Juan Maldacena

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Juan Maldacena
Nascimento 10 de setembro de 1968 (49 anos)
Buenos Aires
Nacionalidade Argentina Argentico, Estados Unidos estadunidense, Itália italiano
Prêmios Medalha de Ouro Pio XI (2002), Prêmio Dannie Heineman de Física Matemática (2007), Medalha Dirac (2008), Racah Lectures in Physics (2009), Medalha Oskar Klein (2012), Fundamental Physics Prize (2012), Prêmio Pomeranchuk (2012)
Orientador(es) Curtis Callan
Instituições Instituto de Estudos Avançados de Princeton
Campo(s) Física teórica
Tese 1996

Juan Martín Maldacena (Buenos Aires, 10 de setembro de 1968) é um físico teórico argentino.

A teoria de que o cosmos seria um holograma surgiu no final da década de 90, quando o físico teórico Juan Maldacena propôs um modelo no qual a gravidade seria proveniente de cordas vibrantes de espessuras infinitesimais.

Esse intrincado universo formado por cordas consistiria em nove dimensões do espaço, além de mais uma correspondente ao tempo. Esse cosmos seria como uma enorme projeção holográfica, enquanto toda a ação ocorreria em um universo muito mais simples e plano, desprovido de gravidade.

Apesar de parecer pura maluquice, a teoria de Maldacena de que o universo seria um holograma permitiu solucionar algumas inconsistências entre a física quântica e a teoria da gravidade de Einstein — já que, quando consideramos um buraco negro, as duas teorias entram em conflito —, além de oferecer uma base sólida para a teoria das cordas.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Sergio Ferrara, Daniel Z. Freedman e Peter van Nieuwenhuizen
Prêmio Dannie Heineman de Física Matemática
2007
com Joseph Polchinski
Sucedido por
Mitchell Feigenbaum
Precedido por
John Iliopoulos e Luciano Maiani
Medalha Dirac
2008
com Joseph Polchinski e Cumrun Vafa
Sucedido por
Roberto Car e Michele Parrinello


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) físico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.