Vladimir Komarov

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vladimir Komarov

selo postal em homenagem a Komarov
Cosmonauta da URSS
Nacionalidade União das Repúblicas Socialistas Soviéticas soviético
Nascimento 16 de Março de 1927
Moscou, URSS
Morte 24 de abril de 1967 (40 anos)
Oblast de Oremburgo, URSS
Patente militar RAF A F5Col 2010.png
Polkovnik (Coronel)
Força Aérea Soviética
Tempo no espaço 2 d 03 h 04 min
Missões Voskhod 1, Soyuz 1
Insígnia
da missão
Insígnia da Voskhod 1 Insígnia da Soyuz 1

Vladimir Mikhailovich Komarov, em russo: Владимир Михайлович Комаров, (Moscou, 16 de março de 1927Oblast de Oremburgo, 24 de abril de 1967) cosmonauta soviético, primeiro soviético a ir ao espaço duas vezes e o primeiro homem a morrer numa missão espacial, a bordo da nave Soyuz 1, em abril de 1967.

Engenheiro e cosmonauta[editar | editar código-fonte]

Komarov era piloto de testes da Força Aérea, engenheiro aeroespacial e se tornou cosmonauta em 1960, no primeiro grupo de homens selecionados para o programa espacial soviético, junto com Yuri Gagarin e Gherman Titov, os dois primeiros homens em órbita da Terra.

Um dos mais experientes e qualificados candidatos aceitos no primeiro grupo de cosmonautas soviéticos, ele foi a princípio declarado sem condições de saúde para continuar no programa, mas sua perseverança, inteligência e qualificações como engenheiro, o permitiram continuar a ter um papel ativo. Ele subiu ao espaço pela primeira vez em 1964, comandando a nave Voskhod 1, em companhia dos cosmonautas Boris Yegorov e Konstantin Feoktistov , no primeiro voo ao espaço de uma nave com mais de um tripulante.

Tragédia[editar | editar código-fonte]

Em 1967 ele realizou seu segundo voo espacial, desta vez sozinho na nova nave Soyuz 1, um voo repleto de problemas em órbita[1] e que terminou em tragédia na reentrada na atmosfera, quando o pára-quedas principal de freio da cápsula não abriu e ela se espatifou e explodiu no solo, matando Komarov.

Pouco antes do impacto, o premier soviético Alexei Kossygin disse a Komarov que seu país estava orgulhoso dele. Um posto de escuta da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos, em Istambul, Turquia, revelou que a resposta de Komarov foi inaudível. [2] , apesar dos persistentes rumores, na época, de que ele morreu maldizendo os construtores da nave e o controle de terra.[3]

Desde sua morte, começaram a aparecer notícias de que a nave Soyuz tinha problemas de concepção e funcionamento desde o início e não estaria em condições de realizar uma missão espacial tripulada, mas apesar das objeções dos engenheiros do programa espacial o voo teria acontecido por pressões de líderes políticos soviéticos, que desejavam uma grande missão espacial em comemoração do aniversário de nascimento de Lênin.[4]

Honrarias[editar | editar código-fonte]

Em 26 de abril de 1967, ele foi sepultado com honras de Estado em Moscou e suas cinzas enterradas na Necrópole da Muralha do Kremlin, na Praça Vermelha, ao lado de outros luminares da antiga União Soviética. Um ano depois, um serviço memorial foi realizado no local da queda, perto de Omsk, em que mais de 10 mil pessoas compareceram, algumas delas vindo de centenas de quilômetros de distância para participar da cerimônia.[5]

Vladimir Komarov foi condecorado duas vezes com a Ordem de Lenin e com o título de Herói da União Soviética e sua referência na cultura popular se fez presente em diversos momentos.

Uma cratera da Lua e o asteróide 1836 Komarov, descoberto em 1971, foram batizados em sua homenagem.[6]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Cosmonaut crashed into earth crying in rage
  2. Svengrahn Soyuz1
  3. Soyuz 1. Encyclopedia Astronautica. Página visitada em 2009-04-15.
  4. 1967: Russian cosmonaut dies in space crash. BBC. Página visitada em 28/04/2011.
  5. Diário pessoal de Nikolai Kamanin de 1960-1971. Um sumário traduzido em inglês pode ser encontrado em Kamanin Diaries, na Encyclopedia Astronautica
  6. Schmadel, Lutz D.. Dictionary of Minor Planet Names, Volume 1. New York: Springer, 2003. 147 pp. ISBN 3540002383

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]