Treze Tílias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Treze Tílias
Bandeira de Treze Tílias
Brasão de Treze Tílias
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 13 de outubro de 1933
Fundação 29 de abril de 1963
Gentílico trezetiliense
Prefeito(a) Mauro Dresch (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Treze Tílias
Localização de Treze Tílias em Santa Catarina
Treze Tílias está localizado em: Brasil
Treze Tílias
Localização de Treze Tílias no Brasil
27° 00' 07" S 51° 24' 21" O27° 00' 07" S 51° 24' 21" O
Unidade federativa  Santa Catarina
Mesorregião Oeste Catarinense IBGE/2008 [1]
Microrregião Joaçaba IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Água Doce, Ibicaré, Iomerê, Arroio Trinta e Salto Veloso
Distância até a capital 420 km
Características geográficas
Área 185,205 km² [2]
População 6 342 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 34,24 hab./km²
Altitude 796 m
Clima subtropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,795 alto PNUD/2010[4]
PIB R$ 310 086,401 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 52 557,02 IBGE/2008[5]
Página oficial

Treze Tílias (em alemão Dreizehnlinden) é um município brasileiro do estado de Santa Catarina. Localiza-se no Oeste Catarinense a uma altitude de 796 metros. Sua população estimada em 2004 era de 5 257 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

No século XIX, os índios caingangues que ocupavam as áreas montanhosas da Região Sul do Brasil foram desalojados violentamente por ação de matadores de indígenas, os chamados "bugreiros". Estes haviam sido contratados pelo governo imperial brasileiro para abrir espaço para a instalação de imigrantes europeus na região, visando a um "embranquecimento" da população brasileira, que, na época, era constituída principalmente por negros e mestiços[6] .

Treze Tílias foi fundada em 13 de outubro de 1933, por imigrantes da região do Tirol (principalmente do Tirol austríaco, mas também do Tirol italiano), que fugiam da grave crise econômica na Europa. Devido à Primeira Guerra Mundial, a economia austríaca estava abalada e o então ministro da agricultura da Áustria, Andreas Thaler, resolveu emigrar para o Brasil acompanhado de algumas famílias de emigrantes austríacos do Tirol e demais regiões austríacas, em busca de melhores condições de vida. Chegaram ao centro do estado de Santa Catarina, onde encontraram um clima temperado, semelhante ao clima europeu, e terras férteis, propícias para a fundação de uma colônia organizada.

Cultura[editar | editar código-fonte]

O "Tirolerfest"

Os imigrantes austríacos eram oriundos das regiões do Tirol (grande maioria) e Vorarlberg, mas havia também famílias oriundas de outros estados da Áustria, como a Alta Áustria, a Caríntia e Viena. Quando os austríacos lá chegaram, já viviam, na região, brasileiros descendentes de índios, alguns imigrantes alemães (sobretudo da região do Hunsrück) e descendentes de italianos oriundos, principalmente, da região do Vêneto e da província de Bérgamo, na região da Lombardia.

Na colônia, os imigrantes austríacos mantinham-se unidos, de modo a preservar seus costumes e isso marcou profundamente a cultura do município, que preserva fortes características tirolesas e austríacas. Há também descendentes um número considerável de tiroleses de língua italiana (trentinos), que vieram posteriormente, oriundos de famílias imigrantes que se instalaram primeiramente no Rio Grande do Sul.

O idioma alemão, língua oficial da Áustria, é ainda utilizado com frequência entre os habitantes do município, além do português. O dialeto alemão do Tirol é preservado, assim como o dialeto alemão do Vorarlberg. Nas áreas de colonização italiana do município, os dialetos vêneto e bergamasco são ainda preservados pelas famílias e, entre muitos descendentes de alemães, é preservado o dialeto hunsrückisch.

A cultura tirolesa é preservada no dialeto, na arquitetura típica da cidade (de estilo alpino), na culinária tradicional e nos grupos folclóricos de dança e canto que animam as festas do município. Tradições e costumes são preservados nas famílias e despertam o interesse de visitantes brasileiros e europeus. Treze Tílias preserva com orgulho suas raízes culturais, reforçando, assim, o elo de amizade entre a nação brasileira (das novas gerações) e a nação austríaca (origem dos fundadores da cidade).

Economia[editar | editar código-fonte]

No final da década de 1960 e início da década de 1970, Treze Tílias entrou para o mapa da indústria regional e estadual, com a implantação das primeiras indústrias. Constam dos registros da história do município a criação da Indústria de Óleos Vegetais Treze Tílias, da Lacticínios Tirol Ltda. e da Incotril.

Indubitavelmente, a instalação e a história da indústria láctea em Treze Tílias foi e é a grande responsável pelo progresso local e pela posição que Treze Tílias ocupa atualmente no ranking estadual, tendo alcançado o segundo lugar em renda per capita (dados de 2006), ficando atrás apenas de São Francisco do Sul, que é uma cidade portuária. A instalação da indústria de laticínios nasceu juntamente com a realização das primeiras feiras agropecuárias - e não foi uma mera coincidência. As feiras foram organizadas por iniciativa do pároco local Pe. Johann Otto Küng, que liderou esse empreendimento industrial.

A indústria de óleos vegetais foi transferida para o sudoeste do Estado do Paraná, onde havia grandes plantações de soja, e passou a produzir em escala muito superior à que era possível na região de Treze Tílias, onde a topografia não favorecia a produção de culturas dependentes de mecanização. Ficaram em Treze Tílias a Lacticínios Tirol e a Incotril que, durante muitos anos representaram, ao lado da Baterias Pioneiro, esta um pouco mais nova, as grandes empregadoras de mão de obra e geradoras de renda para o município.

As exposições (e feiras) agropecuárias, que tiveram suas primeiras edições no início da década de 1970, mostraram aos produtores locais e regionais o grande potencial que havia no segmento leiteiro e todos os benefícios que dele poderiam advir. Nesses eventos, apresentavam-se, como atrações culturais e demonstrações da cultura local, grupos de danças típicas e bandas locais, entre outros artistas. Essas demonstrações cresceram e se multiplicaram mais ou menos na mesma velocidade e proporção que o interesse pelos produtores locais pela melhoria na qualidade do plantel de seus rebanhos. Santa Catarina é o quinto produtor nacional, com 6,7 por cento da produção (Censo Agropecuário 2007-Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) com cerca de 1,58 bilhões de litros, e Treze Tílias lidera o ranking de produtividade, com 3 718 litros de leite por vaca por ano.

Entretanto, curiosamente, a principal fonte geradora de renda dos produtores trezetilienses não é o leite. De acordo com os dados retirados dos relatórios do valor adicionado, fornecido pela Associação dos Municípios do Meio Oeste Catarinense, as vendas de produtos agropecuários (animais e insumos) aos frigoríficos e outras empresas representam mais de 50 por cento do movimento dos produtores locais. Por outro lado, é certo afirmar que a empresa Lacticínios Tirol ampliou seus horizontes de busca de matéria-prima em praticamente todo o Estado de Santa Catarina, no sudoeste do Paraná e no norte do Rio Grande do Sul, tornando-se uma das maiores empresas do ramo do sul do país. Outra grande empresa do município é a Baterias Pioneiro, no ramo de baterias automotiva e de motocicleta, sendo que a fabrica,esta entre as 10 maiores empresas na produção e venda de baterias no Brasil. A empresa além de gerar vários empregos, gera cerca de 25 por cento do produto interno bruto municipal. A Incotril é outra empresa no município e está construindo uma unidade fabril na cidade de Cristalina, em Goiás, que deverá entrar em operação ainda este ano, motivada pelos incentivos fiscais daquele Estado. Uma boa notícia para a economia de Treze Tílias nesse ano de 2011, foi a inauguração da Poli-Nutri Alimentos S.A, uma indústria importante no ramo de nutrição animal, que já conta com outras três fábricas no país,investimento de aproximadamente 20 milhões, gerando 150 empregos diretos, com capacidade inicial de produção de 5 mil toneladas de rações ao mês.

A história demonstrou o acerto daqueles primeiros pioneiros que acreditaram e apostaram todo o seu trabalho e recursos nesses dois setores da economia – agricultura e indústria, especialmente a agroindústria. Atualmente, as duas principais fontes de riqueza são os 365 produtores rurais e as 46 indústrias, que respondem por mais de 58 por cento da renda bruta do município e cerca de 56 por cento da oferta de empregos.

O fluxo de matéria-prima para as indústrias locais e a remessa dos produtos acabados para o mercado consumidor alimentou e fortaleceu o setor de transporte no município, que conta atualmente com cerca de 560 caminhões. Esse setor recebe ainda a contribuição dos transportadores que não estão estabelecidos no município, mas que tem fretes nele originados.

Treze Tílias, segundo os dados fornecidos pelo setor de tributação da Prefeitura Municipal e da Associação dos Municípios do Meio Oeste Catarinense, conta com 29 bares e restaurantes, nove hotéis e pousadas, 131 estabelecimentos comerciais, 46 estabelecimentos industriais, 77 de serviços, 106 autônomos, artistas, artesãos e profissionais liberais e 83 transportadoras. A economia local recebe mensalmente a contribuição dos valores percebidos pelos 1 004 pensionistas e aposentados, e ainda, o resultado financeiro do esforço dos muitos trezetilienses que trabalham fora do país. A cidade também é conhecida como pólo de artesanato em madeira.[7] [8] [9]

Política[editar | editar código-fonte]

Esta é uma lista de prefeitos e vice-prefeitos de Treze Tílias.

Nome Partido Início do mandato Fim do mandato Observações
1 Ivo Nercí Harttmann 3 de maio de 1963 1963 Prefeito nomeado
2 João Belarmino Grando 1964 1968 Prefeito eleito
3 Ivo Nercí Harttmann 1969 1972 Prefeito eleito
João Constante Piaia 1969 1972 Vice-prefeito eleito
4 Pedro Nelcídio Käffer 1973 1976 Prefeito eleito
Severino Caron 1973 1976 Vice-prefeito eleito
5 Antônio Carlos Altenburger 1977 1982 Prefeito eleito
Avelino João Zanatto 1977 1982 Vice-prefeito eleito
6 Afonso Dresch PDS 1983 31 de dezembro de 1988 Prefeito eleito
Fermino de Rós PDS 1983 31 de dezembro de 1988 Vice-prefeito eleito
7 Rudi Ohlweiler PDS 1º de janeiro de 1989 31 de dezembro de 1992 Prefeito eleito
Antônio Carlos Altenburger PDS 1º de janeiro de 1989 31 de dezembro de 1992 Vice-prefeito eleito
8 Antonio Carlos Altenburger PDS 1º de janeiro de 1993 31 de dezembro de 1996 Prefeito eleito
Mauro Dresch PFL 1º de janeiro de 1993 31 de dezembro de 1996 Vice-prefeito eleito
9 Afonso Dresch PPB 1º de janeiro de 1997 31 de dezembro de 2000 Prefeito eleito
Oscar Augusto Weshenfelder PMDB 1º de janeiro de 1997 31 de dezembro de 2000 Vice-prefeito eleito
10 Rudi Ohlweiler PPB 1º de janeiro de 2001 31 de dezembro de 2004 Prefeito eleito
Jaci Antonio Brandalise PPB 1º de janeiro de 2001 31 de dezembro de 2004 Vice-prefeito eleito
Rudi Ohlweiler PP 1º de janeiro de 2004 31 de dezembro de 2008 Prefeito reeleito
Jaci Antonio Brandalise PP 1º de janeiro de 2004 31 de dezembro de 2008 Vice-prefeito reeleito
11 Romeu Luiz Rabuski PSD 1º de janeiro de 2009 31 de dezembro de 2012 Prefeito eleito
Adilson Concatto PMDB 1º de janeiro de 2009 31 de dezembro de 2012 Vice-prefeito eleito
12 Mauro Dresch PSDB 1º de janeiro de 2013 Atual Prefeito eleito
Leonir Primo de Rós PP 1º de janeiro de 2013 Atual Vice-prefeito eleito
  • Presidentes da Câmara de Vereadores: Rudi Altenburger (2009); Leocrides Brandalise (2010);

Turismo[editar | editar código-fonte]

Rota da Amizade[editar | editar código-fonte]

Treze Tílias faz parte da Rota da Amizade, que inclui sete municípios do oeste catarinense que oferecem uma série de atrativos e culturas, no incentivo ao turismo na região. Os outros municípios são: Tangará, Fraiburgo, Piratuba, Pinheiro Preto, Videira e Joaçaba.

Tirolerfest[editar | editar código-fonte]

Desde o primeiro ano da chegada dos imigrantes austríacos, sua tradição é mantida com grandes confraternizações. A festa conhecida por Tirolerfest, acontece todos os anos no mês de outubro, sempre próxima ao dia 13, aniversário do município. No início, as confraternizações eram de um ou dois dias, mas o evento foi crescendo, sendo atualmente nove dias de festa e assim tornando-se um destino bastante procurado por turistas do Brasil e do exterior.

A programação desta festividade inclui: desfiles, apresentações de bandas, corais e grupos de danças folclóricos do município e também de outros locais. Um dos pontos altos da festa é representado pelo "Bierwagem", do alemão "carro da cerveja", no qual passeiam homens, mulheres e crianças devidamente trajadas tipicamente, tocando, cantando e distribuindo chope gratuitamente. No decorrer da festa, acontece, também,uma noite cultural denominada "Lustiger Tiroler Abend" (traduzido do alemão, "Uma Alegre Noite Tirolesa"), onde acontecem diversas apresentações folclóricas.

Cervejaria Bierbaum[editar | editar código-fonte]

Anexa ao Restaurante e Pizzaria Edelweiss, foi criada em 2004 e é a primeira microcervejaria do oeste catarinense, utiliza o conceito europeu de produzir cervejas artesanais e diferenciadas. Sua produção é baseada no consumo do próprio estabelecimento, e é submetida a um rigoroso controle de padrão e de qualidade implantadas pelo mestre-cervejeiro. Isto é, técnica, qualidade e tradição aliados a gerenciamento de processos e equipamentos de alta qualidade, resultam na excelência do produto, considerado uma das melhores cervejas artesanais do Brasil.

Parque Lindendorf[editar | editar código-fonte]

Com 45 mil metros quadrados, o parque possui diversos atrativos, tais como a minicidade em madeira, com réplicas de edificações públicas. Conta também com um lago com peixes ornamentais e um belo restaurante típico.

Parque dos Sonhos[editar | editar código-fonte]

Localizado no centro da cidade possui um labirinto verde, produção própria de sorvetes (Alpeneis) servindo durante o ano todo diversas combinações de taças, cafés, o típico Apfelstrudel (torta de maçã) e proporcionando ao visitante um clima aconchegante e com muito contato com a natureza.

Museu Municipal Andreas Thaler[editar | editar código-fonte]

A casa onde o fundador da cidade Andreas Thaler viveu com sua família foi transformada em museu, onde está exposta a história da imigração da região, através dos utensílios e equipamentos utilizados pelos colonizadores.

Parque Aquático Vale das Tílias[editar | editar código-fonte]

O parque aquático conta com sete piscinas, rampa molhada, três toboáguas de grande porte, boliche, restaurante e pizzaria, entre outras atrações. Conta com uma fonte de água hidromineral que fica a 750 metros da superfície, jorrando água a 32,5 graus centígrados e chegando às piscinas com temperatura média de 28 à 30 graus centígrados.

Parque do Imigrante[editar | editar código-fonte]

Um parque rodeado de muito verde, com lago com pedalinhos, academia ao ar livre, parquinho infantil, quadra de areia, Capela de São Bento e Via Sacra, que encantam e embelezam um ambiente tranquilo e de muita paz.

Recanto de Aves São Francisco de Assis[editar | editar código-fonte]

Um parque onde presenciamos variadas espécies de aves e plantas, que encantam pelas suas cores e simetrias.

Arquitetura alpina[editar | editar código-fonte]

Junto com os imigrantes veio também seu estilo de construção das moradias, que pode ser visto nos detalhes das sacadas, floreiras, entalhes em madeira nas casas e na presença do campanário deixando em destaque o estilo Alpino. Os jardins também fazem parte desta cultura e, assim como as floreiras das janelas e sacadas, estão o ano todo coloridos e esbanjando beleza.

Turismo rural[editar | editar código-fonte]

Linha Babenberg[editar | editar código-fonte]

Fica a 7 quilômetros do centro. É o local onde os imigrantes se instalaram quando chegaram ao município. Construíram sua 1ª igreja e num conjunto a Via Sacra e a bela Gruta de Nossa Senhora Aparecida. Em maio no dia das mães e em 12 de outubro, no dia de Nossa Senhora Aparecida, seguem romarias até a Gruta com Missa e Festa.

Linha Pinhal[editar | editar código-fonte]

É na comunidade de Linha Pinhal que se manteve viva a cultura italiana, presente na arquitetura, nas cantinas que oferecem produtos coloniais, como queijos e vinhos.

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  • Gazeta do Povo (4 de julho de 2008), Treze Tílias é um canto da Áustria no Brasil, Curitiba. ISBN Sessão Turismo, p. 4

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 19 de setembro de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. BUENO, Eduardo - Brasil: uma história. Segunda edição revista. São Paulo. Ática. 2003. p. 267.
  7. AMMOC – Associação dos Municípios do Meio Oeste Catarinense e Prefeitura Municipal de Treze Tílias
  8. CEPA-Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da EPAGRI
  9. CIDASC-Companhia de Desenvolvimento da Agropecuária de Santa Catarina

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Santa Catarina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.