José Castello

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
José Castello
José Castello em novembro de 2010.
Nome completo José Guimarães Castello Branco
Nascimento 1951 (68 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Prémios BNB de Jornalismo (1984)[1]
Jabuti (1994)[2]

Prémio Casa de las Américas (2008)
Jabuti (2011)[2][3]

Gênero literário Biografia, crítica, crônica, romance[4]
Magnum opus A literatura na poltrona (2007)
Página oficial
A literatura na poltrona

José Guimarães Castello Branco (Rio de Janeiro, 1951) é um escritor, jornalista e crítico literário brasileiro.[4][5]

Biografia[editar | editar código-fonte]

O pai de José Castello, José Ribamar Martins Castello Branco, migrou de Parnaíba, no Piauí, para a capital do estado do Rio de Janeiro onde estabeleceu-se. Assim, José Castello, o filho, concluiu seus estudos no Colégio Santo Inácio[1] para só então graduar-se em Teoria da Comunicação e também no curso de Jornalismo, ambos pela Universidade Federal do Rio de Janeiro[5], tornando-se mestre na profissão que exerce ativamente desde a década de 70[4]. Nas décadas seguintes, tendo passado pelo Diário de Notícias, O Globo e RioArte pelos anos 80, sua carreira já chegava às páginas do Jornal do Brasil[1]. Coroa-se como crítico literário em 1993, quando publica uma biografia de Vinicius de Moraes e atinge as páginas d'O Estado de São Paulo como cronista e repórter.[1] Castello colaborou também com as revistas Veja, IstoÉ e Playboy. Apesar dos veículos renomados que atingiu, contribuía para o semanário Opinião[6] e para o jornal literário Rascunho[7].

Em 2011, ele ganhou o Prêmio Jabuti com "Ribamar", romance que se mostra às vezes biografia, em outras, relato de viagens, estilos narrativos que destacam a relação tumultuada entre pai e filho. José Castello usa o próprio nome e o do pai na trama premiada. [8]

Atualmente, José Castello escreve para O Globo.[9] Está radicado em Curitiba desde o ano de 1994 onde trabalha mantendo uma oficina literária.[9][5].

Obras do autor[editar | editar código-fonte]

[5][1][10]

Referências

  1. a b c d e Enciclopédia Literatura Brasileira (11 de fevereiro de 2008). «Castello, José (1952) Cronologia». Itaú Cultural. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  2. a b Yuri Al 'Hanati (31 de outubro de 2011). «Jabuti divide águas na carreira de Castello». Jornal Gazeta do Povo. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  3. iG São Paulo (17 de outubro de 2011). «"Ribamar", de José Castello, ganha o Jabuti de melhor romance». iG. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  4. a b c Enciclopédia Literatura Brasileira (18 de junho de 2010). «Castello, José (1951)». Itaú Cultural. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  5. a b c d Rodrigo de Faria e Silva (2004). «José Castello». Klick Editores. Consultado em 12 de novembro de 2011. Arquivado do original em 4 de julho de 2010 
  6. José Castello (1999). O Inventário das Sombras. [S.l.]: Record. p. 14. 305 páginas. ISBN 8501053325 
  7. José Castello: Rascunho - O jornal de literatura do Brasil
  8. Dicas de leitura por um ganhador do Jabuti: http://educarparacrescer.abril.com.br/leitura/dicas-leitura-ganhador-jabuti-697774.shtml Arquivado em 21 de maio de 2013, no Wayback Machine.
  9. a b Equipe Portal Literal (22 de setembro de 2008). «José Castello». Terra. Consultado em 12 de novembro de 2011. Arquivado do original em 12 de dezembro de 2011 
  10. Livraria Cultura: Pelé: Os Dez Corações do Rei, As Melhores Crônicas de José Castello, Fantasma, A Literatura na Poltrona e Ribamar.