Termas de Agripa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Março de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Estrutura restante do que outrora foram as Termas de Agripa

As Termas de Agripa, também chamadas Thermae Agrippae, foram as primeiras das grandes termas da Roma Antiga construídas em Roma por Marco Vipsânio Agripa em 25 a.C.[1]

Na sua forma inicial foram construídas ao mesmo tempo que o Panteão e assemelhavam-se mais a uma sauna.

A sua construção começou em 25 a.C., e em 19 a.C., com a finalização de Aqua Virgo, um dos principais aquedutos romanos, também ele construido por Agripa, os banhos passaram a ser feitos de forma regular.

No ano 80 d.C. um grande incêndio deflagrou nas termas, pelo que foram restauradas e ampliadas por Adriano.

A partir do século VII as termas foram sendo desmanteladas devido ao valor dos seus materiais de construção. Apesar disso, a estrutura ainda se mantinha em pé no século XVI, como se pode observar pelos desenhos de Baldassare Peruzzi e Andrea Palladio, entre outros.

Hoje em dia a zona encontra-se altamente urbanizada e muito pouco resta da estrutura original.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Samuel Ball Platner, revisado por Thomas Ashby, A Topographical Dictionary of Ancient Rome (1929), Thermae Agrippae [em linha]