Final da Copa do Mundo FIFA de 1958

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Final da Copa do Mundo FIFA de 1958
Pelé, na final da Copa, driblando os jogadores suecos.
Evento Copa do Mundo FIFA de 1958
Data 29 de junho de 1958
Local Estádio Råsunda, Solna
Árbitro França Maurice Guigue
Público 49 737

A Final da Copa do Mundo FIFA de 1958 foi disputada em 29 de junho no Estádio Råsunda, na cidade de Solna na Suécia, entre a Seleção Sueca e a Seleção Brasileira. Foi a primeira vez que uma final de Copa do Mundo pôs frente a frente uma equipe européia contra uma equipe Sul-americana. Foi ainda a primeira vez que ambas as equipes chegaram a uma final de Copa do Mundo, já que em 1950 não houve uma final propriamente dita, e sim uma rodada final de um quadrangular.

Ao final dos 90 minutos, o Brasil derrotou a equipe anfitriã por 5 x 2, e se tornou pela primeira vez campeão do mundo de futebol. Desta forma, essa foi a primeira vez - e por enquanto única - que a equipe anfitriã foi derrotada numa Final de Copa do Mundo (já que em 1950 não houve uma final propriamente dita, e sim uma rodada final de um quadrangular), e também a única vez que uma equipe européia não conquistou uma Copa do Mundo disputada na Europa.

Esta partida detém o recorde de mais gols marcados em uma final de Copa do Mundo (7 gols), e os 3 gols de diferença pra equipe vencedora fazem esta partida dividir o recorde de vitória com maior margem de gols em uma final de Copa do Mundo (as outras finais com 3 gols de diferença foram a de 1970 e a de 1998. Curiosamente, nas 3 o Brasil estava presente). Além destes, esta partida ainda detém o recordes de "jogador mais jovem a marcar gol em uma final de Copa do Mundo (Pelé - 17 anos e 249 dias)" e "jogador mais velho a marcar gol em uma final de Copa do Mundo (Liedholm - 35 anos e 263 dias)".

Caminho Até a Final[editar | editar código-fonte]

Brasil Brasil Fase Flag of Sweden.svg Suécia
Oponente Resultado Fase de grupos Oponente Resultado
Flag of Austria.svg Áustria 3–0 Rodada 1 Flag of Mexico.svg México 3–0
Flag of England.svg Inglaterra 0–0 Rodada 2 Flag of Hungary.svg Hungria 2–1
Flag of the Soviet Union.svg União Soviética 2–0 Rodada 3 Flag of Wales (1959–present).svg País de Gales 0–0
Grupo G J V E D GP GC SG Pts
Brasil Brasil 3 2 1 0 5 0 +5 5
Flag of the Soviet Union.svg União Soviética 4 2 1 1 5 4 +1 5
Flag of England.svg Inglaterra 4 0 3 1 4 5 –1 3
Flag of Austria.svg Áustria 3 0 1 2 2 7 –5 1
Resultado final
Grupo F J V E D GP GC SG Pts
Flag of Sweden.svg Suécia 3 2 1 0 5 1 +4 5
Flag of Wales (1959–present).svg País de Gales 4 1 3 0 4 3 +1 5
Flag of Hungary.svg Hungria 4 1 1 2 7 5 +2 3
Flag of Mexico.svg México 3 0 1 2 1 8 –7 1
Oponente Resultado Fase final Oponente Resultado
Flag of Wales (1959–present).svg País de Gales 1–0 Quartas de final Flag of the Soviet Union.svg União Soviética 2–0
Bandeira da França França 5–2 Semifinais Bandeira da Alemanha Ocidental Alemanha Ocidental 3–1

A Partida[editar | editar código-fonte]

A final foi disputada no Estádio Råsunda entre Brasil e Suécia em frente a um público de 49.737 pessoas.

A Seleção Brasileira disputou todos os jogos anteriores com a camisa amarelinha, mas na final teve pela frente a Suécia, também amarela. O sorteio determinou que os donos da casa jogariam com a camisa principal. Então, o chefe da delegação, Paulo Machado de Carvalho, comprou um jogo de camisas azuis na véspera e mandou bordar o escudo da CBD e os números amarelos.[1] Os jogadores ficaram preocupados, mas Paulo motivou o time dizendo que eles seriam campeões usando a cor do manto de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil.[1] E acabaram, de fato, sendo.

Vavá e Garrincha no primeiro gol do Brasil na partida. Os suecos saíram na frente, mas Vavá virou o jogo e a seleção aplicou uma goleada de 5 a 2 no adversário.

Mesmo jogando contra a torcida, o Brasil entrou como favorito. Para esta partida, o técnico Vicente Feola foi obrigado a fazer uma substituição. Na lateral direita, De Sordi, contundido, deu lugar a Djalma Santos, que pela sua única atuação foi eleito o lateral da Copa.[2]

Logo aos 4 minutos, os suecos saírem na frente com um gol de Nils Liedholm.[2]

Este gol sueco que inaugurou o placar, porém, não abalou a equipe.[2] Numa das cenas mais emblemáticas desta Copa, Didi, o príncipe etíope, certamente uma das peças mais importantes do time brasileiro, pegou a bola e foi calmamente andando com ela debaixo dos braços, lembrando a todos que o Botafogo, base daquela seleção, tinha dado uma goleada na Suécia, de forma que não ia ser a seleção brasileira que ia perder deles.

Ainda na primeira etapa o Brasil virou: Mané na linha de fundo, centro para Vavá. Duas vezes, aos 9 e 32.[2]

No segundo tempo, Pelé fez 3 a 1 com direto a um chapéu no marcador, aos 10. Zagallo aumentou aos 23. A Suécia diminuiu com Agne Simonsson, aos 35. Aos 45, Pelé deu numeros finais a partida.[2]

Resultado Final: Com uma atuação de gala, o Brasil bateu os donos da casa, goleando-os por 5 a 2.

No final da partida, já comemorando o título, a seleção brasileira dá a tradicional volta olímpica carregando a bandeira sueca, em homenagem ao país sede.[3]

Arbitragem[editar | editar código-fonte]

O árbitro principal foi o francês Maurice Guigue, o Assistente 1 foi o alemão Albert Dusch e o Assistente 2 foi o espanhol Juan Gardeazabal.

Detalhes da partida[editar | editar código-fonte]

29 de junho de 1958 Brasil Brasil 5 – 2 Flag of Sweden.svg Suécia Estádio Råsunda, Suécia
15:00
Vavá Gol marcado aos 9 minutos de jogo 9', Gol marcado aos 32 minutos de jogo 32'
Pelé Gol marcado aos 55 minutos de jogo 55', Gol marcado aos 90 minutos de jogo 90'
Zagallo Gol marcado aos 68 minutos de jogo 68'
Relatório Liedholm Gol marcado aos 4 minutos de jogo 4'
Simonsson Gol marcado aos 80 minutos de jogo 80'
Público: 49 737
Árbitro: FrançaFRA Maurice Guigue
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Brasil
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Suécia
Brasil
BRASIL:
G 3 Gilmar
LD 4 Djalma Santos
Z 15 Orlando
Z 2 Hideraldo Bellini Capitão
LE 12 Nílton Santos
M 19 Zito
M 6 Didi
A 11 Garrincha
A 7 Mário Zagallo
A 20 Vavá
A 10 Pelé
Treinador:
Brasil Vicente Feola
BRA-SWE 1958-FIN-CM.svg
Suécia
SUÉCIA:
G 1 Kalle Svensson
LD 2 Orvar Bergmark
Z 6 Sigge Parling
Z 14 Bengt Gustavsson
LE 3 Sven Axbom
V 15 Reino Börjesson
M 8 Gunnar Gren
M 4 Nils Liedholm Capitão
A 7 Kurt Hamrin
A 11 Lennart Skoglund
A 9 Agne Simonsson
Técnico:
Inglaterra George Raynor

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Em 2013, pela primeira vez, foram divulgadas imagens a cores da partida. A gravação feita pelo cinegrafista sueco Folke Wännströms foi achada e virou sucesso na web. O video possui cerca de sete minutos.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Além de craque, "estilista": Maradona escolheu camisa da Argentina em 86». Globoesporte.com. 17 de maio de 2014 
  2. a b c d e globoesporte.globo.com/ Copa do Mundo 1958 - Suécia
  3. a b «Túnel do Tempo: Final da Copa de 1958 em cores cai na web». UOL. 22 de maio de 2013 


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons