Brodowski

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Brodowski (desambiguação).
Símbolos
Bandeira de
Bandeira
Brasão de armas de
Brasão de armas
Hino
Lema Via ferrea urbem aedificavit
"A ferrovia edificou a cidade"
Gentílico brodowskiano ou brodosquiano
Localização
Localização de em São Paulo
Localização de em São Paulo
Brodowski está localizado em: Brasil
Localização de no Brasil
Mapa de
Coordenadas 20° 59' 27" S 47° 39' 32" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Região metropolitana Ribeirão Preto
Municípios limítrofes Batatais (N e L), Ribeirão Preto, Serrana (S), Altinópolis (L) e Jardinópolis (O).
Distância até a capital 337 km
História
Fundação 22 de agosto de 1913 (109 anos)
Administração
Prefeito(a) José Luiz Perez (PSDB, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [1] 278,458 km²
População total (Estimativa Populacional IBGE/2020[2]) 25 277 hab.
Densidade 90,8 hab./km²
Clima Cwa (Clima tropical de altitude com inverno seco e verão quente)
Altitude 850 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[3]) 0,755 alto
PIB (IBGE/2017[4]) R$ 639 371,53 mil
 • Posição SP: 245º
PIB per capita (IBGE/2020[4]) R$ 26 538,75

Brodowski ou Brodósqui é um município brasileiro localizado na região nordeste do estado de São Paulo, fazendo parte da Região Metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP). Está localizado na latitude 21° Sul, e na longitude 47°39'33" oeste, a uma altitude de 850 metros. Possui área de 278,4 km², topografia constituída de terrenos altos e planos, clima tropical de altitude com inverno seco e verão quente e uma população estimada em 25.277 habitantes em 2020, estando a 27 km de Ribeirão Preto.

A cidade é também conhecida como Terra de Portinari por ser o local de nascimento do famoso pintor Candido Portinari.

História de Brodowski[editar | editar código-fonte]

O surgimento da cidade de Brodowski está ligada aos projetos de expansão da Cia. Mogiana de Estradas de Ferro, no final do século XIX. Em 1873 foi iniciada a construção da ferrovia Campinas a Mogi-Mirim, com ramal até a cidade de Amparo, e, mais tarde, até às margens do Rio Grande, passando por Casa Branca e Franca.

Os trilhos cortaram as terras da Fazenda Belo Monte, entre Jardinópolis e Batatais, após a inauguração da estação de Batatais em 3 de outubro de 1886 com a presença do imperador D. Pedro II e sua esposa a imperatriz Teresa Cristina. O dono da fazenda, coronel Lúcio Eneas de Melo Fagundes, propôs à companhia a doação de área em suas terras para a construção de uma estação, ação apoiada pelos vizinhos do coronel, a Cia. Mogiana recebeu com simpatia a ideia. O inspetor-geral da Cia. Mogiana na época, o engenheiro polonês Alexandre Brodowski foi o responsável pelo encaminhamento do pedido e pela construção da estação e em 5 de setembro de 1894 era inaugurada a estação com armazém e pátio de manobras que recebeu seu nome em homenagem.

No local da estação começou a crescer um povoado, que viria a ser o município de Brodowski. A emancipação da localidade, elevada à categoria de município, se deu através da Lei n.º 1381 em 22 de agosto de 1913. Na oportunidade, era presidente do Estado Francisco de Paula Rodrigues Alves e o secretário do Interior, Altino Arantes.

Na cidade também é conhecida por nela estar localizado o seminário Maria Imaculada que veio para a cidade na década de 60 pelas mãos de Dom Luís do Amaral Mousinho arcebisbo de Ribeirão Preto.

Dados geográficos[editar | editar código-fonte]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População Total: 25.277 (Contagem 2020 IBGE [1])
População rural: 1854 hab.
Densidade demográfica: 75,80 hab./km²
Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 9,09
Expectativa de vida (anos): 73,56
Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,25
Taxa de Alfabetização: 93,1%
Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,805[2]
IDH-M Renda: 0,734
IDH-M Longevidade: 0,809
IDH-M Educação: 0,872
(Fonte: IPEA DATA)

Diferenças de cor[editar | editar código-fonte]

raça Porcentagem
Branca 78,3%
Negra 8,2%
Parda 12,6%
(Fonte: Censo 2000)

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia de Brodowski é focada nos Serviços (R$ 299 milhões) e na Indústria (R$ 158 milhões), mesmo tendo muita área para cultivo agrícola.

A partir de 2021, a cidade ganhará um empreendimento inédito, o THO 4.0 - Centro Empresarial e Industrial Thomazella, que terá 118 lotes de 1.000 m2 a 1.600 m2, energia renovável, drenagem de águas pluviais, prédios com iluminação em led, ruas amplas e pavimentadas para o tráfego de qualquer tipo de caminhão, rede de água potável com poço artesiano, rede coletora de esgoto com estação elevatória e emissário para tratamento municipal em Brodowski, infraestrutura diferenciada com boulevard comercial e coworking, praça de alimentação, lounges de convivência, centro médico, heliponto, prédio de recepção com cafeteria e salas de reuniões e de treinamento.[5]

Cidadãos ilustres[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 set. 2020 
  2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (27 de agosto de 2020). «Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data referência em 27 de agosto de 2020» (PDF). Consultado em 5 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 27 de agosto de 2020 
  3. «Ranking IDHM Municípios 2010». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2013. Consultado em 10 de junho de 2015 
  4. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Tabela 1 - Produto Interno Bruto a preços correntes e Produto Interno Bruto per capita segundo as Grandes Regiões, as Unidades da Federação e os municípios - 2017». Consultado em 5 de setembro de 2020 
  5. Investe SP. «Brodowski ganha empreendimento tecnológico inédito no país». Consultado em 2 de janeiro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]