Esther Duflo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Esther Duflo Medalha Nobel
Nascimento 25 de outubro de 1972 (48 anos)
Paris
Cidadania França, Estados Unidos
Progenitores Pai:Michel Duflo
Cônjuge Abhijit Banerjee
Alma mater Escola Normal Superior de Paris, Instituto de Tecnologia de Massachusetts, Liceu Henrique IV, École des hautes études en sciences sociales
Ocupação economista, professora, professora universitária
Prêmios Prêmio MacArthur, Medalha John Bates Clark, Prêmio Princesa das Astúrias para as Ciências Sociais, Oficial da Ordem Nacional do Mérito, Prêmio John von Neumann, Prêmio Dan David, Fellow da Sociedade Econométrica, Membro da Academia Britânica, Membro da Academia Americana de Artes e Ciências, Prêmio de Ciências Econômicas em Memória de Alfred Nobel, Comandante da Legião de Honra
Empregador Instituto de Tecnologia de Massachusetts, Collège de France
Página oficial
http://econ-www.mit.edu/faculty/eduflo

Esther Duflo, FBA (francês: [dyflo]; 25 de outubro de 1972) é uma economista francesa-estadunidense vencedora do Prêmio Nobel, co-fundadora e diretora do Laboratório de Ação contra a Pobreza Abdul Latif Jameel (J-PAL) e professora de Economia da Alívio à Pobreza e Desenvolvimento no Instituto de Tecnologia de Massachusetts. Duflo é um NBER Research Associate, atua no conselho do Bureau for Research and Economic Analysis of Development (BREAD) e é diretora do programa de economia de desenvolvimento do Center for Economic and Policy Research.

Sua pesquisa se concentra em questões microeconômicas nos países em desenvolvimento, incluindo comportamento familiar, educação, acesso a finanças, saúde e avaliação de políticas. Juntamente com Abhijit Banerjee, Dean Karlan, Michael Kremer, John A. List e Sendhil Mullainathan, ela tem sido uma força motriz no avanço de experimentos de campo como uma metodologia importante para descobrir relações causais na economia.

Em 14 de outubro de 2019, ela foi distinguida com o Prêmio Nobel de Ciências Econômicas, pela "abordagem experimental para aliviar a pobreza global", juntamente com Michael Kremer e Abhijit Banerjee.[1] O trio desenvolveu métodos voltados a encontrar as ações mais eficazes para melhorar saúde infantil e o desempenho escolar.

Com o prêmio, Esther se tornou a segunda mulher a vencer o Nobel de Economia em seus 50 anos de existência, sendo a mais jovem desde então.[2]

Referências

  1. «Nobel da Economia para Abhijit Banerjee, Esther Duflo e Michael Kremer». Notícias ao Minuto. 14 de outubro de 2019. Consultado em 14 de outubro de 2019 
  2. «Trio ganha Nobel de Economia 2019 por pesquisas que ajudam combate à pobreza». G1. Consultado em 16 de julho de 2020 

Precedida por
William Nordhaus e Paul Romer
Prêmio de Ciências Econômicas em Memória de Alfred Nobel
2019
com Abhijit Banerjee e Michael Kremer
Sucedida por
Paul Milgrom e Robert B. Wilson