Teatro romano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Scenae frons do teatro romano de Mérida, Espanha

O teatro romano é uma construção típica do Império Romano, generalizada por todas as províncias do império, e que tinha a finalidade de servir para a interpretação de peças teatrais do período clássico.

Teatros, anfiteatros e circos romanos[editar | editar código-fonte]

Planta base de um teatro romano.

A política de romanização dos povos conquistados fez que se construíssem teatros romanos, assim como anfiteatros, circos, fóruns e templos, com caraterísticas semelhantes ao largo de todo o território conquistado, desde a Hispânia até o Oriente Médio.

Existem certas semelhanças entre os circos, teatros e anfiteatros da Roma Antiga. Todos eles se construíam com os mesmos materiais: pedras e argamassa romana, e tinham a finalidade de atender ao ócio e diversão dos cidadãos por meio de espetáculos.

Cada um deles tinha suas funções e formas diferentes:

Estrutura do teatro[editar | editar código-fonte]

Teatro de Aspendos, Turquia, entrada
Entrada de teatro romano, Aspendos, Turquia
Teatro romano em Bosra
Interior do auditorium: 1) Scaenae frons 2) Porticus post scaenam 3) Pulpitum 4) Proscaenium 5) Orquestra 6) Cavea 7) Aditus maximus 8) Vomitorium, teatro romano de Bosra, Síria

As principais características do teatro romano derivam em princípio das do teatro grego, uma vez que a própria arquitetura romana deriva diretamente da arquitetura grega do período helenístico.

Os primeiros teatros eram construídos em madeira. Eram derrubados depois que o acontecimento para o qual foi erguido se concluía. Uma lei impedia a construção de teatros permanentes. Foi assim que, em 55 a.C. foi erguido o Teatro de Pompeu com um templo, a fim de burlar a vedação legal.

Com o passar do tempo, os teatros romanos desenvolveram características específicas. A maior parte dos que se conservaram seguem um modelo arquitetônico proposto por Marco Vitrúvio, constituído por:

  • Scenae frons (frente do cenário, do palco), normalmente composto de uma dupla linha de colunas.
  • Orchestra, semi-círculo diante do proscênio, onde se sentavam as autoridades.
  • Aditus, corredores laterais para entrada na orchestra.
  • Cavea, estrutura semi-circular onde, segundo a escala social, sentavam-se os espectadores. Era sub-dividido em: ima cavea, media cavea e summa cavea.
  • Vomitoria: Entradas abobodadas por onde se acessava à cavea e que facilitavam a saída rápida dos espectadores.
  • Proscaenium (proscênio), espaço diante do palco onde se desenrolava a ação dramática.
  • Porticus post scaenam (Pórtico detrás do cenário), espécie de pátio com colunas, detrás do cenário ou palco.

Alguns teatros apoiavam a cavea sobre galerias abobadadas, enquanto noutros os arquitetos aproveitavam a inclinação de alguma colina para escavar sobre ela a cavea do teatro. O teatro poderia ser coberto com toldos, a fim de proteger aos espectadores da chuva ou da luz solar. Além dessas instalações básicas, muitos teatros mantinham pequenos templos em sua estrutura.

Teatros do Império Romano[editar | editar código-fonte]

Foram conservados muitos teatros romanos ao largo de todos os territórios conquistados por Roma. Segue uma lista com alguns dos mais importantes.

Roma[editar | editar código-fonte]

Outras localidades italianas[editar | editar código-fonte]

Alemanha[editar | editar código-fonte]

Argélia[editar | editar código-fonte]

Bulgária[editar | editar código-fonte]

Teatro romano em Plovdiv.

Espanha[editar | editar código-fonte]

França[editar | editar código-fonte]

Ruínas do teatro romano de Arles.

Israel[editar | editar código-fonte]

Jordânia[editar | editar código-fonte]

Líbia[editar | editar código-fonte]

Portugal[editar | editar código-fonte]

Síria[editar | editar código-fonte]

Suíça[editar | editar código-fonte]

Turquia[editar | editar código-fonte]