Club de Gimnasia y Esgrima La Plata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gimnasia y Esgrima La Plata
Escudo do "Club de Gimnasia y Esgrima La Plata".
Nome Club de Gimnasia y Esgrima La Plata
Alcunhas El Lobo
Mens Sana
Basurero
Torcedor/Adepto Tripero
Mascote Lobo
Fundação 3 de junho de 1887
(futebol 1903)
Estádio Juan Carlos Zerillo
Capacidade 33.000
Localização La Plata, Argentina
Presidente Argentina Héctor Atilio Delmar
Treinador Argentina Pedro Troglio
Patrocinador Argentina Liderar
Argentina Flecha Bus
Argentina Fundación Favaloro
Material esportivo Brasil Penalty
Competição Argentina Campeonato Argentino
Website gimnasia.org.ar
Kit left arm borderonwhite.png Kit body gelp2013h.png Kit right arm borderonwhite.png
Kit shorts.png
Kit socks.png
Uniforme
titular
Kit left arm.png Kit body gelp2013a.png Kit right arm.png
Kit shorts.png
Kit socks.png
Uniforme
alternativo
editar

Club de Gimnasia y Esgrima La Plata é um clube desportivo argentino da cidade de La Plata, província de Buenos Aires. Fundado em 3 de junho de 1887 como «Club de Gimnasia y Esgrima», é o clube mais antigo de todos os que militam no futebol argentino. Sua principal atividade é o futebol e está presente na Primeira Divisão do Campeonato Argentino.

Seu estádio, o Estádio Juan Carlos Zerillo, também conhecido como o «Estádio do Bosque», está localizado no bairro «O Mondongo» da cidade de La Plata e tem capacidade para 33 mil espectadores. Conta, além disso, com um centro poliesportivo, jardim de infância, escola primária e secundária e um prédio de 160 hectares, entre outras instalações. É o sétimo clube em quantidade de simpatizantes de Argentina.[1]

Gimnasia y Esgrima foi campeão da divisão Intermedia do Futebol Argentino em 1915, da Primeira Divisão em 1929, e vice-campeão da Primeira Divisão em 1924, durante o amadorismo. Após o profissionalismo, Gimnasia foi campeão da Copa Centenário em 1994 e do Campeonato Argentino de Futebol da Segunda Divisão em 1944, 1947 e 1952; também foi vice-campeão da Primeira Divisão em 5 oportunidades. Permanece por 69 temporadas na Primeira Divisão, sendo o oitavo clube com maior permanência na competição.

História[editar | editar código-fonte]

Colores del Club de Gimnasia y Esgrima La Plata.

Fundado em 3 de junho de 1887, o Club de Gimnasia y Esgrima La Plata começou suas actividades desportivas com os dois desportos que formam seu nome: a ginástica e a esgrima. Depois agregar-se-iam actividades como tiro ao alvo, atletismo e críquete, entre outras. Logo ali iniciou-se a prática do futebol, que seria, ao longo de sua história, a principal actividade desportiva do clube.

A instituição mudou várias vezes de nome: de abril a dezembro de 1897 chamou-se Club de Esgrima, pois a esgrima era a única actividade que se praticava nesse momento. Em 17 de dezembro de 1897, volta a seu nome original: Club de Gimnasia y Esgrima. De julho de 1952 a 30 de setembro de 1955 foi denominado Club de Gimnasia y Esgrima de Eva Perón, devido à mudança de nome da própria cidade de La Plata, que passou a se chamar "Cidade Eva Perón" em 1952, após a morte de Eva Perón. Quando a cidade voltou a ser chamada de La Plata, durante o governo da Revolução Libertadora, o clube também retornou à sua denominação original. Entretanto, ficou indevidamente identificado legalmente como Club de Gimnasia y Esgrima de La Plata, erro reparado em 7 de agosto de 1964, após ser aprovado o novo estatuto.

Era Amadora (1891-1930)[editar | editar código-fonte]

Em 1905, Gimnasia teve que abandonar o seu campo situado nas ruas 13 e 71, optando por não seguir praticando o futebol e se dedicar a actividades meramente sociais. Isto ocasionou na evasão de parte dos sócios, os quais fundaram outro clube onde o futebol era o principal esporte: o Club Estudiantes de La Plata. Mais tarde, em 1912, um grupo de futebolistas dissidentes do Estudiantes migrariam para o Club Independencia, o qual fundiu-se ao Gimnasia y Esgrima em 1914, voltando a existir a prática do futebol no clube. Em 1915, o Gimnasia y Esgrima participou na divisão intermedia, obtendo o título do campeonato e ascendendo à Primeira Divisão argentina. Nesse mesmo ano, conquista as duas copas que estavam em disputa: Copa Concorrência Adolfo J. Bullrich e Copa Campeonato Intermedia.[2]

Em 27 de abril de 1916, enfrenta pela primeira vez o seu principal rival. Disputado no campo do Estudiantes, o Gimnasia venceu o duelo por 1x0 e terminou o campeonato na quarta colocação, atrás apenas do Racing Club, Platense e River Plate, com 9 triunfos, 9 empates e 3 derrotas. Em 1921, voltaria a obter a quarta colocação, atrás do Racing, River Plate e Independiente, com 23 vitórias, 6 empates e 9 derrotas.

Em 27 de abril de 1924, inaugura-se o estádio localizado na intersecção das ruas 60 e 118, chamado Estádio Juan Carlos Zerillo. Gimnasia y Esgrima manter-se-ia invicto em seu estádio por 15 meses (desde seu primeiro encontro oficial até julho de 1925).[3] Nesse ano, consegue o segundo lugar, atrás apenas do San Lorenzo, com 15 vitórias, 7 empates e 1 derrota.

Campeão em 1929[editar | editar código-fonte]

Formação da equipa de 1929.

Em 1929 o Gimnasia y Esgrima obtém seu único campeonato amador da Primeira Divisão, depois de uma campanha que obteve 14 vitórias e 3 derrotas. O campeonato de 1929 adoptou a modalidade de disputa da Copa Estímulo, dividindo as equipas em duas zonas ("par" e "impar"), sendo definido o título em uma partida entre os ganhadores de cada zona.

O clube obteve o primeiro lugar na "zona impar", da qual faziam parte: River Plate, Racing Club, Huracán e Estudiantes de La Plata. A «zona par» foi vencida pelo Boca Juniors, que classificou-se assim para o confronto final.

A decisão foi disputada em 9 de fevereiro de 1930, no estádio do River Plate, situado na intersecção das ruas Alvear e Tagle. Após perder por 1x0 no final do primeiro tempo, a equipa do Gimnasia, formada por Felipe Scarpone, Dei Giano e Evaristo Delovo; Rusciti, Santillán e Belli; Curell, Francisco Varallo, Maleani, Díaz e Morgada virou o placar com dois golos de Martín Maleani. Nesse ano, também obtém o título do campeonato de Reserva.[4] Desta forma, Gimnasia y Esgrima tornou-se o primeiro clube da cidade a obter um torneio organizado por uma Associação reconhecida pela FIFA. Entre dezembro de 1930 e abril de 1931, a equipa de Gimnasia, que posteriormente conhecer-se-ia como "O Expresso", tornou-se o primeiro clube do interior do país a excursionar à Europa, e o primeiro em jogar em Portugal, Rússia, Áustria e Itália.[5]

Era Profissional (1931-2008)[editar | editar código-fonte]

O Expresso de 1933[editar | editar código-fonte]

Formação da equipa de 1933.

Já em sua etapa profissional, o Gimnasia y Esgrima ingressou novamente na história do futebol argentino, quando o denominado Expresso conquistou a primeira fase do campeonato da Primeira Divisão e finalizou na quarta colocação com um recorde de 21 vitórias, 4 empates e 9 derrotas.[6] Na segunda fase, ele liderou o campeonato, até enfrentar Boca Juniors e San Lorenzo. Nestes cotejos, a equipa albiazul[7] foi prejudicada pelas arbitragens.[8] No entanto, aquela equipa, cujo principal goleador foi Arturo "El Torito" Naón com 33 gols, já tinha entrado na memória dos torcedores: nascia "O Expresso de 1933".

Copa Governador Alende (1960)[editar | editar código-fonte]

Formação da equipa de 1960.

Esta copa, de carácter amistoso, foi disputada em 1960 e denominada Copa Governador da Província de Buenos Aires Dr. Oscar Alende, em homenagem ao então Governador de Buenos Aires. A copa foi um quadrangular internacional, do qual participaram Estudiantes de La Plata, Gimnasia y Esgrima, Club Nacional de Football e Club Atlético Peñarol. Gimnasia y Esgrima impôs-se nos dois encontros contra as equipas uruguaias e, na última partida, empatou com o Estudiantes em 2x2. Assim, em 13 de fevereiro de 1960, Gimnasia y Esgrima sagrou-se campeão.

La Barredora (1970)[editar | editar código-fonte]

Uma das equipas mais recordadas pela torcida ficou conhecida como La Barredora. Após quase uma década alternando boas e más actuações, os campeonatos organizados pela Associação do Futebol Argentino (AFA) passaram por modificações. Estes foram o "Metropolitano", com as equipas filiadas directamente à AFA divididas em duas zonas, e o "Nacional", do qual participavam algumas equipas filiadas à AFA e que classificaram nas primeiras colocações do Metropolitano. O resto das equipas participava do "Promocional" e do "Reclasificatorio", junto a outras equipas que representavam outras ligas do país.

Formação da equipa de 1970.

No primeiro ano da reformulação das competições argentinas, 1967, Gimnasia y Esgrima sagrou-se campeão do torneio Promocional. Posteriormente seriam criadas outras variações, o Campeonato Metropolitano, que foi disputado em turno único, e o Campeonato Nacional, disputado com as equipas sendo divididas em duas zonas. Nesse ano, Gimnasia y Esgrima conseguiu classificar-se para disputar a semifinal do Campeonato Nacional contra o Rosario Central, que havia terminado em primeiro lugar da "zona A". Gimnasia y Esgrima, por sua vez, classificou-se em segundo na "zona «B", atrás do Chacarita Juniors. Simultanemante, ocorreu um conflito entre futebolistas e dirigentes do clube por motivos económicos, o que levou o presidente Oscar Venturino a apresentar à terceira divisão. O resultado final foi 3x0 para a equipa rosarina.[9] A equipa do Gimnasia y Esgrima esteve formada por: Hugo Gatti; Ricardo Rezza, José Bernabé Leonardi, José Masnik, Roberto Zywica, Roberto Gonzalo; Héctor Pignani, José Santiago, Delio Onnis, José Néstor Meija, Jorge Castiglia.

O último acesso (1984)[editar | editar código-fonte]

Após uma má campanha, o Gimnasia y Esgrima foi rebaixado à Primeira "B" no ano de 1979. A equipa fez parte da Segunda Divisão entre 1980 e 1984, ano no qual consegue ascender. O plantel estava formado por futebolistas como Ricardo "El Pulpo" Kuzemka e Carlos Carrió, enquanto seu treinador era Nito Veiga. Em 1984, o Gimnasia obteve o terceiro lugar na tabela e classificou-se para disputar um Octogonal pela segunda ascensão. Deste octogonal, fizeram parte Racing Club, Argentino de Rosario, Club Atlético Tigre, Club Atlético Defensores de Belgrano, Club Atlético Lanús, Nueva Chicago e Club Deportivo Morón. Alcançou a fase final, onde venceu o Racing Club por duas vezes (3x1 como visitante e 4x2 como dono da casa).

Torneio Centenário (1993-1994)[editar | editar código-fonte]

Em 1993, a Associação do Futebol Argentino organizou um torneio denominado «Copa Centenário», ao cumprir-se 100 anos da criação da Association Argentine Football League. Esta associação com o tempo converteu-se na Associação do Futebol Argentino.

Todas as equipas de Primeira Divisão desse momento disputaram encontros de ida e volta com seus clássicos rivais. Gimnasia y Esgrima começou eliminando a Estudiantes de La Plata, a quem venceu 1x0 no encontro de ida com golo de Guillermo Barros Schelotto e empatando 0x0 no encontro de volta. Continuou eliminando rivais (Newell's Old Boys, Argentinos Juniors e Belgrano de Córdoba), consagrando-se triunfador da rodada de ganhadores.

O Club Atlético River Plate foi o ganhador da rodada de perdedores, pelo que a final se disputou no Estádio Juan Carlos Zerillo, de Gimnasia. River Plate para ser campeão devia vencer aos platenses em duas oportunidades.

Depois de um torneio no que se disputaram 52 encontros, a final se disputou o 30 de janeiro de 1994. Gimnasia y Esgrima impôs-se por 3:1 e assim obteve a Copa Centenário.[10] Ao obter esta copa, foi convidado a disputar a Copa Sanwa Bank em 1994.

De Griguol a Troglio (1994-2007)[editar | editar código-fonte]

Com Carlos Timoteo Griguol como treinador Gimnasia y Esgrima obtém o segundo posto no Torneio Clausura de 1995,[11] repetindo o lucro em 1996[12] e 1998.[13] Também, tomou o segundo lugar em 2002[14] baixo a direcção técnica de Carlos Ramacciotti, com quem tinha chegado à final da Copa Centenário em 1993 (depois obtida baixo a conducción técnica de Roberto Perfumo). Graças a este segundo lugar Gimnasia y Esgrima consegue participar da Copa Libertadores de 2003.[15] Também, obteve o segundo lugar no Torneio Abertura 2005[16] baixo a direcção técnica do ex futebolista do clube Pedro Troglio, após uma campanha cabeça a cabeça com Boca Juniors, conseguindo a participação na Copa Sul-americana 2006 e, pela segunda vez,[17] da Copa Libertadores 2007, da qual foi eliminado na primeira fase [18] pese a impor-se em seu último encontro por 3:0[19] a Defensor Sporting de Uruguai, a terceira equipa de dito país em quantidade de torneios obtidos.

Actualidade (2007-presente)[editar | editar código-fonte]

Nas eleições de dezembro de 2007 a lista de Juan José Muñoz é derrotada por Walter Gisande. O presidente eleito declara sua intenção de que o ex futebolista Guillermo Sanguinetti seja o novo treinador do clube.[20] Posteriormente, o Intendente da cidade de La Plata, Pablo Bruera, manifestaria que Gimnasia y Esgrima poderia voltar a se desempenhar como local em seu estádio, e cederia terras adicionais à instituição.

A International Federation of Football History & Statistics (IFFHS) localiza a Gimnasia y Esgrima no 8° lugar entre os clubes de Argentina no período março de 2007 - fevereiro de 2008 [21] acima de outras equipas da Primeira Divisão de Argentina, como Banfield, Argentinos, Independiente, Newell's Old Boys, Racing Club e Club Atlético Colón.

Recordes e curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Gimnasia y Esgrima foi a primeira equipa do interior do país em vencer ao Real Madrid CF em seu próprio estádio. O encontro disputou-se o 1 de janeiro de 1931 e terminou 3x2.[22]
  • Gimnasia y Esgrima contratou ao primeiro treinador estrangeiro do profissionalismo na Argentina: Emérico Hirschl (Hungria).
  • Gimnasia y Esgrima tem o recorde pelo golo mais rápido da primeira divisão. Carlos Dantón Seppaquercia converteu o golo em frente a Huracán após 5 segundos, no dia 18 de março de 1979.[23] [24]
  • Num encontro pelo Torneio Clausura 2000, Gimnasia y Esgrima empata em 6x6 com Colón de Santa Fé. Um resultado muito pouco comum (fazia 60 anos que não se dava um marcador tão elevado).[29]
  • Em junho de 2006 retira-se a camisa Nº21, número que utilizou Pedro Troglio em sua última etapa profissional, sendo esta a primeira retirada num clube de futebol argentino.

Clássico Platense[editar | editar código-fonte]

Actualizado ao Torneo Clausura 2008

O Clássico Platense é como habitualmente se denomina ao encontro de futebol argentino onde se enfrentam os dois clubes desportivos mais importantes da cidade de La Plata: Gimnasia y Esgrima La Plata e Estudiantes de La Plata.

O primeiro encontro oficial disputou-se o 27 de agosto de 1916, quando pelo campeonato da Primeira Divisão da Associação Argentina de Football, Gimnasia y Esgrima se impôs por 1x0 através de um golo na contramão de Ludovico Pastor.[30]

Desde que enfrentaram-se pela primeira vez em 14 de junho de 1931, por torneios oficiais organizados pela Associação do Futebol Argentino, disputaram 143 encontros: Estudiantes de La Plata obteve 49 com 209 golos; Gimnasia y Esgrima impôs-se em 44 com 191 tentos; e empataram em 50 oportunidades.[31]

Entre o 12 de agosto de 1932 e o 9 de setembro de 1934, Gimnasia y Esgrima obteve 5 clássicos de forma consecutiva. Em 25 de junho de 1963 venceu por 5x2, sendo este seu melhor resultado em frente a seu clássico rival. Em contrapartida, seu pior resultado foi em 15 de outubro de 2006 quando caiu por 7x0. A última goleada de Gimnasia y Esgrima foi durante o Torneio Clausura 2005, em 12 de Junho pela 16ª Data do torneio, por 4x1 no Estádio do Bosque.[32] [33]

Uma curiosidade dos clássicos foi que em 5 de abril de 1992, ante o festejo de golo de Gimnasia durante o clássico, encontro que terminou ganhando Gimnasia y Esgrima por 1x0, o sismógrafo localizado na cidade de La Plata registou um movimento telúrico de baixa intensidade, dando a conhecer a dita anotação como «O golo do terramoto». O tento foi anotado por José Perdomo de tiro livre.[34]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Saturnino Perdriel, 1887.

Ao longo de seus mais de 120 anos de história foram 55 os Presidentes do Club Gimnasia y Esgrima La Plata que tiveram a responsabilidade de conduzir os destinos institucionais do clube. Muitos deles contribuíram acções para que a entidade fosse crescendo com o passo dos anos. Alguns ficaram mais na memória dos torcedores do clube, pelos lucros obtidos, ou por ter realizado obras destacadas.

Saturnino Perdriel foi um proeminente empresário e vizinho do tempo, foi o fundador e primeiro presidente da Gimnasia y Esgrima La Plata, um oficial do Ministério das Finanças da Província de Buenos Aires, morreram prematuramente em 1888 (um ano da Presidência) .

Atualmente, o presidente do Club de Gimnasia y Esgrima La Plata é eleito pelos seus membros, através de eleições que se realizam de três em três anos. Ao mesmo tem o direito de eleger e ser eleito a cada parceiro e sócio do clube mais de 18 anos com três anos de antiguidade como parceiros de voto e sete para aderir ao Comissão Directiva.

O atual presidente do Gimnasia y Esgrima La Plata é Gisande Walter, que ganhou nas eleições do ano passado Gabriel Pellegrino por 16 votos.

Comissão Directiva 2007-2010[editar | editar código-fonte]

  • Presidente: Walter Gisande.
  • Vice-presidentes: Fabián Cagliardi, Juan Carlos Escanda y Ernesto Fischer.
  • Vocales Titulares: Renato Ottaviano, Ernesto Díaz, Daniel Giraud, Laureano Durán, Víctor Paladino, Miguel Lavarra, Roberto Coscarelli, Pablo Blanco, Ricardo Vera, Flavio González, Daniel Bellini, Emidio Pappalardo e Marcelo Gisande.
  • Vocales Suplentes: Carlos Gerez, Jorge García, Roberto Capalbo, Santiago Barbieri, Ricardo Díaz, Alberto Castillo e Jorge Quintín.
  • Revisores de Cuentas Titulares: Ricardo López Osornio, Facundo Menéndez e Pablo Juanes.
  • Revisores de Cuentas Suplentes: Hernán Paladino e Alejandro Cisneros.
  • Jurado de Honor Titular: Alberto Durán, Omar Nicora, Elvio Sagarra, Julio Novarini e Eugenio Mijailoff.
  • Jurado de Honor Suplente: Alfredo Ferrarini e Gustavo Scoppa.

Hino[editar | editar código-fonte]

O Hino Oficial do clube foi escrito no ano 1915 pelo popular poeta nascido em Magdalena Délfor B. Méndez, e a música composta pelo maestro Juan Serpentini, quem compusesse versões do Hino Nacional Argentino e O tambor de Tacuarí com letra de Rafael Obligado.

Foi entoado pela primeira vez em 9 de julho de 1915 com motivo do agasajo que se lhe desse à delegação do clube River Plate Football Clube de Uruguai.

Em 1967 o hino oficial foi gravado pela Banda de Música da Polícia da Província de Buenos Aires.

Escudo[editar | editar código-fonte]

O escudo do Club de Gimnasia y Esgrima La Plata está composto por uma coroa em cuja parte superior destaca-se um elmo com cimero e no centro, sobre esmalte e com as cores do clube (branco e azul marinho), vai em relevo o monograma do mesmo. Nos cantos superiores, a maneira de guarda surgem as empunhaduras de um sabre e um florete, assomando as pontas na parte inferior do escudo. Aos custados do centro estende-se o elmo, por cada lado, um ramo de laureles.[35]

O escudo do clube sofreu algumas modificações. Desde 1887 e até 1928, tinha-se utilizado o escudo desenhado por Emilio Coutauret, o qual era um desenho mais artesanal e ornamentado. Em 1964, ao reformar-se o estatuto de Gimnasia y Esgrima mudou-se por um mais singelo, mas sem perder a esencia do original. Este último é o que se utiliza actualmente.

Algumas mudanças menores sofreu nos últimos anos. Na presidência de Héctor Domínguez tinha-se mudado a sigla do centro do escudo, substituindo o histórico CGE (Club de Gimnasia y Esgrima), pelo GELP (Gimnasia y Esgrima La Plata), modificação que perdurou nos mandatos seguintes de Gliemmo e Muñoz. Desde o início da presidência de Walter Gisande, voltou-se à sigla original de CGE.

Uniforme[editar | editar código-fonte]

O uniforme titular de Gimnasia y Esgrima tomada como base as cores do escudo do clube, os quais foram estabelecidos no estatuto social do mesmo.

  • Uniforme titular: Camisa branca com uma faixa horizontal azul marinho, calções brancos, meias brancas.
  • Uniforme alternativo: Camisa azul marinho com uma faixa horizontal branca, calções azul marinho, meias azuis marinho.

Evolução do uniforme[editar | editar código-fonte]

Nos primeiros anos de vida da instituição, adoptaram-se as cores branco e celeste, procurando desta forma realzar o facto de que se tratava de um clube argentino. A primeira camisa que utilizou a equipa era a listras verticais brancas e celestes.

Mais tarde, em 1905, decidiu-se mudar as cores para diferenciarse do Racing Club. Isto resultou numa camisa a listras verticais de cor branca e azul marinho. Finalmente, a partir de 1910, modificou-se o desenho, mudando as listras verticais por uma faixa horizontal de cor azul marinho e o resto branco.

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1903
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1905
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1910-presente

Material esportivo e patrocinador[editar | editar código-fonte]

A seguinte tabela detalha cronologicamente as empresas provedoras de material esportivo e os patrocinadores que teve Gimnasia y Esgrima La Plata entre os anos 1980 e 1990 respectivamente:

Indumentaria
Período Proveedor
1980-1984 Topper
1985-1993 Adidas
1993-1998 Hummel
1998-2001 New Balance
2001-2008 Puma
2009-2010 Kappa
2010-presente Penalty
Patrocinador
Período Patrocinador
1990-1992 Pegamax
1992 Diario El Día
1992-2001 Banco Municipal de La Plata
2001-2002 Fideos Manera
2002 Ticket Vip
2003-2004 Suin
2004 Liderar Seguros
2005 Medical Hair
2006 Crown Mustang
2007-2008 Motomel
2008-presente La Nueva Seguros

Durante o ano 2009, o material esportivo do Gimnasia y Esgrima La Plata será provisto pela empresa Kappa, quem brindará desde o uniforme desportivo até a roupa extra-desportiva. A sua vez, a camiseta será patrocinada pela empresa La Nueva Seguros, da qual levará o nome escrito na faixa principal.

Estadio[editar | editar código-fonte]

Platea oficial 1942.

O Estádio Juan Carlos Zerillo, inaugurado em 1924, também conhecido como o «Estádio do Bosque», é o estádio do Club de Gimnasia y Esgrima La Plata. Com sua capacidade actual de 33.123 espectadores, resulta ser o estádio de futebol pertencente a um clube com maior capacidade da cidade.

Esta situado sobre a avenida 60 e sua intersecção com a rua 118 da cidade de La Plata, em pleno Bosque Platense, próximo ao bairro conhecido como «O Mondongo». O nome do estádio é uma homenagem ao ex-presidente do clube, Juan Carlos Zerillo, que comandou o Gimnasia y Esgrima de 1929 a 1931.

Claque[editar | editar código-fonte]

Uma claque é o nome dado ao coletivo de público que assiste a competições esportivas de um clube seu favorito.

Apelidos/Alcunhas[editar | editar código-fonte]

A claque de Gimnasia y Esgrima tem várias alcunhas:[36] Entre estes se encontram:

  • Triperos: Apelido/Alcunha que começou para os futebolistas que pela década de 1920, eram em sua maioria provenientes das cidades de Ensenada e Berisso, e quem, em alguns casos, continuavam trabalhando nos frigoríficos. Um dado curioso é que o mesmo apelido é utilizado para a população de Porto, em Portugal.[36]
  • La 22: O nome colectivo da claque/torcida é «A 22». Existem versões encontradas sobre o motivo do nome. Uma delas diz que é devido a um ex chefe da barra brava da equipa, Marcelo Amuchástegui, conhecido como «o Louco Fierro» (no Tarô o número 22 é o Louco); outra das versões diz que era devido à rua 22 da cidade de La Plata, já que muitos adeptos/torcedores famosos viviam ali.
  • Basureros: O apelido/alcunha foi dado pelos mesmos simpatizantes do clube devido a que Oscar Venturino, presidente de Gimnasia y Esgrima entre os anos 1968 e 1979, era o dono de uma companhia de coleta de lixo. Ainda que não seja o apelido mais popular que tem, o foi durante a década de 1970.[36]
  • Lobo: O apelido/alcunha é obra do desenhista Julio César Trouet, quem trabalhava para o diário El Día da cidade de La Plata. Até 1953 o desenho que identificava ao clube era o de um carniceiro. A ideia do lobo surgiu já que o estádio de Gimnasia y Esgrima está localizado no bosque da cidade, e a equipa era reconhecida por sua astúcia e rapidez, ao igual que o animal conhecido por esse nome. Conquanto a figura do lobo não foi tomada de imediato, é a partir da grande campanha do ano 1962 que o apelido e o clube se fizeram praticamente sinónimos.[37]
  • Mens Sana: É parte do lema do clube. Seu sentido original é o da necessidade de um espírito equilibrado num corpo equilibrado. Mens sana in corpore são é uma citação latina de Juvenal.[38]

Enquetes[editar | editar código-fonte]

Uma enquete sobre as preferências futbolísticas realizada pela Secretaria de Meios de Comunicação da Nação arrojou que na cidade de La Plata a maioria da população é adepta do Gimnasia y Esgrima, com o 20,5%, enquanto o segundo lugar é para Boca Juniors, com o 20,1%. Estes dados demonstram que a capital da província de Buenos Aires (La Plata) é, junto a Rosario, uma das únicas cidades em todo o país em onde o predominio dos dois grandes do futebol Argentino (Boca Juniors e River plate) não é tal, sendo ali Gimnasia y Esgrima a equipa mais popular.[39]

Dia Mundial do adepto/torcedor do Gimnasia y Esgrima[editar | editar código-fonte]

Igualmente ao que acontece com muitos clubes da Primeira Divisão de Argentina e do mundo que têm em seu dia, o clube platense festeja todos os 10 de dezembro no «Dia Mundial do Incha de Gimnasia y Esgrima».[40] [41] [42] A história da data festiva está relacionada com a primeira marcha que os triperos fizeram ao município para reclamar a cessão das terras do estádio. O impulsor da ideia foi o jornalista Néstor Basile, editor da revista «Tribuna Gimnasista».

Dados do clube[editar | editar código-fonte]

  • Temporadas na Primeira Divisão: 69
  • Temporadas na Segunda Divisão: 8
  • Melhor posição na Primeira Divisão: 2º (sub-campeão em cinco oportunidades: Clausura 1995, Clausura 1996, Apertura 1998, Clausura 2002, Apertura 2005)
  • Pior posição na Primeira Divisão: 18º (de 20, em Apertura 2007)[43]
  • Melhor posiçao na Primeira Divisão Amadora: 1º (em 1929)
  • Pior posiçao na Primeira Divisão Amadora: 25º (de 34, em 1927)[44]
  • Piores derrotas:
    • Em campeonatos nacionais: 0x8 de Huracán.
    • Em torneios internacionais: 0x4 de IA Sud América na Copa Conmebol 1995
  • Número máximo de vitórias consecutivas alcançado na Primeira Divisão:
    • 8 (Torneo Apertura 2005), a sexta mais importante do futebol argentino.[47] (em torneios curtos)
    • 9 (Campeonato de 1962)
Arturo Naón.
  • Maiores goleadores:
    • argentino Arturo Naón (95 gols em 97 partidas)
    • argentino Manuel Fidel (80 gols em 201 partidas)
    • argentino Diego Francisco Bayo (71 gols em 138 partidas)
    • argentino italiano Delio Onnis (64 gols em 113 partidas)
  • A maior parte das aparências:
    • argentino Jorge San Esteban (462 encontros disputados, entre 1992-2003 y 2004-2009)
    • uruguaio Guillermo Sanguinetti (383 encontros disputados entre 1991-2003)
    • argentino Oscar Montañéz (343 encontros disputados entre 1932-1945)
    • argentino Enzo Leonardo Noce (321 encontros disputados entre 1990-2004)

Jogadores[editar | editar código-fonte]

Em mais de 120 anos a sua história, foram mais de 800 atletas do Club de Gimnasia y Esgrima La Plata a vestir a camisa da primeira equipa. Jorge San Esteban, actualmente activo, com mais de 400 partidas ao longo do clube, por vezes usava a camisa albiazul. Por sua vez, Arturo Naón com 95 gols em 97 jogos é o topo marcador da história do clube.

A Asociación del Fútbol Argentino permite que as equipas de futebol da Argentina tenham em seu time titular um máximo de quatro jogadores estrangeiros; Gimnasia y Esgrima historicamente tem treinado em sua maioria jogadores de futebol locais, mas também a estrangeiros, sendo uruguaios que dominam preferências, com 49 jogadores.

A partir de suas divisões inferiores têm surgido um grande número de futebolistas de renome nacional e internacional, como Guillermo y Gustavo Barros Schelotto, Mariano Messera, Lucas Lobos, Roberto «Pampa» Sosa, Andrés Guglielminpietro, Sebastián Romero, Lucas Licht y Leandro Cufré, entre outros.

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

  • Actualizado ao Torneio Clausura 2009
No. Posição Jogador
1 Argentina G Gastón Sessa
2 Argentina Z Jorge San Esteban
3 Argentina Z Patricio Graff
4 Chile (bordered) M Álvaro Ormeño
5 Argentina M Reinaldo Alderete
6 Argentina Z Ariel Agüero
7 Argentina M Juan Cuevas
8 Argentina M Ignacio Piatti
9 Uruguay (bordered) A Diego Alonso
10 Argentina M Mariano Messera
11 Argentina M Diego Villar
12 Argentina G Pablo Bangardino
13 Argentina Z Abel Masuero
14 Argentina Z Hugo Iriarte
Argentina G Yair Iván Bonnin
16 Argentina Z Miguel Juárez
17 Argentina M Sebastián Ariel Romero
Argentina A Guillermo Barros Schelotto
No. Posição Jogador
18 Argentina A Roberto Carlos Sosa
19 Argentina M Esteban Nicolás González
20 Argentina A Juan Neira
21 Argentina M Fabián Rinaudo
22 Argentina A Franco Niell
Argentina Z Raúl Alberto Albornoz
24 Argentina Z Marcelo Cardozo
25 Argentina Z Cristian Piarrou
Argentina M Lucas Nahuel Castro
27 Argentina G Fernando Monetti
28 Argentina M Luciano Aued
29 Paraguay Z Rubén Maldonado
30 Argentina M Jonathan Cháves
31 Argentina A Néstor Martinena
32 Argentina M Pablo De Blasis
36 Argentina A Denis Stracqualursi
39 Argentina Z Lucas Landa

As equipes argentinas são limitadas pela AFA para ter um máximo de quatro jogadores estrangeiros em seu time titular. Quase sempre essa cota é coberta na sua totalidade.

Goleadores da Primeira divisão argentina[editar | editar código-fonte]

  • argentino José Chirico: 27 gols (Campeonato 1952)[48]
  • argentino Roberto Sosa: 17 gols (Torneio Clausura 1998)[49]
  • uruguayo Gonzalo Vargas: 12 gols (Torneio Clausura 2006)[50]

Treinadores[editar | editar código-fonte]

Roberto Perfumo.

O Club de Gimnasia y Esgrima La Plata teve um total de 63 treinadores de futebol ao longo de sua história. O primeiro treinador do clube foi o húngaro Emérico Hirschl, quem dirigiu na instituição entre 1932 e 1934.

Alguns treinadores que ficaram na memória do clube foram Nito Veiga (quem conseguisse a ascensão em 1984), Roberto Perfumo (treinador na final da Copa Centenário), Carlos Timoteo Griguol (quem dirigiu à equipa em três etapas, totalizando dez anos) e o ex futebolista Pedro Troglio.

Em 1993 Roberto Perfumo faz-se cargo da condução técnica do clube, prévio à final da Copa Centenário, da qual consagrar-se-ia ganhador.

Num ano mais tarde, Carlos Timoteo Griguol toma o cargo de treinador e consegue 3 sub-campeonatos (Torneio Clausura 1995, Torneio Clausura 1996 e Torneio Abertura 1998). Dirigiria até 1999, quando emigraria ao Betis de Espanha. Voltaria em pouco tempo para dirigir ao lobo na temporada 2000/2001, para logo ser substituído pelo uruguaio Gregorio Pérez. Na temporada 2003/2004 Griguol começa sua terceira etapa em Gimnasia y Esgrima La Plata, em onde finaliza sua carreira como treinador de futebol.

Desde o 1 de Outubro de 2008 o treinador de Gimnasia y Esgrima La Plata é Leonardo Madelón, reemplazando o ex futebolista do clube, Guillermo «Topo» Sanguinetti.[51] O «Topo» despediu-se do futebol aos 37 anos, totalizando 383 encontros locais e 18 internacionais, sendo o segundo futebolista com mais presenças na centenaria história de Gimnasia, por trás de Jorge San Esteban.[52]

Equipa Técnica 2010[editar | editar código-fonte]

Actualizado ao Torneio Clausura 2010

  • Treinador:
    • argentino Diego Cocca
  • Ajudantes de Campo:
    • argentino Walter Coyette
    • argentino Jorge Montesino
  • Preparador Físico:
    • argentino Javier Bustos
    • argentino Federico Tridico
  • Médico:
    • argentino Pablo Del Compare
  • Coordenador de Futebol Profissional:
    • argentino Mario Díaz
  • Coordenador de Futebol Amador:

Títulos[editar | editar código-fonte]

Era Amadora[editar | editar código-fonte]

Torneios nacionais oficiais[editar | editar código-fonte]

Torneios nacionais amistosos[editar | editar código-fonte]

  • Copa Competencia Adolfo J. Bullrich (1): 1915
  • Copa Campeonato Intermedia (1): 1915

Era Profissional[editar | editar código-fonte]

Torneios nacionais oficiais[editar | editar código-fonte]

  • Sub-campeão da Segunda Divisão Argentina (1): 1946

Torneios nacionais amistosos[editar | editar código-fonte]

Torneios internacionais amistosos[editar | editar código-fonte]

  • Copa Colonia del Sacramento (1): 1998[69]
  • Cuadrangular de Asunción (1): 1975
  • Copa Cristal (1): 2005[70]
  • Sub-campeão da Copa Sanwa Bank (1): 1994

Outras secções desportivas[editar | editar código-fonte]

Voleibol Feminino[editar | editar código-fonte]

Um dos esportes mais proeminentes[71] do clube Gimnasia y Esgrima La Plata é o voleibol feminino, que é de grande importância no âmbito do vôlei argentino, sendo a única instituição dos nove fundadores do "Federación de Voleibol y Pelota al Cesto", que ainda é praticada, actualmente, e no mais alto divisões. Atualmente, a federação chamada "Federación Metropolitana de Voleibol".[72]

Títulos[73] [74] [75] [76] [77]
Concorrência País Ano Posição
Copa Morgan FMV Flag of Argentina.svg Argentina 1951 Campeões
Torneo Evita Flag of Argentina.svg Argentina 1954 Campeões
Torneo Lola Berta Flag of Venezuela.svg Venezuela 1955 Campeões
Torneo Cuadrangular Flag of Chile.svg Chile 1972 Campeões
Torneo Cuadrangular Flag of Chile.svgChile 1975 Campeões
Cuadrangular Náutico Flag of Uruguay.svg Uruguay 1976 Campeões
Banco República Flag of Uruguay.svg Uruguay 1976 2do
Liga Argentina de Clubes Flag of Argentina.svg Argentina 1998-1999 3ro
Liga Argentina de Clubes Flag of Argentina.svg Argentina 1999-2000 Campeões
Federación Metropolitana Flag of Argentina.svg Argentina 2000 Campeões
Torneo Sudamericano Flag of Brazil.svg Brasil 2000 4to
Liga Argentina de Clubes Flag of Argentina.svg Argentina 2000-2001 Campeões
Federación Metropolitana Flag of Argentina.svg Argentina 2000-2001 Campeões
Liga Argentina de Clubes Flag of Argentina.svg Argentina 2003 Campeões
Liga Metropolitana (FMV) Flag of Argentina.svg Argentina 2004 Campeões
Liga Argentina de Clubes Flag of Argentina.svg Argentina 2005 2do
Torneo Int. Norma Rimoldi Flag of Argentina.svg Argentina 2005 Campeões

Basquete[editar | editar código-fonte]

Primeira equipe de basquete de 1924 na rotunda do estádio del Bosque.

Basquetebol (ou basquete) começaram a praticar no clube de Gimnasia y Esgrima La Plata na década de 1920 e em 1924 se construiu um estádio dentro dos limites de 60 e 118. Desde essa altura, tornou-se um dos principais esportes no clube.[78]

A equipa de basquete de Gimnasia y Esgrima atingiu seu auge durante as campanhas de 1978 e 1979. O primeiro título que obteve foi em 1978 ao vencer no estádio de Ferrocarril Oeste a Obras Sanitárias por 72 a 67 o título Metropolitano. Foram basquetbolistas neste período González, Finito German, Peinado, e norte-americanos como Lawrence Jackson e o base Clarence Edgar Metcalfe, que era o líder da equipa e saiu premiado como o melhor basquetbolista da une em 1979. Num ano mas tarde Gimnasia y Esgrima volta a obter o torneio, coroando-se campeão do Metropolitano 1979, novamente ante Obras Sanitárias, desta vez por 92 a 84.[79]

Gimnasia y Esgrima ia crescendo na Une Nacional de Básquet (Argentina) na temporada 2003-2004, onde terminou em segundo depois de cair na final com Boca Juniors por 4-2.[80] [81] Na temporada seguinte foi relegado ao TNA (Torneio Nacional de Ascensão), por decisão de suas autoridades encabeçadas pelo então presidente do clube Juan José Muñoz, quem decidiram tirar-lhe grande parte do orçamento, o que ocasionou que se perdessem às figuras principais da equipa que tinha obtido o subcampeonato.[82] Actualmente el equipo de primera de Gimnasia milita en el Torneo Nacional de Ascenso (TNA).[83]

Secções desaparecidas[editar | editar código-fonte]

Além de todas as secções mencionadas, Gimnasia y Esgrima La Plata teve equipas em outras disciplinas desportivas ao longo de sua história. São secções que, por uma ou outra razão, se dissolveram.[84]

Rugby: Em 1933 a Unión de Rugby del Río de La Plata comunica que por regulamento não permitirá a afiliação de clubes com profissionais de outros desportos, é assim que a representação mens sana começou a figurar com o nome de Gimnasia y Esgrima La Plata Rugby Club, mas quatro anos depois se desvincula o rugby completamente, dando lugar ao que hoje se chama La Plata Rugby Club.[85]

Pelota Paleta: Em julho de 1943 é habilitada o campo de pelota paleta e grande quantidade de sócios inscrevem-se em suas categorias. Ao ano seguinte consegue-se o título nacional da quarta categoria.

Tênis de mesa: Entre 1945 e 1951 forma-se a Associação Platense de Tênis de Mesa e a Federação Argentina. Gimnasia é fundador da Associação e consegue a maioria dos torneios organizados durante esses seis anos.

Esgrima: Desde sua criação a prática de Esgrima foi-se intensificando. É em 1914 quando este desporto crescia a um nível insuperavel, brilhando Horacio Capacete, depois presidente do clube, e Carmelo Merlo, ambos representantes argentinos nos Jogos Olímpicos de Paris 1924. A fins da década do quarenta deixa-se de praticar esta disciplina.

Luta greco-romana: Entre 1924 e 1928 o clube teve uma equipa de luta greco-romana.

Hóquei em Campo: A princípios de 1949 começa-se a praticar informalmente Hockey sobre grama e em meados de abril o clube se afilia. O campo estava localizado no Estádio do Bosque.

Ginástica: É durante a década de 1930 quando se intensifica a prática de ginástica em grandes aparelhos e cinco anos depois integrantes de atletismo viajam com a delegação argentina que participa nas Olimpíadas de Berlim. Esta disciplina funcionou entre 1957 e 1976.

Outras actividades hoje extintas que se desenvolveram no clube foram: Pólo aquático, Boxe, Ciclismo, Petanca, Automobilismo, Judo e Tênis, entre outras.

Referências

  1. Consultora Equis. Estudios sobre adhesiones a equipos de fútbol. Total país 2006. 2007.
  2. RSSSF. Final Tables Argentina Second Level 1937-2000. 2000.
  3. Angelo Clerici. GELP - Estadio.
  4. Reserva (antes conhecida como "Terceira"), é a equipa composta pelos futebolistas que não conseguiam jogar na equipa da Primeira Divisão.
  5. Un puñado de deportistas que hizo conocer la ciudad de La Plata en Europa. Agencia NOVA.
  6. Angelo Clerici. El Expreso de 1933. Los Triperos.
  7. Cabe destacar que "albiazul", "tripero" e "mensana" são apelidos que recebem tanto o Club de Gimnasia y Esgrima La Plata quanto qualquer pessoa relacionada ao mesmo (futebolistas, treinadores, torcida)
  8. Pedro Uzquiza. Un tren lleno de fútbol.
  9. Angelo Clerici. El equipo del 70. Los Triperos.
  10. Copa Centenario 1993. RSSSF (1999/2005).
  11. Pablo Ciullini (2005/2007). Argentina 1994/95. RSSSF.
  12. Argentina 1995/96. RSSSF (1996).
  13. Argentina 1998/99. RSSSF (1999).
  14. Argentina 2001/02. RSSSF (1999).
  15. Copa Toyota Libertadores 2003. Conmebol (2003).
  16. Argentina 2005/06. RSSSF (2006).
  17. Gimnasia y Esgrima La Plata en la Copa Libertadores. Historia y Fútbol (2006).
  18. Estadísticas Copa Libertadores 2007. Diario Olé (2007).
  19. Gimnasia y Esgrima La Plata ganó, pero se despidió de la Copa. Fútbol 91 (2007).
  20. Elecciones en el "Lobo": Walter Gisande se quedó con la presidencia en una muy concurrida jornada electoral. Impulso Baires (2007).
  21. March 2007 - 28th February 2008. IFFHS (2007).
  22. Partidos del Gimnasia y Esgrima en Las Palmas. Historia del fútbol canario.
  23. Carlos Dantón Seppaquercia. El Gráfico (2008).
  24. Eduardo Menegazzi (2002). El gol más rápido del fútbol argentino. Diario Clarín.
  25. Boca estuvo de remate. La Nación (1996).
  26. Bilardo: sentí vergüenza. La Nación (1996).
  27. Pasta de goleador. La Nación (1996).
  28. Mario Rueda (1999). Los dos Gimnasia jugaron al metegol. Diario Clarín.
  29. Mario Rueda (2000). Especialistas del metegol. Diario Clarín.
  30. Fútbol. La Plata ciudad Mágica (2008).
  31. Daniel Cámara (2005). Estudiantes v Gimnasia - La Plata Derby - Clásico Platense. RSSSF.
  32. Miguel Angel Bertolotto (2005). Gimnasia se dio el mayor de los gustos: pasó por encima a Estudiantes. Diario Clarín.
  33. Mucho Gimnasia para tan poco Estudiantes. Diario El Día (2005).
  34. Alejandra Altamirano Halle. Perdomo, el del gol del terremoto. El Gráfico.
  35. Alternativa Tripera: Artículo 7, Capítulo I del Estatuto Social del Club. Alternativa Tripera (2007).
  36. a b c Los apodos, una marca registrada. Diario El Día (2007).
  37. Los apodos de los Clubes de Argentina - Parte I. Football (2005).
  38. Seu sentido original é o da necessidade de um espírito equilibrado num corpo equilibrado; não é, por tanto, o mesmo sentido com o que hoje em dia se utiliza: «mente sã num corpo são».
  39. Eduardo Videla (2006). Los números de la pasión. Diario Página 12.
  40. Juan Manuel Allan (2006). Fue un lobazo. Diario Olé.
  41. Día del hincha. Edición Nacional (2005).
  42. Una fiesta bien tripera. Diario Olé (2004).
  43. Argentina 2007/08. RSSSF (2008).
  44. Argentina 1927. RSSSF (2007).
  45. Argentina - Domestic Championship 1961. RSSSF (2007).
  46. Mario Rueda (2003). Una goleada para soñar. Diario Clarín.
  47. Record de victorias. Universo Fútbol (2003).
  48. Angelo Clerici (2007). Club de Gimnasia y Esgrima La Plata. RSSSF.
  49. Un lugar en el podio para el Clausura 98. Diario Hoy (1998).
  50. Vargas fue el goleador del Clausura y de la temporada. Diario Clarín (2006).
  51. Sanguinetti asumió en Gimnasia. Diario El Día (2008).
  52. Chau, chau, adiós. Diario Hoy (2003).
  53. El nuevo coordinador. Letra G (2008).
  54. Osvaldo José Gorgazzi (2000/2005). Argentina 1929. RSSSF.
  55. Angelo Ciullini (2005). Argentina 1924. RSSSF.
  56. a b Osvaldo José Gorgazzi (1998/2008). Argentina - Second Level Champions. RSSSF.
  57. Pablo Ciullini (2005). Argentina 1994/95. RSSSF.
  58. Argentina 1995/96. RSSSF (1996).
  59. Argentina 1998/99 (1999).
  60. Gimnasia volvió a quedarse otra vez en el umbral. Diario El Día (1998).
  61. Argentina 2001/02. RSSSF (2002).
  62. Argentina 2005/06. RSSSF (2006).
  63. Angelo Ciullini (2007). Argentina Second Level 1947. RSSSF.
  64. Angelo Ciullini (2006). Argentina Second Level 1952. RSSSF.
  65. Gimnasia (LP) derrotó con autoridad a Independiente en Mar del Plata. Clarín (2009).
  66. En Mar del Plata, Gimnasia le ganó a Independiente. La Nación (2009).
  67. Anibal Guidi (2001). Gimnasia hizo mejor los deberes y alzó la Copa. El Dia.
  68. Mariano Buren (2006). Argentina – Friendly Tournaments. RSSSF.
  69. International Friendly Tournaments won by Argentine Clubs. RSSSF (2006).
  70. Al compás de Lucas Lobos Gimnasia se copó en Chile. El Día (2005).
  71. Angelo Clerici (2000). Temporada 1999-2000 Gimnasia Campeón.
  72. Institucional. Federación Metropolitana de Voley (2007).
  73. Mauricio D'alessandro (2000). Histórica conquista del vóley femenino del Lobo. Diario El Día.
  74. Gimnasia es el campeón. Diario Olé (2000).
  75. Gimnasia es el mejor de todos. Diario Hoy (2000).
  76. Las Lobas gritaron ¡Dale campeón!. Diario Hoy (2005).
  77. Marcela Ibarra (2001). Una dinastía de las Lobas. Diario Olé.
  78. Historia del Básquet (2007).
  79. Gelp: Basketball y Volleyball (2007).
  80. Hernán Sartori (2004). Boca campeón. Garra, puntería y festejo. Diario Clarín.
  81. Gimnasia cayó peleando ante un digno campeón. Diario El Día (2004).
  82. Un sueño renovado. Diario Hoy (2006).
  83. Actualidad del basquet en Gimnasia. Letra G (2008).
  84. Gustavo Bonino. Gimnasia y Esgrima La Plata. Superfutbol.
  85. Historia. La Plata Rugby Club.

Ligações relacionados[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Club de Gimnasia y Esgrima La Plata