Barra de São Miguel (Alagoas)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o município de Alagoas. Para o município da Paraíba, veja Barra de São Miguel (Paraíba).
Município de Barra de São Miguel
Barra de São Miguel & Praia do Gunga.jpg

Bandeira de Barra de São Miguel
Brasão indisponível
Bandeira Brasão indisponível
Hino
Aniversário 2 de agosto
Fundação 1963 (55 anos)
Gentílico barrense
Prefeito(a) José Medeiros Nicolau (Zezeco) (PMDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Barra de São Miguel
Localização de Barra de São Miguel em Alagoas
Barra de São Miguel está localizado em: Brasil
Barra de São Miguel
Localização de Barra de São Miguel no Brasil
09° 50' 24" S 35° 54' 28" O09° 50' 24" S 35° 54' 28" O
Unidade federativa Alagoas
Mesorregião Leste Alagoano IBGE/2008 [1]
Microrregião Maceió IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Marechal Deodoro, Roteiro e São Miguel dos Campos
Distância até a capital 33 km
Características geográficas
Área 76,612 km² [2]
População 7 573 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 98,85 hab./km²
Altitude 5 m
Clima tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,572 baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 42 565,184 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 5 700,44 IBGE/2008[5]

Barra de São Miguel é um município brasileiro localizado na Região Metropolitana de Maceió, no Estado de Alagoas. Encontra-se a 09º50'24" de latitude sul e 35º54'28" de longitude oeste, a uma altitude de 2 metros. Sua população estimada em 2004 era de 30,000 habitantes.

Possui uma área de 76,96 km².

História[editar | editar código-fonte]

Até a metade do século XVI, o território onde é atualmente ocupado pela Barra de São Miguel foi aldeamento dos índios Caetés, conhecidos pela prática da antropofagia. Segundo a história, eles teriam devorado o bispo Dom Pero Fernandes Sardinha, que veio de Portugal para catequizar a região. Ele teria trazido, então, uma imagem de Santa Ana, que foi abandonada com o ataque dos índios e resgatada anos depois.

A área, de excelente localização geográfica, transformou-se num movimentado núcleo de pescadores. Manoel Gonçalves Ferreira montou um estaleiro para a fabricação de embarcações, que ficaram conhecidas em todo o país e deram emprego aos "experimentos mestres" do local. Foi de lá que saiu o maior navio nordestino da época, o "Sane-Duarte", e também o maior iate, "Claudio Dubeux". Com a instalação de novos estaleiros e o início do transporte rodoviário, por volta de 1930, a Barra entrou em declínio, que levou carpinteiros e calafatas ao êxodo para novas indústrias.

A autonomia administrativa ocorreu por força de interesses políticos. Somente em 1963, a Barra foi elevada à condição de município, desmembrado de São Miguel dos Campos.

Considerada a cidade balneária mais badalada de Alagoas, a Barra tem uma exuberante beleza natural, diversificada com praias de areia branca, águas cristalinas e ilhas de manguezais. De sua marina, partem diariamente embarcações para a praia do Gunga, que fica no município de Roteiro. A Barra se destaca pelos campeonatos esportivos que promove: de Pesca de Arremesso, Enduro de Moto e Jeep (abril), Nordestino de Surf (setembro), e Mountain Bike (novembro). E ainda: o Festival de Música (janeiro), Carnaval, festas juninas, festa da padroeira Nossa Senhora Santana (17 a 26/07) e Emancipação (2/08).

Prefeitos

Antônio Simões de Araújo (1963-1966); José Torres Filho (1966-1970); Leonita Vieira Cavalcante (1970-1973); Carlito Lima (1974-1977); Marinete Lins Saldanha (1977-1982); Maria Angélica Cavalcante - 1ª vez: (1983-1988); Reginaldo Andrade - 1ª vez: (1989-1992); Maria Angélica Cavalcante - 2ª vez: (1993-1996); Lúcio Flávio Costa Cruz (1997-2000); Robson Vieira (2001-2004); Reginaldo Andrade - 2ª vez: (2005-2008); Rosinha Cavalcante (2009); Reginaldo Andrade - 3ª vez: (2009-2012); Lelo Rapôso (2012); Carlinhos Alves (2012); José Medeiros Nicolau - Zezeco (2013 até 2016).

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município Barra de São Miguel subdivide-se em três partes (bairros): Barra Velha (onde a cidade começou e onde funciona grande parte do comércio local), Praia Bonita e Barra Mar (parte de veraneio). Também há grandes loteamentos, como o Arquipélago do Sol e o Alta Vista (em construção).

A Barra de São Miguel nasce nas águas do Rio Niquim, e, logo a sua frente, os recifes suavizam as ondas do mar, dando-lhes a impressão de uma enorme piscina. Suas areias são claras e o mar é extremamente azul. Hoje é o mais badalado balneário de Alagoas.

O território atualmente ocupado por Barra de São Miguel foi aldeamento primitivo dos índios caetés, sobre os quais recai a fama de terem devorado o primeiro bispo do Brasil, Dom Pero Fernandes Sardinha.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Barra de São Miguel dispõe de boa estrutura turística, com hotéis, pousadas e restaurantes.

Religião[editar | editar código-fonte]

No dia 17 de julho de 2010, foi criada a 1ª paróquia, com o nome de Paróquia de São Joaquim e Santa Ana.

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 4 de setembro de 2013. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Alagoas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.