Maria Goeppert-Mayer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Göppert-Mayer Medalha Nobel
Maria Goeppert-Mayer na cerimônia de laureação do Nobel de física de 1963, ao lado o rei Gustavo VI Adolfo da Suécia.
Nacionalidade Alemanha Alemã
Nascimento 28 de junho de 1906
Local Katowice
Morte 20 de fevereiro de 1972 (65 anos)
Local San Diego
Instituições Laboratório Nacional de Los Alamos, Argonne National Laboratory
Alma mater Universidade de Göttingen
Orientador(es) Max Born
Prêmio(s) Nobel prize medal.svg Nobel de Física (1963)
Maria Goeppert-Mayer

Maria Göppert-Mayer (Katowice, 28 de junho de 1906San Diego, 20 de fevereiro de 1972) foi uma física teórica estadunidense nascida na Alemanha.[1] [2] [3] Com Eugene Paul Wigner e J. Hans D. Jensen, recebeu o Nobel de Física em 1963, por propor um novo modelo do envoltório do núcleo atômico. Foi a segunda mulher a ser laureada nesta categoria do Nobel, precedida por Marie Curie.

Formou-se na Universidade de Göttingen, e seu doutorado versava sobre a teoria da absorção de dois fótons por átomos. Na época, verificar a sua tese parecia ser uma possibilidade remota - mas isso foi possível com o desenvolvimento do laser. Hoje, a unidade usada para medir a absorção fotônica é chamada de Goeppert Mayer (GM).

Casou-se com Joseph Edward Mayer e se mudou para os Estados Unidos, já que ele se tornou um professor na Universidade John Hopkins. Regras contra nepotismo impediam que Maria fosse contratada como membro do corpo docente da universidade, mas ela conseguiu um trabalho como assistente e publicou um artigo sobre decaimento radioativo em 1935. Em 1957, ela se mudou para a Universidade Columbia, onde passou a trabalhar de graça.[4]

Durante a Segunda Guerra Mundial, ela trabalhou no Projeto Manhattan dentro de Columbia, especificamente na separação de isótopos e, juntamente com Edward Teller, foi responsável por desenvolver a chamada Bomba de Teller no Laboratório Los Alamos.

Depois da guerra, se tornou uma professora voluntária no departamento de física da Universidade de Chicago (onde seu marido trabalhava). Ao mesmo tempo, era física sênior no Laboratório Nacional Argonne.

Em 1960, foi convidada a se tornar professora de física na Universidade da Califórnia em San Diego.[5]

Referências

  1. Bibliografia comentada de Maria Goeppert-Mayer da Biblioteca Digital Alsos para Assuntos Nucleares
  2. Biografia do escritório de Informação Científica e Técnica do depto de energia dos EUA
  3. Maria Goeppert-Mayer
  4. Dash, Joan. A life of One's Own: Three Gifted Women and the Men they Married. [S.l.: s.n.], 1973. ISBN 978-0-06-010949-3
  5. G. Sachs, Robert. Maria Goeppert-Mayer: A Biographical Memoir. [S.l.: s.n.], 1979.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Lev Davidovich Landau
Nobel de Física
1963
com Eugene Paul Wigner e J. Hans D. Jensen
Sucedido por
Charles Hard Townes, Nicolay Gennadiyevich Basov e Aleksandr Mikhailovich Prokhorov


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) físico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.