Reinhard Genzel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Reinhard Genzel Medalha Nobel
Nascimento 24 de março de 1952 (68 anos)
Bad Homburg vor der Höhe
Nacionalidade alemão
Cidadania Alemanha
Etnia alemães
Progenitores Pai:Ludwig Genzel
Alma mater Universidade de Bonn
Ocupação astrônomo, professor universitário, astrofísico, físico
Prêmios Prêmio Newton Lacy Pierce de Astronomia (1986), Prêmio Gottfried Wilhelm Leibniz (1990), Prêmio Jules Janssen (2000), Medalha Stern-Gerlach (2003), Prêmio Balzan (2003), Petrie Prize Lecture (2005), Medalha Albert Einstein (2007), Prêmio Shaw de Astronomia (2008), Medalha Karl Schwarzschild (2011), Prêmio Crafoord (2012), Prêmio Tycho Brahe (2012), Prêmio Harvey (2014), Medalha Herschel (2014), Nobel de Física (2020)
Empregador Universidade de Munique, Universidade da Califórnia em Berkeley, Universidade Harvard, Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics, Instituto Max Planck de Física Extraterrestre
Instituições Universidade da Califórnia em Berkeley
Campo(s) astrofísica

Reinhard Genzel FRS[1] (Bad Homburg vor der Höhe, 24 de março de 1952) é um astrofísico alemão. É diretor do Instituto Max Planck de Física Extraterrestre.[2]

Em 2020, ele foi laureado com o Prêmio Nobel de Física, junto com Andrea Ghez, "pela descoberta de um objeto compacto supermassivo no centro de nossa galáxia". A outra metade foi concedida a Roger Penrose.[3]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
James Peebles, Michel Mayor e Didier Queloz
Nobel de Física
2020
com Roger Penrose e Andrea Ghez
Sucedido por
Ícone de esboço Este artigo sobre um astrônomo/astrónomo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.