Ivan Aguéli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ivan Aguéli
Nascimento John Gustaf Agelii
24 de maio de 1869
Sala parish, Sweden
Morte 1 de outubro de 1917 (48 anos)
L'Hospitalet de Llobregat
Sepultamento Christina Church
Cidadania Suécia
Alma mater
Ocupação político, filósofo, pintor, escritor
Religião Islão
Ideologia política anarquismo
Causa da morte acidente ferroviário

Ivan Aguéli (nascido John Gustaf Agelii ; 24 maio de 1869- 1 de outubro de 1917), também conhecido como Sheikh 'Abd al-Hadi Aqhili (em árabe: شيخ عبد الهادی عقیلی) após sua conversão ao Islã, foi um pintor e pensador perenialista sueco. Sua obra foi influenciada por Ibn Arabi.

Vida[editar | editar código-fonte]

Depois de viver em Estocolmo, mudou-se para Paris na década de 1890; ele também viveria no Cairo e em Colombo (Sri Lanka).

Aguéli foi militante da causa animal. Em junho de 1900, auxiliado pela poetisa e ativista Marie Huot, Ivan Aguéli ataca dois toureiros com tiros de revólver durante uma tourada ilegalmente realizada em Deuil, na região de Paris 5, um ataque que faz parte de um movimento de oposição às touradas que afeta os círculos republicanos radicais desde a década de 1850. Um dos dois matadores é ferido sem ferimentos graves, e este ataque leva Ivan Aguéli à prisão.[1]

Aguéli também é conhecido por ter introduzido René Guénon ao Sufismo e despertado seu interesse pelo Islã por volta de 1910. Nesse período, fundou a Sociedade Al Akbariyya em Paris.[2]

Seu trabalho como pintor pode ser descrito como uma forma de impressionismo; exerceu uma influência importante na arte contemporânea sueca.[3]

Referências

  1. Denis Andro, Une page de la lutte contre la tauromachie à la Belle Epoque : l’attentat de Deuil du 4 juin 1903, vol. 159, Gavroche, p. 36-38
  2. Kurt Almqvist ; I tjänst hos det enda - ur René Guénons verk, Natur & Kultur, 1977.
  3. Wessel, Viveca; Ivan Aguéli – Porträtt av en rymd, 1988.