Dragon Ball Z

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ni hon go2.png Este artigo contém texto em japonês.
Sem suporte multilingual apropriado, você verá interrogações, quadrados ou outros símbolos em vez de kanji ou kana.
Dragon Ball Z
ドラゴンボールZ(ぜっと)
(Doragon Bōru Zetto)
Logotipo do anime
Gênero Ação, Aventura, Ficção Científica
Anime
Dragon Ball Z
Direção Daisuke Nishio
Estúdio Toei Animation
Emissoras de televisão Japão Fuji TV
Japão Animax
Japão Tokyo Metropolitan Television
Emissoras lusófonas Brasil Rede Globo[1]
Brasil Rede Bandeirantes[1]
Brasil Cartoon Network Brasil[1]
Brasil Tooncast (futuro)
Brasil RBTV
Brasil Ulbra TV
Brasil TV Diário
Brasil Novo Canal
Brasil TV Jornal
Brasil Rede Brasil
Portugal SIC
Portugal SIC Gold
Portugal SIC Radical
Portugal SIC K
Exibição original 26 de Abril de 1989[2]31 de Janeiro de 1996[2]
Episódios 291[3]
Filmes
Lista dos filmes

Dragon Ball Z (ドラゴンボールZ, Doragon Bōru Zetto?) (geralmente abreviado como DBZ) é uma série de anime produzida pela Toei Animation. Baseada na série de mangá Dragon Ball escrita por Akira Toriyama, Dragon Ball Z corresponde aos volumes 17 ao 42 do mangá que foi publicado na revista , Weekly Shonen Jump, de 1988 a 1995, e estreou no Japão na Fuji TV em 26 de Abril de 1989, e terminou dia 31 de Janeiro de 1996 com o total de 291 episódios[4] , antes de ser dublada em diversos territórios ao redor do globo, incluindo Estados Unidos, Austrália, Europa, Índia e América Latina.

O sucesso da série Dragon Ball levou à criação da continuação, Dragon Ball Z, sendo um dos animes mais conhecidos de todos os tempos. Esta série aparece recheada de longos combates com muita ação. Em Dragon Ball Z, as histórias possuem um clima mais sério que as de seu antecessor. Substituíram a comédia, mas o humor ainda existe em muitas partes da série. Possui vários episódios em que o suspense é entrelaçado aos acontecimentos que primeiramente não parecem ter grande relevância, ou de fatos despercebidos e revelados com maiores detalhes no auge de tal acontecimento.

Foi lançado o primeiro BOX com 4 DVDs de Dragon Ball Z em Agosto de 2012, sendo a primeira vez que o anime é distribuído oficialmente em home vídeo no Brasil pelo Grupo PlayArte. Atualmente está no 3° box com 52 episódios já lançados.

O sucessor de Dragon Ball Z, é a série Dragon Ball Super que estreou em julho de 2015, dando continuidade a história de Son Goku

Produção[editar | editar código-fonte]

O título "Dragon Ball Z" foi escolhido pelo próprio Akira Toriyama, porque Z é a última letra do alfabeto e ele queria terminar a série Dragon Ball, pois estava ficando sem ideias. [5] O "Z" foi usado somente no anime para separar a infância e a vida adulta do protagonista Goku. Uma vez que a equipe de animação pensou em tornar Gohan o protagonista, a ideia para o título chegou a ser Dragon Ball: Gohan Big Adventure. [6] Outros nomes também estavam em pauta, antes do Z ser escolhido, sendo eles: New Dragon Ball, Dragon Ball 2, Wonder Boy Dragon Ball e Dragon Ball 90. [6]

Dragon Ball Z tem sido subordinado a longos "fillers": um material que é original mas inexistente no mangá do qual o anime foi adaptado, criados com o intuito de impedir que o anime ultrapasse o mangá em termos de história. Isto foi ocasionalmente necessário, porque Toriyama ainda escrevia o mangá simultaneamente com a produção do anime. [7]

Ao longo da produção, os dubladores (Seiyū, no Japão) foram encarregados de interpretar vários personagens e realizar as suas falas na hora, trocando de um a outro papel quando necessário. [6] Os dubladores não foram capazes de gravar as falas separadamente por causa do tempo estreito dos diálogos. Entretanto, Masako Nozawa, responsável pelas diferentes vozes de Goku, Gohan e Goten, afirmou que ela era capaz de trocar de papéis sem dificuldade, ao ver a imagem do personagem. [6]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O enredo de Dragon Ball Z é situado 5 anos após o final da série anterior, com Goku adulto e seu filho Gohan. [8] Ele conhece seu irmão mais velho, Raditz, que lhe informa que ambos são membros de uma raça extraterrestre, os Saiyajins (サイヤ人). Tal raça enviou Goku ainda bebê para a Terra com o objetivo de conquistar o planeta, mas ao cair de um penhasco e bater a cabeça em uma rocha ele esquece a sua missão. Goku se nega a ajudar Raditz, e após derrota-lo começa a confrontar outros inimigos, como o príncipe dos Sayajins Vegeta, que se torna seu rival e posteriormente seu aliado. Ele também enfrenta Freeza, um tirano galático responsável pela destruição do planeta Vegeta, cujas ações levam Goku a se transformar em Super Sayajin. Após uma dura batalha no planeta Namek (?), Goku derrota Freeza e vinga as mortes de milhões de seres por todo o universo.

Quatro anos depois, um grupo de Andróides (人造人間, Jinzōningen?) das Forças Red Ribbon aparecem, buscando vingança contra Goku. Mais adiante, surge uma criatura maligna chamada Cell, que após absorver dois dos andróides para aumentar seu poder, organiza um torneio de artes marciais para decidir o destino da Terra, mas é derrotado por Gohan.

Sete anos depois, Goku é atraído para outra batalha, dessa vez contra Majin Buu. Com a importante ajuda de Vegeta e dos Guerreiros Z, Goku consegue destruir a parte má de Buu e a parte boa do mesmo se une a eles. Dez anos depois, em outro torneio de artes marciais, Goku encontra a reencarnação humana de Buu, Uub. Ao fim da série, Goku leva Uub em uma jornada para treiná-lo como o próximo protetor da Terra. [9]

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Músicas[editar | editar código-fonte]

Abertura:

  • Cha-La Head-Cha-La (episódios 001 a 199, filmes 1~8 e especiais 1 e 2).
    • Letra: Yukinojō Mori, Música: Chiho Kiyooka, Arranjo: Kenji Yamamoto, Vocal: Hironobu Kageyama
    • Versões:
      1. Versão 1: episódios 1~21
      2. Versão 2: episódios 22~117
      3. Versão 3: episódios 118~199


  • We Gotta Power (Temos a força) (episódios 200 a 291 e filmes 9~13).
    • Letra: Yukinojō Mori, Música: Keiju Ishikawa, Arranjo: Keiju Ishikawa, Vocal: Hironobu Kageyama
    • Versões:
      • Versão única: episódios 200~291
      • Vocal Versão Brasileira: Anísio Mello Júnior, Adaptação de letra : Wendell Bezerra
      • Versão para filme A Galáxia em Perigo


Encerramento:

  • Detekoi Tobikiri ZENKAI Pawā! (Zenkai Power)(Magnífico poder) (episódios 1 a 199)
    • Letra: Toshihisa Arakawa, Música: Takeshi Ike, Arranjo: Kenji Yamamoto, Vocal: MANNA
    • Versões:
      • Versão única: episódios 1~199
        • Vocal Versão Brasileira: Sarah Regina , Adaptação de letra : Wendell Bezerra
  • Boku-tachi wa Tenshi Datta (Garra no coração)(episódios 200 a 291)
    • Letras: Yukinojō Mori, Músic: Takeshi Ike, Arranjo: Osamu Tozuka, Vocal: Hironobu Kageyama
    • Versões:
      • Versão única: episódios 200~291
      • Vocal Versão Brasileira: Anísio Mello Júnior
      • Versão para filme Os Guerreiros do Futuro Son Gohan e Trunks
      • Versão para filme A Galáxia em Perigo

Dragon Ball Kai[editar | editar código-fonte]

Dragon Ball Kai (ドラゴンボール改(カイ), Doragon Bōru Kai?) é o remake da série remasterizado em HD, anunciado em Fevereiro de 2006 pela Toei Animation. Kai significa revisão, nada mais sendo que uma nova versão editada por Akira Toriyama para comemorar os 20 anos de Dragon Ball. A nova versão da série possui nova abertura e novo encerramento e as falas foram redubladas pelos atores originais. A primeira versão de DBKai tem 98 episódios, o que significa um corte de 96 episódios até a saga de Cell da versão "Z". Este corte tem como objetivo fazer a nova série readquirir a dinâmica do mangá original.

Dragon Ball Kai estreou no Japão na Fuji TV em 2 de Abril de 2009. O Cartoon Network comprou uma franquia internacional para a exibição do anime.

Em 2013 foi anunciada uma nova saga de Dragon Ball Kai para encerrar a nova versão da série. A Saga Majin Boo estreou em 2014 acrescentando 60 episódios, o que significa um corte de 31 episódios comparado à versão original.

Ao todo Dragon Ball Kai teve 159 episódios, 132 a menos que o originalmente transmitido em Dragon Ball Z.

Em 04 de abril de 2011 Dragon Ball Kai estreou no Brasil pelo canal por assinatura Cartoon Network.[10]

Em 2012 Dragon Ball Kai foi exibido no Brasil em televisão aberta pela Band. Estreou em 3 de setembro de 2012, sendo substituído em 14 de novembro de 2012 por Dragon Ball GT.

Em outubro de 2015 a emissora reexibiu o anime para vários estados brasileiros, à partir das 6 da manhã (Horário de Brasília), aos Sábados e Domingos, em uma sequência de três episódios por dia.[11]

Em outubro de 2016 a emissora voltou a exibir o anime nas madrugadas de sua programação após a Rede Brasil começar a exibição de Dragon Ball Z junto com Os Cavaleiros do Zodíaco, já no dia 6 de fevereiro de 2017 o anime Dragon Ball Z foi reprisado desde o inicio e interrompido no meio da saga Freeza que já foi um total de 70 episódios exibidos.

Repercussão e impacto cultural[editar | editar código-fonte]

Dragon Ball Z teve uma audiência média no Japão de 20,5%. A popularidade da série também é refletida por vários dados referentes a interações online que comprovam seu impacto na internet. Em 2001, foi divulgado que o site oficial de Dragon Ball Z registrava 4,7 milhões de acessos por dia e mais de 500 mil fãs cadastrados.[12] O termo "Dragonball Z" foi o 4º mais buscado em 1999 e o 2º mais buscado em 2000 no Lycos.[13][14] Em 2001, "Dragonball" foi o termo mais popular no Lycos e "Dragonball Z" foi o quinto mais buscado no Yahoo!.[15]

De 1986 a 2000, antes de seu auge de sucesso nos Estados Unidos, a franquia gerou mais de 3 bilhões de dólares em merchandising.[16]

Referências

  1. a b c Última exibição de Dragon Ball Z na TV Globinho
  2. a b Camino; Ambrosia (2 de março de 2009). «Dragon Ball Kai anunciado!». Consultado em 13 de março de 2008 
  3. Renan Martins Frade; Judão (1 de outubro de 2010). «Dublagem de Dragon Ball Kai gera polêmica nos bastidores!». Consultado em 13 de março de 2011 
  4. Clements, Jonathan; Helen McCarthy (1 de setembro de 2001). The Anime Encyclopedia: A Guide to Japanese Animation Since 1917 (em inglês) 1 ed. Berkeley, California: Stone Bridge Press. p. 101–102. ISBN 1-880656-64-7. OCLC 47255331 
  5. «Shonen Jump». 3 de outubro de 2003. p. 92–97 
  6. a b c d V Jump (1996). Supplemental Daizenshuu: TV Animation Part 3. [S.l.]: Shueisha. ISBN 08-102019-1 Verifique |isbn= (ajuda) 
  7. Editors' roundtable, Jump Comics (Shueisha), July 2, 2004, page 88. ISBN 4088737059
  8. Toriyama, Akira (1989). Dragon Ball 17. Maior Time do Mundo. 17. [S.l.]: Shueisha. ISBN 978-4-08-851614-1 
  9. Toriyama, Akira (1995). Dragon Ball 42. Adeus, Dragon World. 42. [S.l.]: Shueisha. ISBN 978-4-08-851090-3 
  10. «DATAS REFERENTES A FRANQUIA DRAGON BALL NO BRASIL - Kami Sama Explorer». Kami Sama Explorer. 22 de fevereiro de 2011 
  11. Vaquer, Gabriel. «Band volta a exibir 'Dragon Ball' em horário inacreditável; confira» 
  12. Azoulay, Julia F (1 de junho de 2001). «Character study: CB offers a licensing show cheat sheet». Children's Business. Conde Nast Publications, Inc. Consultado em 28 de maio de 2013 – via HighBeam Research 
  13. Evers, Joris (20 de dezembro de 2000). «Britney Spears tops Lycos 2000 search terms list». Network World. Network World Inc./IDG. Consultado em 1 de maio de 2013 – via HighBeam Research 
  14. Phan, Monty (14 de janeiro de 2001). «Ugh, they did it again -- and again». Post-Tribune (IN). Sun-Times News Group. Consultado em 28 de maio de 2013 – via HighBeam Research 
  15. Schorow, Stephanie (8 de janeiro de 2002). «Predictably, Nostradamus tops searches on Internet». The Boston Herald. Herald Media, LLC. Consultado em 1 de maio de 2013 – via HighBeam Research 
  16. Fest, Glen (1 de junho de 2001). «Burger King Uses Kids' Meals to Promote Japanese Cartoon Series.(Knight Ridder/Tribune Business News)». Knight Ridder/Tribune Business News. Consultado em 28 de maio de 2013 – via HighBeam Research 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Dragon Ball Z