João José Reis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
João José Reis
Nascimento 24 de junho de 1952 (66 anos)
Salvador,  Brasil
Prémios Prémio Jabuti 1992

Prémio Casa de las Américas (2012)
Prêmio Machado de Assis (2017)

Género literário História
Magnum opus Rebelião escrava no Brasil: a história do levante dos malês em 1835

João José Reis [1](Salvador, 24 de junho de 1952) é um dos mais importantes historiadores do Brasil, considerado uma referência mundial para o estudo da história e da escravidão no século XIX. É escritor de diversos livros, dentre eles "A morte é uma festa" que lhe rendeu o Prêmio Jabuti de Literatura. É graduado em história pela Universidade Católica de Salvador, tem Mestrado e Doutorado pela renomada Universidade de Minnesota e vários pós doutorados, que incluem a Universidade de Londres, o Center for Advanced Studies in the Behavioral Sciences da Universidade de Stanford e o National Humanities Center. Também foi professor visitante das seguintes universidades: Universidade de Michigan, Universidade Brandeis, Universidade de Princeton, Universidade do Texas e Universidade de Harvard. Atualmente é professor titular do departamento de história da Universidade Federal da Bahia.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

João José Reis foi vencedor de diversos prêmios em âmbito nacional e internacional, tais como:

  • 2017 - Prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras (ABL) 
  • 2012 - Prêmio Casa de las Américas , Instituto Casa de las Americas, Cuba.
  • 2010 - Prémio Robertson, awarded to the best article in the Hispanic American Historical Review for the 2009-10 year (em co-autoria com Hendrik Kraay)., Hispanic American Historical Review.
  • 2010 - Ordem Nacional do Mérito Científico, Ministério de Ciência e Tecnologia/Academia Brasileira de Ciências.
  • 2007 - Honorary Foreign Member of the American Historical Association (for extraordinary scholarly distinction, dedication to international exchange, and assistance to U.S. historians), American Historical Association.
  • 2007 - Medalha 2 de Julho, Prefeitura Municipal de Salvador.
  • 2005 - Choice Outstanding Academic Title para o livro "Death is a Festival"., Choice: A Journal of the American Library Association.
  • 2004 - Ordem Nacional do Mérito Científico na Classe de Comendador, Ministério da Ciência e Tecnologia e Academia Brasileira de Ciência.
  • 2001 - Prêmio Jabuti de Literatura (Obra coletiva "Festa: Cultura e Sociabilidade na América Portuguesa"), Câmara Brasileira do Livro.
  • 1998 - Manoel Bonfim (Obra coletiva "História da Vida Privada no Brasil"), Governo do Distrito Federal.
  • 1997 - Haring (Melhor livro latinoamericano de história para "A Morte é uma Festa"), American Historical Association.
  • 1992 - Prêmio Jabuti de Literatura (Melhor obra não-ficção para "A Morte é uma Festa"), Câmara Brasileira do Livro.

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Escravidão e Invenção da liberdade. São Paulo: Brasiliense, 1988. Livro coletivo organizado pelo historiador.
  • Negociação e Conflito: A Resistência Negra no Brasil Escravista, São Paulo:Companhia das letras, 1989, 151 p. Co-autor Eduardo Silva.
  • A Morte é uma Festa: Ritos Fúnebres e Revolta Popular no Brasil do Século XIX, São Paulo:Companhia das letras, 357 p. 1992. Edição em inglês pela North Carolina University Press, USA
  • Liberdade por um Fio: História dos Quilombos no Brasil, São Paulo:Companhia das letras, 505 p. Livro coletivo organizado com Flavio Gomes. 1996.
  • Rebelião Escrava no Brasil: a História do Levante dos Malês (1835), Companhia das letras, 650 p. 2003. Edição em inglês pela Johns Hopkins University Press, USA
  • Domingos Sodré, um sacerdote africano: escravidão, liberdade e candomblé na Bahia do século XIX. São Paulo, SP: Companhia das Letras, 2008.463 p. Edição em inglês pela Cambridge University Press.
  • O Alufá Rufino: tráfico, escravidão e liberdade no Atlântico negro (c.1822 - c. 1853). São Paulo: Companhia das Letras, 2010. 481p. Co-autores Flávio Gomes e Marcus J. M. de Carvalho.
  • Escravidão e suas sombras. Salvador: EDUFBA, 2012, 369 p. Livro coletivo organizado com Elciene Azevedo.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências