Barrinha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Barrinha
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Barrinha
Bandeira
Brasão de armas de Barrinha
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Princesa do Mogi"
Gentílico barrinhense
Localização
Localização de Barrinha em São Paulo
Localização de Barrinha em São Paulo
Barrinha está localizado em: Brasil
Barrinha
Localização de Barrinha no Brasil
Mapa de Barrinha
Coordenadas 21° 11' 38" S 48° 09' 50" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Região intermediária[1] Ribeirão Preto
Região imediata[1] Ribeirão Preto
Região metropolitana Ribeirão Preto
Municípios limítrofes Dumont, Jaboticabal, Pradópolis, Ribeirão Preto e Sertãozinho
Distância até a capital 322 km
História
Fundação 30 de dezembro de 1953 (65 anos)[2]
Administração
Prefeito(a) Mituo Takahashi (PPS, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [3] 146,025 km²
População total (estatísticas IBGE/2019[4]) 32 812 hab.
Densidade 224,7 hab./km²
Clima tropical com estação seca (Aw)
Altitude 492 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[5]) 0,725 alto
PIB (IBGE/2014[6]) R$ 384 087 mil
PIB per capita (IBGE/2014[6]) R$ 12 440,88

Barrinha é um município brasileiro do estado de São Paulo, Região Sudeste do país, parte da Região Metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP). Sua população estimada em 2019 era de 32 812 habitantes.[4]

História[editar | editar código-fonte]

Barrinha foi um pequeno Porto Fluvial do Rio Mojiguaçu. Suas primeiras casas foram edificadas em volta da estação da Cia. Paulista de Estrada de Ferro, que era de propriedade da Cia. Agrícola Fazenda São Martinho que, em consequência da crise do café, resolveu lotear essa área dando início a um pequeno povoado em 1930.

Barrinha é conhecida carinhosamente como "Princesa do Mogi". Dizem que seu nome se originou por causa deste Porto Fluvial, e que sua ótima argila favoreceu a implantação de várias cerâmicas, e esses dois fatores: as Cerâmicas e a Estrada de Ferro fizeram com que o município crescesse rapidamente. Sua Emancipação Política Administrativa deu-se em 30 de dezembro de 1953. Seus primeiros habitantes foram trabalhadores da própria Cia. Agrícola Fazenda São Martinho, imigrantes italianos,libaneses e japoneses.

Geografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com a divisão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística vigente desde 2017,[7] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária e Imediata de Ribeirão Preto.[1] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, o município fazia parte da microrregião de Ribeirão Preto, que por sua vez estava incluída na mesorregião de Ribeirão Preto.[8]

Barrinha, antes um distrito de Sertãozinho, situa-se a uma distância de 360 km da capital no trajeto da Ferrovia Paulista S/A - FEPASA, a nordeste do estado.

Municípios limítrofes[editar | editar código-fonte]

Bairros[editar | editar código-fonte]

  • Centro
  • Jardim José Bombonato
  • Conjunto Habitacional Albertina Fernandes Fossalussa(CDHU)
  • Jardim Novo Horizonte
  • Jardim Bela Vista
  • Jardim Higienópolis
  • Jardim Paulista
  • Jardim Raya
  • Jardim Lisboa
  • Jardim Vera Lúcia
  • Jardim Vera Lúcia II
  • Parque Mogí
  • Vila Recreio
  • Vila São José
  • Vila Nova Barrinha
  • Conjunto Habitacional José Emilio Nanzer(CDHU)
  • Beija flor (Não legalizado)
  • Jardim Belo Horizonte
  • Jardim California
  • Jardim Floriano Binhardi
  • Jardim Colorado
  • Residencial Paineiras
  • Jardim Nova Barrinha

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados retirados do censo de 2010

População

  • Área
  • Sexo
    • Homens: 12.281 hab
    • Mulheres: 11.926 hab

Mortalidade Infantil Até 1 Ano de Idade: 15,16 por mil

Expectativa de Vida: 71,60 anos

Taxa de Fecundidade por Mulher: 2,94 filhos

Taxa de Alfabetização: 87,76%

Índice de Desenvolvimento Humano: 0,766

  • Renda: 0,670
  • Longevidade: 0,777
  • Educação: 0,850
  • IPEADATA

Etnias[editar | editar código-fonte]

Cor/Raça Percentagem
Branca 51,4%
Negra 7,7%
Parda 39,3%
Amarela 7.5
Indigena 0,3%

Fonte: Censo 2010

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Governo e administração[editar | editar código-fonte]

A administração municipal se dá pelo poder executivo e pelo poder legislativo.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

  • SP-333 Carlos Tonani
  • SP 291 Mário Donegá

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade foi atendida pela Companhia Telefônica Brasileira (CTB) até 1973[9], quando passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP), que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[10], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[11] para suas operações de telefonia fixa.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  2. Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (2007). «Barrinha - Histórico» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 30 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 30 de dezembro de 2013 
  3. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (15 de janeiro de 2013). «Áreas dos Municípios». Consultado em 30 de outubro de 2017. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2017 
  4. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de agosto de 2018). «Estimativas da população residente no Brasil e unidades da federação com data de referência em 1º de julho de 2018» (PDF). Consultado em 21 de outubro de 2018 
  5. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 4 de dezembro de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 8 de julho de 2014 
  6. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2014). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2014». Consultado em 30 de outubro de 2017. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2017 
  7. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 30 de outubro de 2017. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2017 
  8. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1990). «Divisão regional do Brasil em mesorregiões e microrregiões geográficas» (PDF). Biblioteca IBGE. 1: 96. Consultado em 30 de outubro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 30 de outubro de 2017 
  9. «Relação do patrimônio da CTB incorporado pela Telesp» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  10. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  11. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]