Golfinho-de-dentes-rugosos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaGolfinho-de-dentes-rugosos
Rough toothed dolphin.jpg
Rough-toothed dolphin size.svg
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante (IUCN 3.1)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Cetacea
Subordem: Odontoceti
Família: Delphinidae
Género: Steno
Gray, 1846
Espécie: S. bredanensis
Nome binomial
Steno bredanensis
(G. Cuvier em Lesson, 1828)
Distribuição geográfica
Mapa de distribuição
Mapa de distribuição

Golfinho-de-dentes-rugosos (Steno bredanensis) é um cetáceo da família dos delfinídeos encontrado em águas tropicais e temperadas de todos os oceanos.


Descrição[editar | editar código-fonte]

Steno bredanensis nadando

O golfinho de dentes rugosos é uma espécie relativamente grande, com adultos variando de 2,09 a 2,83 metros de comprimento e pesando entre 90 e 155 quilos; Os machos são maiores que as fêmeas. Sua característica mais visível é a cabeça cônica e o nariz delgado; outros golfinhos têm um focinho mais curto ou um melão mais saliente na testa. Como o nome comum da espécie indica, os dentes também são distintos, tendo uma superfície rugosa formada por numerosas cristas estreitas e irregulares. Foi relatado que eles tinham entre dezenove e vinte e oito dentes em cada quarto da mandíbula. [1]

As aletas são definidos mais para trás ao longo do corpo do que em outros golfinhos semelhantes, embora, no mar este golfinho pode ser confundida com os golfinhos rotadores, pintados-pantropicais e do gênero Tursiops. A barbatana dorsal é pronunciada, sendo de tendo 18 a 28 centímetros de altura. Os flancos do animal são cinza claro, enquanto o dorso e a barbatana dorsal são cinza muito mais escuros. Os indivíduos mais velhos costumam ter marcações rosadas, amarelas ou brancas distintas ao redor da boca e ao longo da parte inferior. [1]

População e distribuição[editar | editar código-fonte]

A distribuição e a população do golfinho de dentes ásperos são mal compreendidas. Eles habitam os oceanos Pacífico, Atlântico e Índico e no Mar Mediterrâneo, em águas temperadas quentes a tropicais, com relatos ocasionais de ambientes mais frios. Avistamentos ao vivo são quase universalmente feitos longe da costa, além da plataforma continental, em água a pelo menos 1 quiômetro de profundidade. [2]

A maior parte da atividade de pesquisa sobre o golfinho foi direcionada ao Pacífico oriental, onde uma estimativa de população de 150.000 foi obtida. Os fósseis pertencentes ao gênero Steno são conhecidos na Europa e datam do início ao meados do Plioceno . [1]

No Mar Mediterrâneo, Já considerou que a espéce apenas visitava a partir Atlântico Norte, até que descobertas recentes revelaram que há uma pequena população que de fato reside na parte oriental desse mar. [3]

Visão posterior do golfinho de dentes rugosos

Os golfinhos de dentes rugosos são animais tipicamente sociais, embora indivíduos solitários também sejam avistados. [2]Um grupo médio tem entre dez e vinte membros, mas eles podem variar de dois a noventa. [4] [5] Esses grupos são considerados assembléias temporárias, compostas de grupos menores e mais permanentes de dois a oito indivíduos intimamente relacionados que ocasionalmente se juntam a outros. [6] Eles também já foram visto agrupadosjunto com outras espécies de golfinhos e com baleias-piloto, falsas orcas e baleias jubarte .

Já foi relatado que golfinhos de dentes rugosos nadam em arco em várias ocasiões, [4][5] [6] embora aparentemente eles não o façam com tanta frequência como muitas outras espécies de golfinhos. [1] Eles geralmente "deslizam", nadando com a cabeça e o queixo acima da superfície da água. Eles são conhecidos por serem capazes de mergulhar a pelo menos 50 metros [7] e capazez de permanecer debaixo d'água por pelo menos quinze minutos. [1] Seus cliques de ecolocalização são excepcionalmente breves, durando não mais do que 0,2 segundos e têm uma frequência relativamente baixa, variando de 2,7 a 256 kHz, com uma frequência máxima de pico de 25 kHz. Eles também fazem apitos mais longos com uma frequência entre 3 e 12 kHz. [1] [7]

Embora os detalhes de sua dieta são vagos, o conteúdo do estômago de presos golfinhos incluíram tais peixes como Atheriniformes, zambaio-roliços, Osmeridae, Trichiuridae, e várias lulas e polvos. Acredita-se que os predadores em golfinhos de dentes rugosos incluam baleias assassinas e tubarões. [1]

Reprodução[editar | editar código-fonte]

Os golfinhos de dentes rugosos dão à luz a um único filhote, após um período de gestação desconhecido; também não se sabe se eles têm ou não uma estação de reprodução distinta. Os jovens têm cerca de 1 metro de comprimento ao nascer e crescem rapidamente durante os primeiros cinco anos de vida. As fêmeas atingem a maturidade sexual em algum lugar entre seis [8] e dez [1] anos de idade, e os machos entre cinco e dez anos. [1]

Referências

  1. a b c d e f g h i West, K.L.; et al. (2011). «Steno bredanensis (Cetacea: Delphinidae)». Mammalian Species. 43: 177–189. doi:10.1644/886.1Acessível livremente  Parâmetro desconhecido |doi-access= ignorado (ajuda)
  2. a b Gannier, A.; West, K.L. (2005). «Distribution of the rough-toothed dolphin (Steno bredanensis) around the Windward Islands (French Polynesia)» (PDF). Pacific Science. 59: 17–24. doi:10.1353/psc.2005.0007  Parâmetro desconhecido |hdl-access= ignorado (ajuda); |hdl-access= requer |hdl= (ajuda)
  3. https://cmsdata.iucn.org/downloads/iucn_med_2012_marine_mammals___sea_turtles_def.pdf
  4. a b Baird, R.W.; et al. (2008). «Site fidelity and association patterns in a deep-water dolphin: Rough-toothed dolphins (Steno bredanensis) in the Hawaiian Archipelago». Marine Mammal Science. 24: 535–663. doi:10.1111/j.1748-7692.2008.00201.x 
  5. a b Ritter, F. (2002). «Behavioral observations of rough-toothed dolphins (Steno bredanensis) off La Gomera, Canary Islands (1995–2000), with special reference to their interactions with humans» (PDF). Aquatic Mammals. 28: 46–59 
  6. a b Kuczaj, S.A.; Yeater, D.B. (2007). «Observations of rough-toothed dolphins (Steno bredanensis) off the coast of Utila, Honduras». Journal of the Marine Biological Association of the United Kingdom. 87: 141–148. doi:10.1017/S0025315407054999 
  7. a b Watkins, W.A.; et al. (1987). «Steno bredanensis in the Mediterranean Sea». Marine Mammal Science. 3: 78–82. doi:10.1111/j.1748-7692.1987.tb00152.x 
  8. Siciliano, S.; et al. (2007). «Age and growth of some delphinids in south-eastern Brazil». Journal of the Marine Biological Association of the United Kingdom. 87: 293–303. doi:10.1017/S0025315407053398 

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

  • MEAD, J. G.; BROWNELL, R. L. (2005). Order Cetacea. In: WILSON, D. E.; REEDER, D. M. (Eds.) Mammal Species of the World: A Taxonomic and Geographic Reference. 3ª edição. Baltimore: Johns Hopkins University Press. p. 723-743.
Ícone de esboço Este artigo sobre cetáceos é um esboço relacionado ao Projeto Mamíferos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.