The Creative Assembly

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Creative Assembly
The Creative Assembly Ltda
Tipo Limitada.
Subsidiária da Sega Europe Ltda.
Indústria Indústria de jogos eletrônicos
Fundação 18 de agosto de 1987[1]
Fundador(es) Tim Ansell
Locais Horsham, West Sussex, Reino Unido
Proprietário(s) Sega
Pessoas-chave Tim Ansell (fundador)
Michael Simpson
Jeff van Dyck
Empregados ~160[2]
Produtos série Total War
Página oficial http://www.creative-assembly.co.uk

The Creative Assembly é uma desenvolvedora de jogos eletrônicos inglesa fundada em 1987 por Tim Ansell e localizada na cidade de Horsham, no condado de West Sussex. Uma sede australiano também é operada em Fortitude Valley, Queensland. Nos seus primeiros anos, a empresa se dedicou ao trabalho de portar jogos eletrônicos de DOS para as plataformas Amiga e ZX Spectrum, e depois trabalhou para a Electronic Arts para produzir uma variedade de jogos da EA Sports. Em 1999, a companhia já tinha recursos o suficiente para criar um projeto novo e original, e começou a desenvolver o jogo de RTS Shogun: Total War. Shogun: Total War foi um grande sucesso para a The Creative Assembly. As sequências dos jogo montaram a série Total War, uma das mais conhecidas e aclamadas séries de estratégia existentes.

Em março de 2005, a Creative Assembly foi comprada pela gigante japonesa Sega, como uma subsidiária européia. Com a sega, além dos títulos da série Total War, a Creative Assembly publicou jogos para o mercado de video-games com Spartan: Total Warrior e Viking: Battle for Asgard. Os mais recentes produtos da empresa são Total War: Shogun 2 e Stormrise.

História[editar | editar código-fonte]

Fundação[editar | editar código-fonte]

A The Creative Assembly foi fundada no dia 19 de agosto de 1987, como uma empresa limitada. O fundador, Tim Ansell, começou a programar profissionalmente em 1985, trabalhando em títulos para Amstrad CPC, Commodore 64 e Atari 800. Inicialmente, Ansell manteve sua equipe pequena, para poder trabalhar pessoalmente na programação.[3] Em seus primeiros anos, a empresa trabalhou portando jogos como Stunt Car Racer e Shadow of the Beast de Amiga e ZX Spectrum para DOS.[4] Em 1993, a The Creative Assembly começou a trabalhar com a Electronic Arts, produzindo títulos sob a marca EA Sports, começando a produzir os primeiros títulos da série FIFA em DOS.[4] Com a EA Sports, a The Creative Assembly fazia títulos de baixo custo para ligas oficiais de diversos esportes, como o jogo oficial da Australian Football League.[4] Quando ficou clara a necessidade de expandir a empresa, Ansell contratou Michael Simpson em 1996 como diretor. Simpson, um designer de microchips, se tornou designer de video-games, e se tornou o designer chefe da série Total War.[5]

Primeiros títulos da série Total War[editar | editar código-fonte]

Com o sucesso de seus títulos esportivos, em 1999 a Creative Assembly tinha recursos o suficiente para se desvincular da Electronic Arts e desenvolver títulos de outro gêneros. Um resultado disso foi Shogun: Total War, o primeiro jogo grande título da empresa. Uma mistura de estratégia em tempo real e estratégia em turnos, Shogun: Total War foi anunciado pela primeira vez no começo de 1999. O jogo foca no Período Sengoku do Japão feudal, e foi lançado em junho de 2000, sendo muito aclamado pela crítica. O jogo ganhou múltiplos prêmios e virou um marco para a história dos jogos de estratégia.[6] O compositor Jeff van Dyck ganhou um Bafta e um EMMA por seu trabalho na trilha sonora.[7] Em maio de 2001, a Creative Assembly anunciou um pacote de expansão, o The Mongol Invasion, que foca nas primeiras invasões mongóis ao Japão.

Pouco depois, a Creative Assembly se separou da Electronic Arts, e começou a usar a Activision com publicadora e distribuidora.[4] No dia 21 de agosto de 2001, a empresa anunciou um segundo jogo da série Total War, dessa vez inspirado na Idade média. Medieval: Total War foi um jogo muito maior que Shogun: Total War, focando num período muito maior e num mapa muito maior. Lançado em 22 de agosto de 2002, o jogo foi um sucesso maior ainda que Shogun: Total War, tornando-se o jogo mais vendido no Reino Unido por duas semanas, e o quarto maior best-seller no mercado de jogos inglês na primeira semana de lançamento.[8] Assim como Shogun: Total War, Medieval: Total War recebeu múltiplos prêmios, e foi nomeado o melhor jogo de 2002 pela PC Gamer. A Creative Assembly também ganhou o título de Melhor Desenvolvedora de PC do Ano, do European Computer Trade Show.[9] Viking Invasion, um pacote de expansão, foi lançado em maio de 2003.

Um terceiro título da série Total War foi anunciado em janeiro de 2003. Intitulado Rome: Total War, o jogo apresenta um motor de jogo completamente novo, e redesenhou a jogabilidade da série. O jogo se passa na época do Império Romano, e por causa da sua realidade, foi usado como simulador de batalhas de dois programas de TV, o Time Commanders da BBC[10] e o Decisive Battles do History Channel.[11] Com o seu lançamento em setembro de 2004, o jogo foi aclamado universalmente pelos jogadores e pela crítica, tornando-se um dos dez títulos mais vendidos do ano.[12] Jeff van Dyck foi nomeado novamente para o BAFTA, pela trilha sonora do jogo.[13] Rome: Total War tornou-se o jogo mais aclamado da série pela crítica, somando o score 92 no Metacritic.

Compra e jogos posteriores[editar | editar código-fonte]

Apesar da especulação de que a Activision compraria a Creative Assembly, já que a produtora faz isso com diversos desenvolvedores que trabalham para ela,[14] a empresa japonesa Sega anuncia no dia 9 de março de 2005 que estariam selando um acordo de aquisição com a The Creative Assembly.[15] A Sega explicou que a aquisição foi feita com o objetivo de fortalecer a presença da Sega no mercado europeu e norte americano.[16] Em julho de 2005, a Sega adquiriu os direitos de publicação de Rome: Total War da Activision,[17] e para o jogo foram desenvolvidos dois pacotes de expansão: Barbarian Invasion que foi lançado em setembro de 2005, e mostrou a queda do Império Romano, e Alexander, lançado em setembro de 2006, que focou na campanha e batalhas de Alexandre, o Grande. Spartan Total Warrior' foi lançado em outubro de 2005, para Xbox, Playstation 2 e GameCube, recebendo críticas favoráveis.[18] [19] [20]

Um quarto jogo da série Total War foi anunciado em janeiro de 2006.[21] O novo título, Medieval II: Total War, é um remake de Medieval: Total War, usando a nova tecnologia e motor de jogo de Rome: Total War. O jogo foi lançado em novembro de 2006, e apesar de não ter sido um sucesso tão grande quanto Rome: Total War,[22] Medieval II: Total War ainda assim foi um grande sucesso comercial e entre a crítica. Um pacote de expansão, Kingdoms, foi anunciado em março de 2007. Suas campanhas focavam em quatro áreas: as Cruzadas na Terra Santa, as Cruzadas do Norte da Ordem Teutónica, a conquista da Nova Espanha e as guerras medievais nas Ilhas Britânicas.[23] A expansão recebeu críticas positivas no seu lançamento, em agosto de 2007.[24]

Na Games Convention em Leipzig, na Alemanha, em agosto de 2007, a Creative Assembly anunciou simultâneamente novos títulos. O primeiro, Viking: Battle for Asgard, foi outra jogo exclusivo para consoles, similar a Spartan: Total Warrior, mas focando na Mitologia nórdica.[25] O jogo foi lançado em março de 2008, mas recebeu críticas "mais-ou-menos".[26] [27] O segundo título foi o quinto jogo da série Total War, Empire: Total War, que se passa na Idade Moderna, nos séculos XVIII e XIV.[28] Empire: Total War teve um motor de jogo completamente re-desenhado, assim como seu sistema. Foi lançado em março de 2009, sendo bastante aclamado pela crítica[29] , vendendo duas vezes mais unidades que Medieval II: Total War e Rome Total War. Entretanto, diversos problemas apontados pelos fãs após o lançamento e o abandono do suporte do jogo fez muitos questionares a influência da Sega sobre a Creative Assembly.[30] Em julho de 2008, a Creative Assembly anuncia outra título, Stormrise. Ao contrário dos outros jogos de RTS lançados pela empresa, Stormrise é um jogo de Estratégia em tempo real de ficção científica, desenvolvido para PC e consoles, e foi lançado em 2009.[31] Stormrise recebeu péssimas críticas e, por cause disso e do lançamento perto de Halo Wars, vendeu pouco.[32] [33]

A filial australiana da Creative Assembly portou os primeiros três Sonic the Hedgehog e Sonic & Knuckles para o título Sonic Classic Collection. Essa compilação recebeu reviews positivos da Official Nintendo Magazine, mas esta criticou alguns erros de velocidade enquanto durante o jogo, glitches em relação aos gráficos e ao som, mas isso porque o DS apenas emula os jogos. Os reviewers também criticaram a remoção do modo multiplayer dos jogos.

Em 2009 a companhia lançou Napoleon: Total War, e como o titulo sugere, é baseado na vida de Napoleão Bonaparte. Recebeu diversas críticas positivas da imprensa, mas não foi tão bem sucedido quanto Empire: Total War,[34] além de ter sido apontado por muito como apenas uma versão re-estilizada deste. Em setembro de 2010, foi lançado o DLC The Peninsular Campaign que, embora não seja oficialmente um pacote de expansão, traz uma grande remodelagem do jogo, e por isso os jogadores o consideram como um.

Na E3 2010, a Creative Assembly voltou aonde começou, a 10 anos atrás, e anunciou a sequência de Shogun: Total War: Total War: Shogun 2 foi lançado no dia 15 de março de 2011, e instantâneamente teve dúzias de reviews positivos da crítica especializada, sendo todos positivos.[35] [36]

No momento, a empresa está desenvolvendo Total War: Rome II, uma sequência direta de Rome: Total War.[37]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. CA Profile The Creative Assembly. Página visitada em 2008-11-02. Cópia arquivada em 2008-08-02.
  2. " The Creative Assembly Studio Tour: Part 1 CraigTW.
  3. Tim Ansell Giant Bomb. Página visitada em 2008-11-05.
  4. a b c d History The Creative Assembly. Página visitada em 2008-11-03. Cópia arquivada em 2008-06-18.
  5. Michael M. Simpson Giant Bomb. Página visitada em 2008-11-05.
  6. Shogun: Total War (PC: 2000) Metacritic. Página visitada em 2008-11-04.
  7. Awards The Creative Assembly. Página visitada em 2008-11-03.
  8. Medieval: Total War Tops PC Sales Through Charts IGN (2002-09-13). Página visitada em 2008-11-03.
  9. ECTS: Awards Winners Announced Gamer's Hell (2002-08-30). Página visitada em 2008-11-03.
  10. Price, Peter (2007-10-16). Machinima waits to go mainstream BBC. Página visitada em 2008-11-03.
  11. Butts, Steve (2004-07-21). History Channel's Decisive Battles IGN. Página visitada em 2008-11-03.
  12. NPD full-year PC tally nets hat trick for Activision GameSpot (2005-01-24). Página visitada em 2008-11-03.
  13. Jeff van Dyck. Página visitada em 2008-11-03.
  14. Thorsen, Tor (2005-03-09). Sega conquers The Creative Assembly GameSpot. Página visitada em 2008-11-04.
  15. Dunham, Jeremy (2005-03-08). GDC 2005: SEGA Gets Creative IGN. Página visitada em 2008-11-04.
  16. Adams, David (2005-03-09). SEGA Buys The Creative Assembly IGN. Página visitada em 2008-11-04.
  17. Sega Secures Publishing Rights to Rome: Total War Expansion GameSpot (2005-07-01). Página visitada em 2008-11-04.
  18. Spartan: Total Warrior (Xbox: 2005) Metacritic. Página visitada em 2008-11-04.
  19. Spartan: Total Warrior (PS2: 2005) Metacritic. Página visitada em 2008-11-04.
  20. Spartan: Total Warrior (Cube: 2005) Metacritic. Página visitada em 2008-11-04.
  21. Steel, Wade (2006-01-20). Total War Goes Medieval Again IGN. Página visitada em 2008-11-04.
  22. II Medieval II: Total War (PC: 2006) Metacritic. Página visitada em 2008-11-04.
  23. Medieval II: Total War overruns Kingdoms GameSpot (2007-03-31). Página visitada em 2008-11-04.
  24. Medieval II: Total War Kingdoms (PC: 2007) Metacritic. Página visitada em 2008-11-04.
  25. Thorsen, Tor (2007-08-21). Viking officially pillaging PS3, 360 GameSpot. Página visitada em 2008-11-04.
  26. Viking: Battle for Asgard (PS3: 2008) Metacritic. Página visitada em 2008-11-04.
  27. Viking: Battle for Asgard (Xbox 360: 2008) Metacritic. Página visitada em 2008-11-04.
  28. Magrino, Tom (2007-08-21). Sega waging new Total War GameSpot. Página visitada em 2008-11-04.
  29. Empire: Total War (PC:2009) Metacritic. Página visitada em 2009-04-08.
  30. Burnes, Andrew (2009-03-10). Empire: Total War Breaks U.K. Sales Records Gamasutra. Página visitada em 2009-03-19.
  31. Magrino, Tom (2008-07-10). Creative Assembly building console RTS GameSpot. Página visitada em 2008-11-04.
  32. Stormrise (PS3: 2009) Metacritic. Página visitada em 2009-04-19.
  33. Stormrise (Xbox 360: 2009) Metacritic. Página visitada em 2009-04-19.
  34. "Napoleon: Total War" Metacritic.
  35. Shogun 2: Total War Game Rankings.
  36. "Shogun 2: Total War" Metacritic.
  37. David Hinkle (2 de Julho de 2012). Total War: Rome 2 marches to PC in 2013 (em inglês) Joystiq. Página visitada em 6 de Julho de 2012.