Transição glotal surda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
AFI – número 146
AFI – Unicode h
AFI – imagem Xsampa-h.png
Entidade HTML h
X-SAMPA h
Kirshenbaum h
Som Exemplo

A transição glotal surda, comumente chamada de fricativa, é um tipo de fone consonantal empregado em alguns idiomas que frequentemente procede como uma fricativa, mas que às vezes procede como uma consoante aproximante ou indeterminada. Seu símbolo no Alfabeto Fonético Internacional é o h, e seu equivalente X-SAMPA é h.

Embora [h] seja descrita como uma vogal surda, já que em muitas línguas este fone não possui ponto nem modo de articulação de uma consoante convencional, mas também não possui a altura nem a posteridade de uma vogal convencional:

[h e ɦ] têm sido descritas como versões surdas ou sonoras sussurradas das vogais seguintes, mas a forma do aparelho vocal […] muitas vezes é simplesmente a mesma forma da dos sons que o cercam. […] Portanto, nestes casos é mais apropriado considerar h e ɦ como segmentos que possuem apenas uma especificação da laringe, e não estão marcados à nenhuma outra característica. Existem outras línguas (como a Hebraica e a Árabe) que mostram um deslocamento mais definido das frequências formantes para o h, sugerindo que possui uma constrição glotal associada à sua produção.1

Características[editar | editar código-fonte]

  • Em algumas línguas, possui um modo de articulação contraído como de uma consoante fricativa. Porém em muitas, talvés na maioria, possui uma transição de estado da glote. Pelo fato de que nas línguas que são familiares com este som não há nenhuma outra constrição para produzir fricção no aparelho vocal, muitos foneticistas não consideram mais o [h] como uma fricativa, mas o termo "fricativa" é geralmente mantido por motivos históricos.
  • Pode ter o ponto de articulação glotal. Porém, como pode não acontecer nenhuma fricção, o termo "glotal" pode se referir apenas a sua natureza, e não expõe a localização de sua constrição nem de sua turbulência. Todas as consoantes com exceção das glotais, e todas as vogais, possui um ponto de articulação individual em adição ao estado da glote. Como acontece com todas as outras consoantes, as vogais que os cercam influenciam em suas pronúncias, por isso o [h] às vezes é considerado como vogais surdas, possuindo o mesmo ponto de articulação das vogais ao lado.
  • A fonação é surda, que significa que as cordas vocais não vibram durante a articulação.
  • É uma consoante oral, sonante, que significa que permite que o ar escape pela boca.
  • Por causa de que é pronunciado na garganta, sem nenhum outro contato na boca, esta consoante não é nem central e nem lateral.
  • O mecanismo de ar é egressivo, que significa que é articulado empurrando o ar para fora dos pulmões através do aparelho vocal.

Ocorrências[editar | editar código-fonte]

Língua Palavra AFI Significado Notas
Alemão2 Hass [has] 'ódio'
Árabe Padrão3 هاتف [ˈhaːt̪if] 'telefone'
Armênio հայերեն [hajɛɹɛn] 'armênio'
Castelhano4 Muitos dialetos obispo [o̞ˈβihpo̞] 'bispo' Alofonia de /s/.
Alguns dialetos jaca [ˈhaka] 'pony' Corresponde ao [x] nos outros dialetos.
Checheno хIара [hara] 'este'
Copta ϩρα [hra] 'face'
Coreano 호랑이/horang-i [hoɾaŋi] 'tigre'
Feroês Hon [hoːn] 'ela'
Finlandês hammas [hɑmːɑs] 'dente'
Georgiano5 ავა [hɑvɑ] 'clima'
Havaiano6 haka [haka] 'prateleira'
Hebraico הר [haʁ] 'montanha'
Hmong hawm [haɨ̰] 'honrar'
Húngaro helyes [hɛjɛʃ] 'right'
Inglês high [ˈhaɪ] 'alto'
Japonês 本/hon [hoɴ] 'livro, origem'
Laociano ຫ້າ [haː˧˩] 'cinco'
Leonês guaje [wahe] 'menino'
Malaio hari [hari] 'dia'
Norueguês hatt [hɑtː] 'chapéu'
Pachto هو [ho] 'sim'
Persa هفت [hæft] 'sete'
Português (BR)7 carro [ˈkahʊ] Alguns dialetos. Ver Fonologia do português
Romeno hăţ [həts] 'restrição'
Tailandês ห้า [haː˥˩] 'cinco'
Turco halı [häˈɫɯ] 'carpete'
Vietnamita hư [hɯ] 'corrupto'

Ver também[editar | editar código-fonte]


Referências[editar | editar código-fonte]

Este artigo foi traduzido do artigo da Wikipédia anglófona Voiceless glottal fricative, da revisão às 21:27, 9 de fevereiro de 2010.

  1. Peter Ladefoged; Ian Maddieson (1996). The Sounds of the World's Languages. Oxford: Blackwell. ISBN 0-631-19814-8: 325-326
  2. Kohler, Klaus (1999), German, Handbook of the International Phonetic Association:A Guide to the Use of the International Phonetic Alphabet, Cambridge University Press, pp. 86–89, ISBN 0521637511
  3. Robin Thelwall (1990), Illustrations of the IPA: Arabic, Journal of the International Phonetic Association 20 (2): 37–41
  4. Martínez-Celdrán, Eugenio; Fernández-Planas, Ana Ma.; Carrera-Sabaté, Josefina (2003), "Castilian Spanish", Journal of the International Phonetic Association 33 (2): 255–259
  5. Shosted, Ryan K.; Vakhtang, Chikovani (2006), Standard Georgian, Journal of the International Phonetic Association 36 (2): 255–264
  6. Ladefoged, Peter (2005). Vowels and Consonants (Second ed.). Blackwell: 139
  7. Barbosa, Plínio A.; Albano, Eleonora C. (2004), Brazilian Portuguese, Journal of the International Phonetic Association 34 (2): 227–232