Benedito de Lira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Benedito de Lira
Prefeito de Barra de São Miguel
Período 1º de janeiro de 2021 até a atualidade
Vice-prefeito Floriano Melo
Antecessor(a) José Medeiros Nicolau Zezeco
Senador por Alagoas
Período 1º de fevereiro de 2011
até 1 de fevereiro de 2019
Deputado Federal por Alagoas
Período 1º de fevereiro de 1995
até 31 de janeiro de 1999
1º de fevereiro de 2003
até 31 de janeiro de 2011
Deputado Estadual de Alagoas
Período 1 de janeiro de 1983
até 1 de janeiro de 1995
Vereador de Maceió
Período 1 de janeiro de 1973
até 1 de janeiro de 1983
Dados pessoais
Nascimento 1 de maio de 1942 (79 anos)
Limoeiro de Anadia, Alagoas
Alma mater Universidade Federal de Alagoas
Partido ARENA (1966-1979)
PDS (1980-1985)
PFL (1985-2002)
PTB (2002-2003)
PP (2003-presente)
Profissão Advogado

Benedito de Lira ou Biu (Limoeiro de Anadia[nota 1], 1 de maio de 1942) é um político brasileiro de Alagoas filiado ao Progressistas (PP), ex-Senador pelo seu estado e, atualmente, Prefeito de Barra de São Miguel.[1]

É pai do também político e atual Presidente da Câmara dos Deputados Arthur Lira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

É formado em Direito pela Faculdade de Direito da UFAL. Começou sua carreira política como como vereador em sua cidade natal entre 1966 a 1970, e depois foi vereador em Maceió por dois mandatos consecutivos, entre 1973 a 1976 e entre 1977 a 1982.

Foi Deputado Estadual por três mandatos consecutivos, vencendo as eleições de 1982 pelo PDS, reeleito em 1986 pelo PFL e novamente reeleito em 1990.[2][3][4]

Em 1994, chega ao Congresso Nacional eleito Deputado Federal com 34.217 (6,98%) dos votos do estado.[5]

Nas eleições de 1998 concorreu como Vice-Governador na chapa liderada pelo então Governador Manuel Gomes de Barros, candidato à reeleição. Terminando derrotados pala chapa de Ronaldo Lessa do PSB.

Volta à Câmara dos Deputados em 2002, eleito Deputado Federal pelo PTB e reeleito em 2006 já pelo PP.[6]

Disputou uma vaga para o Senado Federal em 2010, sendo o candidato mais votado e eleito com 904.345 votos válidos, representando 35,94%.[7]

Em dezembro de 2016, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[8] Em julho de 2017 votou a favor da reforma trabalhista.[9]

Apoiou em 2016 o processo de impeachment da então Presidente do Brasil Dilma Rousseff. Afirmando na época que "por ação direta, seja por omissão, houve crime de responsabilidade" e que "Dilma será responsabilizada pelas acusações a que responde e também “por ter deixado um país paralisado, sem direção e sem base alguma para administrar".[10]

Em outubro de 2017 votou a favor da manutenção do mandato do Senador Aécio Neves derrubando decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal no processo onde ele é acusado de corrupção e obstrução da justiça por solicitar dois milhões de reais ao empresário e dono da JBS Joesley Batista.[11][12]

Nas eleições de 2018 disputou novamente uma vaga para o Senado Federal, terminado em quarto lugar com 14% dos votos e não sendo reeleito. Para sua vaga foi eleito o Senador Rodrigo Cunha, do PSDB.[13]

Foi eleito prefeito da pequena Barra de São Miguel, polo turístico da Região Metropolitana de Maceió, nas Eleições Municipais de 2020.[14]

Suspeitas de corrupção[editar | editar código-fonte]

Máfias das ambulâncias[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Máfia das ambulâncias

Benedito de Lira foi um dos envolvidos no escândalo das ambulâncias superfaturadas também conhecido como sanguessugas.[15]

Corrupção na Petrobras[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Petrolão

Benedito de Lira, e seu filho Arthur Lira, investigados pela Polícia Federal no esquema de corrupção da estatal Petrobras. A PF pontou indícios de corrupção passiva após a conclusão dos inquéritos abertos para apurar a participação de Benedito e Arthur Lira. De acordo com o texto do relatório, Arthur Lira e Benedito de Lira "se beneficiaram com o recebimento de quantias periódicas indevidas, oriundas do pagamento de propinas por empresas que tinham contratos com a Petrobras, em razão do controle pelo Partido Progressista (PP) da Diretoria de Abastecimento, ocupada por Paulo Roberto Costa, em troca de votar a favor de projetos de interesse do governo federal".[16]

Em fevereiro de 2016, teve seus bens bloqueados pelo Supremo Tribunal Federal, em decisão do ministro Teori Zavascki, no valor de R$1,6 milhão. O pedido do bloqueio foi feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que é responsável pela investigação contra Benedito, na Lava Jato.[17]

Notas e referências

Notas

  1. Junqueiro, onde nasceu o biografado, era na época ainda um distrito de Limoeiro de Anadia.

Referências

  1. Magro, Maíra (1 de setembro de 2015). «PF pede afastamento dos parlamentares Arthur Lira e Benedito de Lira». Valor Econômico. Consultado em 16 de setembro de 2015 
  2. «Resultado Eleições 1982 Alagoas» (PDF). Repositório de dados do TSE. Consultado em 18 de maio de 2021 
  3. «Resultado Eleições 1986 Alagoas» (PDF). Repositório de dados do TSE. Consultado em 18 de maio de 2021 
  4. «Resultado Eleições 1990 Alagoas» (PDF). Repositório de dados do TSE. Consultado em 18 de maio de 2021 
  5. «Resultados das Eleições 1994 - Alagoas - deputado federal». www.tse.jus.br. Consultado em 18 de maio de 2021 
  6. «Biu Benedito de Lira 11». Eleições 2014. Consultado em 8 de maio de 2016 
  7. «AL elege Benedito de Lira e Renan para o Senado». G1. 3 de outubro de 2010. Consultado em 8 de maio de 2016 
  8. Bol (13 de dezembro de 2016). «Confira como votaram os senadores sobre a PEC do Teto de Gastos 155 Do UOL, em São Paulo». Consultado em 16 de outubro de 2017 
  9. Redação - Carta Capital (11 de julho de 2017). «Reforma trabalhista: saiba como votaram os senadores no plenário» 
  10. «Impeachment no Senado: discurso final de Benedito de Lira (PP-AL)». g1.globo.com. 30 de agosto de 2016. Consultado em 18 de maio de 2021 
  11. «Veja como votou cada senador na sessão que derrubou afastamento de Aécio». Consultado em 17 de Outubro de 2017 
  12. «Janot denuncia Aécio Neves ao STF por corrupção e obstrução da Justiça». Consultado em 17 de Outubro de 2017 
  13. «Alagoas reelege Renan Calheiros e tem Rodrigo Cunha como novidade». Senado Federal. Consultado em 18 de maio de 2021 
  14. «Biu de Lira, do PP, é eleito prefeito da Barra de São Miguel». G1. Consultado em 18 de maio de 2021 
  15. «CPI dos Sanguessugas denuncia 72 parlamentares; veja lista». Folha de S.Paulo. 10 de agosto de 2006. Consultado em 21 de fevereiro de 2010 
  16. Camila Bomfim (1 de setembro de 2015). «PF aponta indícios de corrupção de Arthur e Benedito de Lira na Lava Jato». G1 Política. Consultado em 2 de dezembro de 2015 
  17. Mariana Oliveira (24 de fevereiro de 2016). «Teori determina sequestro de bens de Arthur e Benedito de Lira». G1. Consultado em 8 de maio de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.