Copa Conmebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
COPA CONMEBOL
C. Conmeboljpg.jpg
Dados gerais
Organização CONMEBOL
Edições 8
Local de disputa Flags of the Union of South American Nations.gif América do Sul
Sistema Eliminatórias
editar

A Copa Conmebol ou Taça Conmebol foi uma importante competição sul-americana oficial de futebol, organizada pela Confederação Sul-Americana de Futebol ("Conmebol") e disputada de 1992 a 1999. A Copa Sul-Americana é considerada como uma continuação da Copa Conmebol (disputada entre 1992 e 1999), que seria a sua precursora pelas formas muito similares de classificação, e por imitar seu formato em jogos de ida e volta.[1] [2] [3] [4] [5] [6] [7]

Histórico[editar | editar código-fonte]

A competição envolveu diversos clubes do continente, dentre eles, os melhores classificados em seus respectivos campeonatos nacionais.[8] [9] A classificação para a competição era similar ao formato adotado pela Copa da UEFA e Brasil e Argentina obtinham mais vagas na competição por serem os países mais bem colocados no ranking da Conmebol, assim como ocorre atualmente na Copa Libertadores da América e na Copa Sul-Americana. [10]

A competição, em determinadas edições, foi um torneio de nível técnico superior ao da atual Copa Sul-Americana, principalmente entre os anos de 1992 a 1997, pois reuniu as equipes mais bem colocadas nos campeonatos nacionais do ano anterior e, em algumas edições, disputada também por equipes indicadas pelas respectivas federações sul americanas de futebol.[11] [12] [13] [14] [15] [16] Todas as edições foram disputadas por 16 (dezesseis) clubes em jogos eliminatórios de ida e volta. Se os critérios de classificação da Copa Conmebol fossem aplicados atualmente, a Copa Sul-Americana reuniria boa parte dos times que participam da Copa Libertadores da América. No caso do Brasil, em geral, o vice campeão da Copa do Brasil junto com os clubes que obtivessem uma colocação do 2º ao 4º lugar no campeonato nacional estavam automaticamente classificados para a disputa da competição.[17] A partir de 1995 a CBF determinou que os clubes brasileiros não poderiam disputar a Copa Conmebol e a Supercopa Libertadores simultaneamente. Os clubes classificados para a Copa Conmebol e que fossem disputar a Supercopa no mesmo ano seriam substituídos pelos times de maior colocação no Campeonato Brasileiro.[18]

Com a criação da Copa Mercosul em 1998 e a eminente abundância de outros torneios em nível internacional no calendário, mesmo que estes não tivessem tanta expressão, tal como ocorria com a Copa Master da Conmebol, Copa Master da Supercopa e Copa Ouro e de maneira ajustar o calendário de competições, os critérios de classificação para a Copa Conmebol acabaram sendo absorvidos pela Copa Mercosul, competição que havia sido criada em 1998 em decorrência do tratado político estabelecido no continente e que passou, por consequência, a concentrar os clubes que haviam se classificado para a disputa da Copa Conmebol. Dessa forma a competição, especificamente no ano de 1999, sua última edição, permitiu a participação apenas de times indicados pelas confederações (grande parte times de pequena expressão) resultando na desvalorização do torneio naquele ano.

Em que pese a alteração de seus critérios de classificação, a competição protagonizou jogos e finais eletrizantes na maioria de suas edições, gravando em sua história uma das maiores viradas em finais de campeonatos internacionais, sendo que a maioria de suas finais ocorreram entre times de grande tradição no continente sul americano.

Os campeões da Copa Conmebol de 1992 até 1995 ganharam uma vaga para disputar a Copa Master da Conmebol em 1996. O Botafogo de Futebol e Regatas campeão de 1993, ganhou também uma vaga para disputar o título da Recopa Sul-Americana em 1994 contra o São Paulo Futebol Clube (o São Paulo sagrou-se campeão e disputou aquela edição da Recopa mesmo tendo sido - no mesmo ano - campeão da Libertadores e da Supercopa da América e, portanto, a Conmebol acabou indicando naquele ano o campeão da Copa Conmebol de 1993 para disputar o título da Recopa. Em 1991, o Club Olimpia alcançara o mesmo feito e fora declarado automaticamente campeão da Recopa do ano seguinte).

Resultado[editar | editar código-fonte]

Ano Final Semifinalistas
Campeão Placar Vice
1992
Detalhes
Brasil
Atlético Mineiro
2 – 0
0 – 1
Paraguai
Olimpia
Equador
El Nacional
Argentina
Gimnasia y Esgrima
1993
Detalhes
Brasil
Botafogo
1 – 1
2 – 2
(3 – 1 pên.)
Uruguai
Peñarol
Argentina
San Lorenzo
Brasil
Atlético Mineiro
1994
Detalhes
Brasil
São Paulo
6 – 1
0 – 3
Uruguai
Peñarol
Brasil
Corinthians
Chile
Universidad de Chile
1995
Detalhes
Argentina
Rosario Central
4 – 0
0 – 4
(4 – 3 pên.)
Brasil
Atlético Mineiro
Colômbia
América de Cali
Paraguai
Atlético Colegiales
1996
Detalhes
Argentina
Lanús
2 – 0
0 – 1
Colômbia
Santa Fé
Brasil
Vasco da Gama
Argentina
Rosario Central
1997
Detalhes
Brasil
Atlético Mineiro
4 – 1
1 – 1
Argentina
Lanús
Peru
Universitário
Argentina
Colón
1998
Detalhes
Brasil
Santos
1 – 0
0 – 0
Argentina
Rosario Central
Brasil
Sampaio Corrêa
Brasil
Atlético Mineiro
1999
Detalhes
Argentina
Talleres
2 – 4
3 – 0
Brasil
CSA
Chile
Deportes Concepción
Brasil
São Raimundo-AM

[19]

Títulos por equipe[editar | editar código-fonte]

O Atlético-MG é o primeiro campeão da Copa Conmebol.
O Botafogo é o único clube carioca a conquistar um título internacional no Maracanã em 1993.
O Rosário Central proporcionou a maior virada em uma final de competição sul-americana em 1995.
O Peñarol, pentacampeão uruguaio de 1993-1997, bateu na trave em 1993 e 1994.
O Olimpia, campeão automático da Recopa Sul-Americana de 1991, fez a primeira final em 1992.
O América de Cali morreu na praia em 1995.
O goleiro Rogério Ceni ficou famoso no Brasil e na América do Sul após a conquista da Copa Conmebol de 1994.

.

Carlos Alberto Torres, capitão da Copa do Mundo de 1970, comandou o Botafogo em 1993.
O ex-goleiro Taffarel jogou 3 edições da competição.
Marcelinho Carioca foi semifinalista em 1994.
Álvaro Recoba jogou as edições de 1993 e 1994 pelo Danubio.
Denilson e Túlio Maravilha também jogaram a competição.
Ézio representou o Fluminense e o Atlético-MG.
Clube Títulos Vices
Brasil Atlético Mineiro 2 (1992 e 1997) 1 (1995)
Argentina Lanús 1 (1996) 1 (1997)
Argentina Rosario Central 1 (1995) 1 (1998)
Brasil Botafogo 1 (1993)
Brasil São Paulo 1 (1994)
Brasil Santos 1 (1998)
Argentina Talleres 1 (1999)
Uruguai Peñarol 2 (1993 e 1994)
Paraguai Olimpia 1 (1992)
Colômbia Santa Fé 1 (1996)
Brasil CSA 1 (1999)

Títulos por país[editar | editar código-fonte]

País Títulos Vices
 Brasil 5 (1992, 1993, 1994, 1997 e 1998) 2 (1995 e 1999)
 Argentina 3 (1995, 1996, e 1999) 2 (1997 e 1998)
Uruguai 2 (1993 e 1994)
Paraguai 1 (1992)
 Colômbia 1 (1996)

Participantes[editar | editar código-fonte]

O Brasil foi um país peculiar na competição: 21 equipes brasileiras chegaram a disputar a Copa Conmebol, sendo que 4 conquistaram o título sul-americano.

Do grupo dos 12 grandes clubes brasileiros, somente 3 não disputaram a Copa Conmebol: Internacional, CR Flamengo e Cruzeiro EC. Os demais: Santos FC; São Paulo FC; Vasco da Gama; Botafogo; Fluminense; Grêmio; Corinthians, Palmeiras; Clube Atlético Mineiro todos classificaram e jogaram ao menos uma edição.

A competição contou também com outros grandes nomes do futebol sul-americano,[20] como:

Participações por equipe[editar | editar código-fonte]

Clube País Participações Edições
Atlético Mineiro  Brasil 5 1992, 1993, 1995, 1997 e 1998
Danubio Uruguai 4 1992, 1993, 1994 e 1997
Rosario Central  Argentina 4 1995, 1996, 1998 e 1999
Peñarol Uruguai 3 1992, 1993 e 1994
Bragantino  Brasil 3 1992, 1993 e 1996
Fluminense  Brasil 3 1992, 1993 e 1996
Deportivo Táchira  Venezuela 3 1993, 1996 e 1997
Lanús  Argentina 3 1994, 1996 e 1997
Gimnasia y Esgrima La Plata  Argentina 3 1992, 1995 e 1998
Deportivo Español  Argentina 2 1992 e 1993
Deportivo Oriente Petrolero  Bolívia 2 1992 e 1994
Grêmio  Brasil 2 1992 e 1994
El Nacional Equador 2 1992 e 1994
Huracán  Argentina 2 1993 e 1994
San Lorenzo  Argentina 2 1993 e 1994
Botafogo  Brasil 2 1993 e 1994
Corinthians  Brasil 2 1994 e 1995
Vasco da Gama  Brasil 2 1993 e 1996
Emelec Equador 2 1993 e 1996
Cobreloa  Chile 2 1995 e 1996
Universitario  Peru 2 1992 e 1997
Sportivo Luqueño Paraguai 2 1993 e 1997
Vitória  Brasil 2 1994 e 1997
Universidad de Chile  Chile 2 1994 e 1997
The Strongest  Bolívia 2 1995 e 1997
América de Cali  Colômbia 2 1995 e 1997
Defensor Uruguai 2 1995 e 1997
Deportes Tolima  Colômbia 2 1996 e 1997
Cerro Corá Paraguai 2 1994 e 1998
River Plate Uruguai 2 1996 e 1998
Estudiantes de Mérida  Venezuela 2 1997 e 1999
Deportes Quindío  Colômbia 2 1998 e 1999
Vélez Sársfield  Argentina 1 1992
O'Higgins  Chile 1 1992
Junior Barranquilla  Colômbia 1 1992
Olimpia Paraguai 1 1992
Marítimo  Venezuela 1 1992
Colo-Colo  Chile 1 1993
Deportivo Sipesa  Peru 1 1993
Caracas  Venezuela 1 1993
São Paulo  Brasil 1 1994
Sporting Cristal  Peru 1 1994
Minervén  Venezuela 1 1994
Ceará  Brasil 1 1995
Guarani  Brasil 1 1995
Independiente Medellín  Colômbia 1 1995
Barcelona Equador 1 1995
Atlético Colegiales Paraguai 1 1995
Ciclista Lima  Peru 1 1995
Sud América Uruguai 1 1995
Deportivo Mineros  Venezuela 1 1995
Bolívar  Bolívia 1 1996
Palmeiras  Brasil 1 1996
Santa Fé  Colômbia 1 1996
Guaraní Paraguai 1 1996
Alianza Lima  Peru 1 1996
Porongos Uruguai 1 1996
Colón  Argentina 1 1997
Real Santa Cruz  Bolívia 1 1997
Portuguesa  Brasil 1 1997
Rio Branco - AC  Brasil 1 1997
Técnico Universitario Equador 1 1997
Jorge Wilstermann  Bolívia 1 1998
América-RN  Brasil 1 1998
Sampaio Corrêa  Brasil 1 1998
Santos  Brasil 1 1998
Audax Italiano  Chile 1 1998
Once Caldas  Colômbia 1 1998
LDU Equador 1 1998
Melgar  Peru 1 1998
Huracán Buceo Uruguai 1 1998
Deportivo Itália  Venezuela 1 1998
Talleres  Argentina 1 1999
Independiente Petrolero  Bolívia 1 1999
CSA  Brasil 1 1999
Paraná  Brasil 1 1999
São Raimundo  Brasil 1 1999
Vila Nova  Brasil 1 1999
Concepción  Chile 1 1999
Atlético Huila  Colômbia 1 1999
Deportivo Cuenca Equador 1 1999
San Lorenzo Paraguai 1 1999
Sport Boys  Peru 1 1999

Artilheiros[editar | editar código-fonte]

Edição Futebolista(s) Clube Gols
1992 Brasil Aílton Brasil Atlético Mineiro 6
1993 Brasil Sinval Brasil Botafogo 8
1994 Brasil Tupãzinho Brasil Corinthians 5
Uruguai Martín Rodríguez Uruguai Peñarol
Brasil Juninho Paulista Brasil São Paulo
1995 Argentina Horacio Carbonari Argentina Rosario Central 4
Uruguai Rubén da Silva
1996 Argentina Óscar Mena Argentina Lanús 5
1997 Brasil Valdir Brasil Atlético Mineiro 7
1998 Equador Carlos Morales Equador LDU 4
Brasil Viola Brasil Santos
1999 Brasil Missinho Brasil CSA 4
Brasil Marcelo Araxá Brasil São Raimundo

Referências

  1. Historia de la Copa Conmebol en página oficial Conmebol.com CONMEBOL. Página visitada em 25 de outubro de 2013
  2. RSSSF SOUTH AMERICAN COMPETITIONS RSSSF.com 09 de Janeiro de 2014.
  3. Información sobre la Copa Conmebol sobrefutbol.com Página visitada em 25 de Novembro de 2013.
  4. Globo Esporte Globo.com, 16 de Julho de 2013.
  5. Terra Brazil Terra.com 05 de Dezembro de 2012
  6. Santander Fútbol Futbolsantander.com. 16 de Julho de 2012
  7. Globo afirma que a Copa Conmebol é a mesma coisa que a atual Copa Sul-Americana Globo.com, 16 de Julho de 2013.
  8. RSSSF Copa Conmebol RSSSF. 15 de Dezembro de 1999
  9. Bola na Área Copa Conmebol BolanaArea.com. Página visitada em 25 de outubro de 2013.
  10. Lanus Taça Sul-Americana iol.pt 14 de Dezembro de 2013
  11. Historia de la Copa Conmebol en página oficial Conmebol.com Conmebol. Página visitada em 25 de Novembro de 2013
  12. Información sobre la Copa Conmebol Sobrefutbol. Página visitada em 25 de Novembro de 2013.
  13. Terra Brazil Terra 05 de dezembro de 2012
  14. Santander Fútbol Futbolsantander.com. 16 de Julho de 2012
  15. GloboEsporte.com- Globo.com 16 de Julho de 2013.
  16. RSSSF Conmebol RSSSF 15 de Dezembro de 1999
  17. THE BEST CLUB OF SOUTH AMERICA- RSSSF. 9 de Janeiro de 2014
  18. Brazilian clubs in Copa Conmebol RSSSFBRASIL. 2 de Novembro de 2010
  19. Bi da Conmebol veio em 97. Superesportes, 17 de Dezembro de 2012
  20. Tabela de pontos ganhos por times que jogaram a Copa Conmebol RSSSF, 4 de Janeiro de 2000

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]