Língua arménia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arménio (Հայերեն, Hayeren)
Falado em:  Arménia

 Geórgia
 Rússia
 França
 Argentina
 Síria
Líbano
 Turquia
 Irã
Flag of Nagorno-Karabakh.svg Nagorno-Karabakh (Azerbaijão)

e o resto da diáspora arménia.
Total de falantes: 5,5 milhões[1]
Posição: 87
Família: Indo-europeia
 Arménio
Escrita: Alfabeto arménio
Estatuto oficial
Língua oficial de:  Arménia
Flag of Nagorno-Karabakh.svg Nagorno-Karabakh
Regulado por: Academia Nacional de Ciências da Arménia
Códigos de língua
ISO 639-1: hy
ISO 639-2: arm (B) hye (T)
ISO 639-3: hye

Tópicos indo-europeus

Línguas indo-europeias
Albanês · Anatólio · Armênio
Báltico · Céltico · Dácio · Germânico
Grego · Indo-iraniano · Itálico · Frígio
Eslavo · Trácio · Tocariano
 
Povos indo-europeus
Albaneses · Anatólios · Armênios
Bálticos · Celtas · Germanos
Gregos · Indo-arianos · Indo-iranianos
Iranianos · Ítalos · Eslavos
Trácios · Tocarianos
 
Proto-indo-europeus
Língua · Sociedade · Religião
 
Hipóteses Urheimat
Hipótese Kurgan · Hipótese anatólia
Hipótese armênia · Hipótese indiana · TCP
 
Estudos indo-europeus

O arménio (português europeu) ou armênio (português brasileiro) (հայերեն լեզու; AFI: hɑjɛɹɛn lɛzu; transl. hayeren lezow, conhecido comumente apenas como hayeren) é a língua indo-europeia falada pelos armênios, e língua oficial da República da Arménia, localizada na região montanhosa a norte da Mesopotâmia, no sul do Cáucaso e assim como da região de Nagorno-Karabakh (De jure no Azerbaijão). É também amplamente falada pelas comunidades arménias espalhadas ao redor do mundo com a diáspora arménia. O idioma tem seu próprio sistema de escrita, o alfabeto arménio.

Os linguistas costumam classificar o arménio como um ramo independente, do tipo analítico-aglutinante, da família linguística indo-europeia;[2] alguns indo-europeístas propuseram que o idioma deveria ser agrupado justamente com o ramo helênico (grego), na chamada hipótese greco-arménia, em combinação com a hipótese greco-ariana.[3]

Os primeiros manuscritos que se conservaram remontam ao século IX. O alfabeto arménio foi criado por Mesrob Mashtots (no ano 406) e é constituído por 36 caracteres. O arménio é uma língua rica em consoantes, com predomínio das sibilantes; a acentuação recai naturalmente na última sílaba.

A língua falada até ao século XV recebe o nome de arménio antigo ou arménio clássico. O arménio moderno, que ainda se fala na atualidade, subdivide-se numa grande variedade de dialectos, mas existe uma língua unificada derivada do dialeto Tarón - que possui todas as características de uma moderna língua de cultura. É a língua oficial da Arménia e do enclave de Nagorno-Karabakh e falada em comunidades emigrantes em várias partes do mundo, como nos Estados Unidos e na Argentina.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro testemunho da língua arménia data do século V (a tradução da Bíblia feita por Mesrob Mashtots). A história anterior do idioma é pouco clara, e ainda está sujeita a muita especulação.

Alguns linguistas vêem o arménio como um parente próximo do frígio; outros mantêm que o grego seria o idioma mais próximo do arménio ainda em existência.[4] A representação característica grega das laríngeas no início de palavras, através de vocais prostéticas, também é partilhada pelo arménio, juntamente com outras peculiaridades fonológicas e morfológicas do grego. O suposto parentesco entre os dois idiomas também representaria uma luz à natureza parafilética da isoglossa centum-satem. O arménio também partilha as principais isoglossas com o grego; outros linguistas propõem que os ancestrais linguísticos dos dois idiomas seriam muito semelhantes, ou tinham uma relação de contato muito próximo. No entanto, tais teorias são contestadas; e nos primeiros registros do arménio, no século V, quaisquer evidências de parentesco foram reduzidas a umas poucas e frágeis amostras.[5]

Já existe um certo consenso de que houve um contato antigo entre o arménio e as línguas anatólicas, com base em certos "arcaísmos" partilhados, tais como a ausência do feminino e de vogais longas herdadas.[6]

A língua arménia clássica (frequentemente chamada de Grabar, literalmente "[língua] escrita") importou diversas palavras das línguas iranianas médias, especialmente do parto, e contém vocabulários menores de empréstimos do grego, do siríaco, latim e de línguas autóctones, como o urartiano. O arménio médio (séculos XI-XV) incorporou ainda mais empréstimos do árabe, turco, persa e latim, e os dialetos modernos assimilaram centenas de novas palavras do turco e do persa. Assim, determinar a evolução histórica do arménio é particularmente difícil, já que o idioma utiliza-se de palavras emprestadas de praticamente todos os idiomas que fizeram parte de sua história.

A grande porcentagem de empréstimos dos idiomas iranianos levou inicialmente os linguistas a classificar o arménio como tal. A distinção do arménio só foi reconhecida novamente de fato pelos linguistas no fim do século XIX, quando o método comparativo foi utilizado para distinguir entre duas camadas de empréstimos iranianos num vocabulário genuinamente arménio.[7] Os dois dialetos literários atuais, o ocidental (associado originalmente com os escritores do Império Otomano) e o oriental (associado originalmente com os escritores do Império Russo) eliminaram quase todas as influências turcas de seu léxico no século XX, especialmente depois do genocídio arménio.

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Vogais[editar | editar código-fonte]

O arménio moderno apresenta oito fonemas vocálicos.

Anterior Central Posterior
Não-arredondada Arredondada Não-arredondada Arredondada
Fechada i ʏ     u  
Média ɛ œ ə   o
Aberta       ɑ  

O arménio clássico apresente sete vogais: /a/ (ա), /ɪ/ (ի), /ə/ (ը), /ɛ/ (ե), /e/ (է), /o/ (ո e օ) e /u/ (ու) (transcrito como a, i, ë, e, ē, o/ò, e ou, respectivamente).

Consoantes[editar | editar código-fonte]

A seguinte tabela lista o sistema consonantal do arménio oriental. As oclusivas e africadas possuem uma série especial de aspiradas (transcritas com o spiritus asper grego após a letra: p῾, t῾, c῾, č῾, k῾). Cada fonema na tabela é representado por três símbolos; o superior indica a pronúncia do fonema no alfabeto fonético internacional (AFI), logo abaixo vem a letra correspondente no alfabeto arménio, e o símbolo inferior é a transliteração no alfabeto latino (ISO 9985).

  bilabial labio-
dental
alveolar pós-
alveolar
palatal velar /
uvular
glotal
Plosiva p  b
պ  բ
p  b
  t  d
տ  դ
t  d
    k  g
կ  գ
k  g
 
plosiva aspirada
փ
p‘
 
թ
t‘
   
ք
k‘
 
nasal m
մ
m
  n
ն
n
       
fricativa   f  v
ֆ  վ
f  v
s  z
ս  զ
s  z
ʃ  ʒ
շ  ժ
š  ž
  χ  ʁ
խ  ղ
x  ġ
h
հ
h
africada     t͡s  d͡z
ծ  ձ
ç  j
t͡ʃ  d͡ʒ
ճ  ջ
č̣  ǰ
     
africada aspirada     t͡sʰ
ց
c‘
t͡ʃʰ
չ
č
     
aproximante     ɹ
ր
r
  j
-յ-
y
   
vibrante     r
ռ
       
aproximante lateral     l
լ
l
       

Referências

  1. Crystal, David: The Cambridge Encyclopedia of Language
  2. Armenian language - Encyclopaedia Britannica
  3. Renfrew, Clackson e Fortson 1994
  4. Clackson (1994)
  5. Fortson (2004)
  6. Austin, William M.. (January - March, 1942). "Is Armenian an Anatolian Language?:Language, Vol. 18, No. 1". Language 18: 22–25. Linguistic Society of America. DOI:10.2307/409074.
  7. Hübschmann (1875)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Adjarian, Herchyah H. (1909) Classification des dialectes arméniens, par H. Adjarian. Paris: Honoro Champion.
  • Clackson, James. 1994. The Linguistic Relationship Between Armenian and Greek. Londres: Publications of the Philological Society, No 30. (e Oxford: Blackwell Publishing)
  • Fortson, Benjamin W. (2004) Indo-European Language and Culture. Oxford: Blackwell Publishing.
  • Hübschmann, Heinrich (1875) "Über die Stellung des armenischen im Kreise der indogermanischen Sprachen," Zeitschrift für Vergleichende Sprachforschung 23.5-42. tradução para o inglês
  • Mallory, J. P. (1989) In Search of the Indo-Europeans: Language, Archaeology and Myth. Londres: Thames & Hudson.
  • Vaux, Bert. 1998. The Phonology of Armenian. Oxford: Clarendon Press.
  • Vaux, Bert. 2002. "The Armenian dialect of Jeruslame." - Armenians in the Holy Land. "Louvain: Peters.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Portal A Wikipédia possui o portal: