Estação Ferroviária de Cuba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cuba Logos IP.png
Estação de Cuba, em 1999.
Linha(s) L.ª do Alentejo (PK 137,190)
Coordenadas 38° 09′ 46,13″ N, 7° 53′ 39,75″ O
Concelho Cuba
Serviços Ferroviários InterCidades, Regional
Horários em tempo real
Serviços Serviço de táxis Bilheteiras e/ou máquinas de venda de bilhetes Lavabos Parque de estacionamento Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Sala de espera
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre uma estação ferroviária em Portugal. Para informações sobre as ferrovias do país do mesmo nome, veja Anexo:Lista de empresas ferroviárias#Cuba.

A Estação Ferroviária de Cuba é uma interface ferroviária da Linha do Alentejo, que serve a localidade de Cuba, no Distrito de Beja, em Portugal.

Estação de Cuba, em 2006.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Vias e plataformas[editar | editar código-fonte]

Em Janeiro de 2011, contava com 2 vias de circulação, ambas com 568 m de comprimento; uma das plataformas tinha 185 a 33 m de extensão e 50 a 75 cm de altura, e a outra apresentava uma extensão de 26 m e uma altura de 55 cm.[1]

Localização e acessos[editar | editar código-fonte]

Esta interface tem acesso pelo Largo da Estação Ferroviária, em Cuba.[2][3]


Aviso de 1882, onde se menciona a estação de Cuba.

História[editar | editar código-fonte]

Inauguração[editar | editar código-fonte]

Esta gare situa-se no lanço da Linha do Alentejo entre Vendas Novas e Beja, que abriu no dia 15 de Fevereiro de 1864.[4][5]

Século XX[editar | editar código-fonte]

Em 1913, existia um serviço de diligências desde a estação de Cuba até Vila de Frades, Vidigueira e Portel.[6]

Em 1927, os Caminhos de Ferro do Estado foram integrados na Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses, que começou a explorar as antigas linhas do governo, incluindo as do Alentejo, em 11 de Maio desse ano.[7]

Em 1933, a Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses executou grandes obras de reparação e melhoramentos no edifício de passageiros[8], e nesse ano a Comissão Administrativa do Fundo Especial de Caminhos de Ferro aprovou a realização de obras de calcetamento, no caminho de acesso ao cais desta estação.[9]

Século XXI[editar | editar código-fonte]

Em 10 de Maio de 2010, o tráfego neste troço da Linha do Alentejo foi interrompido, para se proceder a obras de modernização.[10] A circulação foi normalizada em 23 de Julho de 2011.[11]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Linhas de Circulação e Plataformas de Embarque». Directório da Rede 2012. Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. p. 71-85 
  2. «Cuba - Linha do Alentejo». Infraestruturas de Portugal. Consultado em 17 de Abril de 2017 
  3. «Cuba». Comboios de Portugal. Consultado em 15 de Novembro de 2014 
  4. TORRES, Carlos Manitto (1 de Fevereiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1683). p. 76-78. Consultado em 17 de Abril de 2017 
  5. SANTOS, 1995:111
  6. «Serviço de Diligencias». Guia official dos caminhos de ferro de Portugal. 39 (168). Outubro de 1913. p. 152-155. Consultado em 9 de Abril de 2018 
  7. REIS et al, 2006:63
  8. «O que se fez nos Caminhos de Ferro em Portugal no Ano de 1933» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 47 (1106). 16 de Janeiro de 1934. p. 49-52. Consultado em 17 de Abril de 2017 
  9. «Direcção Geral de Caminhos de Ferro» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 47 (1105). 1 de Janeiro de 1934. p. 29. Consultado em 17 de Abril de 2017 
  10. «Circulação ferroviária na linha do Alentejo interrompida a partir de hoje». Rádio Pax. 16 de Março de 2011. Consultado em 22 de Dezembro de 2011. Arquivado do original em 9 de julho de 2009  |urlmorta= e |datali= redundantes (ajuda)
  11. «Circulação ferroviária na Linha do Alentejo é retomada hoje». Linhas de Elvas. 24 de Julho de 2011. Consultado em 22 de Dezembro de 2011. Cópia arquivada em 28 de janeiro de 2012 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre a Estação Ferroviária de Cuba

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • SANTOS, Luís Filipe Rosa (1995). Os Acessos a Faro e aos Concelhos Limítrofes na Segunda Metade do Séc. XIX. Faro: Câmara Municipal de Faro. 213 páginas 
  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X 

Leitura recomendada[editar | editar código-fonte]

  • MATEUS, Rui; BARROS, Maria de Fátima Rombouts de (2008). Cuba: história e histórias. Cuba e Beja: Câmara Municipal de Cuba e Região de Turismo da Planície Dourada. 79 páginas. ISBN 978-989-95488-0-0 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.