta

2 de novembro de 1995
Corinthians Brasil 2 – 2
(7–6 pen)
Brasil Ceará Pacaembu, São Paulo

Marcelinho Carioca Gol marcado (P)
Clóvis Gol marcado
Sérgio Alves Gol marcado
Márcio Alan Gol marcado

No período de 1996 a 1999 o Ceará conquistou outro tetracampeonato. Em 1996 o alvinegro cearense conquistou o título após ganhar a final contra o Ferroviário por 2 a 1. O gol do título só foi marcado aos 44 minutos do segundo tempo, quando o chute de Jaime foi desviado por Betinho para dentro do gol. Em 1997 o Ceará conquistou novamente o campeonato ao bater o Fortaleza na final. O jogo só foi decidido na prorrogação, após empate em 2 a 2 no tempo regulamentar. Aos 13 minutos do primeiro tempo da prorrogação, após a cobrança de um escanteio, Mário César, de cabeça, fez o gol do título para o Ceará.

Em 1998 o Ceará decidiu o título contra o Ferroviário, perdendo o segundo jogo por 2 a 1 e vencendo na prorrogação por 1 a 0. O ano de 1999 foi marcado pela segunda conquista de um tetracampeonato na história do clube. Na final, em 21 de julho, o adversário foi o novato Juazeiro. O placar de 0 a 0 garantiu a conquista.

Década de 2000 : A escassez de títulos e o retorno a Série A[editar | editar código-fonte]

Em 2000 perde o título que seria seu pentacampeonato para o seu maior rival, se reestrutura e voltar a conquistar estadual no ano de 2002. Passa três anos sem títulos no cearense, voltando ao título em 2006.

Na Série B de 2009 o Vovô de Porangabussu conseguiu o acesso a Série A , com uma campanha memorável com 19 vitórias, 11 empates e apenas 8 derrotas,[39] voltando à Série A do Campeonato Brasileiro depois de dezesseis longos anos sem poder disputá-la, levando 429.722 pagantes para o estádio nos 19 jogos realizados em casa, obtendo assim a segunda melhor média de público (22.617 pagantes por jogo) daquele ano e, ainda, a segunda melhor arrecadação do ano, 5.7 milhões de reais.[21]

Década de 2010 : O Rebaixamento da Série A, a participação na Sul-Americana e o tetracampeonato em 2014[editar | editar código-fonte]

Ceará 0x0 Corinthians. Série A 2010.

Em 2010 perde o campeonato estadual nos penaltis. No retorno a Série A, o Vovô surpreendeu a todos no início do Brasileirão 2010. Durante o campeonato, o Ceará ficou 11 rodadas no G4, sendo 4 delas na vice-liderança. O alvinegro cearense terminou a competição na 12º colocação conseguindo vaga para a sua segunda participação em competições internacionais, a Copa Sul-Americana 2011 e continua sendo o único time do futebol cearense que disputou competições internacionais.

O Ceará conseguiu a 2ª melhor média de público da Série A 2010, com 23.467 pagantes por jogo. O time recebeu em casa 445.869 pagantes nos 19 jogos. O Vozão conseguiu o 4º, 5º e 6º maiores públicos do Brasileirão 2010. Além de conseguir, pela primeira vez na história do futebol cearense, rendas superiores a 1 milhão de reais em uma única partida. No total, o Ceará arrecadou 7.43 milhões de reais no Campeonato Brasileiro de 2010, nenhum outro time cearense conseguiu arrecadar tanto em uma competição. os campeonatos brasileiros dos mesmos anos.

Em 2011, no Brasileirão, o Vozão amargou o rebaixamento, que veio na última rodada, com uma derrota para o Bahia, em Salvador. O Ceará acabou na 18ª posição. Na Copa Sul-Americana de 2011 apesar de ter ganho o primeiro jogo contra o São Paulo, o alvinegro foi eliminado após perder o segundo jogo por 3 a 0, em São Paulo.

Em 2011, o Vovô alcançou seu 40º título do Campeonato Cearense, tendo um público 59% maior que o do rival, mesmo jogando alguns jogos em Horizonte, na melhor campanha já registrada por um clube cearense. O alvinegro cearense fez 65 pontos e perdeu apenas 3 partidas, nos 26 jogos que realizou. Venceu os dois turnos sem deixar dúvidas de que era o grande favorito ao título.

Em 2012, no Campeonato Cearense, o Vozão terminou a fase classificatória na liderança do estadual, com o melhor ataque, a melhor defesa, artilheiro e melhor média de público, campanha parecida com a do ano anterior. Nas finais, empatou em 0 a 0, e depois em 1 a 1 com o rival Fortaleza, por ter tido a melhor campanha do campeonato foi consagrado bicampeão cearense. Na Série B ficou na 11ª colocação, após campanha com altos e baixos.

Final do Cearense 2013 - 50 mil pessoas na Arena Castelão.

Em 2013, pelo certame Estadual, o Vozão conquistou mais um tricampeonato ao empatar por placares iguais de 1 a 1 contra o Guarany de Sobral nas finais.

Em 2014, ano do seu centenário, conseguiu o vice-campeonato da Copa do Nordeste. No certame Estadual, obteve mais um tetracampeonato ao empatar por dois placares iguais de 0x0 com o Fortaleza.

99 anos, presente: Ceten; Nova fachada do Estádio Carlos de Alencar Pinto e exclusividade com Arena Castelão[editar | editar código-fonte]

No dia 2 de junho de 2013, o Ceará completou 99 anos, houve alguns eventos realizado, por volta das 8h 30min, foi iniciada uma missa na sede do clube, em homenagem à data marcante. Na sequência, os torcedores presentes aproveitaram um café da manhã caprichado, enquanto era realizada a queima de fogos. No dia seguinte, o presente para os torcedores alvinegros: a compra de um centro de treinamento, o Ceten, o valor foi divulgado e custará aos cofres alvinegros R$ 6 milhões de reais, divido em parcelas de R$ 80 mil, e de quebra, obteve contrato de exclusividade com Arena Castelão, que receberá do consórcio R$ 130 mil reais por mês. [40] O Ceará fez um contrato de preferência de aquisição do CT, mas somente oficializou a aquisição do Ceten em 18 de Janeiro de 2014. Em Setembro de 2013, o Ceará completou a reforma da fachada do Estádio Carlos de Alencar Pinto,que foi financiada pelos seus torcedores.[41]

Sub-20 vs. Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

No dia 17 de junho de 2013, a equipe Sub-20 do Ceará, realizou uma partida-treino contra a Seleção Brasileira, no estádio Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza. [42] Essa partida terminou em 2x2 com dois gols do garoto Romário.

2014, ano do centenário[editar | editar código-fonte]

O Ceará se reforçou bem para o ano do centenário com a contratação dos jogadores: Assisinho, Luís Carlos, Bill, Souza e trouxe de volta o zagueiro Anderson.

O 1º jogo do Ceará, foi contra o Barbalha, valendo o primeiro título da Copa dos Campeões Cearenses, onde o Ceará venceu por 2x0 com gols de Magno Alves e Anderson. Segundo Evandro Leitão, este título pode significar que o Ceará começou bem o ano do centenário.[43]

Na Copa do Nordeste de 2014, o vozão ficou com o vice-campeonato. Após terminar a Primeira Fase em 1º colocado com 11 pontos, obtendo 3 vitórias, 2 empates e 1 derrota, com 10 gols prós e 4 gols contra e saldo de gol +6. Nas quartas enfrentou o Vitória, com empate de 1x1 fora e no jogo de volta, vitória do Vozão por 5 x 1. Na semi-final enfrentou o America de Natal no jogo de ida na capital cearense onde ganhou por 4 a 0 e no jogo da volta mesmo perdendo por 2x0 classificou-se para a final contra o Sport. No primeiro jogo da final, perdeu fora de casa por 2x0 e no jogo de volta na Arena Castelão empatou em 1x1 e deu o título ao clube pernambucano.

No Campeonato Cearense de 2014, estreou contra o Guarani de Juazeiro, pela fase do hexagonal onde a partida terminou por 1 a 1. Após 10 jogos, terminou o hexagonal final na segunda colocação com 19 pontos, com 5 vitórias, 4 empates e 1 derrota, 18 gols pró e 9 contra. Na semi-final enfrentou o Guarany de Sobral, onde venceu em Sobral no primeiro jogo por 3x2 e no jogo da volta no Castelão venceu por 5x2, conseguindo somar pontos suficientes para ficar em primeiro colocado na classificação geral e colocando o mais querido pra final do estadual contra o Fortaleza. Com a vantagem obtida nos pontos da classificação geral, o Ceará empatou em 0x0 nos dois jogos das finais e consagrou-se Tetracampeão Cearense.

Ações de marketing no centenário Alvinegro[editar | editar código-fonte]

Após troca do marketing, o Ceará vem investindo fortemente e muito bem em ações para o clube, como, no lançamento dos novos uniformes para a temporada de 2014. Quem desfilou com os uniformes foi a ex-panicat Nicole Bahls, onde ocorreu no Centro de Eventos do Ceará, e aberto ao público e para imprensa. No dia 22 de fevereiro de 2014, ao inaugurar o A Cidade Vozão - Centro de Treinamento Luis Campos, houve a presença do Milton Neves e de Renata Molinaro, onde começou com uma festa das bandas: Banda Bateria Mix Brasil e Grupo Deixa de Caô, com a presença de Renata Molinaro na festa e em decorrer do dia, depois houve apresentação do CT para o público, após apresentação, houve duas partidas, sendo a primeira das Vovozetes, e a segunda, do time Master do Ceará.[44]

Outras ações de marketing, foi a venda dos relógios exclusivos do centenário Alvinegro, parceria feita entre Aliança de Ouro (maior empresa de relojoarias do Ceará), onde a empresa de relógios da Suíça, Invicta fabricou em edição limitada, relógios exclusivos, 100% em aço, tem 48 milímetros de caixa, mostrados em cristal, tem index luminoso, cronógrafo, além de possuir fecho com trava de segurança e fundo com a logomarca do centenário gravada.[45] E, também, o lançamento do relógio digital, que vai fazer a contagem regressiva para o Centenário do Ceará. O evento foi realizado na Loja Oficial da Avenida João Pessoa e o relógio está fixado na fachada da sede do clube. Com três metros e meio de altura, o relógio digital vai atualizar o torcedor alvinegro sobre o tempo restante até o aniversário de 100 anos do Vozão. O equipamento foi adquirido através da parceria entre Ceará e Aliança de Ouro.[46]

No dia 6 de abril de 2014, foi lançado produtos oficiais licenciados do jogador Magno Alves, a marca Magnata e Magnatinha (para crianças e jovens), na loja do Ceará, vende produtos como: camisas, canecas, chaveiros, bonecos e outros itens tudo personalizado no nome e na imagem do jogador Magno Alves, no lançamento, o jogador estava tirando fotos e autografandos produtos dos torcedores presentes.[47] .

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Jogadores[editar | editar código-fonte]

  • 1º - Listras verticais em preto e branco;
  • 2º - Branco com detalhes pretos.
  • 3º - Preto, calção branco e meias pretas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1º Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2º Uniforme

Goleiros[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'

Treinamentos[editar | editar código-fonte]

  • Camisa amarela, calções e meias amarelas;
  • Camisa branca, calções e meias brancas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Jogadores
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Técnicos

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Por que "Vovô"?[editar | editar código-fonte]

Apesar de muitos pensarem que o cognome Vovô se deva ao fato de o Ceará Sporting Club ser o mais velho clube do estado, depoimento de Aníbal Câmara Bonfim, um dos fundadores do América Futebol Club, em 1920, diz o real motivo do apelido. Ele contava que os jogadores do América costumavam treinar no campo do Ceará. O presidente do Ceará na época, Meton de Alencar Pinto, passou a tratá-los de "meus netinhos" e se auto-intitulava "Vovô".[48] Em 2009, o personagem ganhou vida. Uma pessoa fantasiada de Vovô passou a estar presente nos jogos em que o mando de campo é do alvinegro.

O jogo mil de Pelé pelo Santos[editar | editar código-fonte]

Pelé: o maior jogador de todos os tempos.

Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, esteve em Fortaleza para jogar contra o Ceará vestindo a camisa do Santos. Esse seria o milésimo jogo de Pelé pelo clube. No confronto de alvinegros quem se deu bem foi o Vovô, que bateu o Santos por 2 a 1 de virada. O Ceará saiu perdendo no primeiro tempo com um gol de Pelé, o 1 015.º de sua carreira, mas os cearenses voltaram a campo dispostos a virar o placar e, aos 17 minutos da etapa complementar, Samuel empatou. Treze minutos depois Da Costa fez, de cabeça, o gol da virada do Vovô.

"Já estava no finalzinho do jogo, o placar era 1 a 1 porque o Samuel tinha empatado para nós no começo do segundo tempo", contou Da Costa, autor do gol da vitória alvinegra. "A jogada foi assim: Samuel ou Edmar, não lembro direito, meteu uma bola para o Jorge Costa na ponta direita. O Jorge ganhou na carreira do Rildo (lateral esquerdo do Santos), foi à linha de fundo e cruzou. Eu ameacei ir para a marca do pênalti e voltei… O Carlos Alberto subiu, mas eu subi na frente dele e cabeceei, a bola bateu no pau da trave e entrou lá no cantinho. É um gol que guardo comigo até hoje." Da Costa conta ainda de uma curiosa aposta feita por Paulino Rocha na época. "Eu vou revelar coisa que pouca gente sabe. O Paulino Rocha desceu lá nos vestiários durante o intervalo e me disse: 'Da Costa, eu apostei com o Rolim (torcedor rival), e, se você fizer o gol da vitória, eu lhe dou o dinheiro todinho da aposta.' Pois ele me deu tudo… eram 3 mil cruzeiros, era muito dinheiro na época."[49]

A partida foi realizada em 3 de novembro de 1972 e foi presenciada por um grande número de torcedores, que abarrotaram as arquibancadas do Presidente Vargas, cerca de 35 752 pagantes. Ceará: Hélio, Paulo Tavares, Odélio, Mauro Calixto, Dimas, Edmar, Joãozinho, Nado, Jorge Costa, Samuel e Da Costa. Santos: Joel Mendes, Turcão, Paulo, Altivo, Murias (Vicente), Léo, Pitico, Roberto Carlos, Afonsinho (Edu), Pelé e Ferreira. [50]

Recorde nacional com o goleiro Diego[editar | editar código-fonte]

Em 2010, o goleiro alvinegro, Diego, entrou para a história do futebol brasileiro ao ficar mais minutos sem sofrer gols na Série A. Foram 608 minutos, superando o ex-goleiro Washington, do Palmeiras, que ficou 533 em 1986. Diego não foi vazado contra Vitória, Goiás, Cruzeiro, Avaí, Atlético/MG e Corinthians, só voltando a sofrer um gol diante do Internacional, aos 16 minutos do 1º tempo.

Temporada 2014[editar | editar código-fonte]

Elenco por ano[editar | editar código-fonte]

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

  • Atualizado em 10 de julho de 2014.[51] [52]
Legenda
  • Capitão Atual capitão
  • Vindo de Empréstimo Jogador emprestado
  • Jogador Lesionado Jogador lesionado/contundido
  • + Jogador em fase final de recuperação
  • + Jogador problemas físicos ou sentindo incômodos
  • + Jogador doente ou com dores
  • + Jogador em fase de recuperação
  • + Jogador poupado
  • Suspenso Jogador suspenso
  • Prata da casa Prata da casa


Goleiros
Jogador
30 Brasil Gustavo Prata da casa
12 Brasil Jailson
1 Brasil Luís Carlos Jogador Lesionado
- Brasil Tiago
Defensores
Jogador Pos.
21 Brasil Alex Lima Z
4 Brasil Anderson Z
3 Brasil Diego Ivo Z
31 Brasil Gabriel Santos Jogador Lesionado Z
20 Brasil Sandro Z
2 Brasil Marcos LD
13 Brasil Samuel Xavier LD
14 Brasil Hélder Santos LE
6 Brasil Vicente LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
22 Brasil Amaral Vindo de Empréstimo V
- Brasil Éverton V
5 Brasil João Marcos V
- Brasil Leandro Brasília Jogador Lesionado V
19 Brasil Marcus Vinícius V
15 Brasil Michel V
16 Brasil Eduardo Vindo de Empréstimo M
- Brasil Felipe Amorim Vindo de Empréstimo M
- Brasil Luiz Henrique Prata da casa M
9 Brasil Lulinha M
23 Brasil Nikão Vindo de Empréstimo M
8 Brasil Ricardinho Suspenso M
- Brasil Souza M
Atacantes
Jogador
- Brasil Assisinho +
19 Brasil Bill Suspenso
- Brasil Gabriel Prata da casa
18 Brasil Gil Vindo de Empréstimo
- Brasil Lima
11 Brasil Magno Alves Capitão
- Brasil Robério
17 Brasil Robinho Prata da casa
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Sérgio Soares T
Brasil Denys Facincani AS
Brasil Dimas Filgueiras AS
Brasil Alcino Rodrigues PF
Brasil Reverson Pimentel PF
Brasil Eduardo Hamester "Chico" TG
Brasil Gustavo Pires MD
Brasil Joaquim Garcia MD
Brasil Leandro Rêgo MD
Brasil Roberto Monteiro FT
Brasil Wellington Alencar FT
Brasil João Paulo FT
Brasil Orlando MA
Brasil Anacleto MA
Brasil Victor Sávio MA
Brasil Paulo Marconi NT
Brasil Diego Cerri GF
Brasil Mazinho Patrão SV
Brasil Lucas Oaks FG
Brasil Sérgio Luís RP
Brasil Júlio Abreu RP

Transferências - Temporada 2014[editar | editar código-fonte]

Legenda:
Livre: Jogadores que chegaram sem custos
Compra: Jogadores que chegaram ou saíram após compra de direitos
Empréstimo: Jogadores que chegaram por empréstimo
Regresso após empréstimo: Jogadores que voltaram após serem emprestados
Saindo por empréstimo: Jogadores emprestados pelo Ceará
Fim de contrato: Jogadores que saíram após o fim do contrato ou rescindiram o contrato
Dispensado.: Jogadores dispensados antes do fim do contrato

Ídolos[editar | editar código-fonte]

Iarley fazendo o símbolo da Torcida Organizada Cearamor.

Iarley, um dos maiores ídolos do clube e também de outros clubes, como Paysandu, Boca Juniors, Internacional, Goiás e Corinthians.

Brasil Adílson
Brasil Alexandre
Brasil Amilton Melo
Brasil Arlindo Maracanã
Brasil Arturzão
Brasil Carlindo
Brasil Carlito
Brasil Carneiro
Brasil Cláudio Adão
Brasil Da Costa
Brasil Damasceno
Brasil Dimas Filgueiras
Brasil Edmar
Brasil Elói
Brasil Erandir
Brasil Felipe Azevedo
Brasil Fernando Henrique
Brasil França
Brasil Geraldo
Brasil Gildo
Brasil Gotardo
Brasil Heleno
Brasil Hélio Carrasco
 
Brasil Hermenegildo
Brasil Ivanildo
Brasil Iarley
Brasil João Marcos
Brasil Jorge Luis Cocota
Brasil Katinha
Brasil Luiz Gabriel "Gabi"
Brasil Lula Pereira
Brasil Lulinha
Brasil Magno Alves
Brasil Michel
Brasil Mitotônio
Brasil Mota
Brasil Nado
Brasil Osvaldo
Brasil Paulo César Gusmão
Brasil Petróleo
Brasil Pintado
Brasil Pintinho
Brasil Reinaldo Aleluia
Brasil Rubens Feijão
Brasil Sérgio Alves
 
Brasil Serginho
Brasil Tiquinho
Brasil Vicente
Brasil Vítor Hugo
Brasil Valdomiro
Brasil Zé Eduardo
Brasil Zezinho
Brasil Walter Barroso

Capitães[editar | editar código-fonte]

Jogadores Notáveis[editar | editar código-fonte]

Goleiros

Zagueiros

Laterais

Volantes

Meias

Atacantes

Técnicos

Jogadores ou técnicos alvinegros que já vestiram a camisa da Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Brasil Babá
Brasil Carlos Alberto Dias
Brasil Cláudio Adão
Brasil Dimas Filgueiras
Brasil Dudu Cearense
Brasil Edmílson
Brasil França
 
Brasil Gélson Baresi
Brasil Gian
Brasil Fernando Henrique
Brasil Togo Hamílton *
Brasil Jardel
Brasil Lulinha
Brasil Magno Alves
 
Brasil Marcelo Nicácio
Brasil Mário Sérgio
Brasil Michel Alves
Brasil Osvaldo
Brasil Sérgio Guedes
Brasil Sérgio Manoel
Brasil Pinga
 
Brasil René Simões
Brasil Ricardinho
Brasil Robert
  • * Jogou pela Seleção Brasileira Sub-17

Jogadores ou técnicos alvinegros que já vestiram a camisa de Seleção Mundial[editar | editar código-fonte]

Guiné Equatorial André Neles
Costa Rica David Diach
Togo Hamílton
Coreia do Sul Kim Min Su
Uzbequistão Luizão
Colômbia Reina

Treinadores[editar | editar código-fonte]

Nome Período
Brasil Paulo César Gusmão 2009
Brasil Renê Simões 2010
Brasil Paulo César Gusmão 2010
Brasil Estevam Soares 2010
Brasil Mário Sérgio 2010
Brasil Dimas Filgueiras 20102011
Brasil Vágner Mancini 2011
Brasil Estevam Soares 2011
Brasil Dimas Filgueiras 20112012
Brasil Lula Pereira 2012
Brasil Paulo César Gusmão 2012
Brasil Anderson Silva (interino) 2012
Brasil Ricardinho 20122013
Brasil Dimas Filgueiras (interino) 2013
Brasil Leandro Campos 2013
Brasil Dimas Filgueiras (interino) 2013
Brasil Sérgio Guedes 2013
Brasil Sérgio Soares 2013

Galeria de Presidentes[editar | editar código-fonte]

  • Brasil Gilberto Gurgel (1914-1920)
  • Brasil Felinto Moraes (1920-1920)
  • Brasil Virgílio Brígido Filho (1921-1921)
  • Brasil Aluísio Barroso (1921-1921)
  • Brasil Sílvio Gentil de Lima (1922-1922)
  • Brasil Joaquim Magalhães (1923-1923)
  • Brasil Carlos de Alencar Pinto (1923-1923)
  • Brasil Henrique Ellery (1924-1924)
  • Brasil Felinto de Moraes (1925-1925)
  • Brasil Bolívar Purcell (1926-1928)
  • Brasil Meton Pinto (1929-1929)
  • Brasil Carlos de Alencar Pinto (1930-1931)
  • Brasil Clóvis de Alencar Matos (1932-1933)
  • Brasil Felinto Moraes (1934-1934)
  • Brasil Walter Barroso (1935-1935)
  • Brasil João Batista Furtado (1936-1937)
  • Brasil Oliveira Paula (1938-1938)
  • Brasil Joaquim Lima (1938-1938)
  • Brasil Oscar Jansen Barroso (1939-1940)
  • Brasil Antônio da Frota Filho (1941-1941)
  • Brasil Ananias Frota (1942-1942)
  • Brasil João Batista Furtado (1943-1946)
  • Brasil José Bastos Mitoso (1947-1947)
  • Brasil Tarcísio Soriano Aderaldo (1948-1948)
  • Brasil Humberto Ellery (1949-1949)
  • Brasil Antônio Viana Rodrigues (1950-1951)
  • Brasil José Maria Catunda (1952-1952)
  • Brasil Edgardo Ellery (1953-1953)
  • Brasil Humberto Ellery (1954-1955)
  • Brasil José Elias Bachá (1956-1960)
  • Brasil Afonso Ésulo de Oliveira (1960-1961)
  • Brasil José Jaime Guimarães (1961-1963)
 
  • Brasil José Elias Bachá (1964-1965)
  • Brasil Edmar Uchoa (1966-1966)
  • Brasil Paulo Benevides (1967-1968)
  • Brasil José Lino Filho (1968-1972)
  • Brasil Luiz Nogueira Marques (1973-1973)
  • Brasil Luís França (1974-1974)
  • Brasil Fernando Façanha (1974-1975)
  • Brasil Euler Pontes (1975-1977)
  • Brasil Eulino Oliveira (1978-1979)
  • Brasil Franzé Moraes (1980-1980)
  • Brasil João Hildo Furtado (1981-1981)
  • Brasil Raimundo Chaves (1981-1981)
  • Brasil Danilo Marques (1982-1983)
  • Brasil Franzé Moraes (1984-1985)
  • Brasil Raimundo Chaves (1987-1988)
  • Brasil Marcone Borges (1988-1989)
  • Brasil Franzé Moraes (1990-1992)
  • Brasil Raimundo Chaves (1992-1992)
  • Brasil Antônio Góis (1992-1993)
  • Brasil Luiz Teixeira de Pádua (1994-1995)
  • Brasil Emanuel Gurgel (1996-1996)
  • Brasil Carlos Osterne (1996-1996)
  • Brasil José Lino S. Filho (1996-1997)
  • Brasil Elísyo Serra (1998-1998)
  • Brasil Átila Bezerra (1998-1999)
  • Brasil Eulino Oliveira (2000-2000)
  • Brasil Edmílson Moreira (2001-2001)
  • Brasil Átila Bezerra (2001-2004)
  • Brasil Alexandre Frota (2004-2005)
  • Brasil Eugênio Rabelo (2005-2008)
  • Brasil Evandro Leitão (2008-)

[53]

Títulos[editar | editar código-fonte]

TÍTULOS
INTER-ESTADUAIS
Competição Títulos Temporadas
Troféu Norte-Nordeste 1969.png Taça do Norte-Nordeste 2 1964 e 1969
ESTADUAIS
Competição Títulos Temporadas
Taça Campeonato Cearense 2013.png Campeonato Cearense 43 1915Cscr-featured.png, 1916Cscr-featured.png, 1917Cscr-featured.png, 1918Cscr-featured.png, 1919, 1922, 1925, 1931, 1932, 1939Cscr-featured.png, 1941Cscr-featured.png, 1942, 1948, 1951Cscr-featured.png, 1957, 1958, 1961, 1962, 1963Cscr-featured.png, 1971, 1972, 1975, 1976, 1977, 1978, 1980, 1981, 1984, 1986, 1989, 1990, 1992Cscr-featured.pngCscr-featured.png, 1993, 1996, 1997, 1998, 1999, 2002, 2006, 2011, 2012, 2013 e 2014
Cscr-featured.png Campeão invicto
Cscr-featured.pngCscr-featured.png O título do Campeonato Cearense de 1992 foi dividido com Fortaleza, Icasa EC e Tiradentes.
Ceará Torneio Início do Ceará 12 1922, 1923, 1926, 1932, 1936, 1937, 1943, 1947, 1952, 1953, 1967 e 1978
TalaaCampeoesCearenses2014.png Copa dos Campeões Cearenses 1 2014
TÍTULOS
OUTROS DESTAQUES
INTERNACIONAIS
Competição Colocação Temporadas
3 CONMEBOL South American Cup.png Copa Sul-Americana 32º 2011
CONMEBOL - CONMEBOL Cup.svg Copa Conmebol 10º 1995
NACIONAIS
Competição Colocação Temporadas
Cbf brazilian championship trophy 02.svg Campeonato Brasileiro - Série A 1964
B Series Brazilian Championship Trophy.png Campeonato Brasileiro - Série B 2009
CBF Brazilian Cup.png Copa do Brasil 2º, 3º, 4º, 5º 1994, 2011, 2005 e 1993
Brasil Campeonato Brasileiro Sub-20 2010
INTERESTADUAIS
Competição Colocação Temporadas
Taça Copa do Nordeste.png Copa do Nordeste 2º, 3º, 4º 2014, 1972, 2013
BandeirasNordesteBrasil.gif Copa dos Campeões do Norte 1966
ESTADUAIS
Competição Colocação Temporadas
Ceará Campeonato Cearense 1924, 1933, 1943, 1952, 1959, 1964, 1965, 1966, 1969, 1970, 1973, 1974, 1985, 1987, 1991, 1994, 2000, 2001, 2004, 2009 e 2010
Ceará Campeonato Cearense Sub-20 2011
Ceará Campeonato Cearense Feminino 2009

Outros Títulos[editar | editar código-fonte]

Categorias de base[editar | editar código-fonte]

Títulos individuais em Competições Nacionais[editar | editar código-fonte]

  1. Gol marcado Gildo: 1964
  1. Gol marcado Sérgio Alves: 2001
  1. Gol marcado Rubens Feijão: 1986
  2. Gol marcado Sérgio Alves: 2001
  1. Gol marcado Carlindo - 1971 (1.º lugar, lateral-esquerdo)
  2. Gol marcado Da Costa - 1972 (1.ºlugar)

Títulos individuais em Competições Regionais[editar | editar código-fonte]

  1. Gol marcado Nildo: 1997
  2. Gol marcado Magno Alves: 2014

Títulos individuais em Competições Estaduais[editar | editar código-fonte]

  1. Gol marcado Walter Barroso: 1916 (9 gols), 1918 (14 gols) e 1922 (14 gols).
  2. Gol marcado Gildo: 1961 (15 gols) e 1963 (16 gols).
  3. Gol marcado França: 1941 (11 gols) e 1942 (20 gols).
  4. Gol marcado Farnum: 1931 (14 gols) e 1932 (12 gols).
  5. Gol marcado Felipe Azevedo: 2012 (16 gols).
  6. Gol marcado Marcelo Nicácio: 2011 (16 gols).
  7. Gol marcado Pintinho: 1996 (22 gols).
  8. Gol marcado Hélio Carrasco: 1990 (14 gols).
  9. Gol marcado Rubens Feijão: 1986 (30 gols).
  10. Gol marcado Anselmo: 1984 (28 gols).
  11. Gol marcado Ademir Patrício: 1982 (31 gols).
  12. Gol marcado Marciano: 1981 (27 gols).
  13. Gol marcado Da Costa: 1972 (18 gols)
  14. Gol marcado Vítor: 1971 (26 gols).
  15. Gol marcado Antonino: 1951 (13 gols).
  16. Gol marcado Alfredinho: 1948 (28 gols).
  17. Gol marcado Pirão: 1943 (8 gols) ¹
  18. Gol marcado Pau Amarelo: 1925 (16 gols).
  19. Gol marcado Braga: 1917 (7 gols).

(1): Artilharia dividida com Mario Negrim (Ferroviário).

Últimas temporadas[editar | editar código-fonte]

Ceará Sporting Club
Ano Campeonato Brasileiro Copa do Brasil Libertadores da América Copa Sul-Americana Campeonato Cearense Copa do Nordeste Copa dos Campeões Cearenses
Div. Pos. J V E D GP GC Fase Máxima Fase Máxima Fase Máxima Pos. Pos. Pos.
2005 B 11º 21 8 5 8 27 22 Semifinal
2006 B 15º 38 10 15 13 47 56
2007 B 16º 38 13 11 14 58 58 2ª Fase
2008 B 12º 38 12 13 13 52 50
2009 B 38 19 11 8 54 34 1ª Fase
2010 A 12º 38 10 17 11 35 44 2ª Fase
2011 A 18º 38 10 9 19 47 64 Semifinal Fase nacional
2012 B 11º 38 12 11 15 51 52 2ª Fase
2013 B 38 16 11 11 60 50 2ª Fase
2014 B Campeão


Legenda:
     Campeão
     Vice-campeão
     Classificado à Copa Libertadores da América
     Classificado à Copa Sul-Americana
     Rebaixado à Série B
     Acesso à Série A

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Ceará Campeonato Cearense
Ano 1915 1916 1917 1918 1919 1920 1921 1922 1923 1924 1925 1926 1927 1928 1929 1930 1931 1932 1933 1934 1935 1936 1937 1938 1939
Pos.
Ano 1940 1941 1942 1943 1944 1945 1946 1947 1948 1949 1950 1951 1952 1953 1954 1955 1956 1957 1958 1959 1960 1961 1962 1963 1964
Pos.
Ano 1965 1966 1967 1968 1969 1970 1971 1972 1973 1974 1975 1976 1977 1978 1979 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989
Pos.
Ano 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014
Pos.


Brasil Campeonato Brasileiro - Série A (21 participações)
Ano 1959
Pos.
Ano 1960 1961 1962 1963 1964 1965 1966 1967 1968 1969
Pos.
Ano 1970 1971 1972 1973 1974 1975 1976 1977 1978 1979
Pos. 20º 12º 20º 31º 33º 52º 30º 36º 45º
Ano 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989
Pos. Red Arrow Down.svg 22º Red Arrow Down.svg 16º 24º Red Arrow Down.svg 12º
Ano 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999
Pos. Red Arrow Down.svg 21º
Ano 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
Pos.
Ano 2010 2011 2012 2013
Pos. 12º Red Arrow Down.svg 18º


Brasil Campeonato Brasileiro - Série B (27 participações)
Ano 1971 1972 1973 1974 1975 1976 1977 1978 1979
Pos.
Ano 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989
Pos. Green Arrow Up.svg 14º 32º Green Arrow Up.svg 13º 16º
Ano 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999
Pos. 14º 13º Green Arrow Up.svg 10º 10º 19º 14º
Ano 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
Pos. 22º 13º 13º 12º 11º 15º 16º 12º Green Arrow Up.svg
Ano 2010 2011 2012 2013 2014
Pos. 11º


Brasil Copa do Brasil (18 participações)
Ano 1989
Pos.
Ano 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999
Pos. 13º 21º 24º 44º
Ano 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
Pos. 53º 28º 19º 20º 31º 42º
Ano 2010 2011 2012 2013 2014
Pos. 27º 22º 27º


Público por ano[editar | editar código-fonte]

Os 10 Maiores Públicos[editar | editar código-fonte]

Torcida Cearamor no Estádio Castelão na capital cearense.
  1. Ceará x Grêmio (Copa do Brasil 1994): 89 000¹ (público total)
  2. Ceará x Sport-Recife (Copa do Nordeste 2014): 61 240 (público total, sendo 60,068 pagantes)[61]
  3. Ceará x Palmeiras (Copa do Brasil 1997): 55 227[62] (público pagante)
  4. Ceará x Flamengo (Copa do Brasil 2005): 55 000[63] (público pagante)
  5. Ceará x Atlético-MG (Copa do Brasil 2005): 55 000[64] (público pagante)
  6. Ceará x América-RN (Série B 2009): 53 664 (público total, sendo 48 116 pagantes)[65] (público total)
  7. Ceará x ASA (Copa do Nordeste 2013): 52 207 (público pagante)
  8. Ceará x Guarani (Série B 2009): 51 399[66] (público pagante)
  9. Ceará x Fluminense (Copa do Brasil 2005): 51 137[67] (público pagante)
  10. Ceará x Flamengo (Série A 2010): 51 219 (público total, sendo 44 171 pagantes)

(1): Neste jogo, após terem entrado cerca de 53 mil pagantes, os portões do estádio Castelão foram arrobados, e dezenas de milhares de torcedores entraram de graça. A estimativa feita na época dizia que havia cerca de 89 mil pessoas no estádio.[68] O público pagante oficial é de 53 915 pessoas.[69]

Alguns jogos em que a torcida alvinegra lotou o Presidente Vargas[editar | editar código-fonte]

  • 11 de agosto de 1971: Ceará x Corinthians (Campeonato Brasileiro): 41 099¹ (público pagante)
  • Ceará x Ferroviário (Campeonato Cearense de 1989): 38 515 (público pagante)
  • 3 de dezembro de 1972: Ceará x Santos (Campeonato Brasileiro): 35 752[70] (público pagante)

Rivalidades[editar | editar código-fonte]

Clássico-Rei[editar | editar código-fonte]

Ceará 2x1 Fortaleza, 30 de janeiro de 2011.

É assim chamado por colocar frente a frente as duas maiores forças do futebol cearense, Ceará e Fortaleza. O Ceará possui uma vantagem de 18 vitórias sobre o seu rival.

As estatísticas do Clássico-Rei apresentam-se assim:

  • Partidas: 553
  • Vitórias do Ceará: 185
  • Vitórias do Fortaleza: 167
  • Empates: 193
  • Partidas sem resultado conhecido: 8
  • Gols do Ceará: 747
  • Gols do Fortaleza: 715
  • Maior público: 60.363 pagantes (6/1/1991)

A última partida considerada pelas estatísticas é a do dia 23 de abril de 2014, quando houve empate em 0 a 0 no Campeonato Cearense de Futebol de 2014.

As maiores goleadas do Ceará sobre o seu maior rival:

  • Ceará 7 x 0 Fortaleza (1955)
  • Ceará 6 x 0 Fortaleza (1940 e 1977)

Torcida Ceará x Torcida Fortaleza[editar | editar código-fonte]

  • No ano de 2006, mesmo com o rival na Série A, o Ceará foi superior na arquibancada, foram 471 mil pessoas em 31 jogos, enquanto que seu rival, levou apenas 390 mil, em 34 jogos. Na renda não é diferente, enquanto o Vovô garantiu 2.49 milhões, o Fortaleza ficou com 2.46 milhões.
  • No ano de 2007 nada mudou. O Vozão deu mais um show na torcida e levou, no ano, 407 mil torcedores (32 jogos), enquanto seu rival, agora na Série B, levou 377 mil (33 jogos). Na renda, o Vovô também levou a melhor, 2.6 milhões contra 2.1 milhões.
  • No ano de 2008, o Vovô não participou da Copa do Brasil, possibilitando a passagem do seu rival em número de público, mas o alvinegro permaneceu com a melhor média, foram 302 mil torcedores do Ceará (30 jogos) contra 363 mil do Fortaleza (37 jogos); 7 jogos a mais para o rival, fez com que o seu público fosse maior. A renda nada mudou, mesmo com menos torcedores, o Vozão conseguiu arrecadar mais que seu rival, 2.7 milhões contra 2.2 milhões.
  • Em 2009, o Fortaleza se torna Tricampeão Cearense, mas não consegue passar o Vovô na arquibancada, foram 154 mil cearenses contra 139 mil leoninos, no Campeonato Cearense. Na soma do ano, o Vozão foi ainda mais superior, um recorde de público e renda no estado, até então: 589 mil contra 360 mil leoninos, na renda, 7.7 milhões contra 4 milhões do Fortaleza.
  • Em 2010, o Fortaleza se torna, pela primeira vez na história, Tetracampeão Cearense, algo que motivaria sua torcida, mas de novo, não consegue passar o Vozão na arquibancada, foram 154 mil alvinegros contra apenas 93 mil tricolores. Na soma do ano, o Ceará bateu o recorde do ano anterior, foram 618 mil torcedores contra apenas 173 mil do Fortaleza, um número 72% maior para os alvinegros. Na renda, outro recorde, 9.2 milhões contra 2.1 dos leoninos, número 77% maior. Outro recorde veio também quando o Vozão arrecadou, apenas na Série A, 7.4 milhões; em 2005, na Série A, o Fortaleza bateu seu recorde de arrecadação com 4.3 milhões, número 58% menor do que a arrecadação do Vovô enquanto estava na Série A.
  • Em 2011, aconteceu o mesmo dos anos anteriores. No campeonato cearense foram 140 mil alvinegros contra apenas 83 mil tricolores, mesmo o Ceará jogando metade do campeonato longe da torcida, na cidade de Horizonte. Na soma do ano, o Vozão levou 475 mil torcedores contra apenas 145 mil do rival. Na renda, o Vovô continuou superior.
  • De 2006 à 2011, o Vovô levou aos estádios 2.8 milhões de pessoas, enquanto seu rival levou 1.8 milhão. Na renda, nada muda, Vovô com 30 milhões de reais, enquanto o Fortaleza arrecadou 16 milhões.

Clássico da Paz[editar | editar código-fonte]

É como é conhecido o clássico entre Ceará e Ferroviário, devido à paz e à harmonia entre as duas torcidas. O Ceará leva uma vantagem de sessenta e cinco vitórias sobre o Tubarão da Barra.

A estatística referente aos embates oficiais do Clássico da Paz é esta:

  • Vitórias do Ceará: 132
  • Empates: 88
  • Vitórias do Ferroviário: 65
  • Gols do Ceará: 442
  • Gols do Ferroviário: 295

A última partida considerada é a de 7 de abril de 2013, uma vitória alvinegra por 2 a 0, pelo Campeonato Cearense de Futebol de 2013.

  • A maior goleada do Clássico da Paz ocorreu no Campeonato Cearense de 1941, quando o Ceará venceu por 10 a 1. Outra goleada a favor do Ceará ocorreu em meados de 1993: Ceará 9 a 1.

Olympic pictogram Football.png Competições internacionais[editar | editar código-fonte]

Jogos Internacionais[editar | editar código-fonte]

Rankings[editar | editar código-fonte]

Ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

  • Posição: 22º
  • Posição no Nordeste: 4º
  • Posição no Ceará: 1º
  • Pontuação: 7234 pontos

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol que pontua todos os times do Brasil.

Ranking da FCF[editar | editar código-fonte]

  • Posição: 1°
  • Pontuação: 31.450 pontos

Ranking criado pela Federação Cearense de Futebol que pontua todos os times do estado do Ceará.[71]

Ranking Placar[editar | editar código-fonte]

  • Posição: 19º
  • Pontuação: 86 pontos

Ranking criado pela Revista Placar, que atribui pontuação aos times do Brasil. Esse ranking computa pontos dos torneios internacionais, nacionais, regionais e estaduais em ordem de separação e importância, apenas computando quando se é campeão.

Ranking de clubes da CONMEBOL[editar | editar código-fonte]

  • Posição: 91º
  • Pontuação: 17 pontos

Ranking criado pela CONMEBOL que pontua todos os times da América do Sul.

Olympic pictogram Futsal.png Futsal[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Publicações sobre o Ceará[editar | editar código-fonte]

  • MOURA, Haroldo. Ceará - Alegria do Povo, 1996.
  • HOLANDA, Lúcio Chaves. Ceará Sporting Club - Um Retrato em Branco e Preto, 2004.
  • DE FARIAS, Airton. Ceará - Uma história de Paixão e Glória, 2005.
  • DE FARIAS, Airton e HOLANDA, Lúcio Chaves. Uma história em fatos & fotos, 2009.
  • CONRADO, Russen Moreira. Lição Eternizada em Preto e Branco, 2011.

Notas

Referências

  1. a b CNEF da CBF (PDF) (em português). Site Oficial da CBF. Página visitada em 09/03/12.
  2. Arena Castelão - Fortaleza. FIFA.com. Página visitada em 16 de fevereiro de 2012.
  3. Ceará e Auto Escola Júnior firmam parceria para 2014
  4. [1]
  5. http://tribunadonorte.com.br/noticias/64256.html
  6. http://www.pluriconsultoria.com.br/uploads/relatorios/Pluri%20Pesquisas%20-%20POTENCIAL%20DE%20CONSUMO%20-%20TAMANHO%20DAS%20TORCIDAS.pdf
  7. http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1176644
  8. http://www.opovo.com.br/app/opovo/esportes/2012/09/08/noticiaesportesjornal,2915495/ceara-deu.shtml
  9. http://globoesporte.globo.com/platb/olharcronicoesportivo/2012/10/18/a-pesquisa-ipsos-marplan-sobre-as-torcidas-brasileiras-parte-i/
  10. [2]
  11. http://www.showdefutebol.com.br/v2008/noticia.asp?idnoticia=17935
  12. http://www.pluriconsultoria.com.br/uploads/relatorios/PLURI%20Sportmetric%20-%20brasileirao%202014%20-%20Times%20Serie%20B.pdf
  13. O Sobrinho de Luís Esteves, Geraldo Quevedo Esteves, em vários depoimentos, informou que confirmou toda a história de fundação do clube com o tio, menos o episódio do chute na pedra, talvez um fato folclórico.
  14. FARIAS, Airton de. Ceará - Uma História de Paixão e Glória, 2005, Página 23.
  15. [3].
  16. Diário do Nordeste - Vovô maior torcida da capital. Página visitada em 1 de Setembro de 2012.
  17. O Povo – Ceará tem a maior torcida da capital. Página visitada em 1 de Setembro de 2012.
  18. http://www.futebolcearense.com.br/2010/rendapublico.asp?idcamp=246
  19. a b http://www2.cbf.com.br/php/estatisticas.php?ct=2&cc=31&aa=2009
  20. Título não preenchido, favor adicionar.
  21. a b Título não preenchido, favor adicionar.
  22. url=http://www.opovo.com.br/app/esportes/2010/10/21/noticiaesportes,2055178/ceara-alcanca-a-marca-de-20-mil-socio-torcedores.shtml>
  23. Loja Virtual Sou Mais Ceará
  24. FARIAS, Airton de. Ceará - Uma História de Paixão e Glória, 2005, Páginas 26, 27 e 28
  25. HOLANDA, Lucio Chaves. Ceará Sporting Club - Um Retrato em Branco e Preto, 2004, Páginas 105, 106 e 107
  26. FARIAS, Airton de. Ceará - Uma História de Paixão e Glória, 2005, Páginas 36 e 37
  27. HOLANDA, Lucio Chaves. Ceará Sporting Club - Um Retrato em Branco e Preto, 2004, Página 108
  28. RSSSFBRASIL.
  29. RSSSFBRASIL.
  30. RSSSFBRASIL.
  31. RSSSFBRASIL.
  32. HOLANDA, Lúcio Chaves. Ceará Sporting Club - Um Retrato em Branco e Preto, 2004, Página 72
  33. HOLANDA, Lúcio Chaves. Ceará Sporting Club - Um Retrato em Branco e Preto, 2004, Página 81
  34. FARIAS, Airton de. Ceará - Uma História de Paixão e Glória, 2005, Página 81
  35. HOLANDA, Lúcio Chaves, Ceará Sporting Clube - Um Retrato em Branco e Preto, 2004, Página 142
  36. Ver Colocação Final em: http://bolanaarea.com/copa_do_brasil_1994.htm
  37. HOLANDA, Lucio Chaves. Ceará Sporting Club - Um Retrato em Branco e Preto, 2004, Página 144
  38. Ver Participantes e Primeira Fase em: http://bolanaarea.com/copa_conmebol_1995.htm
  39. Classificação do Campeonato Brasileiro Série B 2009.
  40. Ceará, 99. Um Ceten pra chamar de seu
  41. Nova Fachada Sede Ceará
  42. Reservas da Seleção fazem jogo-treino contra Sub-20 do Ceará
  43. "Espero que seja o início de uma grande temporada", diz presidente do Ceará após título
  44. Com grande festa, “Cidade Vozão – CT Luis Campos” será inaugurada hoje
  45. Parceria entre Ceará e Aliança de Ouro resulta na criação de relógio exclusivo
  46. Relógio digital é inaugurado e contagem regressiva para o Centenário começa
  47. Em parceria com o Vozão, atacante Magno Alves lançou sua marca oficial
  48. [4] (em português).
  49. HOLANDA, Lúcio Chaves. Ceará Sporting Club - Um Retrato em Branco e Preto, 2004, Página 209(Entrevista com Da Costa)
  50. HOLANDA, Lúcio Chaves. Ceará Sporting Club - Um Retrato em Branco e Preto, 2004, Página 123
  51. Elenco atual de Futebol (em português). Site oficial do Ceará Sporting Club. Página visitada em 16 de dezembro de 2011.
  52. Comissão Futebol Profissional (em português). Site oficial do Ceará Sporting Club. Página visitada em 15 de fevereiro de 2014.
  53. HOLANDA, Lucio Chaves. Ceará Sporting Club - Um Retrato em Branco e Preto, 2004, Páginas 161 e 162
  54. Títulos do Ceará Sporting Club
  55. Ceará bate Fortaleza no fim e leva troféu Chico Anysio
  56. Sub-13 do Vozão conquista o Brazil Cup 2012 de forma invicta
  57. Time Sub-17 do Ceará conquista o Brazil Cup 2012
  58. Revista Placar Semanal - 27 de setembro de 2002
  59. HOLANDA, Lucio Chaves. Ceará Sporting Club - Um Retrato em Branco e Preto, 2004, Página 124
  60. HOLANDA, Lucio Chaves. Ceará Sporting Club - Um Retrato em Branco e Preto, 2004, Páginas 167 e 168
  61. "Súmula Ceará x Sport-Recife Copa do Nordeste 2014 ", Súmula CBF, 09/04/2014, acessado em 11/04/2014
  62. Tabelão 97 Placar, fev/1997–jan/1998, Editora Abril, pág. 108
  63. "Tabelão", Placar número 1.282, maio de 2005, Editora Abril, pág. 72
  64. "Tabelão", Placar número 1.283, junho de 2005, Editora Abril, pág. 73
  65. "Ceará empata com América-RN e acaba Série B em terceiro ", O Povo Online, 28/11/2009, acessado em 10/12/2009
  66. "Só falta um pontinho", Jornal da Tarde, 15/11/2009, pág. 11C
  67. "Tabelão", Placar número 1.284, julho de 2005, Editora Abril, pág. 72
  68. "O mistério do Castelão", Placar Especial número 2, fevereiro de 1998, Editora Abril, pág. 49
  69. "Ceará 0 x 0 Grêmio", Futpédia, acessado em 22/11/2009
  70. "Ceará 2x1 Santos", Futpédia, acessado em 22/11/2009
  71. RANKING PROFISSIONAL - 2013.
|}|}|}|}|}|}