Saltar para o conteúdo

Final da Copa do Mundo FIFA de 1930

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Final da Copa do Mundo FIFA de 1930
Evento Copa do Mundo FIFA de 1930
O jogo foi disputado com duas bolas diferentes, uma argentina (no 1º tempo) e outra uruguaia (no 2º tempo)
Data 30 de julho de 1930
Local Estádio Centenário, Montevidéu
Árbitro BélgicaBEL John Langenus
Público 69,346

A Final da Copa do Mundo FIFA de 1930 foi disputada pelos finalistas das Olimpíadas de 1928, Uruguai e Argentina.

A final foi disputada no Estádio Centenário em 30 de julho, que estava em péssimas condições. Os portões do estádio foram abertos às oito horas, seis horas antes do pontapé de saída.[1] Ainda que a partida fosse no Uruguai, a maior parte dos 80 mil espectadores era da Argentina.[2] Um desentendimento ofuscou a preparação para o jogo porque as equipes discordavam sobre quem deveria fornecer a bola, forçando a FIFA a intervir e decretar que a seleção argentina daria a bola para o primeiro tempo e a uruguaia daria a bola para o segundo.[3]

Dias antes da final contra o Uruguai, o atacante argentino Francisco Varallo estava em séria dúvida com uma lesão no joelho. A Argentina chegou à Copa do Mundo sem um médico. Por isso, os delegados entraram em contato com Juan Campisteguy, filho do então presidente da República do Uruguai. Campisteguy examinou Varallo antes da final e recomendou que ele não jogasse por causa de sua lesão no joelho. Os dirigentes argentinos acharam que seu diagnóstico era parcial, pois jogariam contra o Uruguai, e decidiram incluí-lo na equipe. O jogador entrou em campo e sofreu a lesão aos poucos minutos da final, em um momento em que não eram permitidas substituições.[4]

Nos dias que antecederam a partida decisiva, uma banda de música de Montevidéu começou a praticar em frente ao hotel em Santa Lucia, onde a delegação argentina estava hospedada. O objetivo era interromper o descanso dos jogadores. Luis Monti recebeu uma carta em seu quarto ameaçando a ele e sua família de morte. De acordo com Monti: "Fiquei muito assustado quando joguei aquela partida porque eles ameaçaram matar a mim e a minha mãe. Eu estava tão apavorado que nem pensei que estava jogando futebol. Infelizmente, decepcionei meus colegas de equipe.".[5]

Aos 12 minutos do primeiro tempo, Pablo Dorado, do Uruguai, abriu o placar após um passe de Héctor Castro. Mas a Argentina reagiu rapidamente. Oito minutos depois, Carlos Peucelle recebeu de Manuel Ferreira e empatou a partida. Luis Monti avançou com a bola em direção ao ataque argentino e lançou. José Nasazzi levantou as mãos para alegar impedimento, mas o árbitro permitiu que a jogada prosseguisse. Guillermo Stábile avançou sem resistência e bateu Ballestrero com um chute alto.

Já no segundo tempo, a partida ficou mais acirrada. Aos 12 minutos do segundo tempo, José Pedro Cea empatou com um passe de Héctor Scarone e o Uruguai assumiu o controle da partida. Aos 23 minutos do segundo tempo, Victoriano Santos Iriarte colocou o time da casa à frente, em um chute surpreendente de 30 metros de distância, após um passe de Ernesto Mascheroni. Faltando 1 minuto para o fim do jogo, Héctor Castro cabeceou um cruzamento de Pablo Dorado para fazer 4 a 2 e dar ao Uruguai seu primeiro título da Copa do Mundo.[6]

O Uruguai acrescentou o título de vencedores da Copa do Mundo para o manto de Campeões Olímpicos, com Jules Rimet, presidente da FIFA, apresentando o troféu da Copa do Mundo, que foi mais tarde batizado com seu nome. O dia seguinte foi declarado feriado nacional no Uruguai; na capital argentina, Buenos Aires, uma multidão atirou pedras no consulado uruguaio.[7]

De acordo com Francisco Varallo: "No intervalo, eu estava convencido de que iríamos vencer. Estávamos com um gol de vantagem e eles, que eram mais velhos do que nós, pareciam cansados. Mas no vestiário ouvi coisas que não me agradaram. "Se ganharmos aqui, eles vão nos matar", disse um companheiro de equipe. Comecei a olhar para os rostos e vi que vários deles estavam assustados, não apenas Monti, que estava sendo visado. Eles haviam perdido a garra que Stábile, Peucelle e eu, por exemplo, tínhamos demonstrado. Para piorar a situação, o árbitro os deixava bater demais. Na jogada que antecedeu o empate em 2 a 2, Manco Castro acertou Botasso, nosso goleiro, nas costelas. Ele ficou muito mal, não conseguia levantar o braço. Foi por isso que Iriarte marcou o terceiro gol a 30 metros de distância, ele estava dobrado de dor e ninguém se atreveu a colocar um jogador de campo no gol, nem o técnico nem os jogadores mais experientes. Eles fizeram bem o seu trabalho: marcaram, aproveitaram, jogaram muito bem. E eu fiquei com um grande sentimento de raiva por ter perdido aquela final. Eu e muitos outros argentinos".[8]

Francisco Varallo foi último jogador vivo daquela final tendo falecido em 30 de agosto de 2010.[9]

Rota até a final

[editar | editar código-fonte]
Uruguai Round Argentina
Oponente Resultado 1ª fase Oponente Resultado
Peru Peru 1–0 Jogo 1 França França 1–0
Roménia Romênia 4–0 Jogo 2 México México 6–3
Jogo 3 Chile Chile 3–1
Equipe J V E D GF GC SG Pts
Uruguai Uruguai 2 2 0 0 5 0 +5 4
Roménia Romênia 2 1 0 1 3 5 −2 2
Peru Peru 2 0 0 2 1 4 −3 0
Posição final
Equipe J V E D GF GC SG Pts
Argentina Argentina 3 3 0 0 10 4 +6 6
Chile Chile 3 2 0 1 5 3 +2 4
França França 3 1 0 2 4 3 +1 2
México México 3 0 0 3 4 13 −9 0
Oponente Resultado Fase final Oponente Resultado
 Iugoslávia 6–1 Semifinais Estados Unidos Estados Unidos 6–1

Detalhes da partida

[editar | editar código-fonte]
30 de julho de 1930 Uruguai Uruguai 4 – 2 Argentina Argentina Estádio Centenário, Montevidéu
14:00 (UTC-3:30)
Dorado Gol marcado aos 12 minutos de jogo 12'
Cea Gol marcado aos 57 minutos de jogo 57'[10]
Iriarte Gol marcado aos 68 minutos de jogo 68'
Castro Gol marcado aos 89 minutos de jogo 89'
Relatório Peucelle Gol marcado aos 20 minutos de jogo 20'
Stábile Gol marcado aos 37 minutos de jogo 37'[10]
Público: 68,346
Árbitro: BélgicaBEL John Langenus
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uruguai
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Argentina
G Uruguai Enrique Ballesteros
Z Uruguai José Nasazzi Capitão
Z Uruguai Ernesto Mascheroni
MLD Uruguai José Andrade
MC Uruguai Lorenzo Fernández
MLE Uruguai Álvaro Gestido
PTD Uruguai Pablo Dorado
ID Uruguai Héctor Scarone
CA Uruguai Héctor Castro
IE Uruguai Pedro Cea
PTE Uruguai Santos Iriarte
Treinador:
Uruguai Alberto Suppici
G Argentina Juan Botasso
Z Argentina José Della Torre
Z Argentina Fernando Paternoster
MLD Argentina Pedro Suárez
MC Argentina Luis Monti
MLE Argentina Juan Evaristo
PTD Argentina Mario Evaristo
ID Argentina Manuel Ferreira Capitão
CA Argentina Guillermo Stábile
IE Argentina Francisco Varallo
PTE Argentina Carlos Peucelle
Treinadores:
Argentina Francisco Olazar
Argentina Juan José Tramutola

Assistentes:
Henri Christophe (Bélgica)
Ulises Saucedo (Bolívia)

Referências

  1. Glanville, p19
  2. Pinheiro, Mauro (18 de março de 1977). «Na Copa de 30 uma decisão sul-americana». Placar: 20 
  3. Uruguay 1930 BBC. Retrieved on 25 February 2007.
  4. «A 90 años de su disputa, las increíbles historias del Mundial en que Uruguay fue campeón en 1930». elobservador. https://www.elobservador.com.uy. Consultado em 15 de Junho de 2010 
  5. ««LUIS MONTI, EL LEÓN AZUL»». elgrafico. https://www.elgrafico.com.ar. Consultado em 15 de Junho de 2010 
  6. ««30 de julio de 1930: ¡Uruguay tricampeón mundial!»». Ahifu. http://ahifu.uy. Consultado em 15 de Junho de 2010 
  7. Glanville, p21
  8. ««1930. EL SABOR AGRIDULCE DEL SUBCAMPEONATO»». El Grafico. https://www.elgrafico.com.ar. Consultado em 15 de Junho de 2010 
  9. Francisco Varallo, 100 not out FIFA.com
  10. a b Este é um dos vários gols os quais há controvérsias. Os artilheiros e os tempos usados aqui são da FIFA, o registro oficial. Algumas outras fontes, como a RSSSF, alegam artilheiro e/ou tempo diferentes. Ver «World Cup 1930 finals». RSSSF. Consultado em 1 de dezembro de 2008. Cópia arquivada em 3 de dezembro de 2008 .