Anguilla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para pela cidade estado-unidense no estado do Mississippi, veja Anguilla (Mississippi).
Disambig grey.svg Nota: Para o género zoológico a que pertencem as enguias, veja Anguillidae.
Anguilla
Anguilha
Bandeira
Brasão de armas
Bandeira Brasão
Lema: Each Endeavouring, All Achieving
(em português: cada um se esforça, todos conseguem)
Gentílico: Anguilhano/a

Localização  Anguilha

Capital The Valley
Língua oficial Inglês
Governo Território britânico ultramarino
 - Monarca Isabel II
 - Governador Tim Foy
 - Vice-governador Perin A. Bradley
 - Ministro-chefe Victor Banks
População  
 - Estimativa para 2006 13 600 hab. 
 - Censo 2011 13 452 hab. 
 - Densidade 132 hab./km² 
Moeda Dólar das Caraíbas Orientais
Fuso horário (UTC-4)
Cód. ISO AI
Cód. Internet .ai
Cód. telef. +1-264

Anguilla (lê-se Anguilha, mas por vezes é aportuguesada como Anguila[1][2][3][4][5]) é um território britânico ultramarino nas Caraíbas, que compreende a ilha de Anguilla e algumas ilhotas próximas, e que tem fronteira marítima, no canal de Anguilla, com a ilha de São Martinho (dividida em uma parte neerlandesa, Sint Maarten, e uma parte francesa, Saint-Martin). A oeste, tem como vizinhas mais próximas as Ilhas Virgens Britânicas. A capital de Anguilla é The Valley.

Anguila tornou-se um paraíso fiscal popular, não tendo ganhos de capital, patrimônio, lucro ou outras formas de tributação direta de pessoas físicas ou jurídicas. Em abril de 2011, diante de um déficit crescente, a ilha introduziu uma "taxa de estabilização provisória" de 3%, a primeira forma de imposto de renda de Anguila.[6]

História[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: História de Anguilla

Pré-colonização[editar | editar código-fonte]

Antes da chegada dos europeus, a ilha chamava-se Malliouhana, que significa "serpente do mar em forma de arco". Era habitada pelos povos indígenas Arahuaco, que se dedicavam à produção de milho, algodão, batata doce e pesca. Foi descoberta em 1493 por Cristóvão Colombo, e seu nome "Anguila" é provavelmente devido à sua forma alongada.

Colonização britânica[editar | editar código-fonte]

Anguilla foi colonizada por ingleses de San Cristobal e Nieves em 1650. Foi administrada pelo Reino Unido até 1825, quando a ilha foi passada para a administração de São Cristóvão e Névis contra a vontade dos habitantes de Anguilla. Desde então, em várias ocasiões, Anguilla tentou se separar.

Independência[editar | editar código-fonte]

Em 11 de julho de 1967, foi realizado um referendo sobre a autonomia, que foi vencido pelos separatistas (1813 votos contra 5). Em 17 de junho, sua independência foi proclamada unilateralmente. Depois de vários dias de tensão quando a autonomia não foi concedida no referendo e a expulsão dos únicos quatro britânicos da ilha, em 19 de março de 1969 as tropas britânicas ocuparam a ilha, sem violência, situação que perdurou até 15 de setembro.[7][8]

Finalmente, em 1971, a ilha passou a ser administrada por um comissário britânico e um Conselho da Ilha, obtendo a condição de dependência britânica em 1976 com autonomia administrativa, graças ao líder do Conselho da Ilha, Ronald Webster, e consolida em 1980 separando formalmente do Estado associado a São Cristóvão e Névis.

Em 1992, a ilha entrou como membro associado da Comunidade do Caribe (CARICOM). Em 1995, o furacão Luis causou grandes danos ao arquipélago, especialmente no setor agrícola.

Política[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Política de Anguilla

Anguila está sob a Ordem Constitucional de 1 de abril de 1982, emendada em 1990.

O Chefe de Estado é a monarca do Reino Unido, Isabel II, representada pelo Governador de Anguilla, que é designado pela própria rainha. O Chefe de Governo é o Ministro Chefe, que é designado pelo Governador dentro do bloco maioritário da Assembleia e que deve formar um Conselho Executivo aprovado por dita Câmara.

A Assembleia é unicameral com onze cadeiras, sete eleitas por voto popular, dois membros de ofício e dois designados pelo Governador para um mandato de cinco anos. Possui um tribunal (com um juiz enviado pelo Supremo Tribunal do Caribe Oriental).

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Subdivisões de Anguilla

Não possui uma divisão político-administrativa propriamente dita. Ainda que se podem assinalar as ilhas como a divisão mais representativa. As ilhas que conformam o território são:

Geografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Geografia de Anguilla
Vista aérea da ilha de Anguilla.
Porto da ilha de Anguilla (Caribe).
Praia em Anguilla (Caribe).

O arquipélago se localiza no Caribe, especificamente no extremo norte das ilhas de Sotavento nas Antilhas Menores; compreende a habitada ilha de Anguila e as desabitadas ilhas Scrub, Dog e Sombrero; e alguns ilhéus próximos, também desabitados.

O terreno é em geral, rochoso e de pouca elevação. Não há rios, só algumas pequenas lagoas na ilha de Anguilla. O clima é tropical com uma temperatura média de 27 °C. O período mais quente é de julho a outubro e o mais frio é de dezembro a fevereiro. A precipitação média anual é de 900 mm, os meses mais chuvosos são setembro e outubro e os mais secos são fevereiro e março. A ilha recebe duas tempestades tropicais por ano e furacões que vêm de repente, que ocorrem entre julho e novembro. A ilha sofreu danos em 1995 devido ao furacão Luis, inundações severas devido ao furacão Lenny e danos devastadores em 2017 devido ao furacão Irma.

Economia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Economia de Anguilla

Anguila possui poucos recursos naturais, e a economia depende bastante do turismo, bancos estrangeiros, pesca de lagostas e remessas de emigrantes. A economia, especialmente o setor turismo, teve efeitos devastadores em 1995, por causa do Furacão Luis, mas se recuperou em 1996. Ao crescer o setor turismo, também pôde ajudar ao setor de construção, que cresceu grandemente à economia. Os bancos estrangeiros estão estabelecidos, mas tem a participação muito pequena, ainda que também em auge.

Os principais produtos que produz e exporta são a sal, pescado, lagostas, blocos de concreto, gado, fumo e rum. É também uma fonte de renda para sua economia a emissão de selos postais destinados principalmente à coleção. O arquipélago possui como moeda o Dólar do Caribe Oriental.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Demografia de Anguilla

Segundo estimativas feitas pela CIA World Factbook, em 2012, Anguilla tinha uma população de aproximadamente 15.423 habitantes. Toda a população do arquipélago está concentrada na ilha principal de Anguilla. A língua oficial de Anguilla é o inglês.[9] Etnicamente a maioria da população é de ascendência africana, com minorias mulatas e brancas.

A maioria da população professa o cristianismo do ramo protestante (com maiorias anglicana e metodista e minorias adventista e batista). Também há uma minoria rastafári.

Transporte[editar | editar código-fonte]

Aéreo[editar | editar código-fonte]

Anguilla é servida pelo Aeroporto Internacional Clayton J. Lloyd (até 4 de julho de 2010, conhecido como Aeroporto Wallblake). A pista principal do aeroporto tem 1.164 pés (1664,8176 m) de comprimento e pode atender aeronaves de médio porte. Possui vôos que operam para vários destinos do Caribe através da operadora regional LIAT, linhas aéreas locais e outras. Embora não haja voos diretos para a América ou a Europa continental, o aeroporto pode operar com aeronaves de corpo estreito, como o Boeing 727, o Boeing 737 e o Boeing 757.

Terrestre[editar | editar código-fonte]

Com exceção dos táxis, não há nenhum serviço de transporte público na ilha. Os carros circulam pela esquerda.

Marítimo[editar | editar código-fonte]

Existem balsas regulares de Sint Maarten para Anguilla. Há cerca de vinte minutos de travessia de Marigot, St. Martin a Blowing Point, Anguilla. As balsas começam a operar às 7:00 da manhã. Há também um serviço de fretamento, de Blowing Point, Anguilla ao Aeroporto Princesa Juliana, para facilitar as transferências. Este meio de viagem é o método mais comum de transporte entre Anguilla e Sint Maarten.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Cultura de Anguilla

A cultura de Anguilla é um reflexo da mistura entre as tradições e os costumes dos ameríndios e dos colonos ingleses. Em 1993, o governo fundou o Anguilla National Trust, uma instituição encarregada de manter, proteger e divulgar o patrimônio do arquipélago, tanto natural quanto histórico, arqueológico e cultural.[10]

Gastronomia[editar | editar código-fonte]

A gastronomia de Anguilla é influenciada pelo nativos caribenhos, espanhóis, franceses e ingleses. Os mariscos são abundantes, principalmente lagosta, camarão, caranguejo, caracóis, entre outros. O sal é um alimento básico em Anguilla, consumido sozinho ou em ensopados, ensopados ou sopas. O gado é limitado devido ao pequeno tamanho da ilha, as pessoas usam aves de capoeira, porcos, cabras e ovelhas, juntamente com carne importada. A carne de cabra é a mais consumida, é utilizada em diversos pratos. Os alimentos são arroz, inhame, batata doce e pão.[11][12]

Esportes[editar | editar código-fonte]

Um dos principais esportes são as corridas de barco, sendo que as regatas de vela destacam-se. Como em muitas antigas colônias britânicas, o críquete é um esporte muito praticado, o rugby também é praticado (representado em Anguila por Anguilla Eels RFC[13]) e o futebol, entre outros esportes.


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Anguilla