Marcelinho Paraíba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marcelinho Paraíba
Marcelinho Paraíba
Marcelinho Paraíba em ação no Fortaleza em 2014
Informações pessoais
Nome completo Marcelo dos Santos
Data de nasc. 17 de Maio de 1975 (39 anos)
Local de nasc. Campina Grande (PB),  Brasil
Altura 1,77 m
Canhoto
Apelido Marcelinho, Paraíba, MP 10
Informações profissionais
Clube atual Brasil Fortaleza
Número 10
Posição Meia
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
19911993
1994
19941995
19951997
19972000
20002001
2001
20012006
2006
20072008
20082009
2009
20102011
2010
20112012
2012
20122013
2014
Brasil Campinense
Brasil Paraguaçuense
Brasil Santos
Brasil Rio Branco
Brasil São Paulo
França Olympique de Marseille
Brasil Grêmio
Alemanha Hertha Berlin
Turquia Trabzonspor
Alemanha Wolfsburg
Brasil Flamengo
Brasil Coritiba
Brasil São Paulo
Brasil Sport (emp.)
Brasil Sport
Brasil Grêmio Barueri
Brasil Boa Esporte
Brasil Fortaleza
034 000(15)
016 000(10)
007 0000(0)
042 000(19)
060 000(15)
019 0000(3)
030 000(22)
155 000(65)
017 0000(2)
050 000(12)
025 000(10)
033 000(15)
029 0000(5)
024 0000(6)
065 000(35)
019 0000(3)
045 0000(7)
043 000(14)
Seleção nacional
2001 Brasil Brasil 005 0000(1)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 18 de outubro de 2014.

Marcelinho Paraíba (2010).JPG
Marcelinho Paraíba (2010).JPG

Marcelo dos Santos, mais conhecido como Marcelinho Paraíba (Campina Grande, 17 de Maio de 1975), é um futebolista brasileiro. Atualmente está jogando pelo Fortaleza.

Famoso pelo seu visual extravagante, com cabelos pintados de várias cores durante a carreira, Marcelinho Paraíba também fez muito sucesso no exterior, principalmente na Alemanha, onde jogou pelo Hertha Berlin e pelo Wolfsburg.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Marcelinho Paraíba iniciou sua carreira no Campinense, da Paraíba, onde conquistou dois títulos do Campeonato Paraibano.

Entre 1994 e 1995, esteve no Santos, quando teve uma passagem despercebida pelo clube.

Dois anos mais tarde, porém, estouraria no São Paulo, onde ganhou dois Paulistões, antes de ser vendido para o Olympique Marseille, da França.

Ficou somente um ano na França e, em 2001, passou a jogar pelo Grêmio, quando começou a viver o auge de sua carreira. Nessa época, Marcelinho Paraíba era chamado de "Marcelinho Paraúcho" pelos gremistas, pois durante sua passagem pela equipe se tornou ídolo. Campeão e artilheiro do Campeonato Gaúcho, depois campeão da Copa do Brasil, quando marcou um gol no segundo jogo da final contra o Corinthians, não chegou a atuar pelo Brasileirão daquele ano pois, antes do torneio, Marcelinho Paraíba acabou conseguindo um contrato de cinco anos com o Hertha Berlin, da Alemanha.

Tinindo, Marcelinho Paraíba ajudou o modesto time do Hertha a conquistar o título da Copa da Liga Alemã de 2001 e, de quebra, acabou sendo convocado para a Seleção Brasileira. Pelo Hertha Berlin, Marcelinho Paraíba voltou a conquistar mais um título da Copa da Liga Alemã, desta vez, em 2002, configurando-se um bicampeonato histórico para o clube.

Ídolo da torcida alemã, Marcelinho Paraíba jogou no Hertha de 2001 a 2006, quando acabou deixando clube, em virtude de graves desentendimentos com a diretoria do clube.

Assinou, então, com a equipe turca Trabzonspor, para a disputa da temporada de 2006/07. Um ano mais tarde, porém, acabaria retornando à Alemanha, vestindo a camisa do Wolfsburg.

Em 2008, retornou para o futebol brasileiro para atuar pelo Flamengo. Ao chegar no clube declarou ser torcedor do time desde criança e estar realizando um sonho: "Sou rubro-negro e estive no Flamengo em 1991 para fazer teste no juniores. Fui aprovado, tinha 16 anos, mas fiquei duas semanas morando no CT e voltei pra casa. Agora, estou aqui para continuar essa história".[1]

Em 2009, desgastado com a diretoria do Flamengo por causa dos constantes atrasos salariais, rescindiu o seu contrato e acertou com o Coritiba até o final da temporada.

Marcelinho Paraíba chegou ao Coritiba com a missão de substituir o também ídolo Keirrison, que havia se transferido ao Palmeiras. Marcelinho Paraíba acabou semeando a discórdia no elenco, comissão técnica e diretoria alviverde. Todas as regalias que um atleta pode ter foram devidamente usufruídas por ele, tais como, horários de treinos alternativos, companhia de assessores em concentração e viagens, noitadas sem supervisão, renovação de pré-contrato sem cláusula de segurança ao clube, entre outras que fizeram com que o "grupo" não lutasse como deveria. Esta situação foi um dos principais motivos do rebaixamento do Coritiba para a série B.[carece de fontes?]

Ainda, em 2009, acertou sua transferência para o São Paulo, onde já havia jogado por quatro anos, assinando um contrato de dois anos.

Marcelinho começou o ano entre os titulares do São Paulo, mas não vinha demonstrando o mesmo futebol que apresentava no Coritiba e da sua primeira passagem pelo clube. Na reserva o jogador não era muito aproveitado pelo então técnico Ricardo Gomes e, já que o jogador não correspondia às expectativas de sua contratação e por ter um alto salário, a diretoria optou por emprestá-lo até o final do ano. Em 10 de agosto de 2010, o presidente do Sport Sílvio Guimarães conseguiu, em São Paulo, a liberação do atleta Marcelinho Paraíba. O atleta foi liberado pelo São Paulo e defendeu o Sport por empréstimo durante o Brasileirão da Série B. Após, o final do Brasileirão da Série B, volta de empréstimo, e atuara no São Paulo em 2011. Em Fevereiro de 2011, acerta novamente com o Sport, com contrato de 2 anos.[2]

Marcelinho marcou 12 gols pelo Sport na Série B 2011 e contribuiu, em que pese à sua irregularidade técnica e física, para o acesso do clube pernambucano à Elite do futebol nacional.

Marcelinho Paraíba foi detido em Campina Grande - PB, acusado de tentativa de estupro, no dia 30 de novembro de 2011. O jogador alega inocência e diz ser vítima de armação, mas admite ter forçado a vítima a beijá-lo.

No dia 15 de maio de 2012, Marcelinho Paraíba foi contratado pelo Grêmio Barueri para a disputa da Série B do Brasileirão 2012.

No dia 12 de dezembro de 2013, o jogador assinou com o Fortaleza para a disputa do Campeonato Cearense e Campeonato Brasileiro Série C.

Seleção nacional[editar | editar código-fonte]

Nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2002, participou de quatro jogos, tendo sido decisivo na partida contra o Paraguai, quando marcou um gol, em pleno Olímpico, casa do Grêmio.

Condenação judicial[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2010, o futebolista recebeu a intimação de que foi condenado por uma agressão física realizada durante festa que em Campina Grande, em junho de 2004, e de que teria de cumprir pena de seis meses de detenção em regime aberto na Casa de detenção do Monte Santo. Entretanto, o advogado do jogador afirma que já ocorreu a prescrição do delito, não tendo Marcelinho o dever de cumprir a pena, e afirmou também que peticionaria ao juiz para que esse reconheça a prescrição da pena e, com isso, declarar a extinção da punibilidade do futebolista.[3]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Campinense
São Paulo
Grêmio
Hertha Berlin
Boa Esporte

Artilharias[editar | editar código-fonte]

São Paulo

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.