Festival Eurovisão da Canção Júnior

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Festival Eurovisão da Canção Júnior
{Predefinição:Alt
Edição
20° edição
em 2022
Festival
Criação 2003
Localização Área Europeia de Radiodifusão
Diretor Martin Österdahl
Responsável Logo UER.svg
Realização 2003-2022 (presente)
Mapa dos países participantes desde 2003
Portugal no Festival Eurovisão da Canção JúniorEspanha no Festival Eurovisão da Canção JúniorSan Marino no Festival Eurovisão da Canção JúniorFrança no Festival Eurovisão da Canção JúniorPaís de Gales no Festival Eurovisão da Canção JúniorReino Unido no Festival Eurovisão da Canção JúniorIrlanda no Festival Eurovisão da Canção JúniorCazaquistão no Festival Eurovisão da Canção JúniorIslândia no Festival Eurovisão da Canção JúniorBélgica no Festival Eurovisão da Canção JúniorPaíses Baixos no Festival Eurovisão da Canção JúniorSuíça no Festival Eurovisão da Canção JúniorAlemanha no Festival Eurovisão da Canção JúniorDinamarca no Festival Eurovisão da Canção JúniorMalta no Festival Eurovisão da Canção JúniorItália no Festival Eurovisão da Canção JúniorNoruega no Festival Eurovisão da Canção JúniorSuécia no Festival Eurovisão da Canção JúniorFinlândia no Festival Eurovisão da Canção JúniorEstónia no Festival Eurovisão da Canção JúniorLetónia no Festival Eurovisão da Canção JúniorLituânia no Festival Eurovisão da Canção JúniorEslováquia no Festival Eurovisão da Canção JúniorÁustria no Festival Eurovisão da Canção JúniorEslovénia no Festival Eurovisão da Canção JúniorHungria no Festival Eurovisão da Canção JúniorCroácia no Festival Eurovisão da Canção JúniorBósnia e Herzegovina no Festival Eurovisão da Canção JúniorMontenegro no Festival Eurovisão da Canção JúniorSérvia no Festival Eurovisão da Canção JúniorAlbânia no Festival Eurovisão da Canção Júnior JúniorMacedónia no Festival Eurovisão da Canção JúniorGrécia no Festival Eurovisão da Canção JúniorBulgária no Festival Eurovisão da Canção JúniorRoménia no Festival Eurovisão da Canção JúniorMoldávia no Festival Eurovisão da Canção JúniorUcrânia no Festival Eurovisão da Canção JúniorBielorrússia no Festival Eurovisão da Canção JúniorRússia no Festival Eurovisão da Canção JúniorGeórgia no Festival Eurovisão da Canção JúniorAzerbaijão no Festival Eurovisão da Canção JúniorTurquia no Festival Eurovisão da Canção JúniorChipre no Festival Eurovisão da Canção JúniorIsrael no Festival Eurovisão da CançãoArménia no Festival Eurovisão da Canção JúniorMarrocos no Festival Eurovisão da Canção JúniorLiechtenstein no Festival Eurovisão da Canção JúniorAndorra no Festival Eurovisão da Canção JúniorMónaco no Festival Eurovisão da Canção JúniorPolónia no Festival Eurovisão da Canção JúniorRepública Checa no Festival Eurovisão da Canção JúniorLuxemburgo no Festival Eurovisão da Canção JúniorLíbano no Festival Eurovisão da Canção JúniorTunísia no Festival Eurovisão da Canção JúniorArgélia no Festival Eurovisão da Canção JúniorUm mapa colorido dos países da Europa
Sobre esta imagem

     Participaram pelo menos uma vez     Países que competiram no festival como parte de outro país, mas nunca como soberania.     Quiseram participar, mas retiraram-se antes da final     Nunca participaram, mas estão autorizados

Fleche-defaut-gauche-gris-50.png   2021     2022       


O Festival Eurovisão da Canção Júnior (muitas vezes abreviado para JESC) é uma competição internacional de música organizada pela União Europeia de Radiodifusão (EBU) anualmente desde 2003. No entanto, é realizada em uma cidade europeia diferente a cada ano, mas a mesma cidade pode hospedar o concurso mais de uma vez.

A competição tem muitas semelhanças com o Festival Eurovisão da Canção, de onde seu nome foi tirado. Cada emissora participante envia um ato, cujos membros têm entre 9 e 14 anos no dia do concurso,[1] e uma música original com duração máxima de 3 minutos[1] para competir com os demais participantes participantes. Cada entrada representa o país servido pela emissora participante. Espectadores de todo o mundo são convidados a votar em suas performances favoritas por votação online,[1]e um júri nacional de cada país participante também vota.[2] O vencedor geral do concurso é a inscrição que receber mais pontos depois que as pontuações de cada país forem coletadas e totalizadas. A vencedora mais recente é Maléna da Armênia, que venceu o concurso 2021 em Paris, França, com sua canção "Qami Qami".

Além dos países participantes, o concurso de 2003 também foi transmitido na Estônia, Finlândia e Alemanha (que não estrearia até o concurso de 2020),[3] seguido por Andorra em 2006, Bósnia e Herzegovina (de 2006 a 2011) e Islândia em 2021, no entanto, esses países ainda não participaram. Desde 2006, o concurso é transmitido ao vivo pela Internet por meio do site oficial do concurso.[4] A Austrália foi convidada a participar do concurso de 2015, enquanto o Cazaquistão foi convidado para o concurso de 2018, tornando-se o único grande evento da Eurovisão a apresentar várias emissoras associadas.

História[editar | editar código-fonte]

As origens do concurso remontam a 2000, quando a Danmarks Radio realizou um concurso de música para crianças dinamarquesas naquele ano e no ano seguinte.[5][6] A ideia foi estendida a um festival de música escandinavo em 2002, o POP Nordic, com a participação da Dinamarca, Noruega e Suécia.[7][8] Em 2001 e 2002, a emissora polonesa Telewizja Polska (TVP) sediou duas edições piloto de um concurso internacional de música para crianças em Konin com o nome Eurokonkurs (em português: Eurofestival) em 2001 e Światowy Konkurs Piosenki (em português: Concurso Mundial da Canção) em 2002 mas todo o projeto se chamava Eurokonkurs.[9][10] TVP passou a realizar outras edições em Konin entre 2003 e 2006, algum tempo após a retirada inicial da Polônia do Festival Eurovisão da Canção Júnior. Em 2006, Eurokonkurs voltou como Światowe Talenty (em inglês: World Talents) e foi apresentado por Dominika Rydz e Weronika Bochat, que representaram a Polônia no Festival Eurovisão da Canção Júnior 2004 como parte do girl group KWADro.[11]

Em novembro de 2002, a EBU teve a ideia de um concurso de música com crianças e abriu o concurso para todas as emissoras membros, tornando-o um evento pan-europeu. O título provisório do programa era "Eurovision Song Contest for Children",[12] marcado com o nome da competição musical de longa data e já popular da EBU, o Festival Eurovisão da Canção. A Dinamarca foi convidada a sediar a primeira edição após a experiência com o MGP Nordic naquele país.[13]

Depois de um primeiro concurso bem-sucedido em Copenhague, o segundo enfrentou vários problemas de localização. O evento originalmente deveria ter sido organizado pela emissora britânica ITV em Manchester,[14] mas ITV anunciou então que, por motivos financeiros e de programação, o concurso afinal não aconteceria no Reino Unido.[15] Pensa-se também que outro fator para a sua decisão foram as classificações de audiência dos anos anteriores para o ITV, que estavam abaixo do valor esperado.[16] abordou a emissora croata HRT, que havia vencido o concurso anterior, para organizar o evento em Zagreb;[17] embora mais tarde descobrisse que a HRT tinha 'esquecido' de reservar o local em que o concurso teria ocorrido.[18] Foi neste ponto, com cinco meses restantes até o evento ser realizado, que a emissora norueguesa NRK entrou em cena para sediar o concurso em Lillehammer.[18]

As emissoras tiveram de licitar os direitos de hospedar o concurso desde 2004 para evitar que tais problemas voltem a acontecer. A Bélgica foi, portanto, o primeiro país a licitar com sucesso os direitos de sediar o concurso em 2005.[19]

Todos também tiveram um CD produzido com as músicas do show. Entre 2003 e 2006, DVDs do concurso também foram produzidos, embora este tenha terminado por falta de interesse.[20][21]

A partir de 2008, o vencedor do concurso é decidido por 50% dos votos do televoto e 50% do júri nacional. Os vencedores de todos os concursos anteriores foram decididos exclusivamente por televoto. Entre 2003 e 2005, os espectadores tiveram cerca de 10 minutos para votar depois que todas as músicas já tivessem atuado.[22] Entre 2006 e 2010, as linhas de televisão foram abertas ao longo do programa.[23]

Desde 2011, os espectadores votam depois que todas as canções foram executadas.[24] Os lucros obtidos com o televoto durante os concursos de 2007 e 2008 foram doados ao UNICEF.[25]

Antes de 2007, a falha de uma emissora participante em não transmitir o concurso ao vivo incorreria em multa. Agora, as emissoras não são mais obrigadas a transmitir o concurso ao vivo, mas podem transmiti-lo com algum atraso em um momento que seja mais apropriado para a transmissão de televisão infantil.[26]

O concurso de 2007 foi o tema do documentário de 2008 Sounds Like Teen Spirit: A Popumentary. O filme acompanhou vários competidores enquanto eles percorriam seu caminho através das finais nacionais e para o show em si.[27] Foi exibido no Festival Internacional de Cinema de Toronto 2008[28] e estreou em Ghent, Bélgica[29] e Limassol, Chipre,[30] onde o concurso de 2008 foi realizado.

Formato[editar | editar código-fonte]

O formato do concurso permaneceu relativamente inalterado ao longo de sua história, na medida em que consiste em sucessivas apresentações musicais ao vivo dos artistas inscritos pelas emissoras participantes. A EBU afirma que o objectivo do programa é "promover jovens talentos no domínio da música popular, incentivando a competição entre os intérpretes".[31]

O programa sempre foi exibido em uma noite de sábado no final de novembro / início de dezembro e dura aproximadamente duas horas e quinze minutos.[31] Desde 2016, o concurso é exibido no início da noite de domingo.

Tradicionalmente, o concurso consistirá em uma cerimônia de abertura em que os artistas são recebidos no evento, as apresentações das inscrições, uma recapitulação das canções para ajudar os telespectadores a decidir em quais inscrições votar, um ato de intervalo geralmente realizado após o televoto ter encerrado, o resultado da votação por televotação ou votação do júri de apoio, seguida da declaração do vencedor e da repetição da canção vencedora. Em vários pontos ao longo do programa, as redes podem optar por alguns minutos para exibir um intervalo comercial.

Desde 2008, a inscrição vencedora de cada concurso foi decidida por uma mistura de televotação e júris nacionais, cada um contando com cinquenta por cento dos pontos atribuídos por cada país.[32] Os vencedores de todos os concursos anteriores foram decididos exclusivamente por televoto. Os dez trabalhos que receberam mais votos em cada país recebem pontos que variam de um a oito, depois dez e doze.[33] Esses pontos são então anunciados ao vivo durante o programa por um porta-voz que representa o país participante (que, como os participantes, tem entre dez e quinze anos). Assim que todos os países participantes anunciarem seus resultados, o país que receber mais pontos será declarado o vencedor do concurso daquele ano.

Até 2013 os vencedores recebem um troféu e um certificado.[34] Desde 2013, o vencedor, vice-campeão e terceiro lugar ganham troféus e certificados.[35]

Originalmente, ao contrário de sua versão adulta, o país vencedor não recebia os direitos de sediar o próximo concurso. De 2014 a 2017, o país vencedor recusou sediar o concurso seguinte. A Itália usou esta cláusula em 2015 para recusar hospedar o concurso naquele ano após sua vitória em 2014. Em 15 de outubro de 2017, a EBU anunciou um retorno ao sistema original em 2018, alegando que isso ajudaria a fornecer às emissoras mais tempo para preparar, garantindo a continuação do concurso no futuro.[36] No entanto, a partir de 2019, todas as competições foram hospedadas pelo país vencedor do ano anterior.

O concurso geralmente conta com dois apresentadores, um homem e uma mulher,[37][38] que regularmente aparecem no palco e com os competidores na sala verde. Os apresentadores também são responsáveis ​​por repetir os resultados imediatamente após o porta-voz de cada emissora para confirmar a qual país os pontos estão sendo atribuídos. Entre 2003 e 2012, os porta-vozes distribuíram os pontos no mesmo formato do concurso adulto, tendo como pano de fundo uma grande cidade daquele país no estúdio da emissora nacional. A partir de 2013, os porta-vozes atribuem os pontos de seu país no palco da arena, ao contrário do concurso adulto em que os porta-vozes são transmitidos ao vivo de seu respectivo país.[39]

Apesar do Festival Eurovisão da Canção Júnior ser modelado no formato do Festival Eurovisão da Canção, existem muitas diferenças distintas que são exclusivas do concurso infantil. Por exemplo, embora os vocais principais devam ser cantados ao vivo durante o concurso, os vocais de apoio podem ser gravados na faixa de apoio.[40] A inscrição de cada país deve ser selecionada por meio de uma final nacional televisionada (a menos que as circunstâncias o impeçam e a permissão seja obtida da EBU).[41] A apresentação de cada país também pode ter um máximo de oito artistas no palco, em oposição ao número original de seis no Festival Eurovisão da Canção. De 2005 a 2015, cada competidor recebia automaticamente 12 pontos para evitar que os competidores marcassem zero pontos, embora terminar com um total de 12 pontos fosse essencialmente o mesmo que receber zero,[39] no entanto, nenhuma entrada jamais recebeu pontos nulos na pontuação total.

Restrições de entrada[editar | editar código-fonte]

A música deve ser escrita e cantada no idioma nacional (ou em um dos idiomas nacionais) do país representado. No entanto, eles também podem ter algumas linhas em um idioma diferente. A mesma regra foi aplicada no concurso para adultos de 1966 a 1972 e novamente de 1977 a 1998. Essa regra foi alterada posteriormente para que até 25% de uma canção pudesse estar em um idioma diferente, geralmente o inglês. Essa regra foi alterada novamente em 2017, permitindo agora que até 40% estejam em inglês.[42] Os artistas devem ser nacionais desse país ou aí residir há pelo menos dois anos.

Originalmente, a competição era aberta a crianças entre 8 e 15 anos,[43] no entanto, em 2007, a faixa etária foi reduzida para que apenas crianças de 10 a 15 anos no dia do concurso pudessem entrar.[31] Em 2016 a faixa etária foi alterada novamente. A partir de agora podem participar crianças dos 9 aos 14 anos no dia do concurso.

A música enviada para o concurso não pode ter sido lançada comercialmente e deve durar no máximo 3 minutos.[44] A regra que estabelecia que os intérpretes também não deveriam ter lançado música comercialmente anteriormente estava ativa de 2003 a 2006.[41] Essa regra foi abandonada em 2007, permitindo que cantores e bandas já experientes participassem da competição. Como resultado, a NRK optou por se retirar do concurso.[40]

Desde 2008, adultos têm permissão para ajudar na escrita das entradas.[40] Anteriormente, todos os escritores deveriam ter entre 10 e 15 anos

Organização[editar | editar código-fonte]

O concurso é produzido anualmente pela European Broadcasting Union (EBU). O supervisor executivo original do concurso foi Svante Stockselius, que também chefiou o "Grupo Diretor" que decide sobre as regras do concurso, que apresentará o próximo concurso e supervisionará toda a produção de cada programa. Em 2011, ele foi sucedido por Sietse Bakker.[45] Em 2013, Vladislav Yakovlev assumiu o cargo.[46] Yakovlev foi demitido sem nenhum motivo claro após três disputas, e foi substituído por Jon Ola Sand, que era Supervisor Executivo do Festival Eurovisão da Canção desde 2011.[47] Em 30 de setembro de 2019, Sand anunciou sua intenção de deixar o cargo de Supervisor Executivo e Chefe de Eventos ao Vivo após o Festival Eurovisão da Canção 2020, que foi posteriormente cancelado devido à pandemia COVID-19.[48] Martin Österdahl foi nomeado seu substituto, começando com o concurso de 2020[49]

As reuniões do Grupo Diretor costumam incluir os "Chefes de Delegação", cuja principal função é fazer a ligação entre a UER e a emissora que representam. É também seu dever assegurar que os artistas nunca sejam deixados sozinhos sem um adulto e "criar uma atmosfera de equipa entre os [artistas] e desenvolver a sua experiência e sentido de comunidade".[50]

A tabela abaixo lista todos os Supervisores Executivos do Festival Eurovisão da Canção Júnior desde a primeira edição (2003):

País Nome Ano(s)
 Sweden Svante Stockselius 2003–2010
 Netherlands Sietse Bakker 2011–2012
 Russia Vladislav Yakovlev 2013–2015
 Norway Jon Ola Sand 2016–2019
 Sweden Martin Österdahl[51] 2020–

Logotipo e Tema[editar | editar código-fonte]

A 'garota cantora' que fazia parte do logotipo do concurso entre 2003-2007.[52]
O logotipo do Festival Eurovisão da Canção Júnior usado entre 2008–2014.

O antigo logotipo genérico foi introduzido no concurso de 2008 em Limassol, [47] para criar uma identidade visual consistente. A cada ano do concurso, o país anfitrião cria um subtema que geralmente é acompanhado e expresso por um sub logo e slogan. O tema e o slogan são anunciados pela EBU e pela emissora nacional do país anfitrião. O logotipo genérico foi reformulado em março de 2015, sete anos após a criação do primeiro logotipo genérico. [48] O logotipo foi usado pela primeira vez no concurso de 2015 em Sofia.

Slogans[editar | editar código-fonte]

Desde o concurso de 2005, slogans foram introduzidos no programa. O slogan é decidido pela emissora hospedeira e com base no slogan, o tema e o design visual são desenvolvidos.

Ano País Cidade Slogan
2005  Bélgica Hasselt Let's Get Loud
2006  Roménia Bucharest Let the Music Play
2007  Países Baixos Rotterdam Make a Big Splash
2008  Chipre Limassol Fun in the Sun
2009  Ucrânia Kyiv For the Joy of People
2010  Bielorrússia Minsk Feel the Magic
2011  Arménia Yerevan Reach for the top!
2012  Países Baixos Amsterdam Break the Ice
2013  Ucrânia Kyiv Be Creative
2014  Malta Marsa[53] #Together
2015  Bulgária Sófia #Discover
2016  Malta Valletta Embrace
2017  Geórgia Tbilisi Shine Bright
2018  Bielorrússia Minsk #LightUp
2019  Polónia Gliwice Share the Joy
2020 Varsóvia #MoveTheWorld
2021  França Paris Imagine
2022  Arménia Yerevan Spin The Magic

Participantes[editar | editar código-fonte]

Apenas as emissoras membros ativos da EBU têm permissão para participar e votar no concurso,[54] embora o concurso tenha sido exibido em vários países não participantes,[55][56]

A participação no concurso tende a mudar drasticamente a cada ano. As emissoras escandinavas originais deixaram o concurso em 2006 porque consideraram o tratamento dispensado aos competidores antiético,[57] e reviveram a competição MGP Nordic, que não tinha sido produzida desde o início do Festival Eurovisão Júnior da Canção. Dos quarenta países, apenas a Holanda participou todos os anos desde o primeiro concurso em 2003.

40 países competiram pelo menos uma vez. Estão listados todos os países que já participaram da competição no ano em que se estreou:

Ano Pais
2003  Bélgica,  Bielorrússia,  Chipre,  Croácia,  Dinamarca,  Espanha,  Malta,  Macedónia do Norte,  Grécia,  Letónia,  Noruega,  Países Baixos,  Polónia,  Grã-Bretanha,  Roménia,  Suécia
2004  França,  Suíça
2005  Rússia,  Sérvia e Montenegro
2006  Portugal,  Sérvia,  Ucrânia
2007  Arménia,  Bulgária,  Geórgia,  Lituânia
2010  Moldávia
2012  Albânia,  Azerbaijão,  Israel
2013  San Marino
2014  Itália,  Montenegro,  Eslovénia
2015  Irlanda, Austrália
2018  Cazaquistão, País de Gales
2020  Alemanha

Vencedores[editar | editar código-fonte]

Ao todo, doze países venceram o concurso desde o concurso inaugural em 2003. Seis venceram o concurso uma vez: Croácia, França, Itália, Espanha, Ucrânia e Países Baixos. Cinco venceram a disputa duas vezes: Armênia, Bielorrússia, Malta, Polônia e Rússia; enquanto a Geórgia venceu três vezes. Croácia e Itália conquistaram suas vitórias em sua participação de estreia na competição.

Ano País anfitrião Cidade anfitriã País Vencedor Canção Intérprete Artigo
2022  Arménia Ierevan ASA ASA ASA JESC 2022
2021  França Paris Arménia Armênia Qami Qami Maléna JESC 2021
2020  Polónia Varsovia  França J'imagine Valentina JESC 2020
2019  Polónia Gliwice  Polónia Superhero Viki Gabor JESC 2019
2018  Bielorrússia Minsk[58]  Polónia Anyone I Want to Be Roksana Węgiel JESC 2018
2017  Geórgia Tblissi  Rússia Krylya (Wings) Polina Bogusevich JESC 2017
2016  Malta Valetta  Geórgia Mzeo Mariam Mamadashvili JESC 2016
2015  Bulgária Sófia  Malta Not My Soul Destiny Chukunyere JESC 2015
2014  Malta Marsa  Itália Tu primo grande amore Vincenzo Cantiello JESC 2014
2013  Ucrânia Kyiv  Malta The Start Gaia Cauchi JESC 2013
2012  Países Baixos Amsterdã  Ucrânia Nebo Anastasiya Petrik JESC 2012
2011  Armênia Ierevan  Geórgia Candy Music Candy JESC 2011
2010  Bielorrússia Minsk Arménia Armenia Mama Vladimir Arzumanyan JESC 2010
2009  Ucrânia Kyiv Países Baixos Holanda Click Clack Ralf Mackenbach JESC 2009
2008  Chipre Limassol Geórgia Geórgia Bzzz… Bzikebi JESC 2008
2007  Países Baixos Roterdão Bielorrússia Bielorrússia S druz'yami Alexey Zhigalkovich JESC 2007
2006 Roménia Bucareste  Rússia Весенний джаз Nastya & Masha Tolmachevy JESC 2006
2005  Bélgica Hasselt Bielorrússia Bielorrússia Мы вместе Kseniya Sitnik JESC 2005
2004  Noruega Lillehammer Flag of Spain.svg Espanha Antes muerta que sencilla María Isabel JESC 2004
2003  Dinamarca Copenhaga  Croácia Ti si moja prva ljubav Dino Jelusic JESC 2003

Tabela de ranking[editar | editar código-fonte]

Esta é uma lista de países ordenada por ranking

Lugar País 1 2 3 4 5
1  Geórgia 3 2 3 1
2  Arménia 2 4 2 1
3  Bielorrússia 2 1 2 2 2
4  Rússia 2 1 1 4 1
5  Polónia 2 1
6  Malta 2 2 1
7  Espanha 1 2 2 1
8  Ucrânia 1 2 1 1
9  Países Baixos 1 1 3
10  França 1 1 1 1
11  Croácia 1 1
 Itália 1 1
13  Cazaquistão 2
14  Reino Unido 1 1
15  Bulgária 1
16  Sérvia 2 1
 Austrália 2 1
18  Noruega 1
 Suécia 1
 Lituânia 1
 Eslovénia 1
22  Dinamarca 1 2
23  Roménia 1 1
 Bélgica 1 1
25  Macedónia do Norte 2
26  Albânia 1
 Azerbaijão 1
28  Grécia 6º lugar
 Moldávia 6º lugar
30  Chipre 8º lugar
 Israel 8º lugar
32  Letónia 9º lugar
33  San Marino 10º lugar
 Irlanda 10º lugar
35  Portugal 11º lugar
36  Alemanha 12º lugar
37  Sérvia e Montenegro 13º lugar
 Montenegro 13º lugar
39  Suíça 16º lugar
40  País de Gales 18º lugar

Festival Eurovisão da Canção[editar | editar código-fonte]

Abaixo está uma lista de ex-participantes do Festival Eurovisão da Canção que passaram a participar da versão sênior do concurso. Desde 2014, o vencedor do Festival Eurovisão da Canção Júnior foi convidado como convidado para o concurso adulto do ano seguinte.

País Participante JESC Ano ESC Ano Notas
 Polónia Weronika Bochat1 2004 2010 Vocal de apoio de Marcin Mroziński
 Sérvia Nevena Božović 2007 2013 Fez parte dos Moje 3 com a canção "Ljubav je svuda" ficando em 11º Lugar na Semi-Final.
2019 Participou com "Kruna" ficando em 18º Lugar na final
 Rússia Tolmachevy Sisters 2006 2014 Participou com "Shine" ficando em 7º Lugar na final
 San Marino Michele Perniola 2013 2015 Fez parte do dueto com a canção "Chain of Lights" ficando em 16º Lugar na Semi-Final
Anita Simoncini2 2014
 Arménia Monica 2008 2016 Vocal de apoio de Iveta Mukuchyan
 Países Baixos O'G3NE3 2007 2017 Participou com "Lights and Shadows" ficando em 11º Lugar na final
 Lituânia Ieva Zasimauskaitė4 2007 2018 Participou com "When We're Old" ficando em 12º Lugar na final
 Malta Destiny Chukunyere 2015 2019, 2020, 2021 Vocal de apoio de Michela e participante em 2020 e em 2021

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «How it Works». junioreurovision.tv (em inglês). 2 de novembro de 2017. Consultado em 20 de dezembro de 2021 
  2. «The new Junior Eurovision Song Contest in high definition». European Broadcasting Union. Novembro de 2003. Consultado em 9 de maio de 2017. Cópia arquivada em 28 de setembro de 2012 
  3. «EBU.CH :: EBU news - 2003_11_14». web.archive.org. 28 de setembro de 2012. Consultado em 20 de dezembro de 2021 
  4. «Junior Eurovision live on the internet». ESC Today. 1 de dezembro de 2006. Consultado em 9 de maio de 2017. Cópia arquivada em 2 de maio de 2012 
  5. «IMDB: Børne1'erens melodi grand prix 2000». IMDb. 1 de maio de 2000. Consultado em 3 de maio de 2008 
  6. «IMDB: de unges melodi grand prix 2001». IMDb. 1 de maio de 2001. Consultado em 3 de maio de 2008 
  7. «IMDB: MGP Nordic 2002». IMDb. 1 de dezembro de 2002. Consultado em 3 de maio de 2008 
  8. «MGP Nordic 2002». esconnet.dk (em dinamarquês). 27 de abril de 2002. Consultado em 3 de maio de 2008. Arquivado do original em 25 de outubro de 2007 
  9. «Festiwal Emocji (Part 22 & 23)». festiwaldzieciecy.pl (em polaco). 31 de maio de 2012. Consultado em 31 de maio de 2012 
  10. «KONIN 2002 - EUROFESTIWALE - Światowy Konkurs Piosenki - AGATA MŁYNARSKA i MACIEJ DOWBOR - TMB 329». youtube.com (em polaco). 20 de abril de 2021. Consultado em 20 de abril de 2021. Cópia arquivada em 12 de dezembro de 2021 Predefinição:Cbignore
  11. «KONIN 2006 - KONCERT GALOWY - "Światowe Talenty" - 406 - emisja 1.9.2006». youtube.com (em polaco). 8 de dezembro de 2020. Consultado em 8 de dezembro de 2020. Cópia arquivada em 12 de dezembro de 2021 Predefinição:Cbignore
  12. «First EBU press release on JESC 2003». European Broadcasting Union. 22 de novembro de 2002. Consultado em 3 de maio de 2008. Arquivado do original em 5 de setembro de 2006 
  13. «Junior Eurovision Song Contest 2003». Junioreurovision.tv. EBU. Arquivado do original em 11 de junho de 2011 
  14. «Confirmation of Manchester as original host». European Broadcasting Union. 16 de novembro de 2003. Consultado em 2 de julho de 2008 [ligação inativa]
  15. «'Junior contest not to take place in Manchester'». ESC Today. 13 de maio de 2004. Consultado em 3 de maio de 2008. Arquivado do original em 17 de novembro de 2004 
  16. Cozens, Claire (17 de novembro de 2003). «JESC UK ratings». The Guardian. London. Consultado em 3 de maio de 2008 
  17. «'Junior 2004 in Croatia'». ESC Today. 1 de junho de 2004. Consultado em 3 de maio de 2008. Arquivado do original em 5 de setembro de 2004 
  18. a b «'Junior contest moves to Norway'». ESC Today. 17 de junho de 2004. Consultado em 3 de maio de 2008. Arquivado do original em 16 de novembro de 2004 
  19. «'Junior 2005 on 26 November in Belgium'». ESC Today. 20 de novembro de 2004. Consultado em 3 de maio de 2008 [ligação inativa]
  20. https://web.archive.org/web/20120210052749/http://www.oikotimes.com/v2/index.php?file=articles&id=2193  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  21. «'No DVD from JESC 2007'». Oikotimes. 17 de janeiro de 2008. Consultado em 3 de maio de 2008. Arquivado do original em 10 de fevereiro de 2012 
  22. «Official information on the 2005 contest». European Broadcasting Union. 24 de novembro de 2005. Consultado em 5 de julho de 2008. Arquivado do original em 3 de agosto de 2007 
  23. «'Televoting all night long'». ESC Today. 20 de outubro de 2006. Consultado em 5 de julho de 2008. Arquivado do original em 30 de setembro de 2007 
  24. Siim, Jarmo (15 de julho de 2011). «12 countries for Junior Eurovision 2011, several changes coming up». European Broadcasting Union. Consultado em 15 de fevereiro de 2015 
  25. «Belinkomsten finale Junior Eurovisie Songfestival naar Unicef» (em neerlandês). UNICEF. 6 de dezembro de 2007. Consultado em 3 de maio de 2008. Arquivado do original em 21 de maio de 2008 
  26. «Information on the fine/ban rule implemented on Croatia and the scrapping of the live rule». ESC Today. 4 de outubro de 2007. Consultado em 5 de julho de 2008. Arquivado do original em 1 de outubro de 2008 
  27. Harvey, Dennis (17 de setembro de 2008). «Variety review of Sounds Like Teen Spirit». Variety. Consultado em 10 de junho de 2009 
  28. «Premiere of JESC film in Cyprus». IMDb. 8 de maio de 2009. Consultado em 10 de junho de 2009 
  29. «Video of Belgian premiere of JESC Film». YouTube. 16 de outubro de 2008. Consultado em 27 de outubro de 2008. Cópia arquivada em 12 de dezembro de 2021 Predefinição:Cbignore
  30. «Premiere of JESC film in Cyprus». CyBC. Setembro de 2008. Consultado em 27 de outubro de 2008 [ligação inativa]Predefinição:Cbignore
  31. a b c «Generic contest information page». European Broadcasting Union. Dezembro de 2007. Consultado em 3 de julho de 2008. Arquivado do original em 8 de maio de 2008 
  32. «Junior: Minor format changes introduced». European Broadcasting Union. 6 de junho de 2008. Consultado em 5 de maio de 2009 
  33. «'Junior Eurovision Song Contest 2008'». European Broadcasting Union. Consultado em 10 de junho de 2009 [ligação inativa]
  34. «Extract of rules of the 2006 contest» (PDF). European Broadcasting Union. 2006. Consultado em 14 de novembro de 2008. Cópia arquivada (PDF) em 7 de janeiro de 2007 
  35. «NTU reveals all with under 50 days to go». European Broadcasting Union. 15 de outubro de 2013. Consultado em 1 de dezembro de 2013 
  36. Farren, Neil (15 de outubro de 2017). «Minsk to Host Junior Eurovision 2018». eurovoix.com. Consultado em 15 de outubro de 2017 
  37. «'Third Junior Eurovision Song Contest': Information on the 2005 running order draw». European Broadcasting Union. 14 de outubro de 2005. Consultado em 10 de junho de 2009. Arquivado do original em 21 de maio de 2008 
  38. «'JESC official presentation tomorrow'». ESC Today. 21 de outubro de 2007. Consultado em 10 de junho de 2009. Arquivado do original em 6 de novembro de 2008 
  39. a b «'Your votes please: the spokespersons'». ESC Today. 26 de novembro de 2005. Consultado em 10 de junho de 2009. Arquivado do original em 1 de junho de 2010 
  40. a b c «Rules alterations for 2010 contest as well as details of traditional rules». ESCKaz. 2010. Consultado em 11 de agosto de 2010 
  41. a b «Rules of the 2003 contest». European Broadcasting Union. Consultado em 5 de julho de 2008. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2003 
  42. Granger, Anthony (12 de maio de 2017). «JESC'17: Songs Now Allowed To Be Up to 40% in English». Eurovoix. Consultado em 10 de novembro de 2020. Cópia arquivada em 2 de agosto de 2017 
  43. «Official information on the 2005 contest». European Broadcasting Union. 24 de novembro de 2005. Consultado em 5 de julho de 2008. Arquivado do original em 3 de agosto de 2007 
  44. «How it Works». Junior Eurovision. 2 de novembro de 2017. Consultado em 10 de dezembro de 2021 
  45. «Information on the Steering Group». Cyprus Broadcasting Corporation. 6 de junho de 2008. Consultado em 6 de julho de 2008. Arquivado do original em 13 de fevereiro de 2009 
  46. Jarmo, Siim. «Junior 2013 venue confirmed». JuniorEurovision.tv. Consultado em 28 de maio de 2013 
  47. Van Gorkum, Steef (2 de dezembro de 2015). «EBU fires Executive Supervisor Yakovlev». escdaily.com. ESC Daily. Consultado em 8 de dezembro de 2015 
  48. «Jon Ola Sand to step down as Executive Supervisor after Rotterdam 2020». Eurovision.tv. 30 de setembro de 2019 
  49. «Martin Österdahl shares his views on the year ahead». Eurovision.tv. EBU. 25 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 2 de outubro de 2020 
  50. «Extract of rules of the 2006 contest» (PDF). European Broadcasting Union. 2006. Consultado em 14 de novembro de 2008. Cópia arquivada (PDF) em 7 de janeiro de 2007 
  51. Farren, Neil (20 de janeiro de 2020). «Martin Österdahl Appointed Eurovision Executive Supervisor». eurovoix.com 
  52. «'New logo for the Festival Eurovisão da Canção Júnior'». European Broadcasting Union. 13 de março de 2008. Consultado em 3 de maio de 2008 
  53. Fisher, Luke James (18 de dezembro de 2013). «Malta to host Junior Eurovision 2014». JuniorEurovision.tv. Consultado em 18 de dezembro de 2013 
  54. «Extract of rules of the 2006 contest» (PDF). European Broadcasting Union. 2006. Consultado em 14 de novembro de 2008. Cópia arquivada (PDF) em 7 de janeiro de 2007 
  55. «'Israel getting into the JESC spirit'». ESC Today. 22 de novembro de 2007. Consultado em 5 de julho de 2008. Arquivado do original em 8 de abril de 2008 
  56. «Confirmation of Manchester as original host». European Broadcasting Union. 16 de novembro de 2003. Consultado em 2 de julho de 2008 [ligação inativa]
  57. «News – Scandinavian JESC pull-out». ESC Today. 18 de abril de 2006. Consultado em 30 de abril de 2014 
  58. Jordan, Paul (15 de outubro de 2017). «Minsk announced as the host city for Junior Eurovision 2018!». junioreurovision.tv. EBU 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Festival Eurovisão da Canção Júnior